Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
234Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Projetos de Caixa de Som

Projetos de Caixa de Som

Ratings:

1.0

(1)
|Views: 195,748|Likes:
Published by Josiel de Assis

More info:

Categories:Types, Brochures
Published by: Josiel de Assis on Aug 19, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

08/01/2013

pdf

text

original

 
ALTO-FALANTES E CAIXAS ACÚSTICAS,CARACTERÍSTICAS E UTILIZAÇÃO
Carlos Correia da Silva e Homero Sette Silva
ELETRÔNICA SELENIUM S.A.BR 386, Km 435.CEP 92480-000 Nova Santa Rita, RS - Brasilhttp://www.selenium.com.br horny@terra.com.br homero@selenium.com.br 
 Resumo
- Este documento tem por objetivo forneceruma orientação básica para a utilização de alto-falantes ecaixas acústicas. Os aspectos fundamentais dessescomponentes são abordados de forma introdutória, atítulo de fornecer uma visão geral do assunto. Suascaracterísticas, limitações e utilização típica sãoabordados de forma resumida.Abstract - This document was written with thepurpose of providing the basic guidelines for the use of raw drivers and loudspeakers. These components arediscussed as an introductory basis. Their maincharacteristics and shortcomings are also addressed inbrief.
1 - INTRODUÇÃOOs alto-falantes eletro dinâmicos são dispositivos que para serem usados com sucesso necessitam que suascaracterísticas básicas sejam bem conhecidas pelo projetistae também pelo usuário.Frágeis, e com baixo rendimento eletro acústico,transformam em calor quase toda a energia elétrica querecebem dos amplificadores, isto acontecendo na grandemaioria dos casos.Para cumprirem adequadamente o fim a que se propõem,ou seja, a conversão de energia elétrica em acústica,múltiplos e variados aspectos devem ser observados.Para evitar sua destruição durante o uso, dois problemasfundamentais devem ser equacionados e resolvidos:1 – O térmico, garantindo que o calor gerado na bobinaserá adequadamente trocado com o meio circundante, paraevitar o super aquecimento, capaz de carbonizar a bobinamóvel;2 – O deslocamento excessivo do cone, que tende aassumir valores muito elevados quando da aplicação de altas potências, problema que é acentuadamente agravado nas baixas freqüências.Alem disso, os requisitos de resposta de freqüência edirecionalidade são da maior relevância e devem também ser atendidos adequadamente. Nas instalações em locais públicos, a proteção contraintempéries e vandalismo constitui aspecto da mais altarelevância e, não raramente, restringem significativamente oleque de possibilidades nas mãos do projetista.
 
ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Diâmetro nominal 380 mm / 15”Impedância nominal 8
 Impedância mínima @ 190 Hz 7,7
 Potência de Programa Musical 900 WPotência RMS (NBR 10303) 450 WSensibilidade (1W/1m média 100-2000 Hz) 97 dB SPLCompressão de potência @ 0 dB (pot. Nom.) 2.5 dBCompressão de potência @ -3 dB (pot. Nom.)/2 1,7 dBCompressão de potência @ -10 dB (pot. Nom.)/10 0,1 dB
PARAMETROS DE THIELE-SMALL
Fs (freqüência de ressonância mecânica) 36 HzVas (volume equivalente do falante) 163 LQts (fator de qualidade total) 0,39Qes (fator de qualidade elétrico) 0,40Qts (fator de qualidade mecânico) 14,70
O
η
(eficiência de referencia em meio espaço) 2,00 %Sd (área efetiva do cone) 0,0814
2
m
 X
MAX
(deslocamento máximo p-p c/ 10% distorção) 4,5 mmVd (volume deslocado = Sd x X
MAX
) 350
3
cm
 X
LIM
(deslocamento máximo de pico antes do dano) 9,0 mmCondições Atmosféricas no Local da Medição:Temperatura 24
C
°
 Pressão atmosférica 1005 mbUmidade relativa do ar 63 %
PARAMETROS ADICIONAIS
L
β
(fator de força) 20,5
T m
 Densidade de fluxo no gap 1,1
T
 Diâmetro da bobina 100 mmComprimento do fio da bobina 29,7 m
25
α
(coeficiente de temp. da bobina) 0,00388
1/ C
°
 Temperatura máxima da bobina 230
C
°
 
