Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
28Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
A Igreja Neopentecostal

A Igreja Neopentecostal

Ratings: (0)|Views: 2,943 |Likes:
Published by zan washington

More info:

Published by: zan washington on Oct 13, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/08/2013

pdf

text

original

 
 A Igreja Brasileira na Pós-modernidade
O pensamento Pós-Moderno esvaziou a religião formal. Na Pós-Modernidade, areligião deixou a dimensão pública e restringiu-se à esfera privada. Na tentativa de selibertar de uma cultura religiosa com padrões morais absolutos, o indivíduo pós-moderno criou uma religiosidade interiorizada, subjetiva e sem culpa.As pessoas querem optar pela sua “preferência” religiosa sem ser importunadas por opiniões contrárias. Os cririos que orientam essas escolhas são todos íntimos esubjetivos. Semelhantemente, também não tentarão impor sua nova opção de fé aninguém. Na Igreja, o que antes era convicção, hoje é opção. Os mandamentos divinos passaram aser sugestões divinas. A igreja é orientada por aquilo que
certo e não por aquilo que
é 
certo. O pragmatismo missionário e o “novo poder” da igreja (político, econômico,tecnológico, etc) esvaziou o significado da oração e seu espaço na tarefa da igreja.Confiamos mais em nossos recursos e menos em Deus, superestimamos o poder deCésar e subestimamos o poder de Deus. As ferramentas ideológicas e tecnológicastornaram-se mais eficientes que a comunidade e a comunhão.Entendo que a versão evangélica da pós-modernidade seja o
neopentecostalismo
e seusfamigerados congêneres. O neopentecostalismo possui diversos traços de continuidadecultural com o catolicismo popular latino-americano. Continuidade que muitas vezesdesemboca em sincretismo e no reforço de práticas e concepções corporativistas. O protestantismo, por sua vez, é a religião da escrita, da educação cívica e racional.Favorece uma cultura política democrática e promove uma pedagogia da vontadeindividual.Entende-se por “protestante” ou “protestantismo” todo o conjunto de instituiçõesreligiosas surgidas em conseqüência da Reforma Religiosa do século XVI nas suas principais vertentes que são a luterana e a calvinista e que procuram manter os princípios básicos que formam o princípio protestante da liberdade: a justificação pelafé, a “sola scriptura”, o livre exame da Bíblia e o sacerdócio universal de todos oscrentes.Hoje em dia é difícil incluir entre os protestantes alguns setores do pentecostalismo e, principalmente, do neopentecostalismo brasileiro. Esta é a opinião do Dr. RicardoMariano [1] que analisou os modernos movimentos neopentecostais e segundo ele:O neopentecostalismo, o responsável pela “explosão protestante”, à medida que passa aformar sincretismos, a se autonomizar em relação à influência das matrizes religiosasnorte-americanas, a promover sucessivas acomodações sociais, a abandonar práticasascéticas e sectárias, a penetrar em novos e inusitados espaços sociais e a assumir ostatus de uma grande minoria religiosa, cada vez menos tende a representar uma rupturacom a cultura ambiente. Tende, pelo contrário, a mostrar-se menos distintivo, maisaculturado, mais vulnerável à antropofagia brasileira e, portanto, cada vez menos capazde modificar a cultura que o acolheu e na qual vem se acomodando.O neopentecostalismo, pelo contrário, provêm da cultura religiosa do catolicismo popular, corporativista e autoritário. É a religião da lábia, do engano e da corrupção. Ele
 
