Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
14Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Resumo de Oftalmo

Resumo de Oftalmo

Ratings:

4.0

(2)
|Views: 2,624 |Likes:
Published by GabiVale

More info:

Categories:Types, Resumes & CVs
Published by: GabiVale on Jun 27, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/17/2013

pdf

text

original

 
Resumo Básico de Oftalmologia
# A# A
NATOMIANATOMIA
##ÓÓ
RBITARBITA
A órbita é comparada ao formato de uma pêra com onervo óptico representando uma haste. O volume da órbitaadulta é de aproximadamente 30 ml e o globo ocular ocupaapenas cerca de 1/5 do espaço. A massa restante é composta por gordura e músculo.As órbitas eso relacionadas com o seio frontalsuperiormente, com o seio maxilar inferiormente e com seiosetmoidal e esfenoidal medialmente. A principal artéria nutridorada órbita e suas estruturas derivam da artéria oftálmica, a primeira principal ramificação da porção intracraniana daartéria carótida interna.
GG
LOBOLOBO
OO
CULAR CULAR 
O olho é um órgão de forma basicamente esférica,medindo, no seu diâmetro ântero-posterior, aproximadamente24 mm. A parede do globo ocular é composta de três camadas: amais externa é formada por uma camada protetora composta da
esclera
e
córnea
; a média é uma camada altamentevascularizada e pigmentada composta da
coróide
,
corpo ciliar 
e
íris
; a parte interna é a
retina
, uma camada receptora quecontém as terminações nervosas do nervo óptico.
CC
ONJUNTIVAONJUNTIVA
A conjuntiva é uma membrana mucosa fina etransparente que cobre a superfície posterior da pálpebra(conjuntiva palpebral) e a superfície anterior da esclerótica(conjuntiva bulbar). Ela continua com a pele na margem da pálpebra e com o epitélio corneano no limbo.A conjuntiva palbebral alinha-se à superfície posterior da pálpebra e adere-se firmemente ao tarso. A conjuntiva bulbar está frouxamente aderida ao septo orbital nos fórnices, estando,muitas vezes, dobrada. Isso permite ao olho movimentar-se eaumentar a área da superfície secretora conjuntival. Comexceção do limbo, a conjuntiva bulbar está frouxamente aderidaà cápsula de Tenon e à esclerótica adjacente.
CC
ÁPSULAÁPSULA
 
DEDE
TT
ENONENON
(F(F
ÁSCIAÁSCIA
OO
RBITALRBITAL
))
A cápsula de Tenon é uma membrana fibrosa queenvolve o globo ocular do limbo até o nervo óptico. Próximo aolimbo, a conjuntiva, a cápsula de Tenon e a episclera estãounidas.
EE
SCLERASCLERA
 
EE
EE
PISCLERAPISCLERA
A esclera é uma camada externa protetora que cobre oolho. É densa, branca, continua com a córnea anteriormente ecom a bainha do nervo óptico posteriormente. A superfícieexterna da esclerótica anterior está coberta por uma camada finade tecido elástico, a episclera, que contém numerosos vasossangüíneos que nutrem a esclerótica.O interesse da esclera é:
anatômico
, para inserção dossculos, passagem de elementos vasculonervosos econtribuição na formação do seio camerular ;
 fisiológico
, para a proteção à coriorretina e ao vítreo, e manutenção do tônusocular ;
 patológico
, onde se encontra tecido colágeno pobre emlulas, porém rico em fibrilas cogenas e elásticas ; e
cirúrgico
.
CC
ÓRNEAÓRNEA
A córnea é o mais importante meio refrativo do olho,caracterizando-se pelo seu alto grau de transparência. Estatransparência depende de rios fatores, incluindo aregularidade da superfície anterior epitelial, a organizaçãoregular das fibras de colágeno do estroma e da sua naturezaavascular. Sua nutrição é fornecida pelo filme lacrimal e pelohumor aquoso. A função da córnea é mecânica e óptica. Olimbo é o ponto de transição entre a córnea e a esclera, e nele seencontram, na sua parte mais interna, as vias de escoamento dohumor aquoso ( canal de Schlemm). De anterior para posterior,existem cinco camadas distintas: epitélio, canada de Bowman,estroma, membrana de Descemet e o endotélio. O epitélio temcinco ou seis camadas de células, e o endotélio, apenas uma. Oestroma corneano corresponde a cerca de 90% da espessuracorneana. Os nervos sensoriais da córnea são derivados da primeira divio (oftálmica) do quinto nervo craniano(trigêmeo).
CC
RISTALINORISTALINO
O cristalino é uma estrutura biconvexa, avascular,incolor e quase completamente transparente. Está suspenso atrásda íris pela zônula de Zinn que o conecta com o corpo ciliar.Anterior ao cristalino está o aquoso; posteriormente o vítreo.Consiste em cerca de 65% de água, 35% de proteína (a maior quantidade de ptn em qualquer tecido do corpo) e um terço deminerais comuns a outros tecidos do corpo. Não existem fibrasdolorosas, vasos sanguíneos ou nervos no cristalino.A função primária do cristalino é focar o raio de luzsobre a retina. Pela contração do músculo ciliar (sob suprimento parassimpático do III nervo), o cristalino altera sua forma eaumenta seu poder dióptrico para focalizar os objetos próximosna retina. Essa interação fisiológica do corpo ciliar, zônula ecristalino é conhecida como
acomodação
.
TT
RATORATO
UU
VEALVEAL
O trato uveal é composto pela
íris
,
corpo ciliar 
e
coróide
. É a camada vascular do olho e é protegida pela córneae pela esclerótica. Contribui com o fornecimento de sangue paraa retina.
ÍÍ
RISRIS
 
