Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
4Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
19 Necessidades de saúde comuns aos idosos efetividade na oferta e utilização em atenção básica à saúde

19 Necessidades de saúde comuns aos idosos efetividade na oferta e utilização em atenção básica à saúde

Ratings:

4.67

(3)
|Views: 941|Likes:
Published by bioestatistica
Artigo para trabalho final
Artigo para trabalho final

More info:

Published by: bioestatistica on Mar 28, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/08/2014

pdf

text

original

 
657
 R I   G O  R I   C 
Necessidades de saúde comuns aos idosos:efetividade na oferta e utilização em atençãobásica à saúde
Health care needs ofthe old aged:effectivenessin the offer and use ofprimary health care services
1Departamento deMedicina Social,Faculdade de Medicina.Av.Duque de Caxias 250,96030-002,Pelotas RS.piccini@terra.com.br2Universidade Católicade Pelotas.3Secretaria Municipalda Saúde de Pelotas.
Roberto Xavier Piccini
1
Luiz Augusto Facchini
1
Elaine Tomasi
2,3
Elaine Thumé
1
Denise Silva Silveira
1,3
Fernando Vinholes Siqueira
1,2
Maria Aparecida Rodrigues
1,3
Abstract
The effectiveness ofthe primary careoffered and the use ofthese services made by theaged population approached in the baseline stud-ies ofthe PROESF conducted by the UFPel in-cluded 41 municipalities ofthe States Alagoas,Paraíba,Pernambuco,Piauí and Rio Grande do Norte,Rio Grande do Sul and Santa Catarina.This transversal study was designed to character-ize the structure and work process of234 UBS,4,749 workers and 4,003 aged people.The worst social indicators were observed in the Northeast ofthe country and in the PSF.There was a great need for regular domestic care and the prevalencerates ofSystemic Arterial Hypertension (SAH)and Diabetes Mellitus (DM) were high.The useofprotocols in domestic care was not very fre-quent and only halfofthe workers were capaci-tated to providing care to SAH and DM.Halfof carriers ofSAH and DM used the UBS oftheir re- gion,practically all ofthem used medication,half ofthe individuals obtained their medication inthe UBS and less than the halfparticipated in the group activities in the UBS.A loss in effectivenesswas observed in both in the offer and in the use of services.A comparison showed the performanceofthe PSF to be better that the traditional model.
Key words
Health ofthe aged,Family HealthProgram,Assessment ofhealth services,Observa-tional studies on public health interventions
Resumo
 A efetividade na oferta de serviços bá-sicos e sua utilização por idosos abordada no Es-tudo de Linha de Base do Proesfconduzido pelaUFPel incluiu 41 municípios dos Estados de Ala- goas,Paraíba,Pernambuco,Piauí e Rio Grandedo Norte,Rio Grande do Sul e Santa Catarina.Odelineamento transversal caracterizou a estruturae o processo de trabalho de 234 UBS,4.749 traba-lhadores e 4.003 idosos.Os indicadores sociais re-velaram pior comportamento na região Nordestee nas comunidades do Programa Saúde da Famí-lia (PSF).A necessidade de cuidados domiciliaresregulares,a prevalência de Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) e de Diabetes Mellitus (DM) fo-ram elevadas.Metade dos serviços oferecia bar-reiras arquitetônicas.O uso de protocolos para ocuidado domiciliar foi pouco freqüente e a capa-citação para o cuidado de HAS e DM alcançou ametade dos trabalhadores.Metade dos portadoresde HAS e DM usaram a Unidade Básica de Saú-de (UBS) da área; praticamente todos usavammedicação,a metade obtinha a medicação naUBS e menos da metade participava das ativida-des de grupo na UBS.Perda de efetividade foi ob-servada na oferta e na utilização de serviços.Odesempenho do PSF foi melhor quando compara-do ao modelo tradicional.
Palavras-chave
Saúde do idoso,Programa Saú-de da Família,Avaliação de serviços de saúde,Es-tudos observacionais sobre intervenções em saúde pública
 
