Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
0Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Revisão

Revisão

Ratings: (0)|Views: 0 |Likes:
Published by Débora Vogt

More info:

Published by: Débora Vogt on Jun 02, 2014
Copyright:Traditional Copyright: All rights reserved

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/02/2014

pdf

text

original

 
Revisão
Conceitos chaves:
Etnocentrismo:________________________________________________________________  ___________________________________________________________________________  _____ 
Relativismo Cultural:__________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________  _______ 
Documento histórico:___________________________________________________________________  ___________________________________________________________________________  ______ 
Patrimônio material:___________________________________________________________________  ___________________________________________________________________________  ___________________________________________________________________________  __________ 
Patrimônio imaterial:___________________________________________________________________  ___________________________________________________________________________  ___________________________________________________________________________  _________ 
Bens tombados:__________________________________________________________________  ___________________________________________________________________________ 
O que é fonte histórica
 
 ___________________________________________________________________________  __________ 
Cultura material:___________________________________________________________________  ___________________________________________________________________________  ___________________________________________________________________________  __________ 
Responda as questões abaixo:!"## $s vest%&ios dos povos tupi' &uarani encontram'se das (issões ao Rio da Prata) ao sul) at* o nordeste) com al&umas ocorr+ncias mal conhecidas no ,ul da -ma.ônia/ - leste) ocupavam toda a 0aixa litor1nea) desde o Rio 2rande do ,ul at* o (aranh3o/ - $este) aparecem 45o Rio da Prata! no Para&uai e nas terras da baixa Bol%via/ Evitam as terras inund6veis do Panam6 e marcam sua presen7a discretamente nos cerrados do Brasil central/ De 0ato) ocuparam) de pre0er+ncia) as re&iões de 0loresta tropical e subtropical/ PR$8,) ,/ $ Brasil antes dos brasileiros/ Rio de 9aneiro: 9or&e ahar Editor) "##;/$s povos ind%&enas citados possu%am tradi7ões culturais espec%0icas que os distin&uiam de outras sociedades ind%&enas e dos coloni.adores europeus/ Entre as tradi7ões tupi &uaranis) destacava'se:a!- or&ani.a73o em aldeias  politicamente independentes) diri&idas  por um che0e) eleito pelos indiv%duos mais velhos da tribo/ b!- rituali.a73o a &uerra entre as tribos e o car6ter semisendent6rio de sua or&ani.a73o social/c!- conquista da terra mediante opera7ões militares) o que permitiu seu dom%nio sobre vasto território/d!$ car6ter pastoril de sua economia) que  prescindia da a&ricultura para investir na cria73o de animaise!$ despre.o pelos rituais antropo06&icos  praticados em outras sociedades ind%&enas"' "##
 
$s tropeiros 0oram 0i&uras decisivas na 0orma73o de vilare<os e cidades do Brasil colonial/ - palavra =tropeiro> vem de =tropa> que) no passado) se re0eria ao con<unto de homens que transportavam &ado e mercadoria/ Por volta do s*culo ?@AAA) muita coisa era levada de um lu&ar a outro no lombo de mulas/ $ tropeirismo acabou associado  atividade mineradora) cu<o au&e 0oi a explora73o de ouro em (inas 2erais e) mais tarde) em 2oi6s/ - extra73o de pedras preciosas tamb*m atraiu &randes contin&entes populacionais para novas 6reas e) por isso) era cada ve. mais necess6rio dispor de alimentos e produtos  b6sicos/ - alimenta73o dos tropeiros era constitu%da por toucinho) 0ei<3o preto) 0arinha) pimenta do reino) ca0*) 0ub6 e coit* 4um molho de vina&re com 0ruto c6ustico espremido!/ 5os  pousos) os tropeiros comiam 0ei<3o quase sem molho com  peda7os de carne de sol e toucinho) que era servido com 0aro0a e couve picada/ $ 0ei<3o tropeiro * um dos pratos t%picos da co.inha mineira e recebe esse nome porque era preparado pelos co.inheiros das tropas que condu.iam &ado/Dispon%vel em: /tribunadoplanalto/ -cesso de " de nov de - cria73o do 0ei<3o na culin6ria brasileira est6 associada :a! atividade mercantil exercida pelos homens que trabalhavam nas minas b! atividade culin6ria exercida pelos moradores co.inheiros que viviam na re&i3o das minasc! atividade mercantil exercida pelos homens que transportavam &ado e mercadoria/d! atividade a&ropecu6ria exercida pelos tropeiros que necessitavam dispor de alimentose! atividade mineradora exercida pelos tropeiros no au&e da explora73o de ouro "## Fuem construiu a Gebas de sete portas
 
