Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
0Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Crescimento econômico e poluição (“arpocalipse”) na China

Crescimento econômico e poluição (“arpocalipse”) na China

Ratings: (0)|Views: 86|Likes:

More info:

Published by: José Eustáquio Diniz Alves on Dec 16, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/15/2014

pdf

text

original

 
Crescimento econômico e poluição
(“arpocalipse”)
 na China José Eustáquio Diniz Alves Doutor em demografia e professor titular do mestrado em População, Território e Estatísticas Públicas da Escola Nacional de Ciências Estatísticas - ENCE/IBGE; Apresenta seus pontos de vista em caráter pessoal. E-mail:  jed_alves@yahoo.com.br  A China apresentou nas últimas 3 décadas o maior crescimento econômico de toda a história da humanidade. Nunca um país cresceu tanto em tão pouco tempo. Na verdade, a China sempre foi um país muito avançado culturalmente e esteve na liderar a economia mundial durante muito tempo antes do início da Revolução Industrial e Energética ocorrida na Europa no final do século XVIII. A decadência chinesa coincidiu com a dinastia Qing (1644-1912), que teve início quando os manchus invadiram a China em 1644 e derrotaram a dinastia Ming (1368-1644). Enquanto o Ocidente avançava, os imperadores Jiaqing (1796-1820) e Daoguang (1820-1850) não deram sequência o estilo administrativo de seus antecessores e Estado chinês, conservador e rígido, não conseguiu evitar as ameaças externas, como na Primeira Guerra do Ópio (1839-1842) que, entre outras atrocidades, a China teve que ceder a cidade de Hong Kong para a Inglaterra. Também a Guerra Sino-Japonesa (1894-1895) tornou a ilha de Taiwan uma colônia do Japão. O 12º imperador da dinastina Qing - Puyi (1908 -1912) foi forçado a abdicar, quando da criação da República da China em 1912, liderada por Sun Yat-
 
Sen. Depois dos sofrimentos da Segunda Guerra Mundial, Mao Tse-tung liderou a formação da República Popular da China, em 1949. Os 30 primeiros anos da República Comunista não foram fáceis e houve vários fracassos que aumentaram a pobreza do país, tais como: 1) o Grande Salto Adiante (1958-1960), cujos efeitos acarretaram a morte de milhões de pessoas devido à fome e 2) a Revolução Cultural que desorganizou o funcionamento do Estado e dos serviços públicos jogando o país em um caos econômico. Foi somente em 1978 que o movimento liderado por Deng Xioping (1904-1997) colocou em prática o programa conhecido como as quatro modernizações que fariam da China o país de destaque que é atualmente. O Produto Interno Bruto (PIB) da China, em 1980, era de apenas 247 bilhões de dólares (em poder de paridade de compra), segundo dados do FMI. Neste ano, o PIB dos Estados Unidos era de 2,788 trilhões de dólares e do Brasil era de 446 bilhões de dólares. Ou seja, a economia americana era 11,3 vezes maior do que a economia chinesa e mesmo o Brasil tinha um PIB 1,8 vezes maior do que a China. Em 2013 a situação era bem diferente, pois os EUA tinham um PIB de 16,2 trilhões de dólares, a China de 13,6 trilhões e o Brasil de 2,5 trilhões de dólares. Em 2013, a economia americana era apenas 1,2 vezes maior do que a chinesa que, por sua vez, já era 5,5 vezes maior do que a Brasileira. As tendências atuais apontam que a China vai ultrapassar os EUA até 2017, quando será 6 vezes maior do que o Brasil. Até 2021 (quando se faz 100 anos do partido comunista), a China deve colocar uma nave tripulada na Lua. Sem dúvidas o salto da China em pouco mais de 3 décadas é impressionante. Segundo dados do Banco Mundial a China tinha 85% da população em situação de extrema pobreza em 1980 e caiu para 12% em 2010. A china tinha uma população de 1,360 bilhão de habitantes em 2010, sendo 163 milhões de pessoas consideradas muito pobres. Se a pobreza tivesse o mesmo nível de 1980 (85%) então a China teria 1,156 bilhão de pobres extremos. Então pode-se considerar que a China retirou o equivalente a 992 milhões de pessoas da extrema pobreza (US$ 1,25 ao dia) no espaço de 30 anos. A esperança de vida ao nascer era de 44 anos em 1950 e passou para 74 anos em 2010. Os ganhos econômicos e sociais foram realmente espetaculares. Porém, o recém-concluído (novembro de 2013) Terceiro Plenário do Comitê Central do Partido Comunista - a sessão de estratégia que acompanha uma vez por década a transição de liderança da China
 –
 teve que considerar que todo o sucesso econômico do país se deu as custas do agravamento da situação do meio ambiente e da depleção dos recursos naturais. O progresso humano chinês ocorreu em detrimento do regresso ambiental. Embora a China tenha gasto mais dinheiro do que qualquer outra nação para evitar a erosão dos solos e garantir o abastecimento de água, apenas cerca de 11% das florestas da China têm funcionamento ecológico saudável. A Academia Chinesa de Ciências relatou que 43% das águas superficiais estão muito poluídas e impróprias para o uso, assim como 57% das águas subterrâneas - a principal fonte de água potável para centenas de milhões de pessoas que vivem nas cidades. A poluição do solo é tão extensa que o governo considera os dados sobre o assunto um segredo de Estado. A auto-suficiência alimentar, uma tradição cultural na China, já não garante o abastecimento e o país teve que importar volumes recordes de grãos em 2013. A demanda total de energia na China continua a

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->