Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
7Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
AUDITORIA INTERNA EM CONCESSIONÁRIA DE VEÍCULOS, ATRAVÉS DA CONTABILIDADE INTEGRADA

AUDITORIA INTERNA EM CONCESSIONÁRIA DE VEÍCULOS, ATRAVÉS DA CONTABILIDADE INTEGRADA

Ratings: (0)|Views: 1,296 |Likes:
Published by roggarbru
Avaliação da Aplicabilidade do Technology Readiness Index (TRI) para a Adoção de Produtos e Serviços Baseados em Tecnologia

Rosana Vieira de Souza - Fernando Bins Luce

RESUMO: A prontidão para tecnologia refere-se à propensão dos indivíduos a adotar produtos e serviços tecnológicos a partir de condutores e inibidores mentais relacionados ao otimismo, inovatividade, desconforto e insegurança. Sua mensuração se dá por meio do Technology Readiness Index (TRI), instrumento de medida desenvolvido por Parasuraman (2000) e Parasuraman e Colby (2001). A partir disso, o objetivo central deste trabalho é apresentar os resultados de uma investigação que buscou validar o TRI para o contexto brasileiro, por meio da reaplicação do instrumento de medida a uma amostra de 731 consumidores. A validade do TRI foi verificada com o auxílio da análise fatorial confirmatória via estratégia de confirmação de modelo. Tal avaliação foi complementada com a comparação entre os escores dos respondentes do TRI, agrupados por categorias de posse e uso de produtos/serviços tecnológicos e por categorias de prontidão para a tecnologia. Este estudo oferece algumas evidências sobre a capacidade do TRI de distinguir usuários de não usuários destes produtos e de predizer comportamentos de adoção, mas sinaliza a necessidade de novas investigações sobre a estrutura interna do instrumento.
Avaliação da Aplicabilidade do Technology Readiness Index (TRI) para a Adoção de Produtos e Serviços Baseados em Tecnologia

Rosana Vieira de Souza - Fernando Bins Luce

RESUMO: A prontidão para tecnologia refere-se à propensão dos indivíduos a adotar produtos e serviços tecnológicos a partir de condutores e inibidores mentais relacionados ao otimismo, inovatividade, desconforto e insegurança. Sua mensuração se dá por meio do Technology Readiness Index (TRI), instrumento de medida desenvolvido por Parasuraman (2000) e Parasuraman e Colby (2001). A partir disso, o objetivo central deste trabalho é apresentar os resultados de uma investigação que buscou validar o TRI para o contexto brasileiro, por meio da reaplicação do instrumento de medida a uma amostra de 731 consumidores. A validade do TRI foi verificada com o auxílio da análise fatorial confirmatória via estratégia de confirmação de modelo. Tal avaliação foi complementada com a comparação entre os escores dos respondentes do TRI, agrupados por categorias de posse e uso de produtos/serviços tecnológicos e por categorias de prontidão para a tecnologia. Este estudo oferece algumas evidências sobre a capacidade do TRI de distinguir usuários de não usuários destes produtos e de predizer comportamentos de adoção, mas sinaliza a necessidade de novas investigações sobre a estrutura interna do instrumento.

More info:

Published by: roggarbru on Sep 14, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/06/2013

pdf

text

original

 
AUDITORIA INTERNA EM CONCESSIONÁRIA DE VEÍCULOS, ATRAVÉS DACONTABILIDADE INTEGRADA
Claudiane Monaretto
1
 Paulo Roberto Pegoraro
2
 
