Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
0Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
DESCONHECIDO, Alguém - Fernando Pessoa O Homem Interminável

DESCONHECIDO, Alguém - Fernando Pessoa O Homem Interminável

Ratings: (0)|Views: 7 |Likes:
Published by Nathanrild

More info:

Published by: Nathanrild on Mar 29, 2014
Copyright:Traditional Copyright: All rights reserved

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/29/2014

pdf

text

original

 
O homeminterminável
Entreleilõespolémicosearcasporabrir,revelamosseisinéditoseahisriadolabiríntico
LivrodoDesassosseg
.FernandoPessoaesparanosinquietarfelizmente.
 
Inéditos de umoutro espólio
ESCOLHIDOS E COMENTADOS POR RICHARD ZENITH
Oconteúdodo«espólioresidual»deFernandoPessoaempoderdosseusherdeirosconsiste,sobretudo,emprojectosliterários,apontamentos,esboços,pequenostextosinaca-bados,poemasfragmentários,traduçõesemcurso(nomea-damenteumaversãoinglesade
 AInvençãodoDiaClaro
,de AlmadaNegreiros),cartasepropostascomerciais,anotaçõesastrológicaserascunhosoucópias(nemsempreiguais)deobras conhecidas, como
 The Mad Fiddler 
. As peças sãodeinestimávelinteresseparaestudiososeorganizadoresdaobra pessoana, mas não têm grande valor literário in-trínseco.oentreelaspoemasdeAlbertoCaeirooude Álvaro de Campos, por exemplo, e as prosas literáriasacabadassãoescassasegeralmentepoucoambiciosas(cons-tituindoumtrechodo
 LivrodoDesassossego
,agorareve-lado,agrandeexcepção).Esteconjuntodedocumentosé,no entanto,extremamenteimportanteparatraçarnexosepreencherlacunasnaobranotoriamentefragmentáriadeFernandoPessoa.Emparticular,oconsiderávelnúmerodeplanoseprojectosliteráriosajuda-nosapercebermelhorasintençõesdoautorquantoàorganizaçãoepublicaçãodassuasobras.Osseisdocumentosseguintes,todosinéditos,mostramseteaspectosdiferentesdomaterialqueseencontraactual-menteemcasadeManuelaNogueiraequenãoestavaincluí-donacélebrearca,segundoexplicanestasginas.osão,todavia,inteiramenterepresentativos,poismuitaspeçascomofoiditobemmaisfragmentárias,cominteresseapenasparaespecialistasdaobra. Actualizámosaortografianastranscriçõesdostextosemportuguês.
EXCURSOS
 SmallEssays,basedonthecircums-tancethat«thereisnosubject,howevewide, which may not be contained inasmalldiscourse».
1.Oversoeaprosa.2.Oorgulhoeavaidade.3.Anovelapoliciária.4.Oconceitodeprogresso.5.Aimaginação.6.(
andothersofthesort,whichcanbeveryeasily pickedupfrommymanynotesandcasualobser-vations
)7.Aimportânciasocialdaortografia.8.DepoisdeParménides.9.Apenademorte.,pois,sódoisargumentosemfavordapenademorte:dequeéumdissuadentedocrime;dequeapráticadocrime,queenvolvepenademor-te,éumestadodeguerra.Seseadmitirqueparaamedrontarélegítimoempregarqualquerprocesso,entãoverificaremosque a tortura é muito mais amedrontante queamorte,erestabeleceremosatortura.Quanto ao estado de guerra... Só a sediçãopodeassimdesignar-se,istoé,adestruiçãodoEstadocomoNação.Umasimplesrevolução,comassuasconsequências,nãoconstituitalcrime.seessarevoluçãotiverporintuitoodissolveraNação,ouentregá-laaoutra,sepodeadmitirqueossediciososfazemàNaçãoumadeclaraçãodeguerra.Ossonhos(Seusimbolismo). Aopiniãopública.Osufrágiopolítico.Notasparaumaregradevida.Esboçodeumageometriadoscoexistentesedosanti-sólidos. Amoraldaforça(Ensaiosobreamoral).Ditaduras.Fundamentosdoconservantismo. AMonarquia.
[Nos seus apontamentos e memorandos pes-soais,Pessoafrequentementerecorriaaoinglês,línguaqueassimsurgeduasvezesnesteprojectodepequenosensaiosemportuguês.Tambémlheacontecia,entusiasmadopelasideiasquelheiamocorrendo, escrever notas ou até – como aquiredigirparágrafosdealgumaobraqueacabaradeenumerarnumalista.Apropósitodapenademorte,Pessoa,quandomaisnovo,tantoplanea-raensaiosafavorcomocontra.Tambémredigiraalgumas «Notas para Uma Regra de Vida» eapontamentosparaumensaiosobre
 AMoralda Força 
,epublicara«AOpiniãoPública»em1919,narevistasidonista
 Acção
.]
Durban, July14th1904DearMan,I should not again have troubled youbyinterferinginthescholarlydis-cussionaboutHoraceandthelocaltrinity,hadnot«C.H.H.’s»eruditeretortappeared.If,byquotingProfessorWhiteandtheothercritic,hemeantoacquaintuswithhisknowledgeofcriticism,theeffortisundoubtedlyuseless,orisrenderedsoby hisappended«lessononliterarycriticism».Imay aswellremarkthattheMuses,whohavesincethemostremoteerashadtolistentopseudo-poe-ticaleffusionssuchasthoseof«C.H.H.»and«Fair-play»,arenowtoohardenedtoblushatthetrans-lationsofMr.Hillier.Again,«C.H.H.’commentson«Fairplay’s»obscurityareexceedinglyunfair, whenweconsiderthat«Fairplay»mustbeanad-mirerofRobertBrowningandnonsense.Lastly,Ibegleavetostatethat«C.H.H.’s»assertion,basedonthecriticismhequotes,thatexactrhimeisnotanessentialtoarhimedpoemisunfortunatelundeservingofthefashionablenameofparadox.
12
revista
 LER (
 ??????? 2009 )
 00
 
