Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
8Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
rodrigo_luz_direito_internacional_material_05

rodrigo_luz_direito_internacional_material_05

Ratings: (0)|Views: 166|Likes:
Published by Ricardo Palma

More info:

Published by: Ricardo Palma on Dec 29, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/25/2013

pdf

text

original

Apostila de Direito Internacional Público – Prof. Rodrigo Luz
_________________________________________________________________________________________

Canal dos Concursos - Cursos preparatórios
Avenida Beira Mar, 406, sala 1004 - Centro - Rio de Janeiro - Rj - Cep: 20021-060
contato@canaldosconcursos.com.br

1
4. Sujeitos de Direito I nternacional Público: Estados soberanos
Personalidade
Originária vs. Derivada: Estados vs. Organizações Internacionais
Elementos Constitutivos do Estado
Convenção Pan-Americana sobre Direitos e Deveres dos Estados (Montevidéu, 1933):
“Artigo 1o - O Estado, como pessoa de Direito Internacional, deve preencher
os seguintes requisitos:
a) Ter uma população permanente;
b) Possuir um território definido;
c) Possuir um governo;
d) Ter capacidade para estabelecer relações com outros Estados”.
Considerações acerca de:
- necessidade der e c o n h e c i m e n t o por parte dos demais Estados; e
-f i n a l i d a d e s de garantia existencial e de desenvolvimento social e do cidadão.
Reconhecimento de Estado vs. Reconhecimento de Governo
Reconhecimento de Estado: Natureza declaratória, não constitutiva.
Formas de reconhecimento: expressa ou tácita.
Reconhecimento de governo: argüido quando ocorre uma ruptura política.

Segundo Accioly, “O reconhecimento do novo governo não importa no reconhecimento de sua legitimidade, mas significa apenas que este possui, de fato, o poder de dirigir o Estado e de o representar internacionalmente.”

Ainda o autor: “O reconhecimento de governos não deve ser confundido com o de Estados. Mas o de um Estado como que comporta, automaticamente, o do governo que, no momento, se acha no poder.”

Classificação dos Estados
Celso de Albuquerque Mello classifica os Estados, quanto à suae s t r u t u r a , em:
-
simples (ex. França e Uruguai) e
Apostila de Direito Internacional Público – Prof. Rodrigo Luz
_________________________________________________________________________________________

Canal dos Concursos - Cursos preparatórios
Avenida Beira Mar, 406, sala 1004 - Centro - Rio de Janeiro - Rj - Cep: 20021-060
contato@canaldosconcursos.com.br

2
-
compostos (vários Estados-membros): Repartição de competências.

Podem-se classificar os Estados quanto àe s t r u t u r a da seguinte forma:
a) Estados Simples (Unitários)
b) Estados Compostos (complexos)

i) Por coordenação
- Estado Federal - Ex.: Brasil e EUA.

- Confederação de Estados – Cria-se um órgão comum, chamado Assembléia ou Dieta. Para que as decisões da Dieta sejam implementadas, é necessário que os Estados as ratifiquem. Cada Estado conserva sua soberania e personalidade própria.

- União de Estados – Subdivide-se em:
. União Pessoal
. União Real
-Co m m o n w e a l t h – Comunidade Britânica de Nações. O monarca
inglês é o Chefe da Comunidade, que possui uma Conferência de
Primeiros Ministros, que se reúne em Londres, sem regularidade. A
Comunidade não possui personalidade internacional.
ii) Por Subordinação –
- Estado Vassalo – situação intermediária entre a completa
subordinação e a independência.
-Pr o t e t o r a d o – Estado protegido por outro.
- Estados Clientes – entrega a outro Estado a defesa de

determinados negócios ou interesses. Ex.: Haiti e Panamá.
- Estados Satélites – subordinados à extinta URSS.
- Estado Exíguo – Não apresenta condições de exercer plenamente a

sua soberania. Ex. Mônaco, San Marino, Liechtenstein e Andorra.
Formação dos Estados
-
Descoberta de novas terras
-
DESCOLONI ZAÇÃO - O direito de independência é o direito outorgado ao povo

de descolonizar-se, critério definido por meio da Resolução ONU 1514/ 60. Vimos que, na Carta da ONU, foi-lhe definida a atribuição de colaborar com a independência dos povos colonizados.

Apostila de Direito Internacional Público – Prof. Rodrigo Luz
_________________________________________________________________________________________

Canal dos Concursos - Cursos preparatórios
Avenida Beira Mar, 406, sala 1004 - Centro - Rio de Janeiro - Rj - Cep: 20021-060
contato@canaldosconcursos.com.br

3
-
SECESSÃO - Significa a separação de uma parte do território de um Estado

existente para a criação de um novo Estado. O DIP aplica várias restrições à secessão. Em princípio, ofende o princípio da integridade territorial do Estado independente.

-
FUSÃO - Ocorre tal fenômeno quando dois ou mais Estados se unem e formam

um terceiro Estado, que, em conseqüência, tem nova personalidade internacional. Exemplo: Iêmen do Norte e Iêmen do Sul se fundiram, formando a República do IÊMEN.

Considerações acerca daa n e x a ç ã o . Exemplos: Etiópia absorvida pela Itália no governo de
Mussolini (anexação total) e o atual estado do Acre, que no passado pertencia à Bolívia (parcial).
Sucessão de Estados
Substituição de um Estado (predecessor) por outro Estado (sucessor) na responsabilidade
pelas relações internacionais de determinado território.
Em regra, na sucessão de Estados devem ser observadas as seguintes questões:
-
respeitos aos direitos adquiridos dos particulares,
-
os bens públicos passam ao Estado sucessor e
-
as leis do Estado sucessor passam a ser aplicadas imediatamente.
Direitos e Deveres
a) Direitos do Estado
Para fins didáticos, vejamos a divisão utilizada por Hee Moon Jo, no que se refere aos
direitos do Estado:
-I N D EP EN D ÊN CI A - Significa a não-subordinação a outro Estado.
- DEFESA - O Estado tem direito de se defender quando sua independência for
violada.
- I GUALDADE – Carta da ONU: “a organização é baseada no princípio da igualdade
soberana de todos os membros”.
- SOBERANI A SOBRE OS RECURSOS NATURAI S E ATI VI DADES ECONÔMI CAS.
Além dos direitos apresentados, deve ser destacada a previsão contida na Carta da OEA,
vista anteriormente, que consagra:
-
o direito de existir independentemente de reconhecimento,
-
o direito a não sofrer intervenção em assuntos internos e

Activity (8)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
Hugo Campos liked this
Raphael Queiroz liked this
Mara Carteiro liked this
tiago_alfa liked this
samrockz liked this
ricardomr1mre liked this

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->