Resumo
: O presente trabalho foi realizado em uma concessionária de veículos, e tem como base oestudo a auditoria interna, com enfoque nos estudos bibliográficos e pesquisa exploratória. Aauditoria interna, em específico em concessionárias de veículos, em razão da grande diversificaçãodas atividades que envolvem esta atividade, torna-se muito importante. Surge uma oportunidade paraos contadores, a de oferecer algo a mais do que os serviços típicos da profissão, agregando muitomais valor ao ofício do contador, através da união da contabilidade gerencial integrada com auditoriainterna. Por meio da realização de pesquisa exploratória, juntamente com estudo de caso epesquisas bibliográficas, buscaremos alcançar os objetivos do presente trabalho, visando avalorização do contador como profissional, bem como o benefício dos usuários da contabilidade.
Palavras-Chave
: Auditoria Interna. Contabilidade Integrada. Conferência. Controles Internos.Auditoria Permanente.
1. INTRODUÇÃO
Este artigo tem a proposta de relatar os resultados obtidos nodesenvolvimento da pesquisa realizada para a elaboração da Monografiaapresentada como requisito parcial à Coordenação do Curso Superior de CiênciasContábeis, para obtenção do grau de Bacharel em Ciências Contábeis.Funcionando como ferramenta para o controle da organização, a auditoriainterna, juntamente com a contabilidade integrada, age como sendo um elementoprimordial para o controle da organização como um todo.O alvo do estudo, concessionária de veículos, é uma organização muitocomplexa, abrangendo diversas atividades envolvendo venda e prestação deserviços. Para executar estas atividades são exigidos vários procedimentos internosque necessitam ser realizados de forma correta que contribuam para o bomfuncionamento da empresa de modo geral. Mas a administração precisa ter asegurança e a certeza de que os procedimentos estão sendo seguidos a risca.Administradores de médias e grandes empresas possuem hoje anecessidade de se manter o controle das organizações cada vez mais independentede si mesmos, mas faltam a eles opções para o problema. Na maioria dos casos, amaneira mais segura é através da implantação de um departamento de AuditoriaInterna na empresa. Nas ocasiões de grandes empresas, pode ser a solução, masesta não seria para muitas outras, que ficariam sem opção, pois para a maioria(médias empresas) não seria viável economicamente.A contabilidade integrada, de certa forma com controles mais avançados,visando o problema exposto anteriormente, se aplicada de forma correta, podebeneficiar diversos setores e também as pessoas envolvidas na organização.
1
Acadêmica do 5º ano de Ciências Contábeis da Universidade Tecnológica Federal do Paraná,Campus Pato Branco - PR – Email:claudiane@pollimotta.com.br.
2
Professor Mestre do Curso de Ciências Contábeis da Universidade Tecnológica Federal do Paraná,Campus Pato Branco – PR – Email: prpe@utfpr.edu.br
 
O objetivo principal desde trabalho é demonstrar que o departamentocontábil de uma empresa pode suprir a necessidade que a organização tem de umdepartamento específico de auditoria interna.A perfeição e boa sincronia dos procedimentos são extremamenteimportantes para uma concessionária, pois para levar a marca automobilística aosconsumidores finais, as fábricas ou montadoras 100% de qualidade doconcessionário.
2. ASPECTOS METODOLÓGICOS
Para Gil (2002 p. 17), toda pesquisa inicia com algum tipo de problema ouindagação de origem científica, e pode ser definida como o procedimento racional esistemático que tem como objetivo proporcionar respostas aos problemas que sãopropostos.Para Lakatos (2001 p. 43), a pesquisa pode ser considerada umprocedimento formal com método de pensamento reflexivo que requer umtratamento científico e se constitui no caminho para se conhecer a realidade ou paradescobrir verdades parciais.Ainda Lakatos (2001), explica que toda pesquisa requer o levantamento dedados, e os dois processos que podem-se obter esses dados são a documentaçãodireta e a indireta. A documentação direta ocorre quando o levantamento de dados éfeito no próprio local onde os fenômenos ocorrem, sendo que esses dados podemser conseguidos de duas maneiras: através da pesquisa de campo ou da pesquisade laboratório, considerando ainda que ambas se utilizam das técnicas deobservação direta intensiva (observação e entrevista) e de observação diretaextensiva (através de questionário, formulário, medidas de opinião e atitudestécnicas mercadológicas).A documentação indireta serve-se de fontes de dados coletados por outraspessoas, podendo constituir-se de material já elaborado ou não. Temos então apesquisa documental (ou de fontes primárias), e pesquisa bibliográfica (ou de fontessecundárias). LAKATOS, (2002).A pesquisa referente a este trabalho, é de caráter exploratório, que segundoGil (2002 p.41), tem como objetivo proporcionar maior familiaridade com o problema,com vistas a torná-lo mais explícito, tendo como objetivo principal o aprimoramentode idéias ou a descoberta de intuições.A pesquisa exploratória, para Gil (2002), envolve:
Levantamento bibliográfico;
Entrevistas com pessoas que tiveram experiências práticas com oproblema pesquisado;
Análise exemplos que estimulem a compreensão.O autor ainda aponte que o planejamento de uma pesquisa bibliográfica ébastante flexível, e que na maioria dos casos assume a forma de pesquisabibliográfica ou estudo de caso.Para Gil (2002) a pesquisa bibliográfica desenvolve-se ao longo de váriasetapas. O número de etapas e também o desencadeamento do trabalho, dependede muitos fatores, tais como: natureza do problema, nível de conhecimento dopesquisador; grau de precisão que se pretende conferir a pesquisa; etc. O autordestaca as principais etapas de uma pesquisa bibliográfica:
Escolha do problema;
 