 As to the line lacking in syllables, I am willingtothinkthatbutanexampleof«Fairplay’[…].Durban,14deJulhode1904CaroMan,Nãoteriavoltadoaincomodá-locomaminhain-tervençãonadoutadiscussãosobreHorácioeatrin-dadelocal,nãoforatersurgidoarespostaeruditade«C.H.H.».Se,aocitaroProfessorWhiteeooutrocrí-tico,elepretendiapôr-nosaocorrentedoseuconhe-cimentodacrítica,esseesforçoésemdúvidainútil,outornadoinútilpelasua«liçãodecríticaliterária»emapenso.JáagorafaçonotarqueasMusas,obriga-dasaescutardesdeaserasmaisremotasefusõespseudopoéticascomoasde«C.H.Hede«Fairplay», jáestãodemasiadoendurecidasparacorarcomastraduçõesdoSr.Hillier.Maisumavez,oscomentá-riosde«C.H.Hsobreaininteligibilidadede«Fair-play»sãoextremamenteinjustos,tendoemcontaque«Fairplay»deveserumadmiradordeRobertBrow-ningededisparates.Porúltimo,peçolicençaparadeclararqueaafirmaçãode«C.H.H.»,baseadanacrí-ticaqueestecita,dequearimaexactaoéalgoessencialparaumpoemarimado,desmerece,infe-lizmente,daelegantedesignaçãodeparadoxo.Quan-toàlinhaaquefaltamsílabas,inclino-meapensarquebastaumexemplodo[...]de«Fairplay»[…].
TraduçãodeManuelaRocha
[Em9deJulhode1904,FernandoPessoa,utilizan-doonomedeC.R.Anon,participounumapolémi-caespirituosaaprositodatraduçãodeumaodehoracianarealizadaporumtalSr.Hillierepu-blicadaem
TheNatalMercury 
,numacolunado jornalintitulada«ManintheMoon».CharlesRo-bertAnon,oprimeiropré-heterónimocomumaobraderelevo,enviouaojornalumacarta,junta-mentecomoitoversosmordazes(acartaeosver-sosforamtranscritosporH.D.Jenningsnoseu
OsDoisExílios 
,Porto,1984).Apresentecarta,setivessesidoterminadaeenviada,teriaprolonga-doasuaparticipaçãonaanimadadiscussãoprota-gonizadaporHillier,C.H.H.(iniciaisdoDr.Haggar,directordaCommercialSchool,frequentadaporPessoaem1902-1903)eporalguémqueassina-va«Fairplay».Note-seoinglêsexímiodacarta.]
THEBOOK I entered a bookshop. I set aboutcountingthebookstherearetoreadandtheyearsIamlikelytolive.Theyarenotenough:Iwon’tlasthalfthebookshop.Surelythereareotherwaysofbeingsaved;ifnotthenIamlost.Meanwhileallthepeoplewhoenteredthebook-shopwereallverywelldressed[...]._____IboughtabookofPhilosophy.Ph[
ilosophy
]isthesciencethatdealswith1life;itwasjustwhatIwanted–toputscienceintomylife.Ireadthebookofphilosophy;Igotnothingbyit,Mother,Igotnothing.Theytellme2thatitwasnecessarytobealready aninitiate;nowIhaveonlyoneinitiation,whichisthis one of having been placed in this world inGod’simageandresemblance.Isn’tthatenough?1 Var.:
treatsof 
.2 Var.:
 Iwastold 
.OLIVRO
 [OriginaldeAlmadaNegreiros] 
