Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword or section
Like this
219Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Apostila Fundamentos de Enfermagem

Apostila Fundamentos de Enfermagem

Ratings: (0)|Views: 28,799 |Likes:
Published by Alciris Correa

More info:

Published by: Alciris Correa on Feb 17, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/23/2013

pdf

text

original

 
INTRODUÇÃO À ENFERMAGEM IIÍNDICE
1. A contextualização da Enfermagem no processo do trabalho em saúde e a prevenção da infecção.1. 1 Caracterizando a Enfermagem1.2. O hospital, a assistência de enfermagem e a prevenção da infecção1.2.1. Atendendo o paciente no hospital1.2.2. Sistema de informação em saúde1.2.3. Sistema de informação em Enfermagem2. Fundamentando a assistência de Enfermagem na prevenção e controle da infecção2.1. Fonte de infecção relacionada a artigos hospitalares2.1.1. Classificação de artigos hospitalares2.1.2. Processamento de artigos hospitalares2.2. Fonte de infecção relacionada ac ambiente2.2.1. Classificação das áreas hospitalares2.2.2. Métodos e freqüência da impeza, desinfecção e descontaminação2.2.3. Principais desinfetantes hospitalares para superfícies2.2.4. Unidade do paciente2.2.5. Limpeza e preparo da unidade do paciente2.3. Fonte de infecção relacionada à quipe de saúde2.3.1. Lavando as mãos2.3.2. Luvas esterilizadas e de rocedimento2.4. Fonte de infecção relacionada ac paciente2.4.1. Higienizando a boca2.4.2. Realizando o banho2.4.3. Lavando os cabelos e o couro cabeludo2.4.4. Cuidados com a aumentação e hidratação2.4.5. Nutrição enteral2.4.6. Medindo a altura e o peso no adulto3. Atuação da equipe de Enfermagem na prevenção e controle das principais infecções hospitalares3.1. Na infecção do trato urinário hospitalar 3.1.1. Instalando o cateter vesical3.1.2. Coletando urina por jato nédio3.2. Na infecção do trato respiratório pneumonia hospitalar)3.2.1. Controlando a freqüência respiratóna3.2.2. Realizando a oxigenoterapia3.3. Na infecção de sítio cirúrgico3.3.1. Tipos de curativos3.3.2. Realizando o curativo3.4. Nas infecções relacionadas ao uo de cateteres intravasculares3.5. Precauções-padrão e isolamentc3.5.1. Precauções-padrão3.5.2. Precauções de contato3.5.3. Precauções respiratórias3.5.4. Precauções empíricas4.Fundamentando a assistência de Enfermagem frente à identificação e tratamento das infecções4.1. lmplementando medidas para a identificação de infecções4.1.1. Controlando a temperatura corporal4.1.2. Controlando o pulso 
1
 
4.1.3. Controlando a pressão arterial4.2. Terapêutica medicamentosa aplicada às infecções4.2.1 Antibióticos4.2.2. Medicamentos antivirais4.2.3. Analgésicos, antipiréticos e antiinflamatórios4.3. Princípios da administração de medicarrentos4.3.1. Administrando medicamentos por via oral e sublingual4.3.2. Administrando medicamentos po via retal4.3.3. Administrando medicamentos topicos por via cutânea, ocular, nasal, otológica e vaginal4.3.4. Administrando medicamentos po via parenteral4.3.5. Transfusão de sangue e seus componentes4.4. Cálculo de medicação4.4.1. Cálculo de medicação utilizando a regra de três simples4.4.2. Calculo de medicação utilizando a porcentagem4.4.3. Cálculo de gotejamento de infusào venosa4.5. Terapêutica não-medicamentosa aplicada às infecções4.6. Assistência ao paciente grave e ao morto5. Anexos5.1. Anexo 15.2. Anexo 2
2
 
