Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
34Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Logica Matematica

Logica Matematica

Ratings: (0)|Views: 1,309 |Likes:
Published by Humberto

More info:

Published by: Humberto on Dec 02, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/23/2012

pdf

text

original

 
1
Lógica Matemática
Breve Histórico, Definiçõese Conceitos Básicos
Fábio Gondim
fabio.iesp# gmail.comhttp://fabio.iesp.googlepages.com
Lógica
A Lógica surge na sua expressão primeira, na obra do filósofogrego Aristóteles (séc. IV a.C.), como uma “Analítica” dasformas da linguagem através das quais se poderia concluircertas afirmaçõesa partir de certas teses estabelecidas.O que hoje podemos chamar de “Lógica”, enquanto atividadeteórica da investigação, é bastante amplo e, até certo ponto,variávelconforme a perspectivateórica que se possa assumir.Uma definição razoável seria:Lógica é o estudo sistemático do pensamento que permiteconstruir raciocínios válidos, e que possibilita distinguir osargumentoscorretos dos incorretos.
2
Uma boa explicação contida na Wikipédia(http://pt.wikipedia.org )
“A gica é uma ciência de índole matemática fortemente ligada à Filosofia. Já que o pensamento é a manifestação do conhecimento, e que conhecimento busca a verdade, é preciso estabelecer algumas regras para que essa meta possa seatingida. Assim, a lógica é o ramo da filosofia que cuida das regras do bem pensar, ou do pensar correto, sendo, portanto, um instrumento do pensar. Aaprendizagem da lógica não constitui um fim em si.Ela só tem sentido enquanto meio de garantir que nosso pensamento proceda corretamente a fim de chegar a conhecimentos verdadeiros. (continua...)
3
Podemos, então, dizer que a lógica trata dos argumentos,isto é, das conclues a que chegamos atras da apresentação de evidências que a sustentam. O principal organizador da lógica clássica foi Aristóteles, com sua obra chamada Organon. Ele divide a lógica em formal material.A Lógica Formal, também chamada de Lógica Simbólica,preocupa-se, basicamente, com a estrutura do raciocínio.A Lógica Formal lida com a relação entre conceitos e fornece um meio de compor provas de declarações. Na Lógica Formal os conceitos são rigorosamente definidos, e as sentenças são transformadas em notações simbólicas precisas, compactas e não ambíguas.” (...)
Para ler o resto do artigo visite o endereço:http://pt.wikipedia.org/wiki/Lógica(com acento)
4
 
Lógica: surgimento da palavra
Originada na Filosofia grega, onde:
Logos 
Linguagem-discurso e pensamento-conhecimento.Conduziu os filósofos a indagarem se o
logos 
obedecia ou não a regras, possuía ou não normas,princípios e critérios para o seu funcionamento.
Lógica
5
Personagens e Períodos Históricos
Período Aristotélico ( +/- 390 a +/- 1840 d.C.)
Aristóteles (384 - 322 a.C)Gottfried Leibniz (1646-1716)
Período
Booleano
(+/- 1840 a +/- 1910)
George Boole (1815-1864)Augustus de Morgan (1806-1871)Gotlob Frege (1848-1925)Giuseppe Peano
Período atual (1910-...)
Bertrand Russel (1872-1970)David Hilbert (1862-1943)Kurt Gödel (1906-1978) , Tarski (1902-)
6
 
