Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
28Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
PROJETO DA ESTAÇÃO TRATAMENTO DE ESGOTOS

PROJETO DA ESTAÇÃO TRATAMENTO DE ESGOTOS

Ratings: (0)|Views: 2,123 |Likes:
Published by giovannirj

More info:

Published by: giovannirj on Sep 03, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/06/2013

pdf

text

original

 
PROJETO DA ESTAÇÃO TRATAMENTO DE ESGOTOS – ETE CALDAS NOVAS O objetivo principal da Estação de Tratamento de Esgoto é transformar a matériaorgânica poluidora em subprodutos, de forma que o líquido lançado no corporeceptor atenda aos padrões da Legislação vigente, contribuindo para a redução da poluição ambiental e melhor bem estar da comunidade em geral. A ETE modular  projetada para o município de Lindóia apresenta grande flexibilidade e custooperacional reduzido, além de um investimento inicial moderado e menor secomparado com outros processos tradicionalmente utilizados. A combinação do processo biológico anaeróbio, através dos reatores anaeróbios de fluxo ascendente, como processo biológico aeróbio, utilizando o biofiltro aerado submerso permite queo lodo produzido seja estabilizado no próprio sistema, sem alteração operacionalou queda na qualidade do esgoto tratado. Por ser modular, a estação pode ser facilmente construída por etapas, respeitando o aumento da capacidade detratamento conforme o crescimento populacional, conservando suas eficiências e bons resultados operacionais.O arranjo arquitetônico da estação proposta não agride o local em que estão instaladas,apresentando visual agradável e interagindo com o ambiente.O projeto proposto é constituído por pré-tratamento seguido de processos biológicos,com desinfecção final. O fluxograma operacional principal proposto segue as seguintesetapas:− Gradeamento;− Desarenador;− Medidor Parshall;− Estação Elevatória / Tanque pulmão;− Reator Anaeróbio− Biofiltro Aerado Submerso;− Tanque de lavagem;− Desinfecção;− Medidor Parshal;− Casa dos sopradores;− Leito de secagem.Abaixo segue o detalhamento dessas etapas.3.1 PRÉ-TRATAMENTOO pré-tratamento é composto por um gradeamento de barras paralelas, para remoção desólidos grosseiros, seguido pela caixa desarenadora, cuja finalidade é reter sólidosde menor diâmetro.3.1.1 GRADEAMENTO
 
O esgoto doméstico normalmente traz consigo sólidos grosseiros (estopas, panos, plásticos, etc.) que, em casos normais, são facilmente separáveis. A sua retiradado esgoto é importante para o perfeito funcionamento da ETE, seja pelaeficiência do tratamento biológico ou pelo bom desempenho dos equipamentosexistentes. O material retido nas grades deve ser removido com freqüência, demodo a evitar represamento a montante e conseqüente aumento de nível, possibilitando o transbordo de esgoto bruto.A remoção deve ser realizada através de um rastelo, de forma manual pelotécnico responsável pela limpeza. O material removido será depositado em um cesto perfurado, adaptado no próprio canal, permitindo que o líquido livre retorne aodesarenador e receba o devido tratamento.O material sólido do cesto será posteriormente ensacado e encaminhado ao aterrosanitário.3.1.2 DESARENADOR Juntamente com os sólidos grosseiros podem existir no esgoto partículas de areia eterra, principalmente nos períodos chuvosos, que necessitam ser separados. Aimportância dessa remoção é evitar que essas partículas agridam principalmente oconjunto moto bomba e causem entupimentos nas tubulações e a interferência negativanos processos biológicos.Com base nessas premissas, após o gradeamento será instalado no sistema umdesarenador, formado por dois (02) canais paralelos de maneira que as partículassedimentam em seu interior durante o percurso.O desarenador é formado por dois canais que operam independentemente, de tal modoque enquanto um trabalha o outro recebe manutenção e limpeza. A interrupção do fluxoé realizada por “stop-logs” que são operados manualmente em cada canal.A limpeza pode ser realizada manualmente com auxílio de pá ou outra ferramentadesenvolvida para esse fim, ou ainda com a utilização de caminhão auto-vácuo.A areia removida pode ser encaminhada para o leito de secagem.3.1.3 MEDIDOR PARSHALLAs calhas Parshall são medidores de vazão que através de estrangulamento e ressaltos,estabelecem, para uma determinada seção vertical a montante, uma relação entrea vazão do fluxo e a lâmina d’água naquela região. Possui pouca perda de cargae é bastante preciso na determinação (leitura) das vazões.O medidor Parshall será instalado a jusante da caixa de areia, acoplado a umarégua graduada para leitura das lâminas de líquido, e respectivas vazões.Futuramente, com a instalação de sensores ultra-sônico as medições de vazão tornam-seautomáticas, com leituras instantâneas e totalizadas, garantindo maior controleoperacional do sistema de tratamento.3.2 ESTAÇÃO ELEVATÓRIA / TANQUE PULMÃOApós passar pelas etapas anteriores, o esgoto segue para uma estação elevatória quevai alimentar o sistema anaeróbio de forma contínua. A elevatória se constitui emuma caixa, fechada na parte superior por uma tampa removível, cujo objetivo éarmazenar o esgoto para ser transferido, com auxílio de bombas, para a etapa seguintedo sistema, na qual se inicia o processo biológico do tratamento do esgoto.Acoplado ao poço da elevatória, existe um tanque pulmão que regulariza os picos de vazão nos horários de maior consumo. Todo o esgoto bruto ao chegar na elevatória, alimenta também o tanque pulmão, uma vez que possuem ligações pelo
 
