Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
61Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
APOSTILA DE MERGULHO

APOSTILA DE MERGULHO

Ratings:

5.0

(10)
|Views: 10,251 |Likes:

More info:

Published by: troca de informações on Apr 18, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/21/2013

pdf

text

original

 
APOSTILA DE MERGULHO
HISTÓRICO
As primeiras descobertas de alguma atividade subaquática, foram encontradas nascavernas de heindrich, (ALEMANHA) no ano de 1.967, onde se via homens armados comarpões e na boca algo parecido ao tubo respirador, na atitude de perseguir alguns peixes.Outro lado interessante é que, nas ruínas do palácio do REI PERSA ASSURBANIPAL II.,uma figura em baixo relevo mostra um guerreiro provisto de um odre (saco) de carneiro,este embaixo de seu peito, tal como um saco respirador em natação.Em CRETA houve manifestações de atividades subaquáticas, mas foi na Grécia queatingiu o auge. Na Grécia utilizava-se um aparelho chamado LABETA, um primitivo sino demergulho. o ar contido em seu interior se comprimia com a água, por isto sempre estava àpressão ambiente. No entanto, o maior problema dos sinos primitivo era o acumulado deCO
2
em seu interior, devido uma não renovação de ar.Escritos sobre a conquista de tiro pelas tropas de ALEXANDRE MAGNO, diziam que osgregos levavam mergulhadores a bordo de suas embarcações, na qual logravam destruir asdefesas submarinas dos fenícios.Os mergulhadores gregos se distinguiam dos demais devido as incisões que faziam nonariz e na orelha. Nunca foi encontrada uma razão lógica para isso, mas representava umaespécie de distintivo entre os demais homens, ao qual os gregos rendiam tributos deadmiração. Introduziam também na boca e nos ouvidos esponjas embebidas em óleo equando mergulhavam, mordiam a esponja fazendo sair gotas de óleo, consequentemente,estas permaneciam nas cavidades dos olhos por certo tempo; reduzindo assim os erros darefração da água. ARISTÓTELES apresentou alguns estudos sobre os problemas domergulho, tais como sangramento pelo nariz e ruptura do tímpano.Os romanos, apesar de nenhuma tradição marítima, foram os primeiros a apresentaremuma unidade organizada de mergulhadores de combate: os URINATORES. eram jovensatletas que dominavam a perfeita técnica de natação e de mergulho e suas missões maisimportantes eram atacar defesas inimigas, afundar barcos ancorados e levar mensagens por debaixo d’água.Estas unidades chegaram a tal grau de operacionalidade, que foram desenvolvidosengenhos diabólicos, nos quais mutilavam os mergulhadores. Os URINATORES obtiveram asua primeira atuação nas guerras de CÉSAR contra POMPEU, no porto de ORIQUE, no mar Adriático em 49 a.C..Depois de obscura idade medieval, o mergulho passa a ter novo destaque com orenascimento, do qual Leonardo da Vincai, foi principal protagonista: criou a primeiranadadeira, um capuz de couro com um tubo acoplado a boca, cuja altura do respirador erapraticamente igual ao que utilizamos atualmente, e outros desenhos muito avançados para aépoca.Em 1648, o famoso físico francês BLAS PASCAL, realizou um experimento denominando-o equilíbrio de líquidos, o que originou, mais tarde, o princípio da hidrostática.Em 1652, físico italiano ALFONSO BORELLI, inventou o primeiro, suposto, equipamentoautônomo. Este, era composto por um cilindro comprimido manualmente e era um projetomuito rudimentar, que não pode demonstrar sua eficácia.
 
