Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
23Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
ALTERAÇÕES DO TRÂNSITO INTESTINAL

ALTERAÇÕES DO TRÂNSITO INTESTINAL

Ratings:

4.5

(6)
|Views: 20,580 |Likes:
Published by enfermagemPT

More info:

Published by: enfermagemPT on Mar 26, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC or read online from Scribd
See more
See less

05/15/2013

 
RUI PEDRO – ESSB
ALTERAÇÕES DO TRÂNSITO INTESTINAL
Secção de intestino mostrando as válvulas coniventes por vilosidades. Corte longitudinal e transversal de uma vilosidade. 
Fisiologia da digestão
Propomo-nos tratar das alterações do trânsito intestinal, abordandoos princípios fisiológicos da nutrição. A máxima "somos aquilo quecomemos" é uma verdade, mas além de uma boa assimilação dosnutrientes, que depende de uma boa digestão dos alimentos, temos de ter uma boa eliminação dos seus detritos, e portanto, um trânsito intestinalnormal.A digestão começa na boca com a mastigação originando um arcoreflexo que activa o S. N. Parassimpático (nervo vago), desencadeandouma série de reacções digestivas; os alimentos são ensalivados (pHalcalino> 7) e triturados, reduzindo-lhes as dimensões; sendo depoisdeglutidos e misturados com as secreções gástricas (pH ácido 2-3,5); é aesta mistura que se chama quimo, passando seguidamente para o intestinodelgado onde continua a sofrer os processos de digestão através dos sucosentéricos, pancreáticos e bílis; é de referir que surge aqui novamente umamudança do pH (alcaliniza-se), que varia segundo o tempo próprio dedigestão de cada constituinte alimentar (hidratos de carbono, proteínas,lípidos) e em presença de enzimas eficazes com pH específicos.
1
 
RUI PEDRO – ESSB
A passagem do quimo para o duodeno e sua progressão no intestinodelgado até à válvula íleo-cecal (transição para o intestino grosso), atravésdos movimentos peristálticos, demora entre 3 a 5h, e daí até à parteterminal do cólon (sigmoide e ampola rectal), são necessárias mais 8 a 15h.O peristaltismo é desencadeado por um reflexo local, a distensãolocalizada do intestino, e com a chegada dos alimentos, progredindo emondas sucessivas de dois tipos: as lentas, de 1 a 2 cm/60" e as rápidas, de20 a 25 cm/1".Estes tempos de digestão, provocariam normalmente 1 ou 2dejecções diárias em condições de saúde, o que infelizmente é raro, pois amaioria das pessoas sofre de obstipação.O conhecimento destes passos é que nos permite compreender etratar os problemas que surgem, quando sobrevêm alterações deste ritmo.A regulação deste funcionamento é o resultado de mecanismos de feedback (retro-informação): hormonais, pH, composição química dos nutrientes equantidade de enzimas presentes.Podemos referir por exemplo que a ingestão de café ou álcool vaiaumentar a motricidade gástrica, enquanto que o tabaco a inibe; aestimulação do S. N. Simpático inibe o peristaltismo, enquanto que o S. N.Parassimpático o excita.A quantidade de água absorvida diariamente é muito elevada: cercade 7l provenientes das secreções intestinais mais 1 ou 1,5 l de líquidos, ouágua contida nos alimentos. Destes (8 a 8,5 l), apenas cerca de 1l passará aválvula ileo-cecal para o cólon, onde serão absorvidos aproximadamente80% (restando apenas 200 ml para embeber as fezes!).A constituição das fezes é de 75% de água e os 25% sólidos são,contrariamente ao que se possa pensar, predominantementemicroorganismos mortos (30%), cerca de 140.000.000 de bactérias por 1mg de fezes! 30% resíduos do turn-over celular do epitélio da mucosaintestinal (renova-se entre 2 a 5 dias!) e matéria inorgânica. Os resíduosalimentares não digeridos, apenas formam 25 a 30% do volume das fezes(se a alimentação for rica em vegetais com muita celulose, é evidente que oresíduo será maior, pois o coeficiente de digestibilidade será menor!). Osrestantes 10% a 15% são gorduras.Para facilitar a absorção dos nutrientes, o intestino apresentainvaginações, denominadas válvulas coniventes (ou pregas de Kerckring)revestidas por vilosidades, aumentando a superfície de contacto com osalimentos (cerca de 40 m2 - o tamanho de um campo de ténis!).
2
 
RUI PEDRO – ESSB
É através destas vilosidades que são absorvidos os nutrientes, oudirectamente para a linfa (80 a 90% da gordura absorvida pelo intestino é para aí canalizada), pelos capilares linfáticos designados quilíferos, que secolectam no canal torácico que vai ter à subclávia esquerda, ou através dacirculação venosa pelas vénulas drenando para o fígado através da veia porta. Substâncias com alto peso molecular como as proteínas, só podem ser reabsorvidas através dos quilíferos, devido ao seu tamanho. Semesta função morreríamos no prazo de 24h.Depois desta sucinta explicação sobre a progressão dos alimentos notubo digestivo e considerações gerais da absorção, vamos agora falar sobreo percurso de alguns nutrientes e para isso abordaremos a circulaçãosanguínea para a compreensão da repercussão na saúde, de uma digestão perturbada quer por causas exógenas (má alimentação, agentes infecciosos,tóxicos), quer por problemas endógenos patológicos ou mistos, é do foro psicossomático.Os vasos sanguíneos do sistema gastrointestinal fazem parte dachamada circulação esplâncnica: todo o sangue que fluí pelo intestino, baço, pâncreas, segue pela veia porta. Cerca de 1l de sangue fluí para ossinusóides hepáticos cada minuto (em 5 a 6 min. passa todo o sangue donosso organismo) até ao fígado, que filtrará os diferentes constituintesatravés principalmente das células reticuloendoteliais, os macrófagos (oucélulas de Kupffer) impedindo deste modo o acesso de agentes potencialmente nocivos ao resto do organismo.Baseados nestes conhecimentos fisiológicos é que se preconiza oenema de café, 15 min. retido na ampola rectal, para desintoxicar o fígado.As células hepáticas (hepatócitos) armazenam entre 50% a 75% dosnutrientes absorvidos.Além da importante função de segregar bílis, o fígado tem outrafunção, talvez mais importante, que é a de sequestrar imunogéneos que nãoirão assim para a circulação sistémica, sobrecarregando o sistemaimunológico.Face ao exposto, compreendemos a importância, não apenas sob o ponto de vista digestivo como também para a homeostase imunológica doorganismo, do bom funcionamento hepático. Por isso não o devemossobrecarregar com tóxicos (conservantes, corantes, álcool, café, carne de porco,...).Seriam muito úteis jejuns periódicos, curas de sumos naturais,completados com clisteres de limpeza pelo menos uma vez por mês, por ex.um sábado e domingo.
3

Activity (23)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Genilson Silva liked this
Sandra Fagundes liked this
mariacesario liked this
Maria Cecília liked this
Sergio Leme liked this
Everton Sabino liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->