Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
23Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
FRANÇOISE DOLTO - 2

FRANÇOISE DOLTO - 2

Ratings: (0)|Views: 4,358 |Likes:
Published by renataflora6302

More info:

Published by: renataflora6302 on Nov 26, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as RTF, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/02/2013

pdf

text

original

 
FRANÇOISE DOLTO
VIDA DE FRANÇOISE DOLTO
Françoise Marette nasceu em Paris em 1908. Pertencia a uma família de engenheiros – logohomens – com uma boa situação econômica. Ela era a quarta filha de uma família de seteirmãos (duas meninas e cinco meninos).Desde seu nascimento, parece haver estado marcada pelas ambigüidades advindas da suaoriginalidade e ao mesmo tempo marginalidade. Filha de uma família tradicional Parisiense, elase rebelou contra as idéias conservadoras de sua época, tornando-se médica e psicanalista.Durante a sua primeira infância, nem tudo foram rosas. F. Marette sofreu muito a incompreensãodos adultos: “me perguntava como, havendo sido pequenos e havendo se feito maiores, osadultos podiam ser tão estranhos, já que tinham filhos. E me dizia a mim mesma: ‘Quando eu for maior, tratarei de recordar da minha própria infância, e com isso refletir como se é desdepequeno’”.Essas vivências dolorosas aguçaram sua capacidade de sempre interrogar e promover entre si eos outros, uma comunicação marcada pela sinceridade – essa sinceridade que apareceu anosdepois nas rádios francesas e que a tornaram muito popular.Com idade de 11 anos, na véspera de sua primeira comunhão, sua mãe lhe pediu que rezassepara salvar sua irmã, que havia contraído um câncer ósseo. Sua morte provocou uma reaçãoterrível em sua mãe que fez a Françoise totalmente responsável, lamentando incluso que elasequer viva em lugar de sua filha predileta.A irmã maior morre. Ela era a preferida de sua mãe. A mãe passa a culpar Dolto: Como vocêpode continuar vivendo? Por que partiu sua irmã e não você? Conseqüências psíquicas emDolto: Torna-se um ser em busca de uma redenção (perdão) e sempre se desculpa e pede que adesculpem por viver.Depois de ter concluído o curso de Bacharelado – contra mesmo à vontade de sua mãe - F.Marette teve que esperar sete anos antes de começar seu maior sonho: ser médica. Ela deu suavez e foi cuidar do seu irmão pequeno Philippe.Mas em 1930 obteve apoio de sua mãe e concluiu o curso de Enfermagem. Começou suacarreira de Medicina quando tinha 23 anos.Em 1934 iniciou uma análise com R. Laforgue, em parte por causa de seus conflitos com a mãe.Em 1942, Françoise se casa com Boris Dolto, um doutor em reumatologia. Boris era tãorevolucionário e inovador como Françoise e se lhe considera uma figura chave na evolução dafisioterapia. Aberto de mente e moderno, Boris compartilhou com entusiasmo a carreiraintelectual de sua mulher de igual forma que esta se apaixona pelas descobertas de seu marido.Tiveram três filhos: Jean-Chrysostome, Grégoire e Catherine.Fazia parte do círculo de analistas de Jacques Lacan, onde compartilhavam talento, carisma eum desgosto pelas instituições de rigidez teóricas. Desde 1953, Dolto e Lacan trabalharamconjuntamente, num movimento psicanalítico francês, pelo estabelecimento psicanalítico"internacional".Em 1939 foi eleita membro da Sociedade Psicanalítica de Paris; desligou-se em 1959, nomomento da primeira cisão, para fundar, com, com Lacan e Lagache e outros a SociedadeFrancesa de Psicanálise. Excluída da Associação Internacional de Psicanálise, tal como Lacan,
 
