Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
6Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Paper Manufatura Enxuta

Paper Manufatura Enxuta

Ratings: (0)|Views: 2,848|Likes:

More info:

categoriesBusiness/Law, Finance
Published by: Amarildo Moreira Santos on Sep 06, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, DOC, TXT or read online from Scribd
See More
See less

10/30/2012

pdf

text

original

 
LEAN MANUFACTURY (MANUFATURA ENXUTA)
Amarildo Moreira SantosProf. Sérgio CadoreProf. Marcos Alexandre Greuel
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVIProcessos Gerenciais (EMD 5251/2) – Administração da Produção20/01/09
RESUMO
 Busca-se apresentar neste estudo, o que é manufatura enxuta e o que de bom ela pode trazer asempresas.
Palavras-Chave:
 Desperdício, Just-in-Time, Kanban, Manufatura Enxuta.
1 INTRODUCÃO
 Nesse trabalho falaremos o que é e como surgiu Manufatura Enxuta, também conhecida por 
 Lean Manufacturing,
surgiu na década de 50, no Japão, como uma teoria que se baseava na priorização das melhorias da função-processo, pela eliminação contínua e sistemática das perdas dosistema produtivo. Sustentava o Sistema Toyota de Produção STP, o qual foi construídoutilizando-se, paralelamente, uma teoria de produção e uma testagem empírica da teoria pela lógica,do tipo tentativa e erro.Esse sistema de produção, quando devidamente adaptado e aplicado à empresa para a qualse destina, propicia excelentes resultados, pois são numerosas as fontes de oportunidades pararedução e eliminação de desperdícios, dentre as quais podem ser citados os grandes estoques e asoperações que não agregam valor, os desperdícios burocráticos, como um sistema de informaçõesineficiente, processos de compras lentos, duplicidade de tarefas ou de aprovações em documentosimportantes da empresa, entre outros casos.
2 HISTÓRIA DA MANUFAURA ENXUTA
A produção enxuta (do original em inglês,
lean
) é, na verdade, um termo cunhado, no finaldos anos 80, pelos pesquisadores do
 International Motor Vehicle Program − IMVP 
, um programade pesquisas ligado ao
Massachusetts Institute of Technology − MIT 
, para definir um sistema de produção eficiente, flexível, ágil e inovador, superior à produção em massa, um sistema habilitado aenfrentar melhor um mercado em constante mudança. Na verdade, Manufatura Enxuta é um termo
 
genérico usado para definir o Sistema Toyota de Produção – STP conforme
WERKEMA.
3 DESCRIÇÃO DA MANUFAURA ENXUTA
Segundo
TAYLOR, F.W
a melhor maneira de descrever a produção enxuta é contrastá-lacom seus predecessores: produção artesanal e produção em massa. Produção artesanal usatrabalhadores altamente qualificados e simples, porém flexíveis ferramentas para fazer exatamente o que o consumidor deseja: um item de cada vez. O resultado é que oconsumidor tem exatamente o que ele queria, mas com um custo provavelmente alto. A produção em massa usa vários profissionais de habilidades bastante específicas paradesenhar produtos que são construídos por profissionais pouco ou não qualificadosoperando máquinas caras e capazes de realizar um só tipo de tarefa. As máquinas produzem produtos padronizados em um volume muito alto. Devido ao alto custo que uma parada do processo pode causar, o produtor em massa usa muitas 22 reservas - fornecedores,trabalhadores e espaço extras - para assegurar produção contínua, o que gera desperdício(
muda
, em japonês). Além disso, devido ao alto custo para se mudar para um novo produto,o produtor em massa continua com um
design
(projeto) padrão em produção por tantotempo quanto possível. O resultado é que o consumidor tem menores custos, mas com umamenor variedade, e os trabalhadores tentem a achar sua parte do trabalho repetitiva emonótona.
4 CONCEITOS DE DESPERDÍCIO
Segundo Womack (1992), o desperdício, também conhecido na língua japonesa por 
muda
,normalmente é associado ao que se classifica como lixo, porém sua definição vai, além disso.De acordo com Campos (1996), o desperdício é todo e qualquer recurso que se gasta naexecução de um produto ou serviço além do estritamente necessário (matéria-prima, materiais,tempo, energia, por exemplo). É um dispêndio extra que aumenta os custos normais do produto ouserviço sem trazer qualquer tipo de melhoria para o cliente.Reduzir o desperdício
− muda −
na manufatura significa eliminar tudo aquilo que aumentao custo de produção, ou seja, transformar 
muda
em valor. Muitas vezes os desperdícios não sãofacilmente notados, pois se tornaram aceitos como conseqüência natural do trabalho rotineiro.
a)
Perda: toda atividade que não contribui para as operações. Dentro deste conceito, pode-secitar: espera, estoques intermediários entre operações, reabastecimento, movimentação do produto,etc.
b)
Operações que não agregam valor: são as atividades que não beneficiam a matéria-prima, por exemplo: movimentação para alcançar as peças, desembalagem de caixas, operações manuaisde comandos do equipamento, etc.2
 
c)
Operações que agregam valor: o atividades que transformam a matéria-prima,modificando a sua forma e qualidade. Esses valores são normalmente percebidos pelo cliente final, pois de nada vale incluir atividades no processo que não possam ser "cobradas" do cliente final.Caso contrário, podem gerar desperdícios. Muitos processos e atividades não são percebidos pelocliente, mas são observados pela manutenção da Qualidade e Segurança do produto, como, por exemplo, testes finais de qualidade. Portanto, quanto maior o valor agregado, maior a eficiência daoperação.
5 OS PRINCIPAIS TIPOS DE DESPERDÍCIOS
De acordo com Womack (1992), o executivo Taiichi Ohno identificou os principais tipos dedesperdício. São sete tipos primários, que também conduzem a desperdícios secundários. Comoexemplo, o caso do inventário extra que provoca a necessidade de material e mão-de-obra extra,com custos indiretos, como energia e outras utilidades. Na seqüência, os sete tipos de desperdíciosão apresentados com pormenores:
6
 KAIZEN 
 – MELHORIA CONTINUA
 Kaizen
é um termo japonês que pode ser interpretado como melhoria contínua do homem;no entanto, quando aplicado à empresa, é interpretado, também, como melhoria continuada dos processos de produção e administrativos, buscando a perfeição do processo produtivo, uma vez queesse não acaba, ou seja, após um
kaizen
, sempre haverá outros futuros, mantendo sempre “aceso” osistema. Segundo Imai (1988, p. 21), “
 Kaizen
significa melhoria contínua. Mais do que isso,significa continuar melhorando na vida pessoal, na vida do lar, na vida social, na vida profissional.Quando aplicado ao local de trabalho, kaizen significa melhoria continua envolvendo a todos, desdegerentes até funcionários por igual.”
7 SUGESTÕES DE MUDANÇAS DO PROJETO KAIZEN
Os projetos de
kaizen
normalmente se manifestam em forma de sugestões. Portanto, aatenção e a receptividade da administração para com o sistema de sugestões é essencial, se desejater “operários pensantes”, que procurem por maneiras melhores de realizar o seu serviço. Dessaforma, a administração deve implantar um plano bem projetado, para assegurar que o sistema desugestões seja dinâmico. Esses sistemas de sugestões estão em operação na maioria das grandesempresas de manufatura e em cerca da metade das pequenas e médias empresas. Segundo a3

Activity (6)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Caio Felipe liked this
Vagner Santos liked this
kosinski liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->