Welcome to Scribd. Sign in or start your free trial to enjoy unlimited e-books, audiobooks & documents.Find out more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
0Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Coletânea de preces - prece por criança recem nascida, 01 04 2014.docx

Coletânea de preces - prece por criança recem nascida, 01 04 2014.docx

Ratings: (0)|Views: 6|Likes:
Published by Fernandes Martinho

More info:

Published by: Fernandes Martinho on Apr 01, 2014
Copyright:Traditional Copyright: All rights reserved

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/01/2014

pdf

text

original

 
 
1
 
Coletânea de preces,
Joana d‟Arc, 01/ 04/ 2014.
 
Tema: Prece por criança que acaba de nascer. Fonte: Evangelho segundo o Espiritismo, XXVIII: itens, 53 a 56.
Por uma criança que acaba te nascer
53. PREFÁCIO. Somente depois de terem passado pelas provas da vida corpórea, chegam à perfeição os Espíritos. Os que se encontram na erraticidade aguardam que Deus lhes permita volver a uma existência que lhes proporcione meios de progredir, quer pela expiação de suas faltas passadas, mediante as vicissitudes a que fiquem sujeito quer desempenhando uma missão proveitosa para a Humanidade. O seu adiantamento e a sua felicidade futura serão proporcionados à maneira por que empreguem o tempo que hajam de estar na Terra. O encargo de lhes guiar os primeiros passos e de os encaminhar para o bem cabe a seus pais, que responderão perante Deus pelo desempenho que derem a esse mandato. Para lhos facilitar, foi que Deus fez do amor paterno e do amor filial uma lei da Natureza, lei que  jamais se transgrede impunemente. *** 54. Prece. (Para ser dita pelos pais) - Espírito que encarnaste no corpo do nosso filho sê bem-vindo. Sê bendito, ó Deus Onipotente, que no-lo mandaste. É um depósito que nos foi confiado e do qual teremos um dia de prestar contas. Se ele pertence à nova geração de Espíritos bons que hão de povoar a Terra, obrigado, ó meu Deus, por essa graça! Se é uma alma imperfeita, corre-nos o dever de ajudá-lo a progredir na senda do bem, pelos nossos conselhos e bons exemplos. Se cair no mal, por culpa nossa, responderemos por isso, visto que, então, teremos falido em nossa missão junto dele. Senhor ampara-nos em nossa tarefa e dá-nos a força e a vontade de cumpri-la. Se este filho nos vem como provação para os nossos Espíritos, faça-se a tua vontade! Bons Espíritos que presidistes ao seu nascimento e que tendes de acompanhá-lo no curso de sua existência, não o abandoneis. Afastai dele os maus Espíritos que tentem orientá-lo para o mal. Dai-lhe forças para lhes resistir às sugestões e coragem para sofrer com paciência e resignação as provas que o esperam na Terra. (Cap. XIV, n° 9.) *** 55. (Outra)- Meu Deus confiaste-me a sorte de um dos teus Espíritos; faze, Senhor, que eu seja digno do encargo que me impuseste. Concede-me a tua proteção. Ilumina a minha inteligência, a fim de que eu possa perceber desde cedo as tendências daquele que me compete preparar para ascender à tua paz. *** 56. (Outra)- Deus de bondade, pois que te aprouve permitir que o Espírito desta criança viesse de novo sofrer as provas terrenas, destinadas a fazê-lo progredir, dá-lhe luz, a fim de que aprenda a conhecer-te, amar-te e adorar-te. Faze, pela tua onipotência, que esta alma se regenere na fonte das tuas sábias instruções; que, sob a égide do seu anjo guardião, a sua inteligência se desenvolva e amplie e o leve a ter por aspiração aproximar-se cada vez mais de ti; que a ciência do Espiritismo seja a luz brilhante que o ilumine através dos escolhos da vida; que ele, enfim, saiba apreciar toda a extensão do teu amor, que nos põe em prova, para purificar-nos. Senhor lança paterno olhar sobre a família a que confiaste esta alma, para que ela compreenda a importância da sua missão e faça que germinem nesta criança as boas sementes, até ao dia em que ela possa, por suas próprias aspirações, elevar-se sozinha para ti. Digna-te, ó meu Deus, de atender a esta humilde prece, em nome e pelos merecimentos d
 Aquele que disse:
“Deixai venham a mim as criancinhas, porquanto o reino dos céus é para os que se lhes assemelham”.
 
