Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
1Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Do Tratado Sobre Os Misterios L Horas Vol III 434 460

Do Tratado Sobre Os Misterios L Horas Vol III 434 460

Ratings: (0)|Views: 11|Likes:

More info:

Copyright:Traditional Copyright: All rights reserved

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/08/2015

pdf

text

original

 
15ª Semana do Tempo Comum
Segunda leitura
Inicio do Tratado sobre os Mistérios, de Santo Ambrósio, bispo(Nn.1-! SC" #5 bis, 15$-15%&(Séc. I'&
Catequese sobre os ritos anteriores ao batismo
Tiemos diariamente serm)es sobre a conduta mora*, +uandooram *idos os atos dos patriarcas ou os preceitos do *iro dosroérbios. Assim instrudos, os acostumareis a andar pe*as iasdos antepassados, a p/r-os no mesmo camin"o e a obedecer 0sdiinas escrituras. ma e2 renoados pe*o batismo, iereis damaneira coneniente a crist3os.A4ora, 6 é tempo de a*ar sobre os mistérios e maniestar oconte7do dos sacramentos. Antes do batismo, se pens6ssemos eminsinu6-*os a n3o iniciados, u*4aramos trair mais do +ue entre4ar. 8também por+ue em pessoas sem idéia preconcebida, a *u2 dosmistérios se diunde me*"or do +ue se precedida por a*4uma pa*ara.Abri, pois, os ouidos e senti o bom odor da ida eterna +ue sedesprende para ós do dom dos sacramentos. 8ra isso +ue osd6amos a con"ecer, +uando no momento do mistério da aberturadissemos!
 Efetha
, isto é,
abre-te
, de modo +ue cada um +ue seapro9imaa da 4ra:a sabia o +ue *"e interro4ariam e deia *embrar-se da resposta pronta. Cristo rea*i2ou este mistério, como *emos noean4e*"o, ao curar o surdo-mudo.8m se4uida, abriu-se para ti o santo dos santos e entraste nosantu6rio do noo nascimento. ;embra-te da per4unta +ue te i2eram,recon"ece o +ue respondeste. <enunciaste ao diabo e 0s suas obras,ao mundo e a suas pompas e de*cias. Tua pa*ara est6 4uardada n3ono t7mu*o dos mortos, mas no *iro dos ios.A*i iste o *eita, iste o sacerdote, iste o sumo-sacerdote. N3od=s aten:3o aos indiduos, mas 0 4ra:a dos ministérios. Na presen:ade anos a*aste, como est6 escrito. M* #,
 
Os lábios do sacerdote guardam a ciência e busca-se de sua boca a lei, porque é um anjo doSenhor onipotente
. N3o "6 ocu*tar, n3o "6 ne4ar> é ano +uemanuncia o reino de Cristo, a ida eterna. N3o *ees em conta aapar=ncia, mas o m7nus. Atende 0+ui*o +ue te entre4a, pondera seucar4o e recon"ece sua di4nidade.
 
15ª Semana do Tempo Comum
Tendo, pois, entrado, para eres teu aders6rio a +uem u*4astedeer renunciar ronta*mente, tu te o*taste para o ?riente> +uemrenuncia ao dem/nio, conerte-se para Cristo, contemp*a-o em ace.@o Tratado sobre os Mistérios, de Santo Ambrósio, bispo(Nn.%-11! SC" #5 bis, 15%-1$&(Séc. I'&
 Renascemos da água e do Esprito Santo
Bue iste no batistério D4uas, sem d7ida, mas n3o só 64uas>iste também *eitas serindo. 'iste o sumo-sacerdote interro4ando econsa4rando. ? Apósto*o te ensinou *o4o de incio a n3o parar nacontemp*a:3o #Cor E,
1% 
do que se !ê mas nas coisas que n"o se!êem, porque as que se !êem s"o temporais# eternas, as que n"o se!êem
. 8m outro *u4ar encontras! C. <m 1
,# 
O $eus in!is!el dei%a- se insinuar desde a cria&"o do mundo por tudo quanto foi feito, bemcomo seu poder eterno e sua di!indade transparecem em suas obras
.? mesmo Sen"or também disse! C. Fo 1,
G%
 
