Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
4Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Solucao Dos Conflitos Sociais - Relacao Juridica Processual

Solucao Dos Conflitos Sociais - Relacao Juridica Processual

Ratings: (0)|Views: 3,350|Likes:
Published by Fabporto

More info:

Published by: Fabporto on Oct 09, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, DOC, TXT or read online from Scribd
See More
See less

06/10/2013

pdf

text

original

 
2.
Métodos de resolução dos conflitos sociais e sua evoluçãoatravés dos tempos:
da justiça privada à justiça pública
(autotutela, autocomposição e jurisdição)
 .
 
A existência do direito confunde-se com o da própria sociedade:
ubi societas ibi jus.
O direito exerce a funçãoordenadora/pacificadora da sociedade, a coordenão dosinteresses e a composição dos conflitos, promovendo aharmonização das relações intersubjetivas.
A existência do direito, por si só, não é capaz de eliminar todos osconflitos sociais, pois a natureza humana faz emergir,invariavelmente, interesses contrapostos sempre que umagrupamento de pessoas passa a manter qualquer tipo de relação.Conflito de interesses na ótica
carneluttiana
.
Diversas formas de resolução dos conflitos sociais foramconcebidas através dos tempos:
autotutela (justiça de o- própria); autocomposição, arbitragem
e
 jurisdição.
AUTOTUTELA
: fase primitiva da civilização dos povos. Inexistência deEstado suficientemente organizado. Definição: subjugo do direitodo mais fraco pelo do mais forte. Características: a) ausência deárbitro/julgador estranho às partes; b) imposição coercitiva dodireito da parte vencedora à outra. Conseqüência: iniqüidade.Resquícios no direito moderno: julgamento de crimes de guerra por tribunais de exceção(Nuremberg 2ª Guerra planointernacional), desforço pessoal em defesa da posse (art. 1210, CC)e direito de retenção (CC., arts. 578, 644, 1433, II, etc.).
 
AUTOCOMPOSIÇÃO
: da fase primitiva à intermedria do direito.Definição: uma ou ambas as partes em conflito abrem mão dointeresse ou de parte dele. Característica: solução
 privada
e
voluntária
dos conflitos, com auncia de terceiro estranho àdisputa. Formas: a) renúncia à pretensão; b) submissão à pretensão(renúncia à resistência); c) transação (concessões tuas erecíprocas). Na fase primitiva do direito, a sua realização dependiada colaboração dos sujeitos, prescindindo da coerção estatal.Resquícios no direito moderno: direitos disponíveis e transacionais.
ARBITRAGEM
: fase primitiva à fase intermediária do direito romano.Inicialmente, a mediação era confiada a sacerdotes e anciãos.Após, pelo próprio Estado (
 praetor et iudex – 
magistrado e árbitro.Compromisso:
litiscontestatio
), por submiso voluntária dossujeitos. Por fim, a arbitragem facultativa deu lugar à obrigatória(nomeação obrigatória do árbitro), embrião da moderna jurisdição. Nesta fase, surge o processo. Característica: solução dos conflitos por elemento estranho à contenda, eleito inicialmente pelas próprias partes.
JURISDIÇÃO
(processo): ao peodo arcaico e clássico do direitoromano, conhecido por 
ordo judiciorum privatorum
, sobreveio o período moderno deste, denominado período da
cognitio extraordinem
. Neste, o pretor romano não se limitava a nomear ouaceitar a nomeação de árbitros pelas partes: ele próprio passou a prolatar decisões sobre o mérito das questões que lhe eram trazidas.A
 justiça privada
deu lugar à
 justiça pública
, nascendo omonopólio jurisdicional estatal (imposição autoritativa do direitodeclarado nas decies). Características: atividade blica,exercida pelo Estado-juiz (órgão estranho e imparcial), substitutivaà das partes (vedação da autotutela), em
regime de monopólio
,tendo por escopo primordial a pacificação das relações sociais.
 
2. P
ROCESSO
 
E
 
RELAÇÃO
 
JURÍDICA
 
PROCESSUAL
. E
LEMENTOS
.A
UTONOMIA
.
J
URISDIÇÃO
– função estatal (Montesquieu) – Estado moderno – exercio atras de óros especializados submiso aesquemas legais, a fim de evitar-se o arbítrio – método doexercício da
 função jurisdicional 
: processo (sistema de regrase princípios previamente estabelecidos e aceitos pelasociedade).
P
ROCESSO
– feição ambivalente/dúplice:
PURAMENTE
 
INSTRUMENTAL
 (série de atos coordenados regulados pelo direito processual,atras do qual se concretiza a prestação jurisdicional) e
SUBSTANCIAL
(processo c/ veículo de relação jurídica).-Processo(sistema/método)
ASPECTO
 
INSTRUMENTAL
-Procedimento(manifestaçãoextrínsecarealidade concreta perceptível)PROCESSOrel. juríd. materialcontinente
ASPECTO
 
SUBSTANCIAL
rel. jur. processualconteúdo (mérito)
P
ROCESSO
– 
 NATUREZA
 
JURÍDICA
: relação jurídica processual.

Activity (4)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Jucelma Ribeiro liked this
jessicasoster liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->