Welcome to Scribd. Sign in or start your free trial to enjoy unlimited e-books, audiobooks & documents.Find out more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
16Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Estado Da Arte Design

Estado Da Arte Design

Ratings: (0)|Views: 672|Likes:
Published by vandabastos

More info:

Published by: vandabastos on Aug 19, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/29/2012

pdf

text

original

 
Design 3D em Tecelagem Jacquard como ferramenta para a concepção de novos produtos.– Aplicação em Acessórios de Moda 
________________________________________________________________________
Cap.II – Estado da Arte – Design 
4
II. ESTADO DA ARTE1. Design
“Independentemente do que se estude, descobriremos sempre que aquilo que é bom e útil também é agraciado pela beleza.” 
Baldassare Castiglione Cortegiano, 1528
1.1.
 
Conceitos de Design
Não podemos ser tão simplistas ao conceituar
design
, porque existem muitas formas de sedefinir
design
. Alguns autores, não encontram em suas definições argumentos iguais, fazendocom que os conceitos se distingam quanto à sua origem.Segundo GOMES (2001, p.76),
 
denota a palavra “desenho”, tomadas de dois dicionários dalíngua portuguesa, com suas edições separadas nas distâncias do tempo (anos 40 e 80) e dageografia (Lisboa e Rio de Janeiro):
 Desenho: Arte de representar os objectos sensíveis por meio de linhas, sombras ou tintas.Técnica que ensina o processo para se fazer esta representação. Traçado de contornos de umobjecto. Ornatos de tecidos, muros, etc. Planta, projecto. O desenho propriamente dito podeser definido, imitativo e convencional. O primeiro reproduz as formas com certa precisão ebaseia-se na geometria. O imitativo representa a forma dos objectos, mas sem grandeexactidão e apenas com as condições relativas ao claro-escuro, à cor, à luz e à sombra... Oconvencional representa os corpos por meio de sinais ou cores convencionais e completa-lhesas forma; divide-se em geográfico, topográfico e industrial. (Magalhães, 1943) Desenho: Representação de formas sobre uma superfície, por meio de linhas, pontos, emanchas, com o objectivo lúdico, artístico, científico ou técnico. A arte e técnica derepresentar com lápis, pincel, etc., um tema real ou imaginário, expressando a forma e,geralmente, abandonando a cor. Toda obra de arte executada segundo condições descritasacima. A disciplina relativa à arte e à técnica do desenho. Versão preparatória de umdesenho artístico ou de um quadro; esboço, estudo. Traçado, risco, plano, projecto. Forma, feitio, configuração. Fig. Delineamento, esboço, elaboração, intento, propósito, desígnio. Desenho industrial actividade que se ocupa da concepção da forma de objectos... [sin.ger.design] (Aurélio, 1986)
Ainda, o mesmo autor, respondendo a pergunta: Qual a conotação da palavra “desenho”,quando se apresenta na expressão “desenho industrial”? Refere-se como sendo a criatividadeexpressa por meio de um conjunto de representações gráficas necessárias à compreensão, aodesenvolvimento e à comunicação de projecto para produto industrial.
 
