Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
1Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Integração 280 - 19/09/2013

Integração 280 - 19/09/2013

Ratings: (0)|Views: 37|Likes:
Informativo Semanal da Escola Waldorf João Guimarães Rosa.
Informativo Semanal da Escola Waldorf João Guimarães Rosa.

More info:

Published by: Escola Waldorf João Guimarães Rosa on Sep 19, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/06/2014

pdf

text

original

 
Informativo Semanal . Ano VI . 19/09/2013 . N°. 280
Expediente:O Integração é uma publicação semanal destinada aos pais e alunos da Escola Waldor João Guimarães Rosa.(16) 3916 4157 | Rua Virgínia de Francesco Santilli, 81 | City Ribeirão | Ribeirão Preto | SP.www.waldorribeirao.org. | escola@waldorribeirao.org.
........................................................................................................................ pág 1 ....................> As Dificuldades de Educar....................................................................................................................... pág 2 ....................> Portões Abertos...................................................................................................................... pág 3 ....................> Processo de Bolsas: agenda...................................................................................................................... pág 4 ....................> Aos Interessados na Formação em Pedagogia Curativa> Agenda
 
As Dificuldades de Educar
Muitos adultos têm se angustiado para educarseus flhos, ou melhor, para saber o melhorcaminho a tomar na prática educativa. Fuiinterpelada por uma mãe conusa rentea tantas orientações dierentes, e muitasvezes contraditórias, a respeito da educaçãodos flhos. “Uma hora é para elogiar, outrahora o elogio prejudica; há quem diga queé preciso dizer não com muita frmeza, e háos que afrmam que os pais não devem serautoritários. Tem também a vida escolar: ébom ou não os pais se envolverem? Afnal,como devemos agir?”Ao ouvir a reclamação dessa mãe, dei todarazão a ela. Vivemos um momento deprodução incessante do conhecimento, emtodas as áreas, e de diusão instantânea deinormações que, por sinal, consumimosvorazmente.Tomemos como exemplo a medicina. Sequisermos cuidar bem de nossa saúdeatendendo a todas as inormações médicasa que temos acesso, nos veremos em mauslençóis. O colesterol prejudica o sistemacardiovascular ou não? Devemos -ou não-tomar medicamento para controlar tal índice?Ingerir glúten é ou não prejudicial? E a lactose?Usei esses dois exemplos apenas porque li nosúltimos dias reportagens e artigos, totalmentecontraditórios entre si, a respeito dessesassuntos. Mas a lista é enorme.A mesma coisa acontece com a educação dosflhos que, hoje, é um dos assuntos que sempreaparece nas mídias. Temos inormações detodos os tipos sobre esse tema porque oconhecimento não é neutro; é produzido pornós, que temos valores e ideologias. Sabemostambém que tudo que é escrito pode serlido de dierentes maneiras. Além disso, hátambém o conhecimento que perde o seuvalor científco ao ser transormado em regras,em receitas, dogmas ou bordões.Exemplo: “Elogiar a criança colabora para queela construa uma boa autoimagem de si”. Caroleitor, deve ter sido bem diícil para a criançasobreviver a esse longo período de elogiosconstantes. Para nossa sorte, elas reagiram.Vi uma cena inesquecível nesse sentido. Umgaroto de cinco anos teve seu trabalho comtintas elogiado pela proessora. “Você gostou?”perguntou ele novamente. Frente à respostaafrmativa e entusiasmada da proessora, elemandou: “Que mau gosto!”.Ah! E não podemos nos esquecer das pressõesque os pais sorem de movimentos sociais quetêm como base a deesa de alguns preceitos:alimentação, consumo etc. Os pais que, poralgum motivo, não conseguem se encaixar naspremissas desses movimentos culpam-se e,portanto, perdem a potência no seu exercíciopessoal da maternidade e paternidade.Qual a saída? Saber que o que conduz aeducação amiliar são as tradições de cadaamília, os valores priorizados, as virtudesconsideradas valiosas e, principalmente, aaetividade envolvida entre os integrantesdo grupo. Não a aetividade melosa deincontáveis declarações de amor ao flho, esim a amorosidade de introduzi-lo na vidacomo ela é, de dar banhos de realidade noflho de acordo com a idade que ele tem.O maior desafo dos pais rente a tantascorrentes educacionais e pressões sociaistalvez seja o de conseguir fcar conectado comas inormações que vêm do conhecimento, ouseja, externas, e, ao mesmo tempo, preservara cultura do grupo amiliar, essa panelinhaque não deve nem pode se tornar umamicrossociedade anônima.Fazer escolhas seguindo argumentos pessoaise amiliares e honrá-las; agir com bom-senso,coerência e coragem para rever posições; nãoter medo de errar porque nós, pais, erraremossempre, agindo assim ou assado: esses sãoalguns pontos que podem ajudar os pais emsua -cada vez mais- árdua tarea educativa.
Fonte: http://goo.gl/wYLyzl Rosely Sayão, psicóloga e consultora emeducação, ala sobre as principais difculdadesvividas pela amília e pela escola no ato deeducar e dialoga sobre o dia-a-dia dessarelação. Escreve às terças na versão impressa de“Equilíbrio”.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->