Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
6Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Restrospectiva Estadão - 2001

Restrospectiva Estadão - 2001

Ratings: (0)|Views: 4,315 |Likes:
Published by dlimasouza

More info:

Published by: dlimasouza on Dec 03, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/13/2013

pdf

text

original

 
Produto: ESTADO - BR - 1 - 31/12/01 CompositeH1 -Produto: ESTADO - BR - 1 - 31/12/01 CompositeH1 -
O ANO COMEÇACOM SURPRESA: AECONOMIA VAIBEM
FHC: “VAMOSSEGUIRCOM ASREFORMAS”
NA EDUCAÇÃO, ÉHORA DEREFORÇARA QUALIDADE
CENÁRIOSPARA2002
ÉINDISPENSÁVELREFLETIRSOBREASCAUSASDO TERROR
Pag. H10Pág. H2Pág. H5 Pág. H7
O ESTADO DE S. PAULO
Oatentado de 11de setembromarcou o iníciodo século. O Brasil perdeu Mário Covas, RobertoCampos e Jorge Amado, e celebrou a queda de três senadores.Aqui, osfatosdo ano quetermina
OQUE FOI 2001
11 DESETEMBRO
H
1
2% 5% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 95% 98% 100%
PB
2% 5% 10% 15% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 85% 90% 95% 98% 100%
COR
%HermesFileInfo:H-1:20011231:
 
