Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
81Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Exegese de Joao 1:1-18

Exegese de Joao 1:1-18

Ratings: (0)|Views: 14,073|Likes:
Published by Sérgio Gini
Exegese do prólogo do Evangelho de João, com destaque para o hino cristológico da comunidade joanina do século I
Exegese do prólogo do Evangelho de João, com destaque para o hino cristológico da comunidade joanina do século I

More info:

Published by: Sérgio Gini on Jul 13, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

05/05/2013

pdf

text

original

 
IGREJA PRESBITERIANA INDEPENDENTE DO BRASILFUNDAÇÃO EDUARDO CARLOS PEREIRASEMINÁRIO TEOLÓGICO REV. ANTONIO DE GODOY SOBRINHOSTAGS
SÉRGIO GINI(PRESBITÉRIO DE MARINGÁ)
EXEGESE DO NOVO TESTAMENTOJOÃO 1: 1-18
Trabalho apresentado para a obtenção de créditosda disciplina Exegese do Novo Testamento, nocurso de
Reciclagem Teológica
(conforme oartigo 47, § 1º da Constituição da IPI do Brasil)com orientação do Prof. Dr. José Adriano Filho.
Londrina2009
 
 
1
Introdução
João 1: 1-18 apresenta um prólogo em forma de hino cristológico com umaestruturação que se difere do início dos outros evangelhos. Um prólogo que antecipa osgrandes temas que aparecerão e reaparecerão ao longo do quarto evangelho: a palavra, a vida,a luz, a verdade, o mundo, as trevas, o testemunho, a glória, a fé, a filiação divina de Jesus, oshomens e a sua relação com Deus. O testemunho de João Batista apresentará Jesus comoprofeta e protagonista da “nova terra”, muito superior a Moisés.O quarto evangelho é tido como o Evangelho da Vida (Jo 6:35; 8:12; 11:25), dagrande revelação do amor de Deus. Apresenta preocupação menos cronológica do queteológica dos eventos ligados a Jesus. O prólogo contém a chave da cristologia dacomunidade joanina (1:1, 14, 18): “o Verbo era Deus” (v.1). “E o Verbo se fez carne, ehabitou entre nós; e nós vimos sua glória, glória que ele tem junto do Pai como Filho único,cheio de graça e verdade” (v.14). Jesus é o Filho de Deus que, visivelmente, manifesta asobras do Pai pela sua vida e ação, gestos e palavras.Propomos-nos a fazer um estudo exegético desse prólogo abordando o texto a partir desuas dimensões literárias,teológicas e sociais, além de procurarmos entender a relevância do mesmo para os dias atuais.Nesse trabalho, a dimensão literária envolverá a tradução do texto, sua delimitação,forma literária e estrutura, bem como as razões desses procedimentos para oestudo exegético.Ao analisarmos a sua dimensão teológica,nos deteremos no conteúdo dos versículos que formam a perícope estudada,isto é,a substância que compõe e da vida ao texto. A dimensão social será analisada a partir das circunstâncias histórico-sociais do texto,voltando também para entender o"como" e o"porquê" dessas circunstâncias terem dado origem à sua composição.Finalizaremos com a pergunta pela relevância do texto, entendendoo seu sentido e a possibilidade de um ressignificado para as comunidades cristãs atuais.Nesse trabalho exegético veremos,portanto, como João 1: 1-18 fundamenta ocumprimento da esperança messiânica, tendo por base a encarnação do Verbo de Deus.Otexto revela também a oportunidade que todos têm de receber o Verbo e de se tornarem“filhos de Deus” a partir de um ato de fé. Com Jesus é possível relacionar o cosmo e ahumanidade, desde que essa se aproxime da “verdadeira luz”. Jesus, o Verbo, portanto,funciona como um despertador da inteligência divina imanente no homem e produz osurgimento de uma consciência renovada, o segundo nascimento mencionado no célebrediálogo com Nicodemos (João 3:2). O modo de revelação do prólogo, operando em todo ocontexto do evangelho, mostrará o sentido da vida de Jesus para o ser humano.
 
2
1. Texto grego e tradução de João 1: 1-18
A tradução nesse trabalho exegético visa abordar o sentido do texto em seu contextoprimeiro, buscando o significado do alvo primário, bem como o seu grau de fidelidade aotexto original e ao leitor
1
. O texto de João 1: 1-18 nos guiará a um processo de comunicaçãoonde pretendemos examinar várias facetas do contexto em que o mesmo se desenvolveu equais as influências sofridas por ele. Abordaremos uma relação histórica-crítica e, emboraprefiramos o método de tradução formal, acreditamos ser válido para um entendimentocontemporâneo “o princípio do interesse pela recepção do texto”.
2
 
1.1. Texto grego
1111
Εν ρχ ν  λóγο̋, καì  λóγο̋ ν πρò̋ τòν θεóν, καì θεò̋ ν  λóγο̋.
2222
οτο̋ νν ρχ πρò̋ τòν θεóν.
3333
πáντα δɅ ατο γéνετο, καì χωρì̋ ατο γéνετο οδè ν. γéγονεν
4444
ν ατ ζω ν, καì  ζω ν τò φ̋ τν νθρẃπων?
5555
καì τò φ̋ ν τσκοτí φαíνε, καì  σκοτíα ατò ο κατéλαβεν.
6666
Εγéνετο νθρωπο̋ πεσταλµéνο̋ παρà θεο, νοµα ατ Ιωáνν̋?
7777
οτο̋ λθεν ε̋µαρτρíαν, να µαρτρσ περì το φωτó̋, να πáντε̋ πστεúσωσν δɅ ατο.
8888
οκν κενο̋ τò φ̋, λλɅ να µαρτρσ περì το φωτó̋.
9999
Ην τò φ̋ τò λθνóν, φωτíζε πáντα νθρωπον, ρχóµενον ε̋ τòν κóσµον.
10101010
ν τ κóσµ ν, καì  κóσµο̋δɅ ατο γéνετο, καì  κóσµο̋ ατòν οκ γνω.
11111111
ε̋ τà δα λθεν, καì ο δο ατòνο παρéλαβον.
12121212
σο δè λαβον ατóν, δωκεν ατο̋ ξοσíαν τéκνα θεο γενéσθα,το̋ πστεúοσν ε̋ τò νοµα ατο,
13131313
ο οκ ξ αµáτων οδè κ θελµατο̋ σαρκò̋οδè κ θελµατο̋ νδρò̋ λλɅ κ θεο γεννθσαν.
14141414
Καì  λóγο̋ σàρξ γéνετο καì σκνωσεν ν µν, καì θεασáµεθα τν δóξαν ατο,δóξαν ̋ µονογενο̋ παρà πατρó̋, πλρ̋ χáρτο̋ καì λθεíα̋.
15151515
Ιωáνν̋ µαρτρεπερì ατο καì κéκραγεν λéγων,Οτο̋ ν ν επον,Ο πíσω µο ρχóµενο̋ µπροσθéνµο γéγονεν,τ πρτó̋ µο ν.
16161616
τ κ το πλρẃµατο̋ ατο µε̋ πáντε̋ λáβοµενκαì χáρν ντì χáρτο̋?
17171717
τ  νóµο̋ δà Μωüσéω̋ δóθ,  χáρ̋ καì  λθεα δà
1
EGGER, Wilhelm. 
 Metoologia do Novo Test ament o: introdução aos métodos lingüísticos e histórico-críticos.
São Paulo: Loyola, 1994,p. 61.
2
EGGER, 1994, p. 64

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->