Welcome to Scribd. Sign in or start your free trial to enjoy unlimited e-books, audiobooks & documents.Find out more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
2Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Proposta para Avaliação Quantitativa para Aquisição de

Proposta para Avaliação Quantitativa para Aquisição de

Ratings: (0)|Views: 277|Likes:
Published by Dei_nha200

More info:

Published by: Dei_nha200 on Dec 02, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/24/2010

pdf

text

original

 
Proposta para Avaliação Quantitativa para Aquisição deEquipamentos MédicosProposal for Quantitative Evaluation for MedicalEquipment Acquisition
Marcela Cristina Chaves Penco¹; Ernesto Fernando Ferreyra Ramírez²
Resumo
Este artigo apresenta uma proposta para estimar o número ideal deequipamentos médicos a ser compradopor uma instituição de saúde. O número de equipamentos necessários (“n”) nosetor avaliado, pode ser calculado a partir de uma equação, na qual são considerados os seguintesparâmetros: número de leitos ouusuários (“nb”); número de equipamentos existentes (“m”); proporçãorecomendada de equipamentos por paciente (“rr” número sugerido pelo Ministério da Saúde); importância doequipamento no cuidado dopaciente (“v” pode ser suporte à vida, melhora no atendimento ao paciente oudesejável); e a condição físicados equipamentos existentes (“c” dados obtidos a partir dos relatórios demanutenção). Estes dados foramobtidos a partir de relatórios de manutenção preventiva dos equipamentos doHospital Universitário daUniversidade Estadual de Londrina (HURNP/UEL). Foram considerados doisestudos de caso: no primeirocaso, o método foi aplicado a bombas infusoras em dois diferentes setores dohospital (UTI e enfermarias).No segundo estudo de caso foram comparadas as quantidades ideais dediferentes equipamentos (oxímetrode pulso, oxicapnógrafo e monitor multiparamétrico) que possuam a mesmafunção (oximetria), em umúnico setor (centro cirúrgico). Apesar de sugerirem a necessidade de algunsaperfeiçoamentos na metodologia,os estudos de caso mostraram que a mesma é de fácil aplicação e podefornecer uma idéia inicial dasnecessidades clínicas dos equipamentos médicos dos diversos setores de umhospital. Em alguns, casosoutros fatores devem ser analisados como o setor onde o equipamento está e apossibilidade de existiremoutros equipamentos com a mesma função. Além disso, este artigo mostra anecessidade de um método depriorização entre setores no hospital, fator importante na avaliação dos locaisque realmente necessitam dereposição de equipamentos.
Palavras-chave:
Engenharia clínica; Processo de aquisição de equipamentosmédicos; Avaliação quantitativa.¹
Introdução
Estudos mostram que uma porção significativados equipamentos médico-hospitalares nos países emdesenvolvimento está fora de uso (LEE, 1995). No
 
Brasil, estes números estavam entre 20% e 40% doparque instalado de equipamentos médicos instalados(WANG; CALIL, 1991), o que, em números atuaisisto representaria um desperdício de US$ 260milhões a US$ 520 milhões, em um mercadoestimado em US$ 1,3 bilhão/ano (CALIL, 2001). Afalta de planejamento adequado no momento daaquisição destes equipamentos foi um dos fatoresque levaram a isto, por isso, a elaboração adequadada especificação técnica do equipamento é um pontoimportante no planejamento e aquisição deequipamentos. Além disso, a falta de umdimensionamento adequado do serviço leva aosmesmos problemas mencionados anteriormente(MULLER JR.; CALIL, 2000). Assim se mostranecessária uma avaliação tanto das necessidades reaisda instituição quanto do equipamento em questão.Eis a importância do trabalho do engenheiro clínico,um profissional não puramente técnico e científico,mas que interage com a equipe clínica e toma aliderança em todo processo de avaliação deequipamentos e tecnologias, visando à melhoria noatendimento ao paciente e levando em conta osinteresses da instituição (CAPUANO, 1997).O processo de avaliação de equipamentos, apesar de envolver a decisão humana, pode tornar-se ummétodo científico, independente da opiniãoindividual dos avaliadores (STIEFEL; RISKALLA,1995; RAMIREZ; JERONYMO NETO; JANNANI,2001). Dentro desta linha temos o trabalho de Tawfik(1994), que propõe um método para determinar onúmero de equipamentos necessários por meio deum modelo algébrico. Utilizando-se de questionáriosdirecionados aos departamentos envolvidos e testescom situações hipotéticas, este método gera um guiaque ajuda a determinar as quantidades maisadequadas a serem oferecidas para o departamento.Mais recentemente, Müller Jr. e Calil (2000)apresentaram um sistema computacional que dásuporte para tomadas de decisões de modo a facilitar a seleção e a especificação de equipamentos médicose auxilia no planejamento de serviços de saúde,oferecendo ao usuário a quantidade e a especificaçãode equipamentos, móveis, e objetos necessários.Assim, este trabalho propõe um método paraestimar o número de equipamentos médicos queSemina: Ciências Exatas e Tecnológicas, Londrina, v. 25, n. 1, p. 107-112, jan./jun. 2004 109devem ser adquiridos para suprir as necessidadesestabelecidas pelos usuários de um E.A.S.
 
(Estabelecimento Assistencial de Saúde).
Metodologia
A metodologia proposta é basicamente aaplicação da equação elaborada por Tawfik (1994),com algumas alterações, num sistema computacionalbaseado na proposta de Müller Jr. e Calil (2000).A equação proposta por Tawfik (1994) é,originalmente:n= INT(nb.rr.v.g)-INT(Σ=
mi c 
1) (1)onde: – INT é a parte inteira do número resultante dasomatória indicada; – “n”= número de equipamentos necessários; – “nb”= número de leitos ou usuários; – “rr”= proporção recomendada de equipamento por paciente; – “m”= número existente de equipamentos; – “c”= condição do equipamento; – “v”= valor do equipamento no cuidado do paciente; – “g”= capacidade de gerar lucros do equipamento.
Determinação dos parâmetros
A proporção recomendada de equipamento por paciente (“rr”) foi determinada a partir das normaspublicadas pelo Ministério da Saúde (1994). Osvalores de “rr” para as simulações feitas são asmostradas nas Tabelas 1 e 2, a seguir:
Tabela 1
- Valor do “rr” para bombas infusoras
Tabela 2 -
Valores de “rr” para o Centro CirúrgicoOs valores da condição do equipamento (“c”)foram atribuídos de acordo com os dados resultantesdo estudo dos relatórios de manutenção dosequipamentos. Para a simulação feita, foramconsiderados com manutenção regular (c=1/2) todosos equipamentos que foram reprovados nos testesfeitos, ou seja, os equipamentos que se encontravamdescalibrados e para os equipamentos commanutenção OK, ou seja, funcionando corretamentefoi atribuído valor “1”.O valor do equipamento no cuidado do pacienteé classificado da seguinte forma:• Suporte à vida: aparelhos que substituemtemporariamente funções do organismo (v=1),• Melhoria à qualidade do atendimento: equipamentosrelacionados à prestação de serviço, sem osquais dificulta-se a prestação do mesmo (v=3/4),

Activity (2)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->