Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
48Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Fases Do Processo Penal

Fases Do Processo Penal

Ratings: (0)|Views: 9,888 |Likes:
Published by brun0dias

More info:

Categories:Types, Resumes & CVs
Published by: brun0dias on Jul 27, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as ODT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/20/2014

pdf

text

original

 
PROCESSO PENAL - PROCEDIMENTOS
 
PROCEDIMENTO
– é o modo pelo qual o processo anda, a parte visível do processo.
 
- COMUNS
– é a regra geral, aplicáveis sempre que não houver disposição em contrário.
 
ORDINÁRIO 
– crimes de reclusão (arts. 394 a 405 e 498 a 502, CPP).
 
SUMÁRIO 
– crimes de detenção e contravenções penais (art. 539, CPP e art. 120, I, CF).
 
- ESPECIAIS
– é a exceção.
 
- previstos no CPP:
- crimes dolosos contra a vida - Júri (arts. 406 a 497).- crimes falimentares (arts. 503 a 512).- crimes de responsabilidade de funcionários públicos (arts. 513 a 518).- crimes contra a honra (arts.519 a 523).- crimes de propriedade imaterial (arts. 524 a 530).
 
- previstos em outras leis:
 
- economia popular (Lei n° 1.521/51).- abuso de autoridade (Lei n° 4.898/65).- de imprensa (Lei n° 5.250/67).- tóxicos (Lei n° 6.368/76).- falimentares (Decreto-lei n° 7.661/45).
 
 
* para o CPP o procedimento do Júri é comum; e o procedimento sumário é especial.
 
PROCEDIMENTO COMUM ORDINÁRIO(crimes apenados com
reclusão
para os quais não exista procedimento especial)
 
DENÚNCIA OU QUEIXA(5 dias - réu preso / 15 dias - réu solto) (art. 394)
RECEBIMENTO PELO JUIZ(dá início efetivo a ação penal e constitui causa interruptiva do prazo prescricional)(se o juiz rejeitar, a acusação podo interpor RESE - art. 581, I)(se o juiz receber, a defesa por interpor HC)
(recebida a denúncia ou queixa, “designará dia e hora para o
interrogatório
, ordenando a
citação
doréu e a notificação do MP e, se for o caso, do querelante ou do assistente” / embora a lei não digaexpressamente qual o prazo que deve ser observado para o
interrogatório
, estabeleceu-se nadoutrina e jurisprudência que deve ser ele ouvido o quanto antes; tem se considerado com sendo de8 dias o prazo, quando se tratar de réu preso; deve-se levar em conta, porém, que na hipótese de réusolto, são necessárias diligências às vezes demoradas, como a expedição de precatória ou editalpara a
citação
, o que torna impossível a obediência de tais prazos, além das dificuldades normaisquanto ao acúmulo de serviços nas varas e comarcas, da preferência para os processos de réupreso etc.; o hiteses de rejeição: atipicidade do fato, existência de causa extintiva dapunibilidade, ilegitimidade de parte e falta de condição da ação - não presentes estas, o juiz deverecebê-la, já que se trata, em verdade, de mero juízo de admissibilidade).
CITAÇÃO(é o ato processual que tem por finalidade dar conhecimento ao réu da existência da ação penal, do teor daacusação, bem como cientificá-lo da data marcada para o interrogatório e da possibilidade de providenciar sua defesa; a sua falta constitui causa de nulidade absoluta do processo)
 
- real –
por mandado; carta precatória; carta rogatória; carta de ordem ou requisição.
- ficta –
por edital.
SUSPENSÃO DO PROCESSO:
quando o réu, citado por edital, não comparece na data designada para ointerrogatório e não constitui advogado, haverá a suspensão do processo; durante este período, o juiz
 
poderá determinar a produção antecipada de provas consideradas urgentes; ficará suspenso o decurso dolapso prescricional.
 
REVELIA:
é decretada nas seguintes hipóteses: se o réu for citado pessoalmente e, sem motivo justificado,não comparecer na data designada para seu interrogatório; se o réu for intimado pessoalmente paraqualquer ato processual e, sem motivo justificado, deixar de comparecer a este; se o réu mudar deresidência sem comunicar o novo endereço ao juízo; o único efeito é fazer com que o réu não mais sejaintimado dos atos processuais posteriores; ela sera revogada se o réu, posteriormente, voltar a acompanhar os atos processuais.
INTERROGATÓRIO(é o ato pelo qual o acusado esclarece sua identidade, narra todas as circunstâncias do fato e motivos quepossam destruir o valor das provas contra ele apuradas; discute-se para saber se é ato de defesa ou meiode prova, tendo mais adeptos a opinião que o considera ambas as coisas; a presença do defensor éfacultativa, já que não pode normalmente intervir nesse ato processual, razão por que a sua ausência nãoconstitui nulidade do processo)
 
DIREITO DO ACUSADO AO SILÊNCIO NO INTERROGATÓRIO:
o acusado tem direito absoluto de nãoresponder em interrogatório; esse direito é fundamentalmente baseado no instinto de conservação doindivíduo, e inclui o direito de não denunciar seus próximos ou parentes e ainda o de simular alienaçãomental (procedimento incorreto de defesa, segundo alguns autores); o acusado não tem nenhumaobrigação de dizer a verdade ao juiz.
CONFISSÃO:
reconhecimento por uma das partes de fatos que a prejudicam; admissão de fatos contráriosaos próprios interesses; aceitação dos fatos imputados.
IRRETRATABILIDADE DA CONFISSÃO:
em matéria penal a confissão é retratável, sem prejuízo do livreconvencimento do juiz, fundado no exame das provas em conjunto; em matéria civil, a confissão é, de regra,irretratável, mas pode ser revogada quando emanar de erro, dolo ou coação.
 
INDIVISIBILIDADE DA CONFISSÃO:
em matéria penal a confissão é divisível, sem prejuízo do livreconvencimento do juiz, fundado no exame das provas em conjunto; em matéria civil a confissão é, de regra,indivisível, não podendo a parte que a quiser invocar como prova, aceitá-la no tópico que a beneficiar erejeitá-la no que lhe for desfavorável; cindir-se-á, todavia, quando o confitente lhe aduzir fatos novos,suscetíveis de constituir fundamento de defesa de direito material ou de reconvenção.
 
TORTURA:
dor, terror, angústia, pavor, suplício, tormento, aflição, maus tratos, privação, obsediar,sofrimento físico ou moral profundo e desnecessário; tudo o que é feito sobre o físico ou a mente sem oconsentimento do indivíduo, para que ele deponha contra si próprio, é tortura; a narco-análise (soro daverdade) também é considerada tortura; a Lei nº 9.455/97definiu como crime de tortura constranger alguémcom emprego de violência ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento físico ou mental com o fim de obter informação, declaração ou confissão da vítima ou de terceira pessoa, para provocar ação ou omissão denatureza criminosa ou em razão de discriminação racial ou religiosa; configura-se também, como tortura,

Activity (48)

You've already reviewed this. Edit your review.
Henrique Duarte liked this
1 thousand reads
1 hundred reads
Raul Souza added this note
MANTENHA-SE ATUALIZADO, VIDE NOVA LEI DE TÓXICO (NOVOS PROCEDIMENTOS E PRAZOS)
Ivo Jucá liked this
Tony Costa liked this
k'Saulo Souza liked this
Fernando Melo liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->