favorece o analfabetismo bíblico. Esta nova religiosidade evangélica é um tipo deocultismo, recheado de citações bíblicas. O Neopentecostalismo há muito deixou de ser evangélico, tornando uma outra forma de expressão religiosa, distante do pensamento protestante e reformado.Uma das rupturas mais sérias do Neopentecostalismo com o pensamento protestante, é ouso da Bíblia. No Protestantismo a Bíblia é sua
última autoridade
, não a tradição ou personalidades importantes ou mesmo a experiência espiritual, enquanto que o Neopentecostalismo enfatiza o uso mágico da Escritura. Para os neopentecostais, aBíblia é mais um oráculo a ser consultado do que a
única regra de fé e prática
.Em Brasília, um jornal local publica semanalmente um anúncio estranho: “Revela-se por Professia” (sic). A promessa por trás dessa mensagem é a solução imediata dos problemas, dos encostos e das maldições, tal como as inúmeras videntes que infestam osgrandes centros urbanos. Normalmente nestas sessões, a vidente se posta diante do pedinte com uma Bíblia aberta. A intenção é encontrar “na palavra” a solução para os problemas. Os versos bíblicos são interpretados fora de contexto, sempre na busca deuma “palavra de bênção”. No neopentecostalismo, as doutrinas bíblicas foram rejeitadas e substituídas por umfalso evangelho centralizado no homem. Boa parte da pregação neopentecostal é ummero exercício de auto-ajuda, com a intenção principal de acalmar a consciência pecaminosa com promessas de riqueza e bem-estar. Contudo, o mandamento para todosos ministros cristãos, ainda continua sendo,
 prega a palavra
(I Timóteo 4:1), em lugar disso, os pregadores se transformaram em animadores de auditório. Nossa tarefa apologética para esta era pós-moderna é restaurar a confiança na verdade.A Bíblia continua sendo a Palavra de Deus. A Bíblia é um documento inspirado darevelação divina, quer este ou aquele indivíduo receba ou não o seu testemunho.Devemos, pois, respeito e obediência à Bíblia, não por ser letra fixa e estática, mas porque, sob a orientação do Espírito Santo, essa letra é a Palavra viva do Deus vivodirigida não só ao crente individual, mas à Igreja em geral.A igreja precisa rever sua atuação, olhando para o Senhor Jesus e laando-sehumildemente de volta às Escrituras, resgatando sua identidade e o seu chamado. Seabrirmos mão da Palavra de Deus como verdade absoluta, correremos sérios riscosdiante de uma sociedade sem referenciais, mas principalmente diante de um Senhor zeloso que rege a história e têm em suas mãos todo o domínio e todo o poder.Elas ocupam um enorme espaço na televisão aberta, chegando a milhões de lares brasileiros todos os dias. As três mais conhecidas e salientes têm nomes parecidos — Igreja Universal do Reino de Deus, Igreja Internacional da Graça de Deus e IgrejaMundial do Poder de Deus. Esses nomes apontam para objetivos ousados e ambiciosos.Seus líderes máximos adotam, respectivamente, os títulos de bispo, missionário eapóstolo. Elas são o fenômeno mais recente, intrigante e explosivo do “protestantismo”tupiniquim. Trata-se das igrejas neopentecostais, denominadas por alguns estudiosos
 