 juntou-se a este na École Freudienne, mantendo ao mesmo tempo uma total independência emrelação a ele, no tocante tanto à sua prática quanto a suas teorias.Dolto teve maior influência e interesse junto às crianças e a educação delas de um modo geral eespecialmente a escolar formal oficial. Desenvolveu um aspecto da Psicanálise com enfoquepsicopedagógico e de educação popular.Estava interessada em utilizar a Psicanálise para melhorar a vida diária de pais e crianças. Algodo tipo: Idéias psicanalíticas para a vida cotidiana. Dolto teve maior influência e interesse comcrianças e na educação.A partir de 1967, Dolto respondia as perguntas direto dos ouvintes grandes e pequenos daemissora Europa Uno sob o pseudônimo de Doutora X. Esta emissão de radio atraiu muitopúblico porém a pesar disto a psicanalista não quis prosseguir com o experimento principalmenteporque o diálogo quedava interrompido devido às necessidades de uma emissão direta e dapublicidade.Em 1976 aceitou fazer outro programa na emissora France Inter chamado "Quando o bebêaparece". O programa foi um grande êxito rotundo e a origem de sua fama entre o públicofrancês.A combinação de espiritualidade, empatia, e um talento para conversas diretas junto ao público,fez-lhe muito popular dentro da cultura psicanalítica francesa.Em 1979, acompanhada de uma equipe pequena, Dolto fundou a "Casa Verde" um lugar desocialização precoce onde as crianças desde o seu nascimento até os três ou quatro anos,acompanhadas de seus pais ou avôs, são atendidas por uma equipe de acolhida de trêspessoas uma das quais é psicanalista.Dolto faleceu em 1988, deixando trabalhos de dimensões internacionais, mais de dois milhõesde cópias de livros vendidos.
PENSAMENTO DE FRANÇOISE DOLTO
Uma das principais contribuições de Françoise Dolto foi a de reconhecer a criança, desde a maistenra idade, como um sujeito de si mesma, de acordo com a psicanálise, que considera opaciente como sujeito de seus desejos inconscientes. "Nosso papel como psicanalista, dizia, nãoé o de desejar algo para alguém, mas de ser aquele graças a quem ele pode chegar até seudesejo".Como médica que desenvolveu uma cura analítica, ela escutava portanto pessoas de verdade,considerando que as crianças de um ano dispõem, à sua maneira, de uma plena inteligência dascoisas. Ao fazer isso, ela as retirava do status social de infantes, etimologicamente os que nãotêm direito à palavra. "É escandaloso para o adulto, dizia ainda, que o ser humano no estágio dainfância seja seu igual".F. Dolto não se baseou só na teoria psicanalítica para o tratamento de crianças e adultos. Eladesenvolveu uma teoria do desenvolvimento uma teoria pessoal em torno a conceitos chave,como as noções de:- sujeito;- linguagem;- desejo;- corpo.Sua concepção de pessoa passa por algumas categorias:
 
- Ser de alteridade – sempre necessito do outro para ser e vir a ser.- Alteridade leva à tolerância.- Direitos da criança.- Deveres dos adultos.Dolto descobriu que uma palavra dirigida a um recém-nascido que ainda não fala pode ter efeitosterapêuticos. Foi por isso que sempre sugeriu aos pais que falassem com a criança de tudo oque lhes dissesse respeito, de "falar a verdade", desde o seu nascimento. Um dos grandeslegados de Dolto foi mostrar a importância das palavras ditas às crianças e diante delas. Afirmaa necessidade, em todas as circunstâncias, do falar à criança. Mostra que freqüentemente é nocorpo e por meio dele que a criança expressa o que, às vezes, não consegue dizer de outramaneira.Para Françoise Dolto, a concepção é um encontro a três e não apenas a dois: "Sozinha, cadacriança se dá a vida pelo desejo de viver." O feto está em comunicação inconsciente com a mãe.Os estados emocionais desta, assim como os acontecimentos que ocorrerem, marcam a suavida psicológica.Os fundamentos de seu pensamento educativo se aproximam aos dos métodos ativospropugnados por psicólogos como C. Freinet, ou por psicanalistas como A. Adler ou A. S. Neill.Também desenvolveu a noção de "castrações simbolígenas" como estágios necessários naevolução infantil. A medida que o desejo se vai organizando, não pode satisfazer-se sempre damesma maneira; para a saúde da criança em sua constituição psíquica esta forma de satisfaçãodeve mudar de objeto. O processo por meio do qual se dão estes câmbios de objeto se chamacastrações simbolígenas.A noção de castração em Françoise Dolto não é a mesma do complexo de castração de Freud.Não se trata de uma ameaça ou de uma fantasia de mutilação peniana, mas de uma privação,de um desmame real e simbólico, concernente a um objeto até então eroticamente investido eque, um dia, tem que ser proibido. Assim, passa-se de um objeto parcial para outro, de um modode atividades e relações para um outro modo, mais elaborado."A palavra castração, em psicanálise, dá conta do processo que se realiza no ser humanoquando um outro ser humano lhe expressa que a realização de seu desejo, sob a forma que elegostaria de dar-lhe, é proibida por Lei" (Dolto, 1984) O desejo sempre deve conhecer um tempo de satisfação e um de proibição, porém logo devehaver uma mudança de linguagem, quer dizer deve haver sublimação. Françoise Dolto descreveo desenvolvimento da criança como uma série de "castrações": umbilical com o nascimento, oralcom o desmame, anal quando começa a andar e aprender a usar o banheiro. A cada vez, acriança deve separar-se de um mundo para se abrir a um mundo novo.À medida que a criança avança em seu desenvolvimento, vai passando por distintas castrações:- Castração umbilical.- Castração oral.- Castração anal.- Castração especular.- Castração fálica.- Castração Edípica.Cada uma dessas castrações é uma espécie de provação da qual a criança sai mais crescida ehumanizada.“Pela conquista da disciplina esfincteriana, a criança descobre, pois, a noção do seu poder, da

Activity (23)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Eryck Azevedo liked this
Andreia Silva liked this
gabvriela liked this
Wildney Leite liked this
Simona Simionof liked this
Marcela Oyarzo liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->