      P      i    c    c      i    n      i  ,      R .      X .
  e   t  a    l .
658658658658658658658658658658658
Introdução
O SUS apresenta como porta de entrada no sis-tema a Atenção Básica à Saúde (ABS),nível emque aproximadamente 80% das necessidadesde saúde de uma comunidade adstrita devemser abordadas de maneira resolutiva.Neste ní-vel,o Programa Saúde da Família (PSF) ocu-pou destacado papel nos últimos anos comoestratégia indutora de eqüidade
1
.O cuidado dos idosos implica ofertar servi-ços cuja estrutura apresente características quepossibilitem o acesso e o acolhimento de ma-neira adequada,respeitando as limitações queproporções relevantes de idosos apresentam
2
.Os trabalhadores destes serviços devem es-tar capacitados em termos de conhecimentos,habilidades e atitudes para elaborar e operarprotocolos para ações programáticas específi-cas às necessidades deste grupo populacionalde maneira integrada com as demais práticasda rede de cuidado social
3
.Esta exigência setorna mais relevante quando se identifica a ca-rência de especialistas e de serviços especializa-dos neste núcleo do conhecimento à disposi-ção do SUS
4
.A avaliação da oferta e da utilização dos ser-viços de ABS por idosos permite medir a efeti-vidade da política direcionada a este grupo po-pulacional
5
.O século que se inicia apresenta a perspecti-va de revelar uma população idosa mais repre-sentada,tornando com isto a saúde dos idososum dos grandes desafios para a saúde pública
6
.Na região Nordeste do Brasil encontram-secerca de 9% de idosos na população,sendo estaa menor proporção do País.A participação dosidosos na população alcança cerca de 10% naregião Sul.A maior proporção de idosos é ob-servada nos municípios de até 10 mil habitan-tes,diminuindo à medida que a população mu-nicipal cresce até alcançar o patamar de 300mil habitantes,quando volta a crescer em fun-ção do aumento da população do município
4
.O crescimento da população idosa brasilei-ra tem provocado alterações profundas na so-ciedade.Este impacto,que deverá ser aindamaior no futuro
7
,é sentido na economia,nomercado de trabalho,nas relações familiares eno sistema de saúde.O adequado enfrentamento das demandascausadas pelo envelhecimento da populaçãosignifica reconhecer a projeção da OrganizaçãoMundial da Saúde de que até 2025 o Brasil seráo sexto país do mundo em número de idosos erequer o conhecimento das características des-ta demanda
8,9
.A Política Nacional do Idoso foi regula-mentada pela lei n
o
8.842,de 4 de janeiro de1994 – Cap.IV,art.10,dispondo sobre os cui-dados de saúde direcionados a este grupo po-pulacional.O Estatuto do Idoso,lei n
o
10.741 de 1
o
deoutubro de 2003,prescreve diretrizes para ocuidado,com objetivos de prevenção e manu-tenção da saúde deste grupo populacional,in-cluindo ações de:Cadastramento da população idosa em ba-se territorial.Atendimento domiciliar incluindo a inter-nação para o idoso que precisar e estiver impos-sibilitado de se locomover,inclusive para aque-les abrigados e acolhidos por instituições pú-blicas,filantrópicas ou sem fins lucrativos eeventualmente conveniadas com o Poder Pú-blico nos meios urbano e rural.Fornecimento gratuito,pelo Poder Público,de medicamentos,especialmente os de uso con-tinuado,assim como próteses,órteses e outrosrecursos relativos ao tratamento,habilitação oureabilitação.As diretrizes e metas para a Reorganizaçãoda Atenção à Hipertensão Arterial Sistêmica(HAS) e a Diabetes Mellitus (DM) no SistemaÚnico de Saúde prevêem a atualização dos pro-fissionais da rede básica,a garantia do diagnós-tico e da vinculação do paciente às unidades desaúde para tratamento e acompanhamento,apromoção,reestruturação e ampliação do aten-dimento resolutivo e de qualidade para os por-tadores dessas patologias
10
.As prescrições brasileiras revelam intençõespara o cuidado integral dos idosos em sintoniacom as experiências de países da União Euro-péia.Na Itália,dentre os modelos inovadores,destaca-se o compartilhamento de informaçõesentre os profissionais de diferentes setores.Apadronização da comunicação,por meio deprotocolos e formulários,está sendo desenvol-vida na Dinamarca e na Alemanha.A incorpo-ração de abordagem multidisciplinar é experi-mentada na Inglaterra e na Itália.A definiçãode um único serviço de referência para o cui-dado de cada idoso,estabelecendo sua vincula-ção com quem promove o cuidado,é citada naHolanda e Inglaterra
11
.A avaliação da implementação das políticasde saúde dirigidas aos idosos se reveste de sig-nificado especial para o direcionamento de re-cursos de maneira eficiente,eficaz e eqüânime
12
.
 