Produto: ESTADO - BR - 2 - 31/12/01 CompositeH2 -Produto: ESTADO - BR - 2 - 31/12/01 CompositeH2 -
O ANO EM QUEA POLÍTICA EXTERNA GANHOU BRILHO
FERNANDOHENRIQUECARDOSO
O
Brasil tem atravessa-do desafios importan-tes nos últimos anos:as turbulências financeirasinternacionais, a mudançado regime cambial, a crisede energia, a desaceleraçãoda economia mundial, os re-flexos da situação da Argen-tina. Mas nenhum delesafastou o governo do rumotraçado.Somos hoje um país alicer-çado em estruturas sólidas.Transformações significati-vas já aconteceram. Transfor-mações no plano da socieda-de, na economia, no sistemaprodutivo e no Estado.Ao contrário do que al-guns pensam ou dizem, não éde menos reformas e mudan-ças que o Brasil precisa ago-ra. Para continuar a avan-çar, é imperativo persistir nocaminho das reformas e dastransformações.Pode ter havido erros. Masestivemos sempre abertos areconhecê-los e, naturalmen-te, a corrigi-los.Mas, ao mesmo tempo, épreciso ter consciência de al-go fundamental: o que estádando certo no País deve con-tinuar. Estamos vivendouma nova era, e nada do quefizemos foi poracaso. Coloca-mos em marcha um projetode país. Um projeto centradona modernização econômicae na transformação social.Estamos construindo umBrasil novo. Um Brasil ondeas coisas se tornam mais pre-visíveis, onde passou a serpossível planejar, onde gover-no e sociedade trabalham juntos, onde as oportunida-des existem, onde o Estadonão tolhe o espírito de inicia-tiva e, sim, cria os marcos re-gulatórios para a atividadeeconômica. Enfim, um Brasilonde se pode investir, ondese pode lutar por um empre-go, vivercom liberdade, e on-de cada um é capaz de prepa-rar o dia de amanhã.A estabilidade monetáriaque conseguimos com o Realfoi apenas o começo. Avança-mos, em seguida, nas privati-zações, quebramos os mono-pólios, lançamos o Brasil emAçãoe, depois, o Avança Bra-sil, definimos os novos mode-los de gestão da coisa públicae os programas integrados pa-ra a área social. Além disso,o País experimentou, ao lon-go desses últimos anos, umprocesso de fortalecimentoconstante da cidadania.Sem dúvida, muito aindaprecisa ser feito para que es-se novo Brasil esteja plena-mente consolidado – com suaeconomia mais forte e maiscompetitiva, com a obtençãode níveis razoáveis de empre-go e de renda, com um Esta-do mais aparelhado para de-dicar-se às questões sociais ecom as condições necessáriaspara enfrentaros desafios domundo globalizado.Poderíamos hoje estarcres-cendo a taxas mais altas, nãofossem as dificuldades queafetam a economia interna-cional, sobretudo nos paísesricos. Mesmo assim, deve-mos crescerem 2002 algo emtorno de 3 %, o que não é pou-co nas circunstâncias atuais.Mas, se isso é verdade, seainda falta para que esse no-vo Brasil seja um país maispróspero e mais justo, é im-possível deixarde reconheceralgumas coisasque estão acon-tecendo.Estamos fa-zendo uma ver-dadeira revolu-ção na educa-ção brasileira.Quasetodas ascriançasbrasi-leiras já estão na escola e, emalgum tempo, o analfabetis-mo não existirámais no Brasil.Temos obti-do, dentro e fo-ra de suas fron-teiras, êxitos re-conhecidos napolítica de saú-de, como na re-dução da mortalidade infan-til e na questão do acesso aosmedicamentos para o comba-te ao vírus HIV/aids. Afirma-mos e defendemos, com su-cesso, o princípio de que aspatentes farmacêuticas po-dem e devem ser protegidas,mas não ao custo de vidas hu-manas. Esta foi uma vitóriasignificativa do País.Estamos reduzindo o nívelde pobreza, com a sensívelmelhora em praticamente to-dos os indicadores sociais.Desde o início do Real, mi-lhões de brasileiros ingressa-ram no mercado de consu-mo, e lembro que o Censo de2000 registrou um aumentode 41,9 % na renda médiados brasileiros ao longo dosanos 90.Construímos a maior redede proteção social que já sefez no Brasil. São programasde assistência e transferên-cia direta de renda aos maispobres, como o Bolsa-Esco-la, o Bolsa-Alimentação, aPrevidência rural, o Seguro-Renda para as vítimas da se-ca, a erradicação do traba-lho infantil, entre outros.Estamos fazendo a maiorreforma agrária da históriado capitalismo. Assentamosmaisde500mil famílias,e ho- je a maior reivindicação feitaao governo nesse setor não éporterra, mas por crédito.Somos um dos países quemais recebem investimentosdiretos estrangeiros em todoo mundo. Hoje, recebemosem média quase US$ 2 bi-lhões desses investimentospor mês, ao passo que antesdo Real quantias dessa or-dem ingressavam no País emum ano inteiro.No campo científico e tec-nológico, temos feito avan-ços importantes. Formamosmais de 6 mil doutores porano. Criamos vários fundosde apoio à pesquisa. Cadavez mais, generaliza-se noPaís o uso das tecnologias deinformação.Ao mesmo tempo, estamoslutando com bastante vigorpor nossos interesses econô-micos e comerciais no planointernacional. Este é o nossodia-a-dia no âmbito daOMC, na