Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
2Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Conheça as características das principais regiões vitivinícolas de Portugal

Conheça as características das principais regiões vitivinícolas de Portugal

Ratings: (0)|Views: 545 |Likes:
Published by api-25926096

More info:

Published by: api-25926096 on Sep 16, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/28/2013

pdf

text

original

Conhe\u00e7a as caracter\u00edsticas das principais regi\u00f5es vitivin\u00edcolas de
Portugal, seus vinhos e suas hist\u00f3rias
Por Aguinaldo Z\u00e1ckia Albert

"A Europa jaz, posta nos cotovelos: De Oriente a Ocidente jaz, fitando, E toldam-
lhe rom\u00e2nticos cabelos Olhos gregos lembrando. O cotovelo esquerdo \u00e9
recuado, O direito \u00e9 em \u00e2ngulo disposto. Aquele diz It\u00e1lia onde \u00e9 pousado; Este
diz Inglaterra onde, afastado, A m\u00e3o sustenta, em que se apoia o rosto. Fita, com
olhar esf\u00edngico e fatal, O Ocidente, futuro do passado. O rosto com que fita \u00e9
Portugal." Fernando Pessoa

Eis o mapa da Europa, terra do vinho, s\u00f3 que expresso em palavras. Ningu\u00e9m teria
feito melhor, e de maneira mais po\u00e9tica, do que Fernando Pessoa. O "rosto da
Europa" \u00e9 seu querido Portugal, que mira o Novo Mundo e est\u00e1 de costas para o
continente; uma met\u00e1fora que espelha muito bem a rela\u00e7\u00e3o de deste pa\u00eds com o
restante da Europa.

Situado na parte mais ocidental do Velho Mundo - e por isso mesmo bem afastado
dos principais centros culturais e econ\u00f4micos europeus -, esse pequeno pa\u00eds
conseguiu, com seu isolamento, preservar sua principal heran\u00e7a: uma vasta
variedade de uvas nativas que fazem seu diferencial diante de uma Europa tomada
pelas uvas ditas globalizadas.

A integra\u00e7\u00e3o com seus parceiros s\u00f3 veio a acontecer nos anos mais recentes, mais
precisamente a partir 1986, quando foi aceito na Comunidade Europeia. A partir de
ent\u00e3o, uma onda de moderniza\u00e7\u00e3o tomou o pa\u00eds, atingindo tamb\u00e9m a \u00e1rea
vitivin\u00edcola.

O plantio desordenado das vinhas - com grande mistura de castas - era um dos
principais problemas, que veio a ser solucionado pelo replantio e pela maior
organiza\u00e7\u00e3o, mas sem preju\u00edzo da enorme tradi\u00e7\u00e3o vitivin\u00edcola da na\u00e7\u00e3o.

Por ou tro lado, numa s\u00e1bia decis\u00e3o, conseguiu- se preservar sua maior riqueza: o
grande n\u00famero de variedades de uvas aut\u00f3ctones, que fazem hoje o encanto do
vinho lusitano. Apesar de ser um pa\u00eds min\u00fasculo, a variedade de uvas, regi\u00f5es e
estilos de vinho em Portugal \u00e9 enorme. Cada regi\u00e3o apresenta seus pr\u00f3prios tipos
de uva, algumas aparecendo em v\u00e1rias zonas.

Para se ter uma ideia, s\u00e3o cerca de 50 variedades de castas nativas s\u00f3 no Douro.
Uvas de alta qualidade, algumas com nomes muito curiosos como Rabo de Ovelha,
Borrado das Moscas, Periquita, Esgana C\u00e3o, Rabigato etc, que t\u00eam dado origem a
vinhos muito interessantes, sendo a Touriga Nacional e a Tinta Roriz (a mesma
Tempranillo espanhola, chamada em algumas regi\u00f5es de Aragon\u00eas) as j\u00f3ias da
coroa.

A legisla\u00e7\u00e3o dos vinhos

A legisla\u00e7\u00e3o do pa\u00eds prev\u00ea regi\u00f5es demarcadas, garantia de qualidade, utiliza\u00e7\u00e3o de
uvas autorizadas, m\u00e9todos etc. Determina-se o tipo da condu\u00e7\u00e3o da vinha, a
indica\u00e7\u00e3o das cepas utilizadas, o controle da produ\u00e7\u00e3o m\u00e1xima por hectare, o tipo
de envelhecimento do vinho (carvalho, garrafas etc) e as an\u00e1lises qu\u00edmica e
organol\u00e9ptica rigorosas.

Coube a Portugal a gl\u00f3ria de ter sido a primeira na\u00e7\u00e3o a criar uma zona demarcada
no mundo. Em 1756, o Marqu\u00eas de Pombal instituiu a DOC do Porto. Outras se
seguiram a partir de 1908: Vinhos Verdes, D\u00e3o, Moscatel de Set\u00fabal, Colares,
Bucelas, Madeira. Bairrada, Algarve e a revis\u00e3o do Douro s\u00e3o de 1979.

Em 1986, uma nova lei cria o IPR, vinhos de Indica\u00e7\u00e3o de Proveni\u00eancia
Regulamentada, que coexiste com a lei dos DOC. Visando o Mercado Comum
Europeu, surgiu recentemente uma nova categoria, a VDPRD - Vinho de Qualidade
Produzido em Regi\u00e3o Demarcada, que envolve duas categorias e prev\u00ea a ascens\u00e3o
de regi\u00f5es por m\u00e9rito. \u00c9 comum o uso de t\u00edtulos para os vinhos de qualidade

superior.
Assim, existe a denomina\u00e7\u00e3o "Reserva", para os que t\u00eam gradua\u00e7\u00e3o alco\u00f3lica
superior, e os "Garrafeira" - equivalente a um Reserva Especial ou Gran Reserva -,

Activity (2)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->