Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
95Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
NBR 9077 - Saídas de Emergência em Edifícios

NBR 9077 - Saídas de Emergência em Edifícios

Ratings: (0)|Views: 13,541 |Likes:
Published by prvieira
NBR 9077 - Norma Regulamentação da ABNT que trata das Saídas de Emergência em Edifícios.
NBR 9077 - Norma Regulamentação da ABNT que trata das Saídas de Emergência em Edifícios.

More info:

Published by: prvieira on Nov 06, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/29/2013

pdf

text

original

 
Sede:Rio de JaneiroAv. Treze de Maio, 13 / 28º andarCEP 20003-900 – Caixa Postal 1680Rio de Janeiro – RJTel.: PABX (21) 210-3122Fax: (21) 220-1762/220-6436Endereço eletrônico:www.abnt.org.br
ABNT – AssociaçãoBrasileira deNormas Técnicas
Copyright © 2001ABNT–Associação Brasileirade Normas TécnicasPrinted in Brazil/ Impresso no BrasilTodos os direitos reservados
DEZ 2001
NBR 9077Saídas de emergência em edifícios
Origem: Projeto de Emenda NBR 9077:2001ABNT/CB-02 - Comitê Brasileiro de Construção CivilCE-02:002.012 - Comissão de Estudo de Emergência em EdifíciosNBR 9077 - Buildings - Emergency exits - ProcedureDescriptors: Emergency exits. Buildings. FireEsta Emenda complementa a NBR 9077:1993Válida a partir de 30.01.2002Palavras-chave:Saída de emerncia. Edicios. Incêndio1 página
Esta
Emenda nº 1 de DEZ 2001
, em conjunto com a NBR 9077:1993, equivale à NBR 9077:2001.Esta
Emenda nº 1 de DEZ 2001
tem por objetivo alterar a NBR 9077:1993 no seguinte:- Excluir da seção 2 o seguinte:NBR 5627 - Exigências particulares das obras de concreto armado e protendido em relação à resistência ao fogo -Procedimento.- Incluir na seção 2 o seguinte:Eurocode 2 - Design of concrete structures Part 1.2 General rules - Structural fire design.- Alterar a seção 4.5.2.6 como a seguir:“a) sua estrutura seja de concreto armado ou protendido, calculado e executado conforme as prescrições doEurocode 2 - Design of concrete structures Part 1.2 General rules - Structural fire design, para aqueles casos emque seja necessária a verificação do projeto em condições de incêndio”.
 _________________ 
Licença de uso exclusivo para ABCCópia impressa pelo sistema CENWin em 27/12/2001
 
Copyright © 1990,ABNT–Associação Brasileira deNormas TécnicasPrinted in Brazil/ Impresso no BrasilTodos os direitos reservadosSede:Rio de JaneiroAv. Treze de Maio, 13 - 28º andarCEP 20003-900 - Caixa Postal 1680Rio de Janeiro - RJTel.: PABX (021) 210-3122Fax: (021) 220-1762/220-6436Endereço Telegráfico:NORMATÉCNICA
ABNT-AssociaçãoBrasileira deNormas Técnicas
NBR 9077
MAIO 1993
Saídas de emergência em edifícios
Palavras-chave:Saída de emergência. Edifícios. Incêndio35 páginasOrigem: Projeto NB-208/1992CB-02 - Comitê Brasileiro de Construção CivilCE-02:002.012 - Comissão de Estudo de Saídas de Emergência em EdifíciosNBR 9077 - Buildings - Emergency exits - ProcedureDescriptors: Emergency exits. Buildings. FireEsta Norma substitui a NBR 9077/1985Válida a partir de 30.06.1993Incorpora Errata nº 1 de FEV 1999Procedimento
SUMÁRIO
1 Objetivo2 Documentos complementares3 Definições4 Condições gerais5 Condições específicasANEXO - TabelasÍndice alfabético
1 Objetivo
1.1
Esta Norma fixa as condições exigíveis que as edifica-ções devem possuir:a)a fim de que sua população possa abandoná-las,em caso de incêndio, completamente protegidaem sua integridade física;b)para permitir o fácil acesso de auxílio externo (bom-beiros) para o combate ao fogo e a retiradada população.
1.2
Os objetivos previstos em 1.1 devem ser atingidos pro- jetando-se:a)as saídas comuns das edificações para que pos-sam servir como saídas de emergência;b)as saídas de emergência, quando exigidas.
1.3
Esta Norma se aplica a todas as edificações, classi-ficadas quanto à sua ocupação, constantes na Tabela 1do Anexo, independentemente de suas alturas, dimen-sões em planta ou características construtivas.
1.4
Esta Norma fixa requisitos para edifícios novos, po-dendo, entretanto, servir como exemplo de situação idealque deve ser buscada em adaptações de edificações emuso, consideradas suas devidas limitações.
2 Documentos complementares
Na aplicação desta Norma é necessário consultar:Lei Federal nº 4591, de 16 de dezembro de 1964NBR 5413 - Iluminâncias de interiores - Procedi-mentoNBR 5627 - Exigências particulares das obras de con-creto armado e protendido em relação à resistênciaao fogo - ProcedimentoNBR 8132 - Chaminés para tiragem dos gases decombustão de aquecedores a gás - ProcedimentoNBR 9050 - Adequação das edificações e do mobiliá-rio urbano à pessoa deficiente - ProcedimentoNBR 9441 - Execução de sistemas de detecção ealarme de incêndio - ProcedimentoNBR 9442 - Materiais de construção - Determinaçãodo índice de propagação superficial de chama pelométodo do painel radiante - Método de ensaio
Licença de uso exclusivo para ABCCópia impressa pelo sistema CENWin em 27/12/2001
 