VC
θ
(temp. máx. da bobina/potência Máx.) 0,51
C/W
°
 H
VC
(altura do enrolamento da bobina) 18,0 mmH
AG
(altura do gap) 9,5 mm
E
(resistência ôhmica da bobina) 6,7
 Mms (massa móvel) 108,7 gCms (compliância mecânica da suspensão) 175,8
m/N
µ
 Rms (Resistência mecânica da suspensão) 1,7 Kg/s
 
 INFORMAi
Tabela 1 – Características do falante WPU1505.Fig. 1 – Representação DimensionalTabela 1 – Características do falante WPU1505.Fig. 1 – Representação DimensionalFig. 2 – Curvas do módulo da impedância e da fasecom o alto-falante ao ar livreFig. 3 – Respostas em amplitude, em caixa refletora degraves, no eixo e a 45º.
 
PARAMETROS NÃO LINEARES
Le @ Fs (indutância da bobina em Fs) 4,143 mHLe @ 1 kHz (ind. da bobina em 1 kHz) 1,321 mHLe @ 20 kHz (ind. da bobina em 20 kHz) 0,471 mHRed @ Fs (resistência de perdas em Fs) 0,29
 Red @ 1kHz (resist. de perdas em 1 kHz) 0,29
 Red @ 20kHz (resist. de perdas em 20 kHz) 0,29
 Krm (coeficiente de resistência de perdas) 3,832
m
 Kxm (coeficiente da indutância da bobina) 26,845 mHErm (expoente da resistência de perdas) 0,798Exm (expoente da indutância da bobina) 0,656
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
Material do ímã Ferrite de bárioPeso ímã 2,640 gDiâmetro x altura do ímã 200 x 24 mmPeso do conjunto magnético 7,8 KgMaterial da carcaça Alumínio injetadoAcabamento da carcaça Pintura epóxi pretaAcabamento das arruelas Cromatização azulMaterial do fio da bobina CobreMaterial da fôrma da bobina Poliamida (Kapton
®
)Material do cone Celulose de fibras longasVolume ocupado pelo falante 6,0 LPeso liquido do falante 11,08 KgPeso total com embalagem 11,50 KgDimensões da embalagem (C x L x A) 40x40x18,5 cm
INFORMAÇÕES PARA MONTAGEM
 Número de furos de fixação 8Diâmetro dos furos de fixação 8,0 mmDiâmetro do circulo do furos de fixação 373 mmDiâmetro do corte para montagem frontal 355 mmDiâmetro do corte para montagem traseira 345 mmTipo do conector Pressão para fio nuPolaridade: Tensão + no borne vermelho, desl. p/frenteDist. min. do fundo do falante à parede da cx. 75 mm
202002k20k60Hz708090100110
   d   B
Curva de Resposta a 0°.Curva de Resposta a 45°.202002k20k0Hz100200300400
  o   h  m  s
Curva de Impedância ao ar livre.Curva de Fase ao ar livre.-90-4504590
  g  r  a  u  s
8x ø 81204618014ø 388ø 373
   ø   2   0   8   ø   3   5   4
Dimensões em mm.
 
