Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
161Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
NBR 11578 - Cimento Portland Composto

NBR 11578 - Cimento Portland Composto

Ratings: (0)|Views: 19,833 |Likes:
Published by pablugs

More info:

Published by: pablugs on Oct 18, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/13/2013

pdf

text

original

 
Copyright © 1990,ABNT–Associação Brasileira deNormas TécnicasPrinted in Brazil/ Impresso no BrasilTodos os direitos reservadosSede:Rio de JaneiroAv. Treze de Maio, 13 - 28º andarCEP 20003 - Caixa Postal 1680Rio de Janeiro - RJTel.: PABX (021) 210-3122Telex: (021) 34333 ABNT - BREndereço Telegráfico:NORMATÉCNICA
ABNT-AssociaçãoBrasileira deNormas Técnicas
JUL 1991
Cimento Portland composto
NBR 11578
Palavra-chave: Cimento Portland5 páginas
SUMÁRIO
1 Objetivo2 Documentos complementares3 Definições4 Condições gerais5 Condições específicas6 Inspeção7 Aceitação e rejeiçãoANEXO - Critério de conformidade
1 Objetivo
Esta Norma fixa as condições exigíveis no recebimento doscimentos Portland composto (CP II-E, CP II-Z e CP II-F), declasses 25, 32 e 40.
2 Documentos complementares
Na aplicação desta Norma é necessário consultar:NBR 5735 - Cimento Portland de alto-forno - EspecificaçãoNBR 5736 - Cimento Portland pozolânico - EspecificaçãoNBR 5741 - Cimento Portland - Extração e preparaçãode amostras - Método de ensaioNBR 5742 - Análise química de cimento Portland - Pro-cessos de arbitragem para determinação de dióxido desilício, óxido férrico, óxido de alumínio, óxido de cálcio eóxido de magnésio - Método de ensaioNBR 5743 - Análise química de cimento Portland -Determinação de perda ao fogo - Método de ensaioNBR 5744 - Análise química de cimento Portland - De-terminação de resíduo insolúvel - Método de ensaioNBR 5745 - Análise química de cimento Portland -Determinação de anidrido sulfúrico - Método de ensaioNBR 5754 - Determinação do teor de escória granuladaem cimento Portland de alto-forno - Método de ensaioNBR 5752 - Pozolanas - Determinação do índice deatividade pozolânica com cimento Portland - Método deensaioNBR 7215 - Cimento Portland - Determinação daresistência à compressão - Método de ensaioNBR 7224 - Cimento Portland e outros materiais empó - Determinação da área específica - Método de ensaioNBR 8347 - Cimento Portland pozolânico - Análise quí-mica - Método de ensaioNBR 9203 - Cimento Portland comum e clínquer - Aná-lise química por complexometria - Método de ensaioNBR 11579 - Cimento Portland - Determinação da finurapor meio da peneira 75µm (nº 200) - Método de ensaioNBR 11580 - Cimento Portland - Determinação da águada pasta de consistência normal - Método de ensaioNBR 11581 - Cimento Portland - Determinação dos tem-pos de pega - Método de ensaio
EspecificaçãoOrigem: Projeto 18:101.01-007/1991CB-18 - Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e AgregadosCE-18:101.01 - Comissão de Estudo de Especificações de CimentosNBR 11578 - Portland composite cement - SpecificationDescriptor: Portland cementReimpressão da EB-2138, de JUL 1991Incorpora Errata nº 1, de ABR 1997
 