2NBR 9077/1993
NBR 10636 - Paredes e divisórias sem função estru-tural - Determinação da resistência ao fogo - Métodode ensaioNBR 10897 - Proteção contra incêndio por chuveiroautomático - ProcedimentoNBR 10898 - Sistema de iluminação de emergência- ProcedimentoNBR 11742 - Porta corta-fogo para saídas de emer-gência - EspecificaçãoNBR 11785 - Barra antipânico - EspecificaçãoBS-5588/4 - Code of practice for fire precautions inthe design of buildings - Smoke control in protectedescape routes using pressurization
3 Definições
Para os efeitos desta Norma são adotadas as definiçõesde 3.1 a 3.55.
3.1 Abertura desprotegida
Porta, janela ou qualquer outra abertura não dotada de ve-dação com o exigido índice de proteção ao fogo, ou qual-quer parte da parede externa da edificação com índice deresistência ao fogo menor que o exigido para a face ex-posta da edificação.
3.2 Acesso
Caminho a ser percorrido pelos usuários do pavimento,constituindo a rota de saída horizontal, para alcançar a es-cada ou rampa, área de refúgio ou descarga. Os acessospodem ser constituídos por corredores, passagens, vestí-bulos, balcões, varandas e terraços.
3.3 Alçapão de alívio de fumaça (AAF) ou alçapão detiragem
Abertura horizontal localizada na parte mais elevada dacobertura de uma edificação ou de parte desta, que, emcaso de incêndio, pode ser aberta manual ou automatica-mente, para deixar a fumaça escapar.
3.4 Altura da edificação ou altura descendente
Medida em metros entre o ponto que caracteriza a saídaao nível de descarga, sob a projeção do paramento exter-no da parede do prédio, ao ponto mais alto do piso doúltimo pavimento, não considerando pavimentos superio-res destinados exclusivamente a casas de máquinas, cai-xas d’água, e outros.
3.5 Altura ascendente
Medida em metros entre o ponto que caracteriza a saídaao nível da descarga, sob a projeção do paramento exter-no da parede da edificação, ao ponto mais baixo do níveldo piso do pavimento mais baixo da edificação (subsolo).
3.6 Antecâmara
Recinto que antecede a caixa da escada, com ventilaçãonatural garantida por janela para o exterior, por dutos deentrada e saída de ar ou por ventilação forçada (pressu-rização).
3.7 Área de pavimento
Medida em metros quadrados, em qualquer pavimento deuma edificação, do espaço compreendido pelo perímetrointerno das paredes externas e paredes corta-fogo, e ex-cluindo a área de antecâmaras, e dos recintos fachadosde escadas e rampas.
3.8 Área do maior pavimento
Área do maior pavimento da edificação, excluindo o dadescarga.
3.9 Balcão ou sacada
Parte de pavimento da edificação em balanço em relaçãoà parede externa do prédio, tendo, pelo menos, uma faceaberta para o espaço livre exterior.
3.10 Bocel ou nariz do degrau
Borda saliente do degrau sobre o espelho, arredondadainferiormente ou não.
Nota:Se o degrau não possui bocel, a linha de concorrência dosplanos do degrau e do espelho, neste caso obrigatoria-mente inclinada, chama-se quina do degrau; a saliênciado bocel ou da quina sobre o degrau imediatamente infe-rior não pode ser menor que 15 mm em projeção horizon-tal.
3.11 Carga-incêndio, carga térmica ou cargacombustível de uma edificação
Conteúdo combustível de uma edificação ou de parte de-la, expresso em termos de massa média de materiais com-bustíveis por unidade de área, pelo qual é calculada a li-beração de calor baseada no valor calorífico dos mate-riais, incluindo móveis e seu conteúdo, divisórias, acaba-mento de pisos, paredes e forros, tapetes, cortinas, e ou-tros. A carga combustível é expressa em MJ/m
2
, oukg/m
2
, correspondendo à quantidade de madeira (kg demadeira por m
2
) que emite a mesma quantidade de calorque a combustão total dos materiais considerados nasdependências.
3.12 Circulação de uso comum
Passagem que dá acesso à saída de mais de uma unida-de autônoma, quarto de hotel ou assemelhado.
3.13 Compartimentar
Separar um ou mais locais do resto da edificação por in-termédio de paredes e portas corta-fogo.
3.14 Corrimão ou mainel
Barra, cano ou peça similar, com superfície lisa, arredon-dada e contínua, localizada junto às paredes ou guardasde escadas, rampas ou passagens para as pessoas nelase apoiarem ao subir, descer ou se deslocar.
Licença de uso exclusivo para ABCCópia impressa pelo sistema CENWin em 27/12/2001

Activity (95)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads
Celitio liked this
ebfenegenharia liked this
Paulinho Nacario liked this
Kizye Tavares liked this
Eliezercad liked this
Sandra Branco liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->