É uma extensão anterior ao cristalino. Apresenta-secomo uma superfície plana, que possui uma abertura centralredonda, a pupila. A íris encontra-se contígua com a superfícieanterior das lentes, dividindo a câmara anterior da posterior,cada uma contendo humor aquoso. Dentro do estroma da írisestão o esfíncter e o músculo dilatador.A íris controla a quantidade de luz que penetra o olho.O tamanho pupilar é principalmente determinado pelo balançoentre a constrição devido à atividade parassimpática transmitidaatravés do terceiro nervo craniano e sua dilatação devido àatividade simpática.
CC
ORPOORPO
CC
ILIAR ILIAR 
O corpo ciliar, aproximadamente triangular num cortetransversal, estende-se para a frente do final anterior da coróideaté a origem da íris. Os processos ciliares e seu epitélio derecobrimento são responsáveis pela formação do humor aquoso.O
músculo ciliar
é composto de uma combinação defibras longitudinais, circulares e radiais. A função das fibrascirculares é contrair e relaxar as fibras da zônula, que seoriginam entre os processos ciliares. Isso altera a tensão sobre acápsula do cristalino, dando um foco variável para objetosdistantes e próximos no campo visual. A fibra longitudinal domúsculo ciliar inserido na malha trabecular influenciam otamanho dos poros.
CC
ORÓIDEORÓIDE
 
A coróide é o segmento posterior do trato uveal, entre aretina e a esclerótica. É composta por três camadas dos vasossanguíneos coroidianos: largo, médio e pequeno. Quanto mais profundo estão localizados os vasos no coróide, maior será oseu calibre. A coide esfirmemente anexa à margem
 
 posterior do nervo óptico. Anteriormente, a coróide une-se aocorpo ciliar.
ETINAETINA
A retina é uma mina do tecido neural, fina,semitransparente e com múltiplas camadas, que reveste a porção interna de 2/3 da parede posterior do globo. Sua funçãoé transformar as ondas luminosas em impulsos nervosos. Ascélulas respondem aos estímulos visuais através de reaçõesfotoquímicas. É formada por 10 camadas. A luz deve atravessar essas camadas até atingir os fotorreceptores (cones e bastonetes). Os cones funcionam melhor com luz intensa e sãoresponsáveis pela visão central e pela visão de cores. Os bastonetes são mais sensíveis à luz e funcionam melhor com baixa luminosidade. Na área central da retina, os cones são maisnumerosos que os bastonetes. Na fóvea - área responsável pelamáxima acuidade visual - , somente cones estão presentes. Osvasos da retina são derivados da artéria e da veia central daretina. Na região da fóvea não há vasos capilares e sua nutriçãofaz-se inteiramente através da coróide.
VV
ÍTREOÍTREO
O treo é um corpo gelatinoso, transparente,avascular, que compreende dois terços do volume e do peso doolho. Preenche o espaço limitado pelo cristalino, retina e papilaóptica. O vítreo tem cerca de 99% de água. O 1% restante incluidois componentes: colágeno e ácido hialurônico. Encontra-sefirmemente ligado à retina em três locais: na base vítrea, nodisco óptico e na mácula.
AA
PARELHOPARELHO
LL
ACRIMALACRIMAL
O aparelho lacrimal é dividido em parte secretora e parte excretora. A porção secretora consiste em uma glândulalacrimal, responsável principalmente pela secreção da lágrimaque irá banhar o globo ocular. Localiza-se na porção ântero-superior externa da órbita. Há ainda as glândulas lacrimaisacessórias, situadas no fórnice (junção da conjuntiva bulbar com a conjuntiva palpebral) e responsável pela secreção basalde lágrimas.A porção excretora, responsável pela eliminação dalágrima, é formada pelo ponto lacrimal (superior e inferior), pelo canalículo lacrimal (superior e inferior), pelo saco lacrimale pelo ducto nasolacrimal. O saco lacrimal está localizado nafossa lacrimal, na parte medial da órbita. O ducto nasolacrimalcorre através da parede medial do seio maxilar, terminando nomeato nasal inferior.
PP
ÁLPEBRASÁLPEBRAS
As pálpebras são formadas por quatro camadas básicas:
 pele
,
músculo orbicular 
,
tarso
e
conjuntiva
. A pele da pálpebraé a mais fina do corpo. A camada muscular é formada pelomúsculo orbicular, que funciona como um esfíncter. Quando omúsculo orbicular se contrai, a pálpebra se fecha. É inervado pelo nervo facial. O tarso é um tecido fibroso, sendoconsiderado o esqueleto da pálpebra. A conjuntiva é umamembrana mucosa que une o globo ocular às pálpebras.
# C# C
ATARATAATARATA
##
 Bruno Machado Fontes
A catarata é a opacificação do cristalino. As cataratasvariam significativamente em grau de densidade e podemocorrer devido a causas variadas, porém, normalmente estãoassociadas à idade. Os cristalinos com catarata ocaracterizados pelo edema do cristalino, alteração proteica,crescente proliferação e ruptura da continuidade normal dasfibras do cristalino.O fundo de olho fica consideravelmente mais difícil deser visualizado quando a opacidade torna-se mais densa, até queo reflexo do fundo esteja completamente ausente. A graduaçãoclínica da catarata, na hipótese de não haver nenhuma outradoença ocular, é considerado principalmente através do teste deacuidade visual. Em geral, o decréscimo da acuidade visual édiretamente proporcional à densidade da catarata.
Causas de Catarata :
Congênitas
Infecção materna (principalmente Rubéola)
Genética (por ex. Síndrome de Down)
Metabólica (por ex. galactosemia)
Outras
 Adquiridas
Senil
Endócrina (Diabetes, hipoparatireoidismo,...)
Trauma (lesão fechada ou penetrante, radiação...)
Drogas (esteróides, iodeto de fosfolina, ...)
Metabólica (eczema, diarréia crônica,...)
Genética de início tardio (Distrofia miotônica,...)
Doença Intraocular (uveíte, distrofias retinianas)
Tratamento :
Cirurgia
 