************************************** ****************************************
 
 
2
 
PONDERAÇÕES: Todos os povos no desenvolvimento de suas civilizações tendo no amago de seus seres a consciência e a intuição de não serem só viventes de corpo material, mas com sentimento de algo de sobrevivência ao corpo carnal, desde então Deus aos poucos foi se revelando ao homem sua Existência e de que o homem é Sua Criação. Embora após revelações a nós dadas através dos tempos, o homem acredita sim, que sua alma é imortal, mas muitos não aceitem reencarnação dos espíritos deduzindo que todos nós somos espíritos criados ao nascer, portanto novos acabados de sair novos em folha das mãos do Nosso Criador, essa dedução não condiz com a realidade de que somos diferentes uns aos outros em dons, vocações, intuições, logica, ética e moral, assim como tendências sociais diferentes sendo uns egoístas, uns caridosos, uns benevolentes, uns altruístas, uns fraternos, uns solidários, uns tolerantes, compreensivas, pacientes, outros agressivos, intolerantes, explosivos, Et Cetera.  Agora vejamos por outro lado que nossos filhos são Espíritos, e que viveram antes e que trazem consigo os méritos ou iméritos de seu passado, que são evoluídos ou atrasados, que têm afinidades ou afeições conosco ou não, que nos amam ou que procuram nascer entre nós para receber nossa paz caso tiveram desavenças noutra vida conosco ou vice-versa se for o caso, se nos procuram por nos amar e que como se fossem almas afins com afeição a nós para ajudarmos umas às outras do jeito de uma mão lava a outra e que desse contrato progridem juntas ou em grupos familiares afins, pois o progresso é necessário à nossa felicidade, pois uma pessoa sozinha a querer só para si a felicidade é egoísmo e sozinha não consegue evoluir sendo sempre a mesma em estado estagnaria, daí o amarmos uns aos outros desde o átomo até ao Anjo Puro na ascensão espiritual para Deus.
O Espiritismo entende que Deus nos criou ou cria „simples e ignorante
s
‟, com o germe
da vontade, da intuição e da fé plantado em nós afim-de crescermos espiritualmente, de progredir e de evoluir nos oferecendo todas as condições nos meios ambientes em que somos colocados segundo nossos méritos, nossas necessidades e... Ascendemos com ajuda de Sua presença Seu conhecimento e Suas leis para nosso crescimento moral e espiritual, numa condição que Deus nos pede: que amemos uns aos outros, que ajudemos uns aos outros desejando aos outros o que desejamos para nós. Daí a necessidade de continuação de geração, daí a necessidade de termos filhos, daí a necessidade de os amarmos e ajudarmos, sendo que é: como hoje a mim amanhã a ti, pois se um filho tiver progresso pela ajuda dos pais ele poderá oportunamente também ajudar seus pais no futuro e assim vai, ninguém sai perdendo, nada se perde todos devem fazer todo o possível como se fosse a/para Deus e Deus nos paga conforme nosso merecimento,
„A
 cada um segundo suas obras
,
(Mateus, XVI: 27)
 não só entre pais e filhos, mas também vale para esposas que ajudam marido sem recompensa assim como marido ajudando esposa sem recompensa, mesmo sendo um dos dois perdendo para o outro no final Deus sempre recompensa, todos os esforços a favor do próximo ou aos filhos deve ser como a servir Deus, pois nesta vida difícil há pais que dão tudo aos filhos e não recebem nada de volta e ainda por cima com filhos resmungando que não pediram para vir ao mundo não pediram para nascer, certo que são ingratos, mas não devemos esperar que Deus nos dê ao mundo só espíritos dotados e evoluídos, Deus nos dá conforme Ele vê a necessidade, seja do espírito que precisa reencarnar ou dos pais que o vão aceitar, às vezes merecemos filhos bons e Deus nos dá filhos difíceis, mas é porque Deus nos pede esse favor como uma missão, daí a necessidade de agradecer a Deus seja que grau espiritual for que Deus nos dê um filho, aceitemos sem resmungar e não dizer: que mal eu fiz para merecer um filho difícil, pois é, porém a vida é sempre gerando amor uns pelos outros: o maior seja em valores morais, seja em valores de conhecimento, seja em valores espirituais seja vosso servo
(João, XX: 26-27)
 e Deus é o Servo de todos e abundantemente nos ama e
:
Nem ocorreu ao coração do homem as coisas que Deus tem reservado para os que O amam
, (I Corinthians, II: 9).
******************************  Apreciemos como sugerido no Evangelho segundo o Espiritismo o item 9 do capitulo, XIV, como um apoio ao estudo de hoje, estes valorosos pontos de explicação dado pelo espirito Santo Agostinho em Paris no ano 1862:
INSTRUÇÕES DOS ESPÍRITOS
 A ingratidão dos filhos e os laços de família
 
