Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
76Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
A INDÚSTRIA CULTURAL:

A INDÚSTRIA CULTURAL:

Ratings:

4.91

(11)
|Views: 36,637 |Likes:
Published by Erica Fernandes
Este artigo pretende investigar e detectar a influência da mídia televisiva e seu alcance na formação do sujeito adolescente, nos moldes previstos pela indústria cultural. Abordamos os aspectos e padrões ditados pela televisão, que estandardizando a cultura para a massa, atua no campo ideológico-cognitivo do indivíduo conformando, desse modo, sua subjetividade.
Este artigo pretende investigar e detectar a influência da mídia televisiva e seu alcance na formação do sujeito adolescente, nos moldes previstos pela indústria cultural. Abordamos os aspectos e padrões ditados pela televisão, que estandardizando a cultura para a massa, atua no campo ideológico-cognitivo do indivíduo conformando, desse modo, sua subjetividade.

More info:

Published by: Erica Fernandes on Mar 28, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC or read online from Scribd
See more
See less

05/17/2014

 
A I
NDÚSTRIA
C
ULTURAL
:
MÍDIA
 
TELEVISIVA
 
E
 
CONSTITUIÇÃO
 
DO
 
SUJEITO
Orientação: Profª Ms Sheila Fernandes Pimenta e OliveiraAcadêmica: Érica Fernandes Silva
*
Resumo:
Este artigo pretende investigar e detectar a influência da mídia televisiva e seu alcancena formação do sujeito adolescente, nos moldes previstos pela indústria cultural. Abordamos osaspectos e padrões ditados pela televisão, que estandardizando a cultura para a massa, atua nocampo ideológico-cognitivo do indivíduo conformando, desse modo, sua subjetividade.
Palavras-chaves:
mídia,
 
televisão, sujeito, massa, indústria-cultural.
Abstract:
The present article aims at looking into the influence of the television media and towhat extent it interferes with the development of the adolescent within the standards of cultureindustry. We will be approaching patterns and aspects dictated by television, which, bystandardising mass culture, operates on the ideological-cognitive field of the subject, thusformatising its subjectiveness.
Keywords:
media, television, subject, mass, cuture industry.
*
Aluna do terceiro semestre do curso de Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda no Uni-Facef Centro Universitário, em 2005.
1
 
I
NTRODUÇÃO
[
...
]
Me conta uma história, pra rir ou pra chorar. Pra ver seainda sei sentir. Para ver se ainda sei voar.
Sérgio PererêDentre as características mais veementes da indústria cultural, destaca-se seu poder em destituir dos indivíduos a autonomia em julgar e decidir. Se a revolução industrialmecanizou a relação entre homem e trabalho, a indústria cultural mecanizou a relação entre ohomem e sua própria subjetividade. Se as políticas neocolonialistas conquistavam consumidoresna África, os tecno-conquistadores s-modernos desbravam Áfricas nas almas dosconsumidores. Pois é no espaço etéreo da alma humana que fica a arena dos novos colonizadores.Desde o surgimento da mídia televisiva, vem-se configurando um interessantefenômeno social: cada vez mais o aparelho televisor funciona como centro de convergência queacolhe o espírito gregário do ser humano. Num processo dialógico-dialético, a sociedadecontemporânea constrói e é continuamente reconstruída pela televisão.Desde muito jovens, as pessoas sentam-se ante o objeto mágico, esperando que eleresponda à primordial questão filosófica: quem são? O aparelho responde. É dele que se absorvegrande parte do instrumental cognitivo que orienta nossa constituição enquanto indivíduos.Tal como um rito pós-moderno, o hábito de assistir à TV produz marcas noespectador. As imagens sucedem-se rapidamente, fragmentadas, provocando sensações,despertando desejos e necessidades e por que não constituindo a identidade do sujeito?Por isso, o objetivo desta pesquisa consiste em investigar e detectar até que pontoo discurso propagado pela mídia televisiva instala-se no processo de constituição do sujeitodentro dos moldes previstos pela indústria cultural.Para tanto, pesquisamos o público adolescente, alvo significativo da comunicação publicitária presente nos programas televisivos. A metodologia utilizada consiste, além de pesquisa de campo, em pesquisa bibliográfica que abrange os temas da indústria cultural e dareprodutibilidade e da aparelhagem técnica fundamentais à sua constituição; conforme estudados por Adorno, Benjamin, Eco e outros. A filosofia da linguagem, em Bakhtin, permite a construçãodo sentido sendo determinada pelo contexto ideológico, e a autoridade do tempo tecnológico datelevisão, conforme Ortiz Ramos e Maria Thereza Fraga Rocco.2
 
1 P
ERSPECTIVA
T
EÓRICA
1.1 Indústria Cultural: arte e aparelhagem técnica
Antes de nos aprofundarmos na análise do discurso televisivo, faz-se necessárioapresentar os moldes em que a indústria cultural instaurou-se, do novo nicho da obra de arte e doadvento do aparato técnico sem o qual a cultura de massa não teria êxito.Aliás, o termo cultura de massa, desencadeia já uma certa ilusão. Faz pensar que éuma cultura produzida espontaneamente pela própria massa, enquanto, na realidade, significa acultura produzida industrialmente
 para
a massa, com a finalidade de engendrar o tempo livre dohomem dentro da cadeia do consumo (ADORNO, 1990, p. 160). No entanto, antes de ilustrar asconseqüências da indústria cultural, é preciso demonstrar sua matéria-prima, arte; e o público aquem se destina, a massa.A arte, em seus primórdios, apresentava uma função ritualística de culto. Areprodução da obra era impensável, pois sua autenticidade consistia nesta
aura
que só o original podia transmitir. Conforme Benjamin, as técnicas de reprodução desauratizam a arte, conferindo-lhe atualidade permanente que, reproduzível, ela se oferece em qualquer circunstância(BENJAMIN, 1983, p. 9).A arte
1
assim aviltada não estabelece um diálogo honesto com o homem, pois este já não a visita plenamente no contexto da reprodução e do aparato técnico, que tiraniza a intençãoda obra. Um homem que contempla um quadro transporta-se para seu interior. Tem assimautonomia crítica para assimilar seu conteúdo.Todavia, as imagens projetadas pela TV, “arte” consumida calçando meias esorvendo café em confortáveis poltronas, é que se transportam para o deserto árido que se tornoua mente humana. A velocidade de sucessão destas imagens não permite contemplações, o olhocansa-se inutilmente em tentar fixar alguma cena (BENJAMIN, 1983, p. 25). E a própriamontagem das cenas ilude o olho. A mediação existente entre a interpretação do ator (a obra) e o
1
 
“Sempre foi uma das tarefas essenciais da arte a de suscitar determinada indagação num tempo ainda não maduro para que se recebesse plena resposta”
(BENJAMIN, 1983, p. 23). No contexto em que surge a indústria culturaltorna-se impensável a arte executando tal papel, visto que ela se coloca a serviço do sistema, obedecendo à lei daoferta e da procura e, portanto, privando-se de qualquer conteúdo crítico.
3

Activity (76)

You've already reviewed this. Edit your review.
ClaudiaCardoso added this note
Ó
ClaudiaCardoso liked this
1 thousand reads
1 hundred reads
Suellen Samara liked this
Israel Rocha liked this
Diogo Lopes liked this
Henrique Amorim liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->