O primeiro passo definitivo seria dado em 1819, pelo engenheiro alemão AUGUST SIEBE,inventor do primeiro equipamento clássico, batizado de escafandro. Entretanto esteequipamento permitia ao mergulhador manter uma posição reta, pois se curvassepermitia que o ar saísse pela parte interna do capacete, tendo como conseqüência a entradada água.Poucos anos depois, o engenheiro inglês WILLIAN HENRY JAMES, inventou o primeiroequipamento de circuito fechado, onde o ar respirado O
2
era reciclado por um filtro de sodacausodada.Em 1837, SIEBE concluiu seu segundo escafandro, desta vez mais completo, incorporadoao um traje de goma ligado por sua vez ao um capacete. O êxito foi total, levando muitasmarinhas militares e profissionais a adotarem-no.Anos mais tarde, AUGUSTO DENAYROOUSE, oficial da marinha francesa e DENOITROUQUAYROL, engenheiro, inventam um aparato denominado AEROFARO, onde pelaprimeira vez se regulava automaticamente a entrada de ar, liberando o mergulhador dadependência da superfície. foi um aparato muito avançado para a época, entretanto suaautonomia era muito reduzida e a visão do mergulhador restrita, ficando praticamente cego.Em 1925, LE PRIEUR (francês) baseado no aparato de DENAYROOUSE E ROUQUAYROL,inventou novo aparato. este era enchido a 150 atm. e tinha uma capacidade para 6,5 l. Comum mergulhador dotado de duas câmaras. também de pouca autonomia, este aparatochegou a atingir a profundidade de 50 mts, embora sua segurança estivesse aquém dos 12mts. Apesar de tudo, foi considerado um passo muito importante para o mundo submerso,pois libertou, definitivamente, o mergulhador do cordão umbilical da superfície.1943, foi o ano histórico para a evolução do mergulho autônomo: um engenheirochamado EMILE GAGNAM, e o então marinheiro JACQUES YVES COUSTEAU e o jovemesportista que provaria o equipamento, FREDERIC DUMAS, entrariam definitivamente para ahistória do mundo submerso. Tudo aconteceu numa manhã de julho na costa azul, DUMASatingiu a profundidade de 63 mts, com um aparato denominado aqualung. curiosamente osalemães desenvolviam o aparato DAVIS (circuito fechado) na mesma época. Dai em diante omergulho autônomo desenvolveu-se de maneira espantosa.COUSTEAU, juntamente com DUMAS E PHILIPPE TCILLEZ criaram o G.E.R.S. (grupo deestudos recherches sousmarines), a bordo de um caça minas da segunda guerra mundial.Este pesava 360 toneladas medindo 42 mts, batizado de calypso. percorreram todos ossetes mares, realizando inumeráveis estudos e descobrimentos científicos, no qual,recuperaram grande quantidade, de peças e tesouros submarinos de incalculável valor histórico.Chegara o dia que a ficção deixaria de ser um sonho distante, onde cidades inteirashabitaram o mundo inteiro.Talvez o homem possa até respirar no meio liquido. A ciência caminha em largos passos,onde o homem estará sempre obrigado a se reciclar e a fantasia se tornará cotidiana.
CONSUMO DE AR
A autonomia dos equipamentos está intimamente ligado as condições físicas do usuário,a atividade que efetuará durante o mergulho e a profundidade que atingirá. Tomando comobase estas condições, exibiremos a seguinte tabela:
LTS/CILATMPSIMTS/ATMLTS/MINAUT.
 
12200240000 - 12012012200240010 - 2406012200240020 - 3604012200240030 - 4803012200240040 - 51002412200240050 - 612020
Para calcular a quantidade de litros de uma garrafa, pega-sesua capacidade em litros e multiplica-se pela pressão detrabalho, ex.:garrafa de 12 l x 200 atm. = 2400 litrosVamos supor que um indivíduo na superfície pela atmosferacorrespondente ao novo mergulho, ex.:20 l/min x 4 atm. = 80 l/minAgora divide a quantidade total pelo novo consumo:2400 dividido por 80 l/min = 30 min
EMBOLIA TRAUMÁTICA PELO AR
 
A E.T.A. é o resultado de uma hiperdistensão alveolar, consequentemente de um aumentode pressão intrapulmonar, sendo um acidente típico de subida. Essencialmente, é quando omergulhador retorna a superfície prendendo a respiração (ou com a glote fechada).Durante a subida, a diminuição da pressão circunjacente (LEI DE BOYLE) faz com que ovolume de ar contido nos pulmões, se expanda a tal ponto, que a pressão intrapulmonar exceda aquele do resto do corpo. Esta hiperdistensão pode-se dar a tal ponto que provoqueuma ruptura alveolar, havendo passagem de ar em grande quantidade e sob a forma debolhas para a circulação sangüínea.Quando nos referimos aos barotraumas, dissemos ser aquela condição mais freqüente emenos grave dos acidentes hiperbáricos. comparativamente a E.T.A. Constitui o mais gravee um dos menos freqüentes dos acidentes. Apesar de ser um acidente típico de mergulho,como assinalamos acima, o quadro clínico da embolia depende da localização final dasbolhas e freqüentemente se apresenta sob a forma de embolia cerebral, provocando sinais esintomas neurológicos comumente encontrados nesta afecção. Os sintomas são:01- PERDA DA CONSCIÊNCIA02- TONTURAS03- DOR TORÁXICA04- PARESTESIA, AMORTECIMENTO E FORMIGAMENTO05- PARALISIAS06- NÁUSEAS E VÔMITOS07- DISTÚRBIOS VISUAIS08- CEFALÉIA09- DOR ABDOMINAL

Activity (61)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Cave Man liked this
Alan Nascimento added this note
legal.... meio confuso mais legal...
Jefferson Dias liked this
cahbdr liked this
Cicero Paula liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->