H 5os livros est3o nomes de reis -rrastaram eles os blocos de pedraH E a Babilônia tantas ve.es destru%da/ Fuem a reconstruiu tantas ve.esH Em que casas da Iima dourada moravam os construtoresJ Para onde 0oram os pedreiros) na noite em que a muralha da China 0icou prontaH - &rande Roma esta cheia de arcos do triun0o/ Fuem os er&ueuH sobre quem triun0aram os c*saresH BRECKG) B/ Per&untas de um trabalhador que l+/ Partindo das re0lexões de um trabalhador que l+ um livro de história) o autor censura a meria constru%da sobe determinados monumentos e acontecimentos históricos/ - cr%tica re0ere'se ao 0ato de que:
 
a! os a&entes históricos de uma determinada sociedade deveriam ser aqueles que reali.aram 0eitos heroicos ou &randiosos e) por isso) 0icaram na memória/ b! a história deveria se preocupar em memori.ar os nomes de reis ou &overnantes das civili.a7ões que se desenvolveram ao lon&o do tempo/c! os &randes monumentos históricos 0oram constru%dos por trabalhadores) mas sua memória est6 vinculada aos &overnantes das sociedades que os constru%ram/d! os trabalhadores consideram que a história * uma ci+ncia de di0%cil compreens3o) pois trata de sociedades anti&as e distantes no tempo/e! as civili.a7ões citadas no texto) embora muito importantes)  permanecem sem terem sido alvos de pesquisas históricas/L' -s ru%nas do povoado de Canudos) no sert3o norte da Bahia) al*m de si&ni0icativas para a identidade cultural) dessa re&i3o) s3o Mteis s investi&a7ões sobre a 2uerra de Canudos e o modo de vida dos anti&os revoltosos/ Essas ru%nas 0oram reconhecidas como patrimônio cultural material pelo Aphan 4Anstituto do Patrimônio Kistórico e -rt%stico 5acional! porque reMnem um con<unto de a! ob<etos arqueoló&icos e paisa&%sticos/ b! acervos museoló&icos e biblio&r60icos/c! nMcleos urbanos e etno&r60icosd! pr6ticas e representa7ões de uma sociedade/e! expressões e t*cnicas de uma sociedade extinta/;'5e&ro) 0ilho de escrava e 0idal&o portu&u+s) o baiano Iui. 2ama 0e. da lei e das letras suas armas na luta pela liberdade/ Noi vendido ile&almente como escravo pelo seu pai para cobrir d%vidas de <o&o/ ,abendo ler e escrever) aos  anos de idade conse&uiu provas de que havia nascido livre/ -utodidata) advo&ado sem diploma) 0e. do direito o seu o0%cio e trans0ormou'se) em pouco tempo) em proeminente advo&ado da causa abolicionista/-E@ED$) E/ $ $r0eu de carapinha/ An: Revista de Kistória/-no ) n/o/ Rio de 9aneiro:Biblioteca 5acional) <an/ "##L 4adaptado!/- conquista da liberdade pelos a0ro'brasileiros na se&unda metade do s*c/ ?A? 0oi resultado de importantes lutas sociais condicionadas historicamente/ - bio&ra0ia de Iui. 2ama exempli0ica a a!impossibilidade de ascens3o social do ne&ro 0orro em uma sociedade escravocrata) mesmo sendo al0abeti.ado/ b!extrema di0iculdade de pro<e73o dos intelectuais ne&ros nesse contexto e a utili.a73o do Direito como canal de luta pela liberdade/c!ri&ide. de