 C i   ê  n c i   a  &  S  a  ú  d  e  C  ol   e  t  i   v a  , (   3  )   :  6  5  7 - 6  6  7  , 0  0  6 
659
O Estudo de Linha de Base (ELB) para o Moni-toramento e Avaliação do Projeto de Expansãoe Consolidação do Saúde da Família (Proesf),realizado pela Universidade Federal de Pelotasnas regiões Sul e Nordeste,obteve informaçõessobre a efetividade da oferta e utilização de ser-viços básicos de saúde em uma amostra popu-lacional de idosos
11
.Tomando como referência as prescrições dalegislação e as recomendações para este segmen-to da população,o artigo apresenta análise emrelação aos cuidados domiciliares e a portado-res de necessidades crônicas como HAS e DM.O artigo também examina a plausibilidade deque o PSF determine uma maior efetividade naoferta e utilização destes cuidados do que omodelo tradicional (Figura 1).
Metodologia
O delineamento transversal do ELB utiliza gru-pos de comparação segundo o modelo de aten-ção básica à saúde e articula medidas de múlti-plos níveis de agregação,as dimensões sob es-tudo (político-institucional,organizacional daatenção,cuidado integral e desempenho do sis-tema) e os níveis de análise empírica (gestão,unidades básicas de saúde e população)
13
.Paraa comparação da efetividade dos modelos deatenção nas regiões estudadas,as UBS foramestratificadas em Tradicionais e PSF.O universo do estudo foi constituído pelatotalidade dos 41 municípios de mais de 100mil habitantes,que compunham os Lotes 2 dasregiões Sul e Nordeste,incluindo os Estados doRio Grande do Sul e Santa Catarina,na regiãoSul,e Alagoas,Paraíba,Pernambuco,Piauí e RioGrande do Norte,na região Nordeste
14
.Umaamostra estratificada por múltiplos estágios
15,16,17
selecionou unidades básicas de saúde,pro-fissionais de saúde,usuários e indivíduos resi-dentes na área de abrangência dos serviços.Aamostra de UBS foi proporcional ao tamanhoda rede básica de saúde de cada município
1
.Em cada UBS foram entrevistados todos ostrabalhadores de saúde em atividade.Foramincluídos os profissionais de saúde de nível su-perior,os profissionais de nível médio e os Agen-tes Comunitários de Saúde.Considerando a fal-ta de um denominador confiável,a amostra se-lecionada foi confrontada com o registro de pro-fissionais lotados na UBS,obtido através do ins-trumento de avaliação da estrutura dos serviços.A amostra populacional de idosos (pessoascom 65 anos ou mais) foi localizada na área deabrangência de cada uma das UBS.A estratégiapara delimitação da área de abrangência incluiua obtenção prévia do mapa da área de abran-gência das UBS,uma estimativa populacional apartir das áreas censitárias do IBGE
8
.Estimou-se uma amostra de 2.100 indivíduos em cadauma das regiões estudadas,cujo tamanho seriasuficiente para examinar diferenças de 25% a30% entre os modelos de atenção (PSF x Tradi-cional),com um poder estatístico de 80% e pre-valências dos desfechos de,no mínimo,25%.Para a composição total da amostra foram esti-
Figura 1
Modelo teórico referencial para avaliar a efetividade do cuidado dos idosos.Estudo de Linha de Base da ABS/ PSF.UFPel/ MS,Pelotas,2006.
Idosos nacomunidadeOfertaUtiliza
çã
oPrescri
çã
oEfetividadeTradicionalPSF
   C  u   i    d  a    d  o  s    d  o  m   i  c   i    l   i  a  r  e  s   D   i  a    b  e   t  e  s  m  e    l    l   i   t  u  s   H   A   S

Activity (4)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Davi Nunes liked this

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->