discussão da Alca,nas negociações com aUnião Européia. Isto sem fa-lar nas disputas comerciaisfreqüentes que levamos a ca-bo nos mercados dos paísesdesenvolvidos.Nenhum dos avanços queo Brasil tem alcançado é ca-sual. Fazem parte da políticade crescimento sustentadocom justiça social que inicia-mos com o Plano Real. Sãoavanços concretos, que secomplementam uns aos ou-tros, interli-gando-se emum grandeesforçonacio-nal, esforçocoerente, queestá mudan-do a face doBrasil, tantointernamen-te quanto emnossa inser-ção na econo-mia global.Se antes oPaís viviaaos sobressal-tos, ao saborde medidasilusórias esob o riscopermanentedo descrédi-to internacio-nal, hoje ga-rantimosaes-tabilidade, aorganizaçãodas contaspúblicas, a responsabilidadefiscal e a tarefa de reconstru-ção do Estado. Foi isso o quepermitiu que o governo pu-desse cuidar principalmentedaquilo que é seu papel e res-ponsabilidade, como a educa-ção e a saúde, deixando à ini-ciativa privada as tarefasque elaé mais competente pa-ra realizar.Graças a todas essas con-quistas, já começamos a pa-gara dívida social do Brasil.OBrasil novo que estamostornando realidade não po-de parar. Não pode dar lu-gar ao Brasil de estruturaspolíticas e econômicas arcai-cas, ao Brasil das visões re-trógradas que a sociedade jásuperou e não aceita mais.Para os brasileiros de ho- je, a realização do grandedestino do País já não é umobjetivo distante. Vemoscom clareza, no horizonte, oBrasil mais forte e mais jus-to que sempre lutamos poralcançar.O projeto em que estamosengajados é o que abre asportas do nosso futuro.Esse futuro está à nossavista. Na verdade, já come-çou. Mas não podemos des-cansar sobre os louros dasconquistas já realizadas. Te-mos de perseverar, agora enos próximos anos, para darcontinuidade à obra inicia-da. Esse trabalho diário é dogoverno, da sociedade, de ca-da um de nós.
JAN EIRO
1 – Mais de 5.550 prefei-tos de todo o País assumemo cargo preocupados em con-trolar gastos, conforme pre-vê a Lei de Responsabilida-de Fiscal.2 – O saldo da balança co-mercial fechou 2000 com dé-ficit de US$ 691 milhões.Apesardisso, o resultado é omelhor em seis anos.9 – Arrecadação federalbateu recorde histórico em2000, chegando a R$ 176 bi-lhões. O brasileiro pagou R$166,18 bilhões em impostos,o equivalente a 15,35% doProduto Interno Bruto(PIB).– Decreto regulamenta alei que permite à Receita aquebra de sigilo de contri-buintes sob investigação.12 – Morre o bicampeãoolímpico Adhemar Ferreirada Silva.15 – Médicos revelam queo governador de São Paulo,Mário Covas (PSDB), estácom câncer na meninge.18 – O Vasco bate o SãoCaetano por 3 x 1, na finalda Copa João Havelange.20 – O republicano Geor-ge Walker Bush, texano de54 anos, toma posse como43.º presidente dos EUA.21 – O papa João Paulo IInomeia 37 integrantes doColégio dos Cardeais, quedefinirá o nome do seu su-cessor, entre eles os arcebis-pos de São Paulo, d. Cláu-dio Hummes, e Salvador, d.Geraldo Majella Agnelo.24 – Um vazamento degás na plataforma P-37 daPetrobrás, na Bacia de Cam-pos, Rio, provoca grave ex-plosão e a morte de dois ope-rários.26 – Terremoto de 7,9graus na escala Richter ma-ta cerca de 30 mil na Índia.29 – Decretada a prisãodomiciliardo ex-ditadorchi-leno Augusto Pinochet.31 – Condenado à prisãoperpétua o líbio Abdel Bas-set al-Megrani, acusado decausar a explosão de umBoeing da Pan Am sobre Lo-ckerbie, Escócia, em 1988.
FEVEREIRO
2 – EUA e Canadá suspen-dem a importação de carnebovina do Brasil porcausa dadoença da vaca louca.
 Fernando Henrique discursa na Assembléia Nacional da França:pronunciamento interrompido nove vezes por aplausos
2002:CERIOS
 Ao receber no Palácio do Planalto a primeira-ministra da Nova Zelândia, HelenClark, FHC não perde a fleuma diante deum integrante da comitiva e segue o cumprimento ritual maori:gesto significa troca do sopro da vida
Para continuara avançar, éimperativopersistir nocaminhodasreformas
O FUTURO COMEÇOU
FATOSDOANO
     J    o     é     d    s    o    n     A     l    v    e    s     /
      A      E
     E     d     F    e    r    r    e     i    r    a     /
      A      E
     J    o    s     é     P    a    u     l    o     L    a    c    e    r     d    a     /
      A      E
 FHC, Ruth, Cherie e Tony Blair posam nasCataratas do Iguaçu:grupo voltaria a se reunir na Inglaterra, na companhia de Bill Clinton
     M     ô    n     i    c    a     Z    a    r    a     t     t     i    n     i     /
      A      E
 Encontro com GeorgeW. Bush emWashington: defesa deuma“globalização solidária”, com maior participação dos países em crescimento nos foros de decisão
2% 5% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 95% 98% 100%
PB
2% 5% 10% 15% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 85% 90% 95% 98% 100%
COR
%HermesFileInfo:H-2:20011231:
H
2 -O ESTADO DES.PAULO
ESPECIAL
SEGUNDA-FEIRA, 31 DEDEZEMBRO DE2001
 