Facectomia ( consiste em retirar ocristalino ) + Implante de uma Lente Intraocular.Existem várias técnicas para tal ( extração intracapsular,extracapsular, Facoemulsificação, entre outras ).
# A# A
METROPIASMETROPIAS
##
 Bruno Machado Fontes Emetropia
é a falta do erro refrativo e
 Ametropia
é a presença do mesmo. O principal sintoma dos vícios de refraçãoé a diminuição da acuidade visual, mas podem causar cefaléia,tonturas, sonolência e hiperemia conjuntival.
PP
RESBIOPIARESBIOPIA
É a perda da acomodação, que vem com a idade paratodas as pessoas. Uma pessoa com olhos emétropes começará a perceber dificuldade para ler letras pequenas ou distinguiobjetos bem de perto com cerca de 44 – 46 anos. Isso piora naluz fraca ou de manhã bem cedo. É corrigida pelo uso de uma
lente positiva
para suprir a perda de poder de focar automáticodo cristalino.
MM
IOPIAIOPIA
Quando a imagem de objetos distantes se focam emfrente à retina no olho sem acomodação, o olho é míope. Se oolho é maior que a média, o erro é chamado miopia de eixo.O ponto alcançado onde a imagem é aguçadamente focada naretina é chamado de “ ponto distante ”.Um alto grau de miopia resulta numa maiosusceptibilidade para mudanças retineanas degenerativas,incluindo o descolamento.
 Lentes esféricas côncavas (negativas)
são usadas paracorrigir a imagem na miopia. Essas lentes movem a imagem para trás da retina.
HH
IPERMETROPIAIPERMETROPIA
(( Hiperopia))
É o estado no qual o olho não acomodado foca aimagem atrás da retina. Pode ser devido ao comprimento doeixo reduzido, ou erro refrativo reduzido.
 
