Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
2Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
O mundo de Janus número 1 - A iniciação de A. - Parte 2

O mundo de Janus número 1 - A iniciação de A. - Parte 2

Ratings: (0)|Views: 67|Likes:
Published by Janus Sw

More info:

Published by: Janus Sw on Jul 10, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/06/2013

pdf

text

original

 
Os Escritos do Mundo de JanusNúmero 0209 de julho de 2009
ADVERTÊNCIA:
Os escritos do “Mundo de Janus” são destinados ao públicoadulto. Caso não deseje ou não possa legalmente acessar talmaterial, solicitamos que não proceda ao download.Fazendo o download assume-se que você tem mais de 18anos.A transcrição desse artigo é livre desde que citada a fonte.São autênticos os escritos que contiverem a chancela acimaem todas as páginas e provenientes da mesma base deartigos Scribd.
 
Os olhos de A. faiscaram, era quase impossível não se perceber a centelha que se evidenciou naquele momento. O que o pude perceber foi a mão que se levantou em velocidade e estalou em meu rosto.No entanto, quando esperava continuidade, ela cessou e olhou com preocupação para meu rosto vermelho. Olhei para ela esperando a continuidade, instiguei-a a prosseguir mas ela hesitou. As mensagens cifradas não bastaram, era necessário que houvese mais clareza:- Bata, A.! O que está esperando? Nova hesitação, a mão quase moveu-se mas não tevcontinuidade. Novamente a fala firme para que batesse a liberou de seus últimos pudores, com dois tapas, à direita e à esquerda,inicialmente mais leves e, mais uma vez estimulada, multiplicou a força.Não sei o quanto algm possa transformar algm mas,naquele caso, eu percebia que A . necessitaria de alguém que a conduzisse, se assim desejasse, a descobrir suas condições, limitações e aquela força que brotava naquela linda figura.Era perceptível a excitação que causava aquela sessão de umspanking discreto. Tomei-a pela mão e disse:- Se um dia você tiver mais alguém que queira submeter-se,permita-se apenas ser tocada quando quiser e com reverência. Venha minha Senhora.As pontas dos dedos de A. repousaram sutilmente na palma da minha mão, tratada à maneira da rainha. Ela bem aceitou e portou-se como tal, com a coluna reta e um caminhar lento, mantendo os saltos altos para diminuir a diferea que havia entre nossas alturas.Retirei o cinto de minha calça, um cinto grosso e de couro, e ofereci-lhe para que me batesse já que não havia um chicote à altura 

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->