Produto: ESTADO - BR - 3 - 31/12/01 CompositeH3 -Produto: ESTADO - BR - 3 - 31/12/01 CompositeH3 -
UM GOLPENA IMPUNIDADE
Congresso restringe a imunidade e começa a moralizar os hábitos políticos do País
4 – O compositor Her-bert Vianna, de 39 anos, dogrupo Paralamas do Sucesso,sofre acidente de ultraleveem Mangaratiba, Rio, noqual morre sua mulher, LucyNeedham.6 – Depois de ter registra-do queda de 2%em 1998 e de0,7%em 1999, a produção in-dustrial brasileira cresceu6,5%em 2000, segundo o Ins-tituto Brasileiro de Geografiae Estatística (IBGE).14 – O presidente nacionaldo PMDB, Jader Barbalho(PA), é o novo presidente doCongresso. Na Câmara, oeleito é o líder do PSDB, Aé-cio Neves (MG).– O PIB do Brasil cresceu4,2% em 2000, superando aexpectativa oficial de 4%, namaiorexpansão desde 1995.18 – Cerca de 23.500 deten-tos se rebelam quase simulta-neamente em 25 presídios de22 cidades de São Paulo, nomaior motim do sistema car-cerário do País, fazendo cer-ca de 10 mil reféns.21 – O cantor e compositorbaianoJoão Gilbertoconquis-ta o Grammy na categoriaWorld Music, com o álbum
 João Voz e Violão
.22 – Divulgação de fitacom uma conversa entre o se-nador Antonio Carlos Maga-lhães (PFL-BA) e procurado-res da República acirra a cri-senabase dogoverno.Osena-dorinsinua que o aprofunda-mento das investigações so-bre o ex-secretário-geral daPresidênciaEduardoJorgele-variaàdescobertadeirregula-ridades que envolvem FHC.Também afirma ter a lista dequem votou contra e a favorda cassação do ex-senadorLuiz Estevão (PMDB-DF).23FernandoHenriquede-mite os ministros da Previ-dência Social, Waldeck Orné-las, e de Minas e Energia, Ro-dolpho Tourinho, afilhadosde ACM.– Os EUA e o Canadá sus-pendem o embargo às impor-tações de carne brasileira.27 – O banqueiro WaltherMoreira Salles, fundador doUnibanco, morre aos 88 anos,em Araras, Rio, vítima de en-farte fulminante.28–AImperatrizLeopoldi-nense conquista o tricampeo-nato do carnaval carioca.– A milícia Taleban ordenaa destruição de todas as está-tuas do Afeganistão, entre
A
olongodosmaisde110anosdehistóriarepubli-cana, o Congresso e asAssembléias estaduais servi-ram não só para fazerleis. Du-rante esse tempo, o Legislativorepresentou, em muitos casos,uma proteção para políticosacusados de crimes comuns.Porcausa do princípio da imu-nidadeparlamentar,elessópo-diam ser processados quandoseus pares davam autorizaçãoà Justiça. Em 2001, deputadosesenadorestiveramoméritodeacabar com essa distorção.Com a aprovação de umaemenda à Constituição, a imu-nidade foi restringida e, agora,congressistas e deputados esta-duais estão protegidos apenaspara expressar suas opiniões evotar da maneira que bem en-tenderem.Nomais,ficamsujei-tos ao cumprimento da lei co-moos demaiscidadãos.A mudança ocorre num anoem que os brasileiros acompa-nharam atentos a “novela” en-volvendo dois dos mais infuen-tes senadores dos últimos tem-pos – Antonio Carlos Maga-lhães (PFL-BA) e JaderBarba-lho(PMDB-PA)que,paraevi-tarem um processo de cassa-ção,acabaram renunciando.A restrição da imunidadeparlamentar,deimediato,colo-cou22deputadose2senadoressobriscodeenfrentarprocessosno Supremo Tribunal Federal(STF). Entre eles, o que parecemaisenredadoemsuspeitaséodeputado José Aleksandro(PSL-AC),acusadopeloMinis-tério Público de falsificação dedocumento, estelionato e des-viodedinheirodaCâmaraMu-nicipalde RioBranco.