Entreinumalivraria.Pus-meacontaroslivrosqueháparalereosanosquetereidevida.Nãochegam,nãoduronemparametadedalivraria.Devecertamentehaveroutrasmaneirasdesesalvarumapessoa,senãoestouperdido.Noentanto,aspessoasqueentravamnalivrariaestavamtodasmuitobemvestidasdequempreci-sasalvar-se._____Compreiumlivrodefilosofia.Filosofiaéaciên-ciaquetratadavida;erajustamentedoqueeunecessitavapôrciêncianaminhavida.Liolivrodefilosofia,nãoganheinada,Mãe!nãoganheinada.Disseram-mequeeranecessárioestarini-ciado,oraeusótenhoumainiciação,éestadetersidopostonestemundoàimagemesemelhançadeDeus.Nãobasta?
Umaarca,ouarcas,semsossego:conversacomManuelaNogueira
Aolongodoanopassadoforampublicadasmuitasnotíciasacercada«outraarca»deFer-nandoPessoa,aindaempoderdosherdeirosdoescritor.Ametáforarefere-seaospapéisdePessoaqueficaramcomasuairmãHenri-quetaMadalenaNogueiraRosaDias,transitan-dodepoisparaosdoisfilhosdesta,apesardeem1979oEstadotercompradooconteúdodaarca,hojenaBibliotecaNacional.Aexistênciadessespapéisnãoeranenhumsegredo,poisafamíliadeixavaqueosinvestigadoresconsul-tassemomaterialepublicassemdocumentospertinentes.Porém,ofactodeosdoisúnicossobrinhosdePessoa–ManuelaNogueiraeLuísMiguelRosaDiasteremprocedidoàvendadealgunsoriginais,juntamentecomlivroserevis-tasqueeramdopoeta,provocoureacçõesdeprotestoeatéalegaçõesdequeafamíliaque-riavenderaquiloquejáforavendido,em1979.ManuelaNogueira,elaprópriaumaautoracommuitostítulos,lembra-sedelaquandoain-daviviamnaRuaCoelhodaRocha,nostemposdasuainfância,erecorda-adepoisdamudan-ça da família, por volta de 1943-1944, paraaRuadasPras,àLapa,ondecomeçaramaaparecer os primeiros investigadores. Maistardeospais,semprecomaarca,mudaram-separaaAvenidadaRepública.«Aminhamãeconsideravaqueaarcaeraaqueencerravaaobradoirmão.Estavacheiadeenvelopessina-lizandooquecontinham.Ela,quenãoeraumaestudiosadasuaobra,achavaqueoFernandonãotinhaincluídonaarcaoutrospapéisporquenãoestavampreparadosouacabados.Essaopiniãopodepareceringénuahoje,nãosei,maseraisso:julgavaquePessoa,senãoguardououtrosdocumentosnaarca,erapornãointe-ressaremparaasuaobraQuantoaodossiêPessoa-Crowleyquein-cluitodaacorresponnciaentreopoetaeomagoeoutraspessoasenvolvidasnocaso,bemcomoanovela
TheMouthofHell 
,deixadaina-cabada–asobrinhaafirmaque,tantoquantosabe,nuncaestevenaarca.Ficavaguardadonumaestantedoescritóriodopai,«juntamen-tecomlivrossobreastrologiaetemasesotéri-co.Eamãe,depoisdeenviuvar,preferiaigno-rarodossiê.SabiaqueCrowley,naquelaaltura,«nãoeravistocombonsolhospelamaioriadaspessoasecertamentenãotinhamuitavonta-dequeligassemonomedomeutioaCrowle.FoiumirmãodePessoa,LuísRosa(1900--1975),quem,aoqueparece,terácontactadocomumaououtrauniversidadeestrangeira,
3
44

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->