fundo tornado-se vasos comunicantes. Ao atingir o nível para acionamento das bombas, todo o poço, inclusive o tanque pulmão são esvaziados. Para evitar oacúmulo do esgoto no tanque pulmão, este é construído com inclinaçãosuficiente no fundo para garantir completo esvaziamento do tanque. O mesmo também édotado de cobertura na parte superior para evitar possível exalação de mausodores, caso sejam produzidos.TRATAMENTO BIOLÓGICOA proposta do tratamento biológico é constituída pela associação do tratamentoanaeróbio e posterior polimento aeróbio, respectivamente através de reatores anaeróbiosde fluxo ascendente e biofiltro aerado submerso.As principais vantagens do arranjo biológico adotado são:− Necessidade de pouco espaço de construção;− Simplicidade operacional;− Baixo custo de implantação e operação;− Baixo impacto em ambientes urbanos;− Baixa geração de lodo;− Geração de biogás.3.4 TRATAMENTO ANAERÓBIOAtualmente, a tecnologia anaeróbia utilizada para o tratamento do esgotoencontra-se consolidada, sendo uma das principais opções em estudos dealternativas para construção de uma ETE. Mesmo assim, ainda possui capacidadelimitada de remoção de matéria orgânica poluidora contida nos esgotos domésticossendo necessário a utilização de pós-tratamento para atendimento aos parâmetrosexigidos pela legislação ambiental vigente. Nos reatores anaeróbios a matéria orgânica expressa em DBO (Demanda Bioquímica deOxigênio) é convertida a compostos mais simples e degradáveis pelas bactériasanaeróbias em condições de ausência de oxigênio. A digestão acontece em dois estágios praticamente simultâneos. Como resultado final dessas reações biológicas tem-semetano, gás carbônico, água e amônia, além de novas células bacterianas.O fluxo do esgoto é ascendente, possui produção de biogás (principalmentemetano), possui baixa produção de lodo e com a vantagem deste já estar estabilizado.O biogás produzido nos reatores anaeróbios, coletados internamente será encaminhado para o queimador de gases. A vazão diária gerada deverá estar próxima de355,88 m³/dia, com porcentagem de metano variando de 70 a 80%, em volume.Os reatores anaeróbios são dotados de dispositivos internos que possibilitam aseparação do líquido, gases e lodo biológico. O líquido ao passar pelo separador atingeas calhas dentadas e encaminham-se para a próxima etapa do tratamento. O lodo, por ser mais denso, encaminha-se para o fundo do reator e o biogás é coletado pelo sistemade cobertura, em EPDM ou material similar, instalado na superfície dos retores.Tubos de PVC transferem o biogás coletado pelos reatores anaeróbios até um sistemade segurança (selo hídrico), mantendo pressão interna estável e positiva,minimizando riscos de retorno da chama do queimador para dentro dos reatoresanaeróbios. Após o selo hídrico de segurança, uma válvula corta-chamas tambémserá instalada e posteriormente o biogás será queimado no Flair existente. No queimador (Flair) deverá ser mantido chama piloto para garantir completa queimado biogás. Para evitar problemas com o gás sulfídrico (maus odores),existe a

Activity (28)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Lexdif liked this
Camila Geromel liked this
rafamoranguinho liked this
laurindojr liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->