Design 3D em Tecelagem Jacquard como ferramenta para a concepção de novos produtos.– Aplicação em Acessórios de Moda 
________________________________________________________________________
Cap.II – Estado da Arte – Design 
5Segundo definição do International Conciul Design of Societies of Industrial Design / ICSID:
  Design industrial é uma actividade criativa cujo objectivo é determinar as propriedades formais dos objectos produzidos industrialmente. Por propriedades formais não se deveentender apenas as características exteriores mas sobretudo, as relações estruturais e funcionais que fazem de um objecto (ou de um sistema de objecto), uma unidade coerente,tanto do ponto de vista do produtor como do consumidor. O design industrial abrange todosos aspectos do ambiente humano condicionado pela produção industrial.
 Segundo o International Council of Graphic Design Associations/ ICOGRADA:
 Design gráfico é uma actividade intelectual, técnica e criativa relacionada não apenas com a produção de imagens, mas com a análise, organização e métodos de apresentação desoluções visuais para problemas de comunicação. Design
é um processo projectual industrial para que algum produto seja desenvolvido, tendo apreocupação com a forma e a funcionalidade deste produto. Um
design
inovador acrescentavalor ao produto.Podemos dizer então, que
design
é um elemento fundamental para agregar valor e criaridentidades visuais para produtos, serviços e empresas, constituindo em última análise, aimagem das empresas no mercado. Alguns aspectos incorporados pelo
design
são: inovação,evolução tecnológica, padrão estético, rápida percepção da função/uso do produto, adequaçãoàs características socio-económicas e culturais do utilizador e racionalização. Por exemplo, osprodutos japoneses, italianos e alemães conquistaram reconhecimento internacional pelaqualidade e
design
. Este último componente conferiu aos produtos uma linguagem própria,reflexo dos traços culturais do país, que os diferenciou no mercado e agregou valor. Muitospaíses perceberam a importância e incorporaram o design à sua política de competitividade.
1.2. Breve História do Design
A origem de um produto com uma finalidade determinada é remota à antiguidade. Muitosconsideram Leonardo da Vinci como o primeiro desenhador, é também o mais destacado noRenascimento em virtude da significação e invenção de sua obra. Mas, é a partir de meados doséculo XIX, ou seja, a partir da era da Revolução Industrial que se fala de Desenho Industrialno sentido actual da palavra. A divisão do trabalho, o projecto e a execução do produto já nãosão de responsabilidade de uma única pessoa, o trabalho é feito por equipas com diferentestarefas.O princípio básico do moderno Desenho Industrial foi primeiramente formulado em 1901 peloarquitecto americano Frank Lloyd Wright no livro “The Art and Craft of the Machine”,
 
Design 3D em Tecelagem Jacquard como ferramenta para a concepção de novos produtos.– Aplicação em Acessórios de Moda 
________________________________________________________________________
Cap.II – Estado da Arte – Design 
6rejeitando a produção artesanal por ser muito dispendiosa. Ainda WRIGHT, reafirma suadoutrina criando protótipos através de máquinas depois de se familiarizar com modernastécnicas e materiais.Em 1907, Hermann Muthesius, um desenhista educador funda em Munique, na Alemanha, aDeutsche Werkbund, uma associação de artistas, mestres de oficinas, artesãos e industriais e,ainda, publicitários, cuja meta era melhorar o trabalho profissional mediante a educação e apropaganda através da acção conjunta da arte, indústria e artesanato, com vista a criar estilosmais simples destinados à produção por máquinas.Em 1919, numa tentativa de unir o idealismo social e a realidade comercial, que estavamseparados até o final da I Grande Guerra, e promover uma resposta adequada à culturatecnológica emergente, o arquitecto Walter Gropius, fundou na Alemanha a Escola de Artes eOfícios
Staatliches Bauhaus.
O alvo do Desenho Moderno, iniciado e ensinado na Bauhaus,era produzir trabalho que unisse aspectos intelectuais, práticos comerciais e estéticos atravésde um esforço artístico que explorasse novas tecnologias. Gropius não imaginava que ela viriaa tornar-se, durante mais de uma década, o mais importante centro criador da Europa. Foi naBauhaus que nasceu o Desenho Industrial. Bauhaus era ao mesmo tempo uma escola e umaoficina. Reunia um admirável espírito de comunidade, arquitectos, mestres artesãos, pintoresabstractos, todos trabalhando pela nova filosofia imposta pela revolução industrial. A criaçãode novas matérias-primas e a fabricação em série dirigia-os a uma nova metodologia detrabalho. Era preciso coordenar novos elementos (o custo, a produção, os meios), com a arteem benefício do ser humano.Apesar de a Bauhaus avançar com importantes novas formas de pensar sobre
design
,desenvolveu apenas algumas das ideias necessárias para o sucesso da integração da teoria do
design
no processo industrial. Os princípios forjados na Bauhaus foram mais tardedesenvolvidos na Nova Bauhaus, de Chicago, fundada por Lázió Moholy-Nagy em 1937 e naHochschule fur Gestaltung, Ulm, fundada em 1953. Ambos os institutos deram importantescontributos para o novo pensamento sobre a unificação da teoria do
design
com a prática emrelação aos métodos industriais de produção.

Activity (16)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Malu Aragão liked this
Lais Coutinho liked this
robertabar liked this
SSzzxyz liked this
ctc1986 liked this
CiMazai liked this

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->