 
3
 
9. A ingratidão é um dos frutos mais diretos do egoísmo. Revolta sempre os corações honestos. Mas, a dos filhos para com os pais apresenta caráter ainda mais odioso. E, em particular, desse ponto de vista que a vamos considerar, para lhe analisar as causas e os efeitos. Também nesse caso, como em todos os outros, o Espiritismo projeta luz sobre um dos grandes problemas do coração humano. Quando deixa a Terra, o Espírito leva consigo as paixões ou as virtudes inerentes à sua natureza e se aperfeiçoa no espaço, ou permanece estacionário, até que deseje receber a luz. Muitos, portanto, se vão cheios de ódios violentos e de insaciados desejos de vingança; a alguns dentre eles, porém, mais adiantados do que os outros, é dado entrevejam uma partícula da verdade; apreciam então as funestas consequências de suas paixões e são induzidos a tomar resoluções boas. Compreendem que, para chegarem a Deus, lima só é a senha: caridade. Ora, não há caridade sem esquecimento dos ultrajes e das injúrias; não há caridade sem perdão, nem com o coração tomado de ódio. Então, mediante inaudito esforço, conseguem tais Espíritos observar os a quem eles odiaram na Terra. Ao vê-los, porém, a animosidade se lhes desperta no íntimo; revoltam-se à ideia de perdoar, e, ainda mais, à de abdicarem de si mesmos, sobretudo à de amarem os que lhes destruíram, quiçá, os haveres, a honra, a família. Entretanto, abalado fica o coração desses infelizes. Eles hesitam, vacilam, agitados por sentimentos contrários. Se predomina a boa resolução, oram a Deus, imploram aos bons Espíritos que lhes deem forças, no momento mais decisivo da prova. Por fim, após anos de meditações e preces, o Espírito se aproveita de um corpo em preparo na família daquele a quem detestou, e pede aos Espíritos incumbidos de transmitir as ordens superiores permissão para ir preencher na Terra os destinos daquele corpo que acaba de formar-se. Qual será o seu procedimento na família escolhida? Dependerá da sua maior ou menor persistência nas boas resoluções que tomou. O incessante contato com seres a quem odiou constitui prova terrível, sob a qual não raro sucumbe, se não tem ainda bastante forte a vontade. Assim, conforme prevaleça ou não a resolução boa, ele será o amigo ou inimigo daqueles entre os quais foi chamado a Viver. E como se explicam esses ódios, essas repulsões instintivas que se notam da parte de certas crianças e que parecem injustificáveis. Nada, com efeito, naquela existência há podido provocar semelhante antipatia; para se lhe apreender a causa, necessário se torna volver o olhar ao passado. Ó espíritas! Compreendei agora o grande papel da Humanidade; compreendei que, quando produzis um corpo, a alma que nele encarna vem do espaço para progredir; inteirai-vos dos vossos deveres e ponde todo o vosso amor em aproximar de Deus essa alma; tal a missão que vos está confiada e cuja recompensa recebereis, se fielmente a cumprirdes. Os vossos cuidados e a educação que lhe dareis auxiliarão o seu aperfeiçoamento e o seu bem estar futuro. Lembrai-vos de que a cada pai e a cada mãe perguntará Deus: Que fizestes do filho confiado à vossa guarda? Se por culpa Vossa ele se conservou atrasado, tereis como castigo vê-lo entre os Espíritos sofredores, quando de vós dependia que fosse ditoso. Então, vós mesmos, assediados de remorsos, pedireis vos seja concedido reparar a vossa falta; solicitareis, para vós e para ele, outra encarnação em que o cerqueis de melhores cuidados e em que ele, cheio de reconhecimento, vos retribuirá com o seu amor. Não escorraceis, pois, a criancinha que repele sua mãe, nem a que vos paga com a ingratidão; não foi o acaso que a fez assim e que vo-la deu. Imperfeita intuição do passado se revela, do qual podeis deduzir que um ou outro já odiou muito, ou foi muito ofendido; que um ou outro veio para perdoar ou para expiar. Mães! Abraçai o filho que vos dá desgostos e dizei convosco mesmas: Um de nós dois é culpado. Fazei-vos merecedoras dos gozos divinos que Deus conjugou à maternidade, ensinando aos vossos filhos que eles estão na Terra para se aperfeiçoar, amar e bendizer. Mas oh! Muitas dentre vós, em vez de eliminar por meio da educação os maus princípios inatos de existências anteriores, entretêm e desenvolvem esses princípios, por uma culposa fraqueza, ou por descuido, e, mais tarde, o vosso coração, ulcerado pela ingratidão dos vossos filhos, será para vós, já nesta vida, um começo de expiação.  A tarefa não é tão difícil quanto vos possa parecer. Não exige o saber do mundo. Podem desempenhá-la assim o ignorante como o sábio, e o Espiritismo lhe facilita o desempenho, dando a conhecer a causa das imperfeições da alma humana. Desde pequenina, a criança manifesta os instintos bons ou maus que traz da sua existência anterior.  A estudá-los devem os pais aplicar-se. Todos os males se originam do egoísmo e do orgulho. Espreitem, pois, os pais os menores indícios reveladores do gérmen de tais vícios e cuidem de combatê-los, sem esperar que lancem raízes profundas. Façam como o bom jardineiro, que corta os rebentos defeituosos à

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->