Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword or section
Like this
29Activity
×
P. 1
O Catimbó da Jurema

O Catimbó da Jurema

Ratings:

4.5

(2)
|Views: 10,334|Likes:
Published by André

More info:

Published by: André on Aug 07, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

06/04/2013

pdf

text

original

 
O Catimbó da JuremaUm pouco da história-Estudos etno-históricos-por Marcelo BolshawGomes...Dentre os estudos da antropologia brasileira, a Jurema ocupa umlugar singular. O próprio termo comporta denotações múltiplas, quesão associadas em um simbolismo complexo. Além do sentido botânico,a palavra Jurema designa ainda pelos menos três outros significados:·... Preparado líquido à base de elementos do vegetal, de usomedicinal ou místico, externo e interno, como a bebidasagrada, "vinho da Jurema";·... Cerimônia mágico-religiosa, liderada por pajés, xamãs,curandeiros, rezadeiras, pais-de-santo, mestras ou mestresjuremeiros que preparam e bebem este "vinho" e/ou dão a beber ainiciados ou a clientes;·... Jurema sendo igualmente uma entidade espiritual, uma "cabocla",ou divindade evocada tanto por indígenas, como remanescentes,herdeiros diretos em cerimônias do Catimbó, de cultos afro-brasileiros e mais recentemente na Umbanda....Para o professor José Maria Tavares de Andrade, esse "complexosemiótico" chamado Jurema, representa até hoje, na polissemia destetermo, um ponto de vista e uma resistência étnica dos nordestinosautóctones, "um fio condutor de um traço cultural, distintivo docomponente indígena da cultura popular, regional e nacional."...Numa primeira fase da colonização, a resistência dos povosindígenas no Nordeste, não permitiu que a Jurema, enquanto árvoresagrada, fosse conhecida, em seus usos e significados, não sendoassim documentada pelos colonizadores e estrangeiros....Numa segunda fase histórica a Jurema representa um elementoritual ligado à própria resistência armada dos povos indígenas ou àguerra empreendida contra inimigos inclusive em suas alianças. Aindanesta fase na qual a Jurema começa a ser documentada, seusignificado ainda não é entendido mas seu uso já é motivo derepressão, prisão e morte de índios.
 
...Na medida em que avança o rolo compressor da colonização,processo de genocídio ou tentativa de dominação, não só política eeconômica como também cultural, aparece uma nova forma deresistência: a Jurema assume um lugar central na religiosidadepopular, não só indígena regional - Catimbó. Diante do componentenegro a Jurema garante seu reconhecimento, como entidade (espírito,divindade, cabocla) autóctone, "dona da terra". A Jurema é absorvidapelos cultos afro-brasileiros, tendo surgido inclusiveos "Candomblés de Caboclos".....Nas últimas décadas é no contexto da Umbanda, religião nascentee em pleno processo de sistematização e de expansão nacional, que aJurema é integrada na cosmologia sagrada, no panteão da religiãonacional. Constatamos em vários estados nordestinos as "Linhas daJurema", dentre as linhagens e filiações religiosas da Umbanda.Nesses últimos anos, e paralelo ao movimento religioso propriamentebrasileiro, a Jurema continua como "núcleo duro", segredo, bandeiraou símbolo, para os remanescentes indígenas, em pleno "movimentoétnico", num contexto de defesa de seus direitos humanos, de suasáreas de reservas e de sua autonomia e reconhecimento no pluralismoda sociedade e das culturas brasileiras....(cf: Ribeiro,1991) A presença do Zé Pelintra e da cachaça sãoessenciais no catimbó, onde, inclusive, "não há Mestre abstêmio"....Em Alhambra, pequeno município situado ao sul de João Pessoa, naParaíba, está situada a cidade sagrada da Jurema. Lá estãosepultados quarenta e dois mestres principais dentre eles Mestre ZéPelintra. Único espírito que não é da tradição do índio que podeaparecer nos rituais, pois ele, segundo dizem, "baixa em qualquertipo de serviço"...A Jurema é uma árvore que floresce no agreste e na caatinganordestina, tendo duas qualidades: a jurema-branca e a jurema-preta.Os pajés (sacerdotes tupis) usavam a bebida da jurema-branca quefaziam com que as pessoas tivessem sonhos. Os feiticeiros,babalorixás pernambucanos, os mestres de Catimbó, os pais-de-terreiro dos candomblés da Bahia usam muito a jurema....Sangirardi Jr. (1983) afirma que o termo jurema designa váriasespécies dos gêneros Mimosa, Acácia e Pithecelobium. Jonathan Ott,em seu 'The Angels' Dictionary (1995), também aponta no seu verbetesobre o "Vinho da Jurema" que, além da Mimosa hostilis Benth.,outras espécies de leguminosas, tais como Mimosa Verrucosa Benth.,Acacia piauhyensis Benth., e várias espécies Pithecellobium podem
 
ser designadas pelo mesmo nome....Sangirardi Jr. aponta que a Jurema "estudos sob o aspectoritual", de onde emergem manifestações diversas de experimentaçãoreligiosa:·...-jurema era usada ritualmente por tribos de dois grandes gruposindígenas que habitaram o Nordeste: Jê, os tapuias dos antigosescritores, e Karirí. Perderam-se, no entanto, para sempre, osdetalhes das cerimônias em que a erva era ingerida por esses índios,cerimônias essas não registradas por nenhum escritor da época"(Sangirardi Jr., 1983:193). Além disso, vale sugerir que a juremafoi combatida durante a catequese indígena, quando os aborígines daregião Nordeste eram aldeados em missões; e combate ideológico esteque parece ter se estendido a juremeiros de uma maneira geral até aprimeira metade deste século, pois, como informa Sangirardi Jr.,·...- as reuniões de culto em que bebiam jurema era chamadaantigamente de adjunto da jurema e designava prática supersticiosa,c/ artes do demônio e, como tal, os seus adeptos estavam sujeitos àspenas da lei....Mas se não existem relatos sobre usos rituais da jurema antes docontato dos índios com a agência colonizadora, pode-se encontrar, emcontrapartida, descrições de rituais sincréticos nos quais seconsome jurema. De fato, a jurema faz parte não apenas de ritosindígenas, mas sua utilização ritual acha-se também difundida entrediversos sistemas de cultos (em áreas rurais e urbanas) tais comocatimbós, xangôs, candomblé, etc. Segundo Sangirardi Jr., "os pajésindígenas ensinaram aos brancos e mestiços os mistérios dapajelança. Esta influiu no catimbó. Uma e outra receberam a mesclado espiritismo, da feitiçaria européia e, nas orações e imagens desantos, do catolicismo. Depois, completando o ciclo, o pajéindígena recebe de volta, sincretizado, tudo aquilo que ensinara. Epassa, inclusive, a trabalhar com os encantados ..." (SangirardiJr.,1983:194)....Até o século XX, beber jurema era sinônimo de feitiçaria ouprática de magia. Da casca de seu tronco e de suas raízes se faz umabebida que é considerada mágico-sagrada. Sendo também Jurema o localsagrado onde vivem os Mestres do Catimbó, religião forte doNordeste....Este culto se difundiu dos Sertões e Agrestes nordestino emdireção às grandes cidades do litoral, as constantes ondas

Activity (29)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Bruno Araujo liked this
cans01 liked this
soldado999 liked this
Dy Helena liked this
Marcio Maximo liked this
Alzení liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->