2
NBR 11578/1991
NBR 11582 - Cimento Portland - Determina
çã
o da ex-pansibilidade de Le Chatelier - M
é
todo de ensaioNBR 11583 - Cimento Portland e mat
é
rias-primas -Determina
çã
o de anidrido carb
ô
nico (CO
2
) por gaso-metria - M
é
todo de ensaio
3 Defini
çõ
es
Para os efeitos desta Norma s
ã
o adotadas as defini
çõ
es de 3.1a 3.3.
3.1 Cimento Portland composto
Aglomerante hidr
á
ulico obtido pela moagem de cl
í
nquer Port-land ao qual se adiciona, durante a opera
çã
o, a quantidadenecess
á
ria de uma ou mais formas de sulfato de c
á
lcio. Durantea moagem
é
permitido adicionar a esta mistura materiaispozol
â
nicos, esc
ó
rias granuladas de alto-forno e/ou materiaiscarbon
á
ticos, nos teores especificados em 4.2.
3.2 Cl
í 
nquer Portland
Produto constitu
í
do em sua maior parte de silicatos de c
á
lciocom propriedades hidr
á
ulicas.
3.3 Adi
çõ
es
3.3.1 Materiais pozol
â
nicos
De acordo com a NBR 5736.
3.3.2 Esc
ó
ria granulada de alto-forno
De acordo com a NBR 5735.
3.3.3 Materiais carbon
á
ticos
Materiais finamente divididos constitu
í
dos em sua maior par-te de carbonato de c
á
lcio.
4 Condi
çõ
es gerais
4.1 Designa
çã
o
O cimento Portland composto
é
designado pelas siglas aseguir, que correspondem
à
s adi
çõ
es e
à
s suas classesde resist
ê
ncia conforme indicados na Tabela 1.Componentes (% em massa)SiglaClasse deCl
í
nquer + sulfatosEsc
ó
ria granuladaMaterialMaterialresist
ê
nciade c
á
lciode alto-fornopozol
â
nicocarbon
á
tico25CP II-E3294 - 566 - 34
 —
0 - 104025CP II-Z3294 - 76
 —
6 - 140 - 104025CP II-F3294 - 90
 —
6 - 1040
Tabela 1 - Teores dos componentes do cimento Portland composto
CP II-E - Cimento Portland composto com esc
ó
riaCP II-Z - Cimento Portland composto com pozolanaCP II-F - Cimento Portland composto com f
í
ler
Nota: As classes 25, 32 e 40 representam os m
í
nimos de re-sist
ê
ncia
à
compress
ã
o aos 28 dias de idade, em MPa(ver 5.2).
4.2 Composi
çã
o
A composi
çã
o do cimento deve estar compreendida entre oslimites fixados na Tabela 1, em rela
çã
o
à
massa total doaglomerante.
4.3 Embalagem, marca
çã
o e entrega
4.3.1
O cimento pode ser entregue em sacos, cont
ê
iner ou agranel.
4.3.2
Quando o cimento
é
entregue em sacos, estes devem terimpressos de forma bem vis
í
vel, em cada extremidade, assiglas e as classes correspondentes (CP II-E-25,CP II-E-32, CP II-E-40, CP II-Z-25, CP II-Z-32, CP II-Z-40,CP II-F-25, CP II-F-32, CP II-F-40), com 60 mm de altura nom
í
nimo e, no centro, a denomina
çã
o normalizada - nome emarca do fornecedor.
4.3.3
Os sacos devem conter 50 kg l
í
quidos de cimento edevem estar
í
ntegros na ocasi
ã
o da inspe
çã
o e do recebi-mento.
4.3.4
No caso de entrega a granel ou cont
ê
iner, a documen-ta
çã
o que acompanha a entrega deve conter a siglacorrespondente (CP II-E, CP II-Z ou CP II-F), a classe (25, 32ou 40), a denomina
çã
o normalizada - nome e marca dofornecedor - e a massa l
í
quida do cimento entregue.
4.4 Armazenamento em sacos
Os sacos de cimento devem ser armazenados em locaisbem secos e bem protegidos para preserva
çã
o da qualidade,e de forma que permita f
á
cil acesso
à
inspe
çã
o e
à
identifi-ca
çã
o de cada lote. As pilhas devem ser colocadas sobreestrados secos e n
ã
o devem conter mais de dez sacos dealtura.
 
NBR 11578/1991
3
5 Condi
çõ
es espec
í 
ficas
5.1 Exig
ê
ncias qu
í 
micas
5.1.1
 
O cimento Portland composto deve atender
à
s exig
ê
n-cias qu
í
micas indicadas na Tabela 2.
5.1.2
O material carbon
á
tico utilizado como adi
çã
o deve terno m
í
nimo 85% de CaCO
3
.
5.1.3
A esc
ó
ria de alto-forno utilizada como adi
çã
o deve aten-der aos requisitos da NBR 5735.
5.1.4
A atividade do material pozol
â
nico utilizado como adi-
çã
o, determinada conforme NBR 5752 deve ser no m
í
nimo de75% aos 28 dias de idade.
5.1.5
Nos casos em que o cimento se destine a emprego emconcretos com agregados potencialmente reativos, s
ã
onecess
á
rios estudos espec
í
ficos para o uso de materiaispozol
â
nicos ou de esc
ó
ria granulada de alto-forno para ainibi
çã
o da rea
çã
o, visando garantir a durabilidade do concreto.
5.2 Exig
ê
ncias f
í 
sicas e mec
â
nicas
5.2.1
O cimento Portland composto deve atender
à
s exig
ê
nciasindicadas nas Tabelas 3 e 4, sendo que as desta
ú
ltima apenasquando solicitadas.
Tabela 2 - Exig
ê
ncias qu
í 
micas
Limites de classe253240FinuraRes
í
duo na peneira 75µm%
12,0
12,0
10,0 
Á
rea espec
í
ficam
2
 /kg
240
260
280Tempo de in
í
cio de pegah
1
1
1Expansibilidade a quentemm
5
5
5Resist
ê
ncia3 dias de idadeMPa
8,0
10,0
15,0
à
7 dias de idadeMPa
15,0
20,0
25,0compress
ã
o28 dias de idadeMPa
25,0
32,0
40,0
Tabela 4 - Exig
ê
ncias f
í 
sicas e mec
â
nicas (facultativas)
LimitesCP II-ECP II-ZCP II-FTempo de fim de pegah
10
10
10Expansibilidade a friomm
5
5
5Teor da esc
ó
ria%6 - 34--Teor de material pozol
â
nico%-6 - 14-Teor de material carbon
á
tico%0 - 100 - 106 - 10
Tabela 3 - Exig
ê
ncias f
í 
sicas e mec
â
nicas
Determina
çõ
es qu
í
micas Limites (% da massa)CP II-ECP II-ZCP II-FRes
í
duo insol
ú
vel (RI)
2,5
16,0
2,5Perda ao fogo (PF)
6,5
Ó
xido de magn
é
sio (MgO)
6,5Tri
ó
xido de enxofre (SO
3
)
4,0Anidrido carb
ô
nico (CO
2
)
5,0Caracter
í
sticas e propriedadesUnidadeCaracter
í
sticas e propriedadesUnidade

Activity (161)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Hudson Venturim liked this
Alex Souza liked this
Tiago Tavares liked this
Tai Teixeira liked this
Rafael Savietto liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->