2 - MONTAGEM Na
Fig. 1
, vemos a representação dimensional do alto-falante usado na argumentação que se segue.Consultando a
TABELA 1
, vemos em INFORMAÇÕESPARA MONTAGEM, que existem duas possibilidades: ainstalação frontal e a traseira. Na montagem traseira, o falante é aparafusado por trás do painel da caixa. Esta opção tem a vantagem de beneficiar-seda guarnição do alto-falante, ou seja, um anel de materialmaleável, que circunda a borda da carcaça, permitindo um bom acoplamento mecânico entre esta e o painel da caixa,reduzindo as vibrações para ela transmitidas e garantindouma melhor vedação, eliminando os vazamentos de ar que podem ocorrer quando a borda metálica entra em contatodireto com a madeira.É exatamente isso que ocorre na chamada montagemfrontal, preferida pela comodidade de não necessitar que umaabertura de visitação seja feita na caixa. No caso da montagem frontal, uma junta de materialflexível deve ser providenciada pelo instalador, no sentido deevitar os problemas acima descritos.FixaçãoAlto-falantes profissionais, como o do exemplo, queconforme a
TABELA 1
pesa 11 kg, devem ser fixados no painel da caixa com parafusos de máquina (e não de roscasoberba, usados em madeira), com cabeça sextavada (paraser apertado com chave de boca) e porca garra rosqueada,que com o aperto, será cravada na madeira. Desse modo,alem de uma fixação perfeita, o falante poderá ser removido para manutenção e testes quantas vezes forem necessárias,sem o perigo de escarear o orifício. Se possível, use chave detorque para evitar pressão excessiva. Pressões excessivas, principalmente em falante de carcaça de chapa, podemdeformá-la chegando até a prejudicar o deslocamento da bobina.Inicialmente, os parafusos devem ser apertadoslevemente, apenas o suficiente para uma acomodaçãocorreta. Em seguida, os parafusos situados em lados opostosdevem ser apertados com firmeza. Por ultimo deve-severificar se todos estão apertados adequadamente.FuraçãoO corte no painel para a instalação do falante, bem como aabertura dos furos para os parafusos de fixação, devem ser feitos com todo o cuidado, utilizando as informaçõesdimensionais fornecidas pelo fabricante.O alto-falante deve entrar justo em seu berço, mas sem anecessidade de esforço.O corte deve ser limpo, sem rebarbas nem lascas namadeira, de modo a não permitir vazamentos de ar. Senecessário, use algum tipo de massa de calafetar.Depois de montado o falante na caixa, vazamentos podemser facilmente percebidos com as costas das mãos (ou a peledo rosto), através do deslocamento de ar, aplicando-se umsinal senoidal entre 20 e 40 Hz, com amplitude suficiente.Furos para a passagem de fios, mesmo que de uma câmara para outra, na mesma caixa, devem ser perfeitamentecalafetados, assim como aqueles para os conectores, e todosos demais por ventura existentes. Vazamentos de ar comportam-se de modo resistivo, transformando energiaacústica em calor, diminuindo o rendimento da caixa. Jágrandes aberturas, como aquelas usadas nos dutos desintonia, são predominantemente indutivas e alem de nãointroduzirem perdas significativas, permitem sintonizar ovolume de ar encerrado na caixa, que é capacitivo, em umafreqüência determinada, constituindo o chamado ressonador de Helmoltz. Nesta freqüência de sintonia a componenteacústica no duto é máxima e está em fase com a produzida pelo cone do falante, daí o reforço nas baixas freqüências,característico das caixas refletoras de graves (
bass reflex
).MadeiraA madeira a ser usada na construção de caixas acústicasdeve ser o mais densa possível, para evitar vibrações.Vibrações nas paredes da caixa originam sinais distorcidos edefasados, produzidos por um transdutor extremamenteineficiente: os painéis da caixa.A caixa acústica de um violão deve produzir som, mas acaixa acústica que vai abrigar um alto-falante tem que selimitar a
re
 produzir som, o mais fielmente possível.Madeiras reconstituídas (compensados e aglomerados) sãogeralmente mais densas que as madeiras naturais. Alem dissoo compensado multilaminado possui fibras ortogonais emcada lamina, o que o torna mais rígido.O uso de concreto ou alvenaria pode ser uma excelentesolução para grandes sub woofers usados nos cinemas ou emsistemas de
home cinema
.As paredes laterais das caixas de madeira devem ser reforçadas internamente por sarrafos, aplicados no sentido damaior dimensão, mas que não devem ser colocados no meiodo painel, pois assim as duas metades teriam o mesmo modode vibração.ConectoresA ligação de uma caixa acústica com o amplificador quevai alimentá-la deve ser feita por um conector apresentandoum contato firme, com baixa resistência elétrica, mesmo na presença das vibrações produzidas pela caixa.Alem disso, não pode permitir a existência de vazamentosde ar. Os conectores do tipo
 speakon
preenchem essesrequisitos e estão disponíveis para diversos números de vias.AcabamentoAlem dos aspectos estéticos, o acabamento deve ser condizente com a aplicação a que se destina a caixa. No casode caixas profissionais, esse acabamento deve protegê-la dachuva e suportar os inevitáveis choques no transporte, nãosendo lisa a ponto de escorregar das mãos com facilidadenem áspera demais a ponto de ferir os carregadores.Alças, rodízios e outros dispositivos que facilitem otransporte são muito recomendáveis.

Activity (234)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
1 hundred thousand reads
augustinhodj liked this
Rubiani Saraiva liked this
Welder Carlos liked this
Erico Silva liked this
corvina8 liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->