Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
77Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Normas Aplicaveis Aos Servidores Publicos Federais

Normas Aplicaveis Aos Servidores Publicos Federais

Ratings: (0)|Views: 22,708|Likes:
Published by BomBarros

More info:

Published by: BomBarros on Feb 24, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

08/13/2013

pdf

text

original

 
Logos Concursos – Apostilas Eletrônicas
O nosso objetivo é a sua aprovação.
Normas aplicáveis aos ServidoresPúblicos FederaisCargo: Técnico Judiciário
 
SERVIDORES PÚBLICOSA função pública e seu regime jurídico
“A Constituição de 1988, em sua redação original, deu especial relevo ao princípio da isonomia;em vários dispositivos revelava-se a preocupação de assegurar a igualdade de direitos e obrigações emdiferentes aspectos da realização funcional.Já o artigo 5º, pertinente aos direitos e deveres individuais e coletivos, assegurava (e continua aassegurar), em dois preceitos diversos, o princípio da isonomia; o
caput 
afirma que “
todos são iguaisperante a lei
”, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeirosresidentes no país a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à
igualdade
, à segurança e à propriedade”. Depois da dupla referência ao mesmo princípio, o constituinte ainda acrescentou, noinciso I, a norma segundo a qual “homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termosdesta Constituição”. Não bastassem essas normas, que são aplicáveis a todas as esferas do governo, a Constituiçãoespecificava, com relação aos servidores públicos, a forma como queria que a
isonomia
fosseobservada, em aspectos como o regime jurídico (que deveria ser único para os servidores daAdministração Direta, autarquias e fundações públicas), a remuneração (em relação aos servidores ematividade, inativos e pensionistas) e as condições de ingresso.A Emenda Constitucional nº 19, de 4-6-98, trouxe algumas modificações nessa sistemática, poisexcluiu a exigência de regime jurídico único, contida no
caput 
do artigo 39, bem como a regra daisonomia de vencimentos para cargos de atribuições iguais ou assemelhadas do mesmo Poder ou entreservidores dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, que constava do § 1º do mesmo dispositivo.
(*)
Art. 39. A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios instituirão, noâmbito de sua competência, regime jurídico único e planos de carreira para os servidoresda administração pública direta, das autarquias e das fundações públicas.
(*) Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de04/06/98:
"
Art. 39.
A União, os Estados, o Distrito Federal e osMunicípios instituirão conselho de política deadministração e remuneração de pessoal, integrado por servidores designados pelos respectivos Poderes."
(*)
§ 1º - A lei assegurará, aos servidores da administração direta, isonomia devencimentos para cargos de atribuições iguais ou assemelhados do mesmo Poder ouentre servidores dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, ressalvadas asvantagens de caráter individual e as relativas à natureza ou ao local de trabalho.
(*) Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de04/06/98:
"
§ 1º
A fixação dos padrões de vencimento e dos demaiscomponentes do sistema remuneratório observará:I - a natureza, o grau de responsabilidade e acomplexidade dos cargos componentes de cada carreira;II - os requisitos para a investidura;
 
III - as peculiaridades dos cargos."Com a exclusão da norma constitucional do regime jurídico único, ficará cada esfera degoverno com liberdade para adotar regimes jurídicos diversificados, seja o estatutário, seja o contratual,ressalvadas aquelas carreiras institucionalizadas em que a própria Constituição impõe, implicitamente,o regime estatutário, uma vez que exige que seus integrantes ocupem cargos organizados em carreira(Magistratura, Ministério Público, Tribunal de Contas, Advocacia Pública, Defensoria Pública ePolícia), além de outros cargos efetivos, cujos ocupantes exerçam atribuições que o legislador venha adefinir como “
atividades exclusivas de Estado
”, conforme previsto no artigo 247 da Constituição,acrescido pelo artigo 32 da Emenda Constitucional nº 19/98.
 Artigo incluído pela Constitucional nº 19, de 04/06/98:
"
Art. 247.
As leis previstas no inciso III do § 1º do art. 41 e no § 7º doart. 169 estabelecerão critérios e garantias especiais para a perda do cargo pelo servidor público estável que, em decorrência das atribuições de seucargo efetivo, desenvolva atividades exclusivas de Estado.Parágrafo único. Na hipótese de insuficiência de desempenho, a perda docargo somente ocorrerá mediante processo administrativo em que lhesejam assegurados o contraditório e a ampla defesa." Na esfera federal, a Lei nº 8.112, de 11-12-90, alterada pela Lei nº 9.527, de 10-10-97,estabeleceu o regime estatutário como regime jurídico único para os servidores da AdministraçãoDireta, autarquias e fundações públicas. A lei continuava a aplicar-se, apenas deixando de ser obrigatória para todas as categorias de servidores, já que a Emenda Constitucional nº 19 acabou com aexigência de uniformidade de regime jurídico. Em outras palavras, o regime estatutário poderá coexistir com o regime contratual.Quanto à
isonomia de vencimentos
, embora excluída sua previsão do art. 39, § 1º, mantém-se,de certa forma, não só em decorrência da norma do artigo 5º,
caput 
e inciso I, como de outrosdispositivos constitucionais pertinentes aos servidores públicos, em especial o artigo 37, incisos X eXII, e artigo 40, §§ 7º e 8º”
1
:
(*) Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 04/06/98:
"
Art. 37.
A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União,dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios delegalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, aoseguinte:"
(*) Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 04/06/98:
"
X
- a remuneração dos servidores públicos e o subsídio de que trata o § 4º do art. 39somente poderão ser fixados ou alterados por lei específica, observada a iniciativa privativa em cada caso, assegurada revisão geral anual, sempre na mesma data e semdistinção de índices;"XII - os vencimentos dos cargos do Poder Legislativo e do Poder Judiciário não poderão ser superiores aos pagos pelo Poder Executivo;
(*) Redação dada ao artigo pela Emenda Constitucional nº 20, de 15/12/98:
"
Art. 40