2
Conceitos Básicos
Proposição:
Na lógica proposicional é uma expressão, verbal ousimbólica, suscetível de ser dita verdadeira ou falsa. É,portanto, todo o conjunto de palavras ou símbolos queexprimem um pensamento de sentido completo. Para tantodeve ser uma declarãoafirmativaounegativanão podendo serimperativa,exclamativaouinterrogativa. Ex: O ano de 2008 é bissexto.Não foi concluída a obra.“Joaquim, vá estudar sua lição”éimperativalogo não é uma proposição.“Qual foi o resultado da loteria?”éinterrogativalogo, também não é uma proposição.
7
Princípios Fundamentais da Lógica Proposicional
A lógica matemática adota como regras fundamentais osseguintesprincípios ou axiomas:(I) PRINPIO DA IDENTIDADE - Aquele que afirma aidentidade de determinada coisa com ela mesma. Pode serassim enunciado:Toda coisa é o que é.(II) PRINCÍPIO DA NÃO CONTRADIÇÃO: Uma proposição nãopode ser verdadeira e falsa ao mesmotempo.(III) PRINPIO DO TERCEIRO EXCLDO: Qualquerproposição é verdadeira ou falsa, não podendo ser nada maisdo que isso.
8
Proposição simples ou atômica:
É aquela que não contém nenhuma outraproposão como parte integrante de simesma.Exemplos:1)A lua é quadrada.2)A lua é redonda.Veja pelos exemplos acima que umaproposição pode ser falsa (A lua é quadrada)ou verdadeira (A lua é redonda).
9
Proposição composta ou molecular:
É aquela que contém pelo menos uma outraproposição mais simples que ela mesma.Exemplo:Pedro estudaetrabalha.Equivale a:
Pedro estuda Pedro trabalha.
É a conjunção de duas proposições simples,logo a conclusão dependerá do resultado deambas.
10
Proposição fechada:
É aquela que podemos garantir com todacerteza que é verdadeira ou que é falsa.Ex.: 5 + 5 = 10.
Proposição aberta:
É aquela que contém uma variável, umelemento desconhecido, e, portanto nãopodemos tirar nenhuma conclusão sobre oseu resultado.Ex.:
x
+ 5 = 10.
11
Modos de Negação de uma proposição:
Antepondo-sea expressão “não” ao seu verbo:
Jorge gosta de mamão.Jorge não gosta de mamão 
.Retirando-se a negação antes do verbo:
Paulo não é dentista.Paulo é dentista 
.Substituindo-se um termo da proposição por umantônimo:
A casa é bonita .A casa é feia 
.
12
 
3
Negação de “Todo”:
Considere a afirmação:Todo gato come alface.Se você quiser negar esta afirmação o deveráargumentar que nenhum gato come alface. Existindo umgato que não come alface já muda o resultado daafirmaçãofeita.Portantoa negação será:Algum gato não come alface.Ou se preferir:Pelo menosum gato não come alface.
13
Negação de “Nenhum”:
Considere a afirmação:Nenhum gato come alface.Se você quiser negar esta afirmação não deveráargumentar que todo gato come alface. Existindo umgato que coma alface já muda o resultado da afirmaçãofeita.Portantoa negação será:Algum gato come alface.Ou se preferir:Pelo menosum gato come alface.
14
Negação de “Algum”:
Considere a afirmação:Algum gato come alface.Está sendo argumentado que pelo menos um gatocome alface. Neste caso será necessário que nenhumgato coma alface para negar a afirmação que pelomenosum o faz.Portantoa negação será:Nenhum gato come alface.
15
Argumento:
Raciocínio, indício ou 
prova 
pelo qual se tira uma conseqüência ou dedução 
(DicionárioAurélio).Um argumento é um conjunto de proposiçõesem que se pretende justificar ou defenderuma delas, a concluo, com base nasoutras, que se chamam premissas.
16
Paradoxo (antinomia):
Considere a sentença:
Esta sentença não é verdadeira.
Há duas opções:A sentença éverdadeiraou éfalsa. Suponha que a sentença seja verdadeira. Então,chegamosao resultado de que a sentença é falsa.Agora suponha que a sentença seja falsa. Então,contraditoriamente chegamos ao resultado de que asentençaé verdadeira.Em ambos os casos, chega-se a conclusão de que asentençaé verdadeira e falsa.Este tipo de paradoxo ficou conhecido comoparadoxo domentirosoe foi descoberto pelo filósofo grego Eubúlidesde Mileto (384-322 a.C.).
17
Um paradoxo que é muito encontrado em livros e sites da internet (compequenas variações) é o paradoxo da prova surpresa:
“Imagine que o período letivo acabe no próximo dia 30. Dez dias antes,o professor ameaça os alunos, dizendo que até o fim desse período letivo haverá uma prova surpresa.” “Porém é impossível a aplicação dessa prova surpresa: a prova não pode ser no dia 30, que é o último dia de aula, pois, no fim do dia 29,não havendo ela ocorrido, ainda, os alunos já saberiam que a prova seria no dia 30 (e assim não seria mais surpresa). Sendo assim, o dia 29 passa a ser o último dia possível para que o professor aplique uma prova surpresa. Mas então, no fim do dia 28, os alunos já saberão que prova seria no dia 29, e ela deixaria de ser surpresa. Esse raciocínio pode ser estendido dia por dia, de forma que não resta ao professor nenhum dia para a aplicação de uma prova realmente surpresa.” 
Por este raciocínio é impossível a aplicação da prova surpresa, mas seela for aplicada no dia 25, por exemplo, terá sido sim uma surpresa,pois os alunos não sabiam que seria naquele dia.
18

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->