uma sociedade) assentada na escravid3o) que inviabili.ava os mecanismos de ascens3o social/d!possibilidade de ascens3o social) viabili.ada pelo apoio das elites dominantes) a um mesti7o 0ilho de pai portu&u+s/e!troca de 0avores entre um representante ne&ro e a elite a&r6ria escravista que outor&ara o direito advocat%cio ao mesmo/O'Komens da An&laterra) por que arar para os senhores que vos mant+m na mis*riaHPor que tecer com es0or7os e cuidado as ricas roupas que vossos tiranos vestemHPor que alimentar) vestir e poupar do ber7o at* o tMmulo esses  parasitas in&ratos que exploram vosso suor ah) que bebem vosso san&ueH4,KEIIEQ/ $s homens da An&laterra/ -pud K8BER(-5) I/ Kistória da Rique.a do Komem/ Rio de 9aneiro: ahar) "/!- an6lise do trecho permite identi0icar que o poeta rom1ntico ,helleS 4T"'""! re&istrou uma contradi73o nas condi7ões socioeconômicas da nascente classe trabalhadora in&lesa durante a Revolu73o Andustrial/ Gal contradi73o est6 identi0icadaa! na pobre.a dos empre&ados) que estava dissociada da rique.a dos patrões/ b! no sal6rio dos oper6rios) que era proporcional aos seus es0or7os nas indMstrias/c! na bur&uesia) que tinha seus ne&ócios 0inanciados pelo  proletariado/d! no trabalho) que era considerado uma &arantia de liberdade/e! na rique.a) que n3o era usu0ru%da por aqueles que a  produ.iam/T' $ arti&o L#" do Códi&o Penal Brasileiro de # di.ia: Na.er nas ruas e pra7as pMblicas exerc%cios de a&ilidade e destre.a corporal) conhecidos pela denomina73o de capoiera&em: andar em correias) com armas ou instrumentos capa.es de produ.ir uma les3o corporal) provocando tumulto ou desordens/ Pena: pris3o de dois a seis meses,$-RE,) ,/ E/ - 5e&re&ada institui73o: os capoeiristas no Rio de 9aneiro: ;#'#/ Rio de 9aneiro: ,ecretaria (unicipal da Cultura) L 4adaptado!$ arti&o do primeiro códi&o penal republicano naturali.a medidas socialmente excludentes/ 5esse contexto) tal re&ulamenta73o expressa:a!- manuten73o da parte da le&isla73o do Amp*rio com vistas ao controle da criminalidade urbana b!- de0esa do retorno do cativeiro e da escravid3o pelos  primeiros &overnos do per%odo republicano/c!$ car6ter disciplinador de uma sociedade industriali.ada) dese<osa de um equil%brio entre pro&resso e civili.a73o/d!- criminali.a73o de pr6ticas culturais e a persist+ncia de valores que vinculavam certos &rupos ao passado da escravid3o/e!$ poder do re&ime escravista) que mantinha os ne&ros como cate&oria social in0erior) discriminada e se&re&ada/' - Che&ada da Gelevis3o- caixa de pandora tecnoló&ica penetra nos lares e libera suas cabe7as 0alantes) astros) novelas) notici6rios e as 0abulosas) irresist%veis &asrotas'propa&anda) versões moderni.adas do tradicional homem sandu%che/,E@CE5AU$) 5 4or&!/ Kistória da @ida Privada no Brasil / RepMblica: da Belle Vpoque Era do R6dio/ ,3o Paulo: Companhia das Ietras) /

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->