“pentecostalismo autônomo”, em virtude de seus contrastes com os grupos mais antigosdesse movimento.É difícil categorizá-las adequadamente, não só por serem ainda recentes, mas porque, aolado de alguns traços comuns, também apresentam diferenças significativas entre si. AIgreja Mundial investe fortemente na cura divina. Seu apóstolo garante que ninguémrealiza mais milagres do que ele. Seu estilo é personalista e carismático. Caminha nomeio dos fiéis, deixa que as pessoas recolham o suor do seu rosto para fins terapêuticos,às vezes é ríspido com os auxiliares. O missionário da Igreja Internacional é simpático e bonachão; parece um pastor à moda antiga. É também polivalente: prega, canta, conta piadas, anuncia produtos e serviços. Controla com rédea curta o seu pequeno império.Todavia, nenhuma dessas igrejas vai tão longe na ruptura de paradigmas quanto aIURD. Dependendo do ângulo de análise, parece protestante ou católica. Seu carro-chefe é a teologia da prosperidade. Defende sem pejo a ética da sociedade de consumo.Seu líder está entrando na lista dos homens mais ricos do país.Desde o início, o cristianismo tem exibido uma grande variedade de manifestações,algumas bastante inusitadas. Foi o caso do gnosticismo e do marcionismo nos primeirosséculos, das seitas apocalípticas na Idade Média e de alguns grupos resultantes dosreavivamentos nos Estados Unidos do século 19. Porém, nenhum movimento tem sidotão pródigo em termos de quantidade e diversidade de ramificações quanto o pentecostalismo contemporâneo. No atual ambiente pluralista e inclusivista, muitosobservadores vêem nessa multiplicidade um sinal de vitalidade, de dinamismo. Todavia,há sinais preocupantes nos ensinos e práticas de certos grupos. Na célebre Confissão deFé de Westminster (1647), os puritanos ingleses colocaram a questão em termos dediferentes graus de pureza das igrejas cristãs — cap. 25.4,5 (igrejas mais puras e menos puras). Uma avaliação simpática e honesta das igrejas neopentecostais aponta paraalguns aspectos que precisam ser reconsiderados a fim de que elas se tornem genuínosinstrumentos do evangelho de Cristo.
O problema hermenêutico
Uma grave deficiência dessas novas igrejas está na maneira como interpretam a Bíblia.Os reformadores protestantes insistiram no valioso, porém arriscado, princípio do “livreexame das Escrituras”, ou seja, de que todo cristão tem o direito e o dever de ler eestudar por si mesmo a Palavra de Deus. Acontece que muitos viram nisso uma licença para a livre interpretação do texto sagrado, o que nunca esteve na mente dos líderes daReforma. Eles lutaram contra uma abordagem individualista e tendenciosa da Escritura,insistindo na adoção de princípios equilibrados de interpretação que levavam em contao sentido literal e gramatical do texto, a intenção original do autor, o contexto históricodas passagens e também a tradição exegética da igreja. Por essas razões, eles rejeitaramo antigo método de interpretação alegórica, isto é, a busca de sentidos múltiplos naEscritura, por entenderam que ela obscurecia e distorcia a mensagem bíblica.Em muitas igrejas neopentecostais nada disso é levado em consideração. A Bíblia setorna um joguete, uma peteca lançada para lá e para cá ao sabor das conveniências.Tomam-se diferentes declarações, episódios e símbolos bíblicos e, sem esforço algumde interpretação, passa-se diretamente para a aplicação, muitas vezes de uma maneiraque nada tem a ver com o propósito original da passagem. O que é ainda mais grave, ostextos bíblicos são usados de modo mágico, como se fossem amuletos ou talismãs,como se tivessem um poder imanente e intrínseco. A Bíblia é encarada prioritariamente

Activity (28)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Siqueira Assis added this note
O pastor da antiga denominação onde eu congregava vendeu a igreja para o Padre antes onde serviamos o DEUS vivo hj é adorado imagens de escultura isso pq a igrejinha humilde não tinha membro suficiente para sustentar os dízimos que o Pastor queria então optou por feicha-la e qm tiver dúvidas é só procurar saber da história aqui na Região de Pres-prudente,na cidade de Mirante do Paranapanema
Siqueira Assis added this note
Assentamento King-Meat no lote do Serjão,e me procurar também pois não estou enventando nada e se quizerem bater um papinho á repeito dos podres protestantes que eu vivenciei dentros das denominações da Assémbléia de DEUS por aí a fora é só me procurar que eu sei de vários tambm,defeito todas tem isto é fato!!!!!!!!!!!
Siqueira Assis added this note
Respeito todas as denominações e por ter sido da Assembléia missão tanto tempo sei o q e não falar,problemas existem em tds igrejas Pentecostais ou não,o que se vê nessas igrejas pentecostais é muita falta de sabedoria de certos membros que sai dando profetada por todos lados,aqui mesmo na cidade uma Assembleiana respeitada por profetiza falou q tal candidato seria eleito e ele perdeu
Siqueira Assis added this note
Meu esposo tinha o desejo de ter um carro nem q fosse um fusca e nunca conseguiamos,viviamos afundados em dívidas uma vergonha ter o nome sujo por falta de condições financeira e sendo fiel nos dízimos e ofertas,qnd a coisa apertava visitavamos a DEUS É AMOR ,hj somos felizes temos carro abrimos nosso propio negócio e somos apenas membros antes de alguem falar q estamos roubando na igreja.
Siqueira Assis added this note
Sinceridade fico horrorizada com certos argumentos sem fundamento algum.Pertençi á Assembléia de DEUS á mais de 15 anos,ministrava a palavra de DEUS,louvava seguiamos usos e costumes que nos impunha,meu esposo Presbítero e sempre fomos um casal dedicado á obra.Nossa vida era um fracasso financeiro e espiritual e meus familiares oprimidos,hj somos da mundial Deus curou minha mãe e nos prosperou
bom de mais liked this
Mauro Soares liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->