Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword or section
Like this
4Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Livro Transroca o Navio Proibido

Livro Transroca o Navio Proibido

Ratings: (0)|Views: 81 |Likes:
Published by Rodrigo Capella
O mais novo livro do jornalista e escritor Rodrigo Capella,"Transroca: o navio proibido", será adaptado para o cinema pelo cineasta Ricardo Zimmer, diretor de "Catarina" e "O Exército de Um Homem Só". A trama de "Transroca: o navio proibido" se passa a bordo de um navio que faz um cruzeiro por um lugar fictício, Perúsia Grande, e tem como destino a cidade de Parja. A bordo estão Kall, o detetive, e sua mulher Amanda, em lua-de-mel. Durante a viagem, um assassinato deixa os passageiros estarrecidos e coloca o detetive em ação.

O cineasta Ricardo Zimmer justifica porque escolheu o livro para adaptar para o cinema: "o clima de mistério, de intrigas e de suspeitos multifacetados é contagiante até as últimas frases quando então surpreendentemente Kall, revela o criminoso", argumenta o diretor, destacando que "a resposta tão bem construída pelo autor,
revela-nos o mundo de homens que matam por interesses, amor, futilidades, ciúmes e medos".

Contato com o autor: www.rodrigocapella.com.brou contato@rodrigocapella.com.br
O mais novo livro do jornalista e escritor Rodrigo Capella,"Transroca: o navio proibido", será adaptado para o cinema pelo cineasta Ricardo Zimmer, diretor de "Catarina" e "O Exército de Um Homem Só". A trama de "Transroca: o navio proibido" se passa a bordo de um navio que faz um cruzeiro por um lugar fictício, Perúsia Grande, e tem como destino a cidade de Parja. A bordo estão Kall, o detetive, e sua mulher Amanda, em lua-de-mel. Durante a viagem, um assassinato deixa os passageiros estarrecidos e coloca o detetive em ação.

O cineasta Ricardo Zimmer justifica porque escolheu o livro para adaptar para o cinema: "o clima de mistério, de intrigas e de suspeitos multifacetados é contagiante até as últimas frases quando então surpreendentemente Kall, revela o criminoso", argumenta o diretor, destacando que "a resposta tão bem construída pelo autor,
revela-nos o mundo de homens que matam por interesses, amor, futilidades, ciúmes e medos".

Contato com o autor: www.rodrigocapella.com.brou contato@rodrigocapella.com.br

More info:

Published by: Rodrigo Capella on Jan 05, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/02/2014

pdf

text

original

 
 
 
2
Transroca, o navio proibido
 
Basta levar a sério o amor para descobrir, também nele, uma “iluminação profana”. Todosexperimentam aventuras de amor muito semelhantes, a todos o Amor concede ou recusadádivas que mais se assemelham a uma iluminação que a um prazer sensual, e todos pertencem a uma espécie de sociedade secreta, que determina sua vida interna, e talveztambém a externa. Essa vida de todos e o amor de todos é mesmo fascinante. Faz com quehistórias peculiares aparentemente comuns e ao mesmo tempo repetidas, sejam narradas,fotografas, filmadas ou simplesmente vividas como tem que ser a vida de todos.Amanda e Kall, também se amam. Um dia se encontraram e sentiram um pelo outro osentido do amor que os uniu. O truque que rege esse mundo de coisas – é mais honesto falar em truque que em método – consiste em trocar o olhar histórico sobre o passado por umolhar político. “Abri-vos, túmulos; mortos das pinacotecas, mortos adormecidos atrás de portas secretas, nos palácios, nos castelos e nos mosteiros, eis o porta-chaves feérico, quetendo às mãos um molho com as chaves de todas as épocas, e sabendo manejar asfechaduras maus astuciosas, convida-vos a entrar no mundo de hoje...” é o que esse jovemescritor brasileiro Rodrigo Capella nos faz embarcar, segurando nas mãos uma chave (Achave da imaginação)...Amanda, uma doce mulher, como tantas. Kall, um homem típico, aparentemente com váriasfacetas, mas um detetive apenas, trás a tona o ar dos grandes e imortais mestres dainvestigação de todos os tempos. Kall é um profissional da investigação bem elaborado e preparado para desvendar tudo, ou melhor: todos os crimes.Poderia ser em Londres, em Paris, Nova York ou simplesmente São Paulo. Mas a históriade Amanda e Kall, se passa em Perúsia Pequena e Perúsia Grande e em seguida do jardimda casa do casal para a tão sonhada viagem de lua-de mel rumo a um lugar ambicionado por dezenas de pessoas, Parja, simplesmente Parja! O autor em sua narrativa, nos embarca, numcruzeiro rumo a Parja, na mesma viagem de lua-de-mel que é só do casal, mas para nós odelírio de embarcar mesmo assim como degustadores de aventuras e emoção, o sentidomaior dessa vida tem seu preço. No auge da viagem, todos os passageiros são surpreendidos por um assassinato numacabine do navio. O clima de mistério, de intrigas e de suspeitos multifacetados écontagiante até as últimas frases quando então surpreendentemente Kall, revela ocriminoso. Porque apunhalar um biólogo, renomado, famoso e que desperta em todos os passageiros fascínio? A resposta tão bem construída pelo autor, revela-nos o mundo dehomens que matam por interesses, amor, futilidades, ciúmes e medos. O fato é que aviagem rumo a Parja continua e o segredo da felicidade encontramos na coragem de viver com emoção qualquer coisa que nos faz embarcar numa viagem apenas: pelo mar, pelo ar, pela imaginação...Ricardo Zimmer 
(cineasta e roteirista)
 Março de 2005 – Porto Alegre
 
