Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
9Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Observação de aulas

Observação de aulas

Ratings:

4.4

(5)
|Views: 14,674|Likes:
Published by ramiromarques

More info:

Published by: ramiromarques on Mar 12, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, DOC, TXT or read online from Scribd
See More
See less

04/30/2013

pdf

text

original

 
Observação de aulas: uma prática comum no tempo de SalazarTexto de Anabela MagalhãesAqui deixo, para consulta, um extracto do livro de João Barroso, ondeé dada a palavra aos reitores do Estado Novo, sobre o modelofascista de observação de aulas que foi posto em prática aquando daditadura, e que foi criticado pelas próprias pessoas que fazem parteda engrenagem, que fazem parte do sistema implementado porSalazar. Preocupa-me sobremaneira a recuperação e a repetição demodelos já experimentados sem êxito. Preocupa-me que voltemos aomesmo, ainda para mais pela mão de um governo dito de socialista.Preocupa-me a recuperação de modelos tentados e abandonadosdevido às suas graves lacunas e fracassos a que conduziram.A assistência às aulas constitui uma das atribuições expressas doreitor e vice-reitor previstas no artigo 18, alínea r) e artigo 20 , alínead) do Estatuto de 1947, bem como do director de ciclo, na novaversão do artigo 23 do Estatuto de 1947, aprovada pelo decreto 38812 de 2 de Julho de 1952. Enquanto que no caso do reitor e vice-reitor a formulação legal estabelecia que deviam
"assistir comfrequência a aulas e sessões, bem como aos restantes trabalhosescolares, intervindo neles se necessário for",
no caso do director dociclo definia-se que ele devia
"assistir frequentemente às aulas dociclo, de forma a verificar a disciplina académica, o método seguidonas lições e a maneira como são cumpridas as instruções superiores." 
Apesar da insistência da legislação nesta modalidade de coordenaçãobaseada no controlo pessoal das "autoridades escolares" (relatório doLiceu de Braga, 1951-52), ela é objecto de alguma controvérsia emesmo crítica, por parte de vários reitores e directores de ciclo. (...)A referência dos reitores às visitas às aulas era feita, nos relatórios,de três modos diferentes (...):- De uma maneira vaga, assinalando só que a medida foi
cumprida:"O reitor e o vice-reitor assistiram a aulas ou sessões quando lhesdeixaram tempo livre as suas demais obrigações lectivas eadministrativas" 
. (Relatório do Liceu D. João de Castro, Lisboa, 1949-50).- Contabilizando com pormenor o número de aulas assistidas:
"Osdirectores de ciclo, como é fácil verificar pelos relatórios queescreveram e pelo que o reitor observou, esforçaram-se sempre por coordenar o ensino dentro de cada ciclo, por meio de visita a aulas, por meio do exame dos livros de ponto e dos cadernos diários e por meio, principalmente, dos conselhos de ciclo. O director do 1º ciclofez 20 visitas a aulas e sessões; o director do 2º ciclo, 24 visitas; e oreitor 53 visitas." 
(Relatório do Liceu de Viana do Castelo, 1937-38).

Activity (9)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Isabel Pataca liked this
Viviane Carvalho liked this
Rui Weiner liked this
Ramiro Almeida liked this
cajo347 liked this
zezuca liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->