Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
45Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Fraturas Do Quadril

Fraturas Do Quadril

Ratings: (0)|Views: 9,293 |Likes:
Published by guifoizer
aula sobre fraturas
aula sobre fraturas

More info:

Published by: guifoizer on Feb 17, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/13/2013

pdf

text

original

 
Fraturas do Quadril
 
As fraturas do quadril, são fraturas comuns em mulheres idosas, que muitas vezesocorrem sem trauma, em conseqüência de alto grau de osteoporose que muito dessespacientes apresentam. Em pacientes mais jovens, ou que não apresentamdesmineralização óssea, essas fraturas ocorrem por queda sobre o quadril ou traumaindireto. Dependendo do grau da fratura, alguns pacientes conseguem movimentar e atédeambular apesar da fratura. Esse tipo de fratura promove deformidade local, e éevidente se verificar um padrão de rotação lateral do segmento com um encurtamento domembro inferior fraturado.
Fratura do colo femural com padrão característico.
 
Classificação e Topografia das Fraturas do Quadril
As fraturas do quadril se dividem em intracapsulares (mediais), e extracapsulares(laterais). As fraturas mediais são pobres em vascularização e as fraturas laterais sãoricas em vascularização, ou seja, as fraturas mediais apresentam grandes tendências anecrose da cabeça femural.As fraturas do colo femural do tipo intracapsular são também conhecidas comofraturas subcapital e transcervical ou médiocervical. E as fraturas extracapsulares sãodescritas como intertrocantérica ou basocervical e pertrocantérica.A grande maioria das fraturas que ocorrem de forma espontânea no colo femuralsão mediais, ou seja, são as fraturas que apresentam maior tendência à necrose, e asfraturas laterais por terem boa vascularização não representam grandes riscos paraindicação de artroplastia do quadril. 
 
Fraturas Mediais e Laterais do Quadril.Vascularização da Cabeça Femural 
Todos os vasos que vascularizam a cabeça femural, atravessam o colo femural, euma fratura do colo femural, lesa esses vasos sanguíneos, privando de sangue a cabeçafemural. O sistema vascular da cabeça do fêmur é feito por ramos da artéria circunflexaque atravessam a cabeça femural, e que são ramos da artéria femural média. Além dessesistema ainda existe a artéria do ligamento redondo e os vasos metafisários que estãointernamente na metáfise óssea. Com a ocorrência da fratura, esses ramos da circunflexae os vasos metafisários podem vir a se romper, e a artéria do ligamento redondo não ésuficiente para manter a vascularização da cabeça femural, o que faz com que essacabeça não seja mais viável, onde teremos a indicação de uma artroplastia do quadril.
 
Tipos de Fraturas do Quadril. 
As fraturas do quadril foram caracterizadas pela sua localização e pela suaangulação e deslocamento. As fraturas mediais foram caracterizadas por Garden comotipo I, tipoII, tipoIII e tipoIV. E as fraturas laterais foram caracterizadas por Tronzo em 4tipos 2 estáveis e 2 instáveis.As fraturas de
Garden
tipo I, se caracteriza por fratura incompleta da corticalóssea impactada em valgo. A fratura tipo II, é uma fratura completa sem desvio. A fraturatipo III já existe uma fratura completa, com separação parcial dos fragmentos em varo,onde já existe separação da cabeça femural. As fraturas do tipo IV são fraturas completascom deslocamento da cabeça femural, ou seja, a separação dos fragmentos é total. As
 
fraturas de
Tronzo,
são fraturas laterais, transtrocantericas ouintertrocantéricas, e atingem os trocanteres, e se caracterizam por serem estáveis ouinstáveis. A estabilidade é dada pelo contato da parede posterior. Nas fraturas do tipo Itrata-se de um traço simples e sem desvio. Nas fraturas do tipo II há pequeno desvio e opequeno trocanter pode estar fraturado, estes 2 tipos são considerados estáveis.As fraturas do tipo III e IV são instáveis. O tipo III ocorre fratura completa comdeslocamento, mantendo o apoio do fragmento proximal, ou pode ter uma fratura comdeslocamento do grande trocanter. Já no tipo IV existe fratura completa comdeslocamento do colo cirúrgico. Existe um tipo V que se caracteriza por fratura completacom deslocamento do colo anatômico, associado com deslocamento do trocanter menor.
Fratura Transtrocantérica tipo III.

Activity (45)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Laryssa Silva liked this
Laryssa Silva liked this
Mércia Vieira liked this
Cintya Arruda liked this
Manuella Munhoz liked this
Karoline Ferrari liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->