Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
85Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Aconselhamento de Casais

Aconselhamento de Casais

Ratings: (0)|Views: 4,531 |Likes:
Published by soares_express

More info:

Published by: soares_express on Jan 27, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/26/2014

pdf

text

original

 
 
 A AOO N  N SS L L H  H  A A M  M  N  N OO PP A A R R A A A ASS A A I  I SS
 
PAC 413
Instituto Presbiteriano MackenzieC
ENTRO
P
RESBITERIANO DE
P
ÓS
-G
RADUAÇÃO
A
NDREW
J
UMPER
 
Rua Maria Borba, 15 – Vila Buarque – 01221-040 São Paulo – SPFone (011) 3236-8644 – Email: pos.teo@mackenzie.brhttp://www.mackenzie.com.br/teologia
.Wadislau Martins Gomes.Novembro, 2008
 
Aconselhamento para Casais
Wadislau M. Gomes
Novembro, 2008
1
Ementa
Treinamento teórico e prático do conselheiro para lidar com problemas de relacionamentodo casal; criação de filhos; finanças; problemas de sexualidade; divórcio; adultério; novocasamento; abuso físico e verbal. Desenvolvimento espiritual do casal pelo diálogo epráticas devocionais. Questões de gênero (diferenças entre o homem e a mulher). Quandopossível uso de situações reais ou dramatizadas em sala de aula, como laboratório.
Requisitos:
Freqüência regular às aulas segundo o padrão da escola, participação adequada, leituras etrabalho a ser apresentado em tempo determinado pela escola.Leitura de 900 páginas dentre os livros, com declaração assinada:Edith Schaeffer,
What Is a Family?
London, Hodder and Stoughton, 1975.Ed e Gay Wheat,
 Intended for Pleasure
, Grand Rapids, MI, Fleming H. Revell,1977.Elizabeth Charles Gomes,
Esposa pela Graça Mediante a Fé 
, Brasília, DF,Refúgio, 1996.Frank Lawes, Stephen Oldford,
 A Santidade do Sexo
, São Paulo, SP, Fiel, 1974.Howard A. Eyrich,
Three to Get Ready
, Bemidji, Minnesota, Focus, 1996.H. Norman Wright,
Comunicação: a Chave para o seu Casamento,
São Paulo,Mundo Cristão, 1974.Jack O. Balswick & Judith K. Balswick,
The Family
, Grand Rapids, Baker Books,1989.Jay E. Adams,
O Manual do Conselheiro Cristão
, S;Paulo, Fiel, 1982, pp. 358-376.___________,
Para Adoçar um Casamento Azedo
, Brasília, DF, Refúgio, 1985.___________,
 Marriage, Divorce & Remarriage
, Phillipsburg, NJ, PRPC, 1980.___________,
Solving Marriage Problems
, Phillipsburg, NJ, P&R, 1983Jim e Sally Conway,
 Na Dor e na Alegria
, São Paulo, SP, Editora Cultura Cristã,2003.Jorge E. Maldonado, org.,
Fundamentos Bíblico-Teológicos do Casamento e daFamília
, Viçosa, MG, Ultimato, 1996.Larry Crabb, Como Construir um Casamento de Verdade, Belo Horizonte, MG,Betânia, 1995.Tremper Longman e Dan Allender,
 Aliados Íntimos
, São Paulo, SP, MundoCristão, 1999.Wadislau Martins Gomes,
Coração e Sexualidade
, Brasília, DF, Refúgio, 1999.____________________,
 As Agridoces Cadeias da Graça
, Brasília, DF,Refúgio,-----____________________,
Força para a família na crise moderna
, Brasília, DF,Refúgio, 1995.Wayne A. Mack,
Your Family God’s Way
, Phillipsburg, NJ, P&R, 1991.
Trabalho escrito
Confecção de uma apostila para curso a ser administrado a um grupo de escolha doaluno, com um mínimo de 20 páginas, espaço simples.
 
Aconselhamento para Casais
Wadislau M. Gomes
Novembro, 2008
2
A
CONSELHAMENTO DE CASAIS
,
PRÉ E CONJUGAL
 
Em se tratando de um curso de aconselhamento de casais, casamento e família, arevelação terá precedência sobre o método científico de conhecimento. No pensamentosecular a revelação sequer é considerada como método de leitura do aconselhamento ou doaconselhamento. Para nós, revelação, especialmente da revelação da Palavra de Deus, é afonte primária de conhecimento e o princípio hermenêutico da revelação na natureza (1 Tm3.16-17; Hb 4.12-13; 11.3, 6; Rm 1:18-25). As ciências naturais podem ser importantes erazoavelmente confiáveis ainda que o método científico seja altamente paradigmático em suapressuposição de fatos puros (os objetos do conhecimento), os quais não poderão serconsiderados finais sem Deus (o sujeito do conhecimento).Entretanto, quando se trata das ciências sociais, surgem diversos problemas:(1) a mente do pesquisador é distorcida pelo pecado;(2) a mente do pesquisador é distorcida pelos seus próprios conceitosfilosóficos;(3) é impossível entender todas as variáveis num dado conjunto; e(4) é impossível de se entender a estrutura de um conjunto para se escrutinartodas as variáveis.Especialmente, não há padrão para o casamento e para relacionamentos à parte daEscritura, cuja revelação apresenta dados vindos da mão do Criador. Nela, temos asdescrições estruturais, o processo do aconselhamento, comunicação, e reconciliação comDeus e uns com os outros.
O Casamento
I.
 
A instituição do casamentoA. Uma leitura de Gênesis 1.25-26 e 2.18-25Há uma parte importante de Gn 2.18-25 que, geralmente, é vista como sendodispensável para a compreensão do texto: vs.19-30. Diz ali que Deus trouxe todos os animaisque havia criado, para que Adão lhes desse nome. O fato de que essa descrição é posta,exatamente, entre duas declarações sobre o que não ia bem com a solidão de Adão é algomuito significante. Deus queria que Adão percebesse experimentalmente a presença de umafêmea para cada espécie de animal, mas não para ele
não havia uma pessoal igual que elepudesse considerar como uma parceira. Certamente, a criação do homem já havia sidoconsiderada como sendo boa; o que não era bom era que Adão estivesse só.B. A razão do casamentoDeus criou o casamento para desfazer a solidão e para prover intimidade. Numapalavra, para prover
companhia
. O propósito de Deus para o casamento inclui o reflexo daSua imagem que cada cônjuge projeta para o outro.Adão e Eva, sendo iguais na humanidade,e individualmente, diferentes, deveriam experimentar uma união amorosa que realçasse aresponsabilidade moral da individualidade e a interdependência ética da igualdade (veja W.M. Gomes,
Coração e Sexualidade
, Brasília, Refúgio, 1999). Homem e mulher foram criadosà imagem de Deus. Uma dos reflexos dessa analogia é a de que Deus jamais é só, mas é,eternamente, três (Trindade), e assim, o homem não poderia estar só. Ele precisava deexpressão e de extensão, como Herman Bavinck disse (
Our Reasonable Faith
, Baker BookHouse, 1984, pp. 188-189).

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->