 
3
 Amanda
 
Lembro-me do meu último caso, o qual envolveu a família Antunes, como se fossehoje. Não por ter sido uma investigação complicada, mas sim por eu não ter conseguidoescapar de um amor, de um amor à primeira vista. Nessa época, conheci Amanda, a filha doantigo prefeito de Perúsia Pequena, hoje governador do estado, e com ela desvendei umnovo mistério: A Paixão. Hum...Entre esse último episódio e hoje passou-se muito, muito tempo. Atualmente, elacontempla os vinte e cinco anos e eu os trinta. Opa! Se eu estiver mentindo, você me perdoa, né? Bem, felizmente, essa pequena diferença não impediu nossos três meses denamoro, que resultariam num brilhante noivado. Nesse tempo, Amanda e eu nosencontrávamos bastante, acho que seis vezes por semana. Também nos comunicávamos por cartas. Foi em suas primeiras palavras, que ela mostrou mais uma habilidade, a escrita.Interessante, né?
Kall, estou apaixonada por ti. Desejo tê-lo em meus braços todos os minutos.Eu o amo. Sem você eu seria apenas uma mulher, mas com vocêsinto-me A mulher.Mil Beijos de sua amada, Amanda.
 Isso sem mencionar as horas em que falávamos ao telefone. Parecíamos uma única pessoa. Eu morava em Perúsia Grande e ela em Perúsia Pequena, mas a distância entreessas cidades não foi um obstáculo para o nosso amor. É claro que, como todo casal,tínhamos algumas brigas, principalmente por ciúmes. Porém, foram discussões rápidas, queocuparam poucas páginas na história de nossas vidas. Que meigo!Apesar de ser filha do governador, Amanda sempre dispensou os privilégios a quetinha direito, por exemplo, circular de limosine pela cidade. Ela dizia que sempre manteriaa sua personalidade simples, sendo seu pai um governador ou um professor, como ele foi noinício. Sem dúvida, essa atitude me fazia ter orgulho dela. Amanda era uma pessoa doce,carinhosa, delicada, dedicada, amável, culta e tinha um nome que significava tudo isso,Amanda. Longos cabelos loiros e uns significativos olhos azuis, que me faziam lembrar osde minha mãe. Uma pessoa de estatura média e de um jeito de falar encantador. Umamulher cheia de riquezas externas, um belo rosto, e de riquezas internas, um bom coração.Profundo, né?
*
  Nossa cerimônia de casamento foi impecável e bela. Amanda entrou com umvestido branco bordado a ouro nas mangas, acompanhada de seu pai, que vestia um

Activity (4)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads
rfbzi liked this
Manuel Ribeiro liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->