Levantamento bibliográfico preliminar;
Formulação do problema;
Elaboração de plano provisório de assunto;
Busca de fontes;
Leitura do material;
Fichamento;
Organização lógica do assunto;
Redação do texto.Ainda Gil (2002), a respeito de estudo de caso, aponta que a seleção doscasos variam de acordo com os propósitos da pesquisa. Podemos definir destamaneira, o
estudo de caso coletivo 
, segundo Gil (2002):São as etapas do estudo de caso:
Formulação do problema;
Definição da unidade-caso;
Determinação do número de casos;
Elaboração do protocolo;
Coleta de dados
Avaliação e análise dos dados;
Preparação do relatório.
3. APRESENTAÇÃO, ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS
A auditoria é uma ferramenta essencial para o controle das empresas,sendo que pelo fato de o foco ser a conferência de operações e relatórios, atravésda mesma pode-se desvendar possíveis fraudes e falhas nos procedimentosempresariais, e também avaliar procedimentos internos, verificando se existemocorrências que necessitam ser modificadas, visando o melhoramento e progressoda instituição.Segundo Araújo (2008, p. 10), palavra “auditoria” origina-se do latim
audire 
 (ouvir), e teve seu início no século XIX, em decorrência da Revolução Industrial,sendo que era necessário auditar as novas corporações que substituíam a produçãoartesanal. Ainda o mesmo autor, aponta que de modo geral a auditoria pode serdefinida como o processo de confronto entre uma situação encontrada e umdeterminado critério, o exame das operações, atividades e demonstrativos, que têmpor objetivo verificar se estes se encontram em conformidade com determinadasregras, normas e critérios apropriados ou definidos ao elemento auditado emquestão.Sá (1998 21p.), ainda afirma que a importância da Auditoria é reconhecidahá milênios, confirmando que existem provas arqueológicas de inspeções everificações de registros realizadas a mais de 4.500 anos antes de Cristo. Já emcontrovérsia com Araújo (2008), coloca que a denominação
auditor 
teria sidoadotada por volta do século XIII, na Inglaterra.Com relação a origem da auditoria, conforme Almeida (1996 p.21), expõeque a mesma é derivada do sistema capitalista, pois inicialmente as empresas eramfamiliares. Porém a globalização surgiu a necessidade de expandir o negócio, e paraisto também eram necessários novos investimentos e investidores externos. Estesfuturos investidores precisavam conhecer a posição patrimonial e financeira, bem

Activity (7)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Talita Caroline liked this
Nadia Castro liked this
Keila Cris liked this
Manoel Carlos liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->