1
.
A CONTEXTUALIZAÇÃO DA ENFERMAGEM NO PROCESSO DO TRABALHO EM SAÜDE E APREVENÇÃO DA INFECÇÃO
Os prinpios, conceitos e cnicas e,focados no presente módulo o essenciais ao bomdesenvolvimento das demais disciplinas profissionalizantes, representando uma introdução à prática daEnfermagem e um de seus alicerces.Seu conteúdo é majoritariamente composto por conhecimentos técnico-científicos que exigem prática emlaboratório e no campo de estágio, ressaltando a importância da habilidade do saber-fazer emEnfermagem - ação que sempre e concomitantemente conjuga-se com a competência humananecessária para lidar com o ser humano expressa através da comunicação, da ética e do respeito aosseus direitos e valores.A abordagem proposta neste trabalho que articula os princípios da infecção hospitalar aos procedimentosbásicos de enfermagem, foi inspirada no programa desenvolvido pela Escola de Formação Técnica emSaúde Enfermeira Izabel dos Santos, sita no Rio de Janeiro. Considerando-se que grande parte dos atosrealizados em pacientes envolve risco potencial de infecção, é imprescindível que o auxiliar deenfermagem, já no início de sua formação, vá gradativamente incorporando os princípios de prevençãode infecção às técnicas de enfermagem.O capítulo inicial propicia uma visão panorâmica da Enfermagem e da organização do sistema de saúde,convergindo, a seguir, para a caracterização do hospital. Nos capítulos posteriores, são abordados osprincípios das técnicas de enfermagem, ordenadas de modo a facilitar as associações com a prevençãoe o controle da infecção hospitalar. Ressaltamos que os procedimentos descritos são orientações geraisque devem ser ajustadas de acordo com as necessidades dos pacientes e do âmbito no qual é exercidoo cuidado de enfermagem.Embora haja uma inter-relação entre os capítulos sua forma de organizaçãooferece certa flexibilidade para se trabalhar os conteúdos, sem necessariamente exigir que se siga, demodo rígido, a seqüência aqui estabelecida.
1.1
 
Caracterizando a Enfermagem
A Enfermagem - reconhecida por seu respectivo conselho profissional - é uma profissão que possui umcorpo de conhecimentos próprios, voltados para o atendimento do ser humano nas áreas de promoção,prevenção, recuperação e reabilitação da saúde, composta pelo enfermeiro, técnico e auxiliar deenfermagem.De acordo com os dados cadastrais do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN1), obtidos emoutubrol200l, há no Brasil 92.961 enfermeiros, 111.983 técnicos e 469.259 auxiliares de enfermagem. AEnfermagem realiza seu trabalho em um contexto mais amplo e coletivo de saúde, em parceria comoutras categorias profissionais representadas por áreas como Medicina, Serviço Social, Fisioterapia,Odontologia, Farmáca, Nutrição, etc. O atendimento integral à saúde pressupõe uma ação conjuntadessas diferentes categorias, pois, apesar do saber específico de cada uma, existe uma relação deinterdependência e complementaridade. Nos últimos anos, a crença na qualidade de vida teminfluenciado, por um lado, o comportamento das pessoas, levando a um maior envolvimento eresponsabilidade em suas decisões ou escolhas; e por outro, gerado reflexões em esferas organizadasda sociedade - como no setor saúde, cuja tônica da promoção da saúde tem direcionado mudanças nomodelo assistencial vigente no país. No campo do trabalho, essas repercussões evidenciam-se atravésdas constantes buscas de iniciativas públicas e privadas no sentido de melhor atender às expectativas dapopulação, criando ou transformando os serviços existentes.No tocante à enfermagem, novas frentes de atuação são criadas à medida que essas transformaçõesvão ocorrendo, como sua inserção no Programa Saúde da Família (PSF), do Ministério da Saúde; emprogramas e serviços de atendimento domiciliar, em processo de expansão cada vez maior em nossomeio; e em programas de atenção a idosos e outros grupos específicos.Quanto às ações e tarefas afins efetivamente desenvolvidas nos serviços de saúde pelas categorias deEnfermagem no país, estudos realizados pela ABEn e pelo INAMPS2 as agrupam em cinco classes, comas seguintes características: Ações de natureza propedêutica e terapêutica complementares ao atomédico e de outros profissionais - as ações propedêuticas complementares referem-se às que apólam odiagnóstico e o acompanhamento do agravo à saúde, incluindo procedimentos como a observação doestado do paciente, mensuração de altura e peso, coleta de amostras para exames laboratoriais econtrole de sinais vitais e de líquidos.As ações terapêuticas complementares asseguram o tratamentoprescrito, como, por exemplo, a administração de medicamentos e dietas enterais, aplicação de calor efrio, instalação de cateter de oxigênio e sonda vesical ou nasogástrica;
3

Activity (219)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads
Shara Cedraz liked this
Andreza Cristina liked this
Joyce Gomes liked this
Thaynara Leal liked this
Rafaela Corumba liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->