Pequeno grau de hipermetropia espresente namaioria das crianças quando nascem, porém à medida que oolho cresce, esta diminui e desaparece.Caso a hiperopia não seja tão acentuada, uma pessoa jovem pode conseguir uma imagem aguçada à distância pelaacomodação, como um olho normal leria. Esse esforço extra pode causar cansaço ao olho que é mais grave para o trabalho próximo.Como visto, uma pessoa hipermétrope jovem pode ver  bem de perto ou de longe. Porém, quando a presbiopia chega, ohipermétrope primeiramente tem problemas com o trabalho de perto – em idade bem mais precoce do que outras pessoas.Concluindo, o hipermétrope tem uma visão embaçada de perto ede longe, necessitando de óculos para ambas
( lentes convexas –  positivas – e côncavas – negativas ).
AA
STIGMATISMOSTIGMATISMO
O astigmatismo é causado por diferentes curvaturascorneanas nos diversos meridianos, com consequente diferençana refração. A causa comum do astigmatismo é anormalidade noformato da córnea. Está habitualmente associado à miopia ou àhipermetropia, de modo que a correção óptica se faz pelacombinação de uma lente esférica (para corrigir a miopia ou ahiperopia) com uma
lente cilíndrica
(para corrigir oastigmatismo).
# E# E
STRABISMOSTRABISMO
##
 Bruno Machado Fontes
O estrabismo está presente quando as fóveas de ambosos olhos não são simultaneamente alinhadas no objeto de mira.Para fixação à distância, isto é equivalente ao não paralelismodos eixos visuais. O estrabismo está presente em cerca de 4%das criaas. O tratamento deve ser iniciado o logo odiagnóstico seja feito, de forma a alcançar uma acuidade visuale uma função binocular melhores possíveis. Não há estrabismoque se cure sozinho.MM
ÚSCULOSÚSCULOS
OO
CULARESCULARES
MM
ÚSCULOÚSCULO
AA
ÇÃOÇÃO
 PP
RIMÁRIARIMÁRIA
AA
ÇÃOÇÃO
SS
ECUNDÁRIAECUNDÁRIA
II
 NERVAÇÃO NERVAÇÃO
Reto LateralAbdução---Abducente(VI)Reto MedialAdução---Oculomoto(III)RetoSuperior ElevaçãoAdução ; IntorsãoOculomoto(III)Reto InferiorDepressãoAdução ; ExtorsãoOculomotor (III)OblíquoSuperior IntorsãoDepressão ;AbduçãoTroclear (IV)OblíquoInferior ExtorsãoElevação ;AbduçãoOculomotor (III)rias circunstâncias o associadas com umaincidência maior que a esperada de estrabismo, sendo essencialobter dos pais uma história cuidadosa destas :
Fatores
Uso de drogas durante a gravidez
Problemas durante a gravidez( infecções intra-uterinas, prematuridade, dismaturidade )
Tocotraumatismo (fórceps, partode nádegas, cesareana)
História familial de estrabismo
Anomalias congênitas, retardomental, defeitos cromossomiais,etc...
Má saúde geral (por ex. fibrosecística), infecções recorrentesgraves
Defeito ou doença ocular  Na maioria dos casos, o estrabismo não se associa comdoença ocular ou neurológica. Os pacientes muitas vezesexibem sinais associados , sendo os mais comuns os vários tiposde postura anormal da cabeça. Nem todas estas posturas sãoadotadas por raes oculares, mas quando o o, elasfrequentemente habilitam o paciente a obter uma área limitadade visão binocular.
São causas de Pseudo-estrabismo :
Epicanto
Assimetria Facial
Distância Interpupilar Larga
Miopia e Exoftalmia Unilaterais
São causas de Estrabismo Adquirido :
Trauma ( fratura orbitária,... )
Inflamação Aguda ( celulite orbitária, meningite,trombose do seio cavernoso,... )
Inflamação Cnica ( sífilis, meningitetuberculosa,... )
Tumor ( glioma, meningioma, neuroma doacústico,... )
Desmielinização ( esclerose múltipla,... )
Vascular ( aneurismas, hipertensão, AVE,... )
Degenerativo ( oftalmoplegia externa progressiva,... )O estrabismo pode ser constante ou intermitente,alternante ou não, variável ou constante).
 Determinação do ângulo do estrabismo:
 
Teste do Prisma e Teste deOclusão
 
Teste de Bastão de Maddox
 
Testes Objetivos ( Hirschberg emétodo do reflexo prismático )A maioria dos pacientes com estrabismo tem o fenômeno desupressão cortical, pelo qual o cérebro ignora a imagem do olhodesviado, a fim de evitar diplopia. Este é um femenocomplexo que começa a se desenvolver com cerca de 4 mesesde idade, e torna-se completo com cerca de 6 a 7 anos. Todos os pacientes estrábicos necessitam verificação regular da acuidadevisual como parte do tratamento, para verificar se há algum graude
ambliopia. Ambliopia
 
 
É uma deficiência da acuidade visual ( “sentidoda forma ” ) que ocorre com um campo visual, visão de cores ecapacidade de detectar movimentos normais sob todos asdemais aspectos. Além disso, nenhuma anormalidade estruturalda fóvea pode ser detectada na oftalmoscopia, e nenhum defeito pupilar aferente relativo é encontrado a não ser que a ambliopiaseja muito densa.

Activity (14)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Argos Alves liked this
Gra Ciela liked this
Inês Luz liked this
Henrique Alencar liked this
heldertuc4135 liked this
ricardog2020 liked this
rico_ liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->