Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
2Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Desempenho Acústico de Soluções em Paredes e Tectos. Do Laboratório à Obra.

Desempenho Acústico de Soluções em Paredes e Tectos. Do Laboratório à Obra.

Ratings: (0)|Views: 120|Likes:
Published by Grupo Preceram
Apresentação do ITeCons na Academia Tektónica: Soluções para Construção do Grupo Preceram realizada em Lisboa em Maio de 2013.
Resumo do trabalho efetuado de caracterização acústica de soluções com placas de gesso laminado Gyptec em laboratório e obra.
Apresentação do ITeCons na Academia Tektónica: Soluções para Construção do Grupo Preceram realizada em Lisboa em Maio de 2013.
Resumo do trabalho efetuado de caracterização acústica de soluções com placas de gesso laminado Gyptec em laboratório e obra.

More info:

Categories:Presentations
Published by: Grupo Preceram on Oct 30, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

04/10/2014

pdf

text

original

 
Academia Tektónica
: Soluções para Construção | Grupo Preceram“10/5 | Sistemas Construtivos de Desempenho Melhorado”
DESEMPENHO ACÚSTICO DE SOLUÇÕES EM PAREDES E TECTOS.DO LABORATÓRIO À OBRAPaulo Amado Mendes
CICC, DEC-FCTUC, ITeCons
10 de Maio de 2013, FIL, Lisboa
10/Maio/2013, FIL, LisboaAcademia Tektónica: Grupo Preceram-Sistemas Construtivos de Desempenho Melhorado
AimportânciadaAcústicadeEdifíciosparaoconfortointerior dosespaçosconstruídos
Ointeresseemconhecerodesempenhoacústicoatrasdacaracterizaçãodeelementos,soluçõesousistemasconstrutivos
Osdesafioscolocadosasistemasconstrutivosinovadores,faceacritériosdesustentabilidade,requisitosfuncionaise regulamentarescadavezmaisexigentes
MOTIVAÇÃO e OBJETIVOS
 
10/Maio/2013, FIL, LisboaAcademia Tektónica: Grupo Preceram-Sistemas Construtivos de Desempenho Melhorado
Colaboração,emfasedeI&D,nodesenvolvimentodesoluçõesconstrutivasparatectoseparedesdecompartimentaçãoleves/dereforçocomrecursoagessolaminadoGypteceaglomeradodecortaexpandida
CaracterizaçãolaboratorialdesistemasincorporandogessolaminadoGyptec,paraauxílionadefiniçãoeotimizaçãofaceadiferentessolicitações/exigências
MOTIVAÇÃO e OBJETIVOS
10/Maio/2013, FIL, LisboaAcademia Tektónica: Grupo Preceram-Sistemas Construtivos de Desempenho Melhorado
Em
LABORATÓRIO
:Caracterizam-seelementos,soluçõesousistemasconstrutivos
Em
PROJETO
:Definem-seeestima-seodesempenhodassoluções,tendoemvistaosRequisitosdosedifíciospeloRRAE
Em
OBRA/
insit
:Verificam-se/Comprovam-seasexigênciasregulamentareseaconformidadeaosrequisitosacústicosaplicáveis
LABORATÓRIO
versus 
PROJECTO
versus 
OBRA
-
Isolamentos acústicos
(a
Sons aéreos
e a
Sons de percussão
)-Condicionamento acústico (
Absorção sonora
 / Tempo de reverberação)
Que tipo de exigências, no caso de paredes interiores e de fachada?
 
10/Maio/2013, FIL, LisboaAcademia Tektónica: Grupo Preceram-Sistemas Construtivos de Desempenho Melhorado
RGR + RRAE
aplicáveis em conjunto desde1 de Fevereiro de 2007[avaliação de
conformidade
in situ 
para emissão de autorização deutilização ou alteração de utilização / Licença de Habitabilidade]
EDIFÍCIOS: REGULAMENTAÇÃO NACIONAL
Decreto-Lein.º9,de17deJaneirode2007
RGR,RegulamentoGeraldoRuído
LicenciamentodeAtividades
 –remeteparalegislaçãoespecíficadosedifícios
Decreto-Leinº129,de11deMaiode2002
RRAE,RegulamentodosRequisitosAsticosdosEdifícios
republicadopeloDecreto-Leinº96,de9deJunhode2008,emvigordesde1deJulhode2008
IsolamentosAcústicoseCondicionamentoAcústico
[
RRAE
éumRegulamentode
verificãoemObra/
insit
]
10/Maio/2013, FIL, LisboaAcademia Tektónica: Grupo Preceram-Sistemas Construtivos de Desempenho Melhorado
EDIFÍCIOS HABITACIONAIS E MISTOS, E UNIDADES HOTELEIRAS (Art. 5.º)
Elemento/localMínimoRegulamentarEntre oexteriorequartos ou salasdos fogos (fachadas com envidraçados), 1a)D
2m,nT,w
28 dBem zonassensíveis(*)D
2m,nT,w
33 dBem zonasmistas(*)Entrecompartimentosde um fogoequartos ou salasde outro fogo, 1b) e 1e)D
nT,w
50 dBL’
nT,w
60 dBEntrelocais de circulação comumequartos ou salasdos fogos, 1c), 1e) e 1f)D
nT,w
48 dBD
nT,w
40 dBse a circulação comum for um caminhovertical e existir elevadorD
nT,w
50 dBse a circulação comum for garagem deparqueamento automóvel.L’
nT,w
60 dBou não se aplica se a circulação comumfor caminho vertical e existir elevadorEntre locais do edifício destinados acomércio, indústria, serviços ou diversãoequartos ou salasdos fogos, 1d) e 1g)D
nT,w
58 dBL’
n,Tw
50 dB
(*) .+ 3 dB em zonas urbanas consolidadas em que sejam ultrapassados os valores limite de exposição. Quando a área translúcida for superior a 60% do elemento da fachada em análise, deve adicionar-sea D
2m,nT,w
o termo de adaptação C ou C
tr,
, conforme ruído dominante (mantendo-se os limites)

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->