Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword or section
Like this
73Activity
×
P. 1
Avaliação Dialógica

Avaliação Dialógica

Ratings: (0)|Views: 19,471|Likes:
Published by melsmoeira

More info:

Published by: melsmoeira on Nov 04, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

02/08/2014

pdf

text

original

 
 
AVALIAÇÃO DIALÓGICADesafios e Perspectivas
1
 
JOSÉ EUSTÁQUIO ROMÃO
1998
1
Publicado sob o mesmo título pela Editora Cortez, em São Paulo, em 1998 (1.ª edição), 1999 (2.ª edição),2001 (3.ª edição), 2002 (4.ª edição) e 2003 (5.ª edição, ampliada com um Posfácio).
 
 2
 SUMÁRIO
Apresentação.................................................................................................. 03Introdução....................................................................................................... 06Parte I - A Ideologia na Educação e na Avaliação.......................................... 13Capítulo I - Ciência e Ideologia.................................................................. 141. Ciência e Ideologia na Perspectiva Positivista................................. 142. Ciência e Ideologia na Perspectiva Dialética.................................... 16Capítulo II - Educação e Ideologia ............................................................ 22Capítulo III - Avaliação e Ideologia............................................................ 26Parte II - Avaliação da Aprendizagem............................................................. 33Capítulo I - O que é Avaliação................................................................... 341. Considerações Preliminares............................................................. 342. A Escola e as Concepções de Avaliação.......................................... 39Capítulo II - Medida e Avaliação................................................................ 441. Medida.............................................................................................. 452. Avaliação........................................................................................... 53Parte III - Avaliação Dialógica......................................................................... 57Capítulo I - Concepção da Avaliação Dialógica......................................... 58Capítulo II - As Virtudes do “Erro”.............................................................. 61Capítulo III - Etapas da Avaliação Dialógica.............................................. 691. Identificação do que vai ser avaliado................................................ 702. Construção, negociação e estabelecimento de padrões.................. 743. Construção dos instrumentos de Medida e de Avaliação................. 764. Procedimento da Medida e da Avaliação.......................................... 785. Análise dos resultados...................................................................... 79Capítulo IV - Conselhos de Classe e Avaliação (uma experiência)........... 82Observações Finais......................................................................................... 91Referências Bibliográficas.............................................................................. 94
 
 
 3
 APRESENTAÇÃO
Em 1984, trabalhando na Secretaria Municipal de Educação de Juiz deFora, percebemos que as maiores dificuldades apresentadas pelos professoresda rede acabavam por esbarrar nos problemas da avaliação da aprendizagemde seus alunos.Levantamentos, estudos e pesquisas revelaram, em avaliações externasàs escolas, que tanto havia egressos de série ou de grau sem a menor condiçãoda certificação recebida, como havia alunos reprovados em perfeitas condiçõesde enfrentar a série subseqüente ou, até mesmo, de concluir seu grau.Imediatamente, os membros da equipe técnica levantavam uma série dehipóteses, que variavam das mais simplistas, baseadas na condescendência ouna exigência prepotente dos diversos professores, até as mais complexas,fundamentadas nas teorias econômicas, sociais, culturais ou pedagógicas maissofisticadas.À época, desenvolvia-se, em algumas escolas da municipalidade, oProjeto "Interação entre Educação Básica e Contextos Culturais Específicos"
2
,numa articulação da Secretaria Municipal de Educação com a Secretaria deCultura do Ministério da Educação. Nas “escolas do Projeto", o registro dosresultados das verificações de aprendizagem apresentava médias acima dasdemais escolas. Travou-se então uma polêmica: de um lado, os defensores do“Projeto Interação...” atribuíam o sucesso dos alunos às inovações por eleintroduzidas no desenvolvimento das atividades escolares; de outro, os que delenão participavam, a ele debitavam uma certa "facilitação", que falsificava osresultados reais.Provocado por toda essa situação, mas sem qualquer pretensão deoferecer trabalho original, mas apenas uma síntese da literatura até entãoproduzida sobre o tema, propusemo-nos a condensar os estudos especializadosdisponíveis e, ao mesmo tempo, sistematizar experiências que vivenciáramosanteriormente, na qualidade de professor de 1.º grau, em várias escolas
3
. Daíresultou o
Manual de Subsídios; Avaliação Qualitativa 
(ROMÃO, 1984).Não era a primeira vez, nem seria certamente a última, que nosdefrontávamos com uma tensa situação que afetava especialistas, professores,alunos e pais, em decorrência da centralidade da avaliação da aprendizagem no
2Uma avaliação sobre o desenvolvimento deste projeto no Brasil está contido na publicação doMinC/IPHAN (1996).3A maior parte das experiências mais inovadoras, porém, vivenciamo-las nos Colégios Vital Brasil (Juizde Fora) e Wellington (São Paulo), cujos diretores, respectivamente, Professor Antônio Detoni Filho eProfessor Wellington Moraes Folster abriram espaço para que elas acontecessem. A eles, registro meureconhecimento, extensivo a todos quantos puderam compartilhar de nossas "audácias realistas" no campoda avaliação do rendimento escolar.

Activity (73)

You've already reviewed this. Edit your review.
Karine Nafaelly liked this
1 thousand reads
1 hundred reads
ritap_34 liked this
Dinha Rose liked this
Tania Silveira liked this
Marcia Bispo liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->