No Congresso, estão em cur-sooutrasaçõescontra Aleksan-dro, todas por quebra de deco-ro.Logoqueostrabalhoslegisla-tivosforemretomadosem2002,o Conselho de Ética e DecoroParlamentar da Câmara deve-rádarinícioaumprocessocon-tra Aleksandro porapologia docrime e por dar proteção ao ir-mão Alexandre, que respondeporassassinato.Suplentedode-putado cassado HildebrandoPascoal, aquele apontado comochefedegruposdeextermínioedo tráfico de drogas no Acre,Aleksandro será provavelmen-te o primeiro caso de processoaberto pelo Conselho de ÉticadaCâmara.Instaladoemoutu-bro, o conselho faz parte de um“pacote ético” aprovado pelosdeputados – um passo decisivopara a moralização dos costu-mespolíticos brasileiros.
Manobra –
Em fevereiro, de-veráserlevadoàvotaçãonaCâ-mara outro projeto capaz deaperfeiçoar os mecanismos decontroleéticodoCongresso.Pe-lapropostadodeputadoOrlan-doDesconsi(PT-RS), se tornaráinelegíveloparla-mentar que re-nunciar ao man-dato para fugirdacassação, des-de que os con-gressistas levemo julgamento atéofimeconcluamque o acusadoeraculpado.Em 2001, três senadores op-taram pela renúncia para nãose tornarem inelegíveis: ACM,Jader e José Roberto Arruda(PFL-DF).ACMe Arruda,quedeixaramoSenadoemmaio,fo-ramacusadosdequebrarosigi-loda votação secreta que resul-tou na cassação do então sena-dorLuiz Estevão (PMDB-DF),em 2000. Eles negaram as acu-sações,masesbarraramnafran-queza desconcertante de Regi-naBorges,ex-diretoradoServi-ço de Processamento de Dadosdo Senado (Prodasen), que, co-mo outros funcionários do ór-gão, confirmou a participaçãodos dois na violação do painel.A fraude foi considerada peloConselho de Ética e DecoroParlamentardoSenadomotivodeaberturadeprocessoporque-bradedecoro.Em setembrofoi avez de Ja-der, que não resistiu à avalan-chedesuspeitasdeenvolvimen-to em irregularidades. Foi acu-sado de terparticipado de ope-raçõesfraudulentasnaemissãodeTítulosdaDí-vida Agrária(TDAs) – quan-do era ministroda ReformaAgrária, no go-verno de JoséSarney–, de des-viar para umaconta pessoal di-nheiro de aplica-ções do BancodoEstadodo Pará(Banpará)na época em que era governa-dor – e de fazer tráfico de in-fluência para aprovar projetosde aliados na extinta Superin-tendência do DesenvolvimentodaAmazônia(Sudam).Jader negou até o fim todasas acusações, mas ao perceberqueoConselhodeÉticaabririao processo de cassação, o que otornaria inelegível por oitoanos,nomínimo,tomouomes-morumodos ex-colegas.
RETROSPECTIVA2001
 
 Regina sob a sombra de ACM:franqueza da funcionária do Prodasen derrubou versão do cacique
FELIZ 2003FELIZ 2003
N
ã
o adianta. Por mais que a gente tente, estamos sempre pensando no futuro.
Soluções em banda larga, IP, GSM. A Ericsson sempre traz o futuro até você. Ericsson. Tecnologia aproximando pessoas.
    N   o   r    t    \    W   e   s    t
B
RASILASSISTIU À‘NOVELA’ACM-JADER
     D     i     d    a     S    a    m    p    a     i    o     /     A     E   -     3     /     5     /     2     0     0     1
2% 5% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 95% 98% 100%
PB
2% 5% 10% 15% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 85% 90% 95% 98% 100%
COR
%HermesFileInfo:H-3:20011231:
SEGUNDA-FEIRA, 31 DEDEZEMBRO DE2001
ESPECIAL
O ESTADO DES.PAULO -
H
3

Activity (6)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Leomara Evangelista added this note
vai a pena doar tudo de sei pelo outro !
mascote_polo liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->