Se n"o credes em mim,crede ao menos nas obras
. Cr=, portanto, estar na presen:a dadiindade. Se cr=s nas a:)es por+ue n3o cr=s na presen:a @onde proiria a a:3o se a presen:a n3o precedesse?bsera +ue é um mistério muito anti4o, prei4urado na própriaori4em do mundo. ;o4o no princpio, +uando @eus e2 o céu e aterra, C. Hn 1,
#
o Esprito paira!a sobre as águas
. N3o a4ia a+ue*e+ue pairaa ois ica ciente +ue operaa na cria:3o do mundo, pe*oroeta +ue te di2! C. S* G#
(GG
&,
 $
 'ela pala!ra do Senhor firmaram- se os céus, e pelo esprito de sua boca, todos os seus e%ércitos
.Ambas as dec*ara:)es se apóiam no testemun"o proético! +ue pairaa e +ue operaa. Moisés é +uem di2 +ue pairaa> @aitestemun"a +ue operaa.6 ainda outro testemun"o. Toda a carne se corrompera por suasini+uidades. 8 se di2! C. Hn $,
G
 (eu esprito n"o permanecerá noshomens porque s"o carnais
. Com isso, @eus mostrou +ue a impure2ada carne e a nódoa de um pecado 4rae retiram a 4ra:a espiritua*.Buerendo ent3o @eus renoar o +ue dera, mandou o di*7io eordenou ao usto Noé entrar na arca. Terminado o di*7io, so*tou primeiro o coro, depois a pomba +ue o*tou com um ramo de
 
15ª Semana do Tempo Comum
o*ieira, se4undo *emos. '=s a 64ua, =s o *en"o, =s a pomba eainda duidas do mistérioA 64ua a*i est6 para ban"ar o corpo, *aando-o de todo pecadocorpora*, e ne*a ica sepu*tada toda torpe2a. No *en"o estee pre4adoo Sen"or Fesus +uando padecia por nós. Como aprendeste no NooTestamento na apar=ncia da pomba desceu o 8sprito Santo, o +ua* teinspira pa2 0 a*ma e tran+ui*idade ao esprito.@o Tratado sobre os Mistérios, de Santo Ambrósio, bispo(Nn. 1#-1$.1J! SC" #5 bis, 1$#-1$E&(Séc. I'&
)udo lhes acontecia em figura
A ti ensina o Asto*o +ue 1Cor 1,
1-#
todos os nossos paisesti!eram debai%o da nu!em e todos atra!essaram o mar e todos,condu*idos por (oisés, foram bati*ados na nu!em e no mar 
. 8mse4uida o mesmo Moisés di2 no cKntico! C. 89 15,
1
 
 En!iaste teuesprito +!ento e o mar os cobriu
. Nota +ue nesta passa4em dos"ebreus pe*o mar 6 se prenuncia a i4ura do santo batismo, onde perece o e4pcio, e *iberta-se o "ebreu. N3o é isto o +ue diariamenteo sacramento nos ensina, a saber, +ue a cu*pa é ao4ada, destrudo oerro, e a santidade e toda inoc=ncia passam atraés de*e?ues +ue nossos pais estieram debai9o da nuem, a boa nuem+ue reresca o ardor das pai9)es carnais, a boa nuem +ue cobre comsua sombra a+ue*es +ue o 8sprito Santo torna a isitar. 8sta boanuem, em se4uida, eio sobre a 'ir4em Maria e o poder doA*tssimo a eno*eu com sua sombra, ao 4erar a reden:3o do"omem. 8ste mi*a4re rea*i2ou-o Moisés em i4ura. Se, portanto, *6estee o 8sprito em i4ura, n3o estar6 a+ui a rea*idade, 6 +ue a8scritura te di2 +ue a
 
lei foi dada por (oisés, mas a gra&a e a!erdade nos !ieram por esus Cristo
C. Fo 1,
1
8m Mara a onte era amar4a. Ne*a Moisés mer4u*"ou um *en"o ee*a se tornou doce. A 64ua, sem a proc*ama:3o da cru2 do Sen"or,n3o tem uti*idade a*4uma para a utura sa*a:3o. Ao ser, porém,consa4rada pe*o sa*utar mistério da cru2, é usada no ban"o espiritua*e no c6*ice da sa*a:3o. L seme*"an:a da+ue*a onte em +ue Moisés,isto é, o roeta, p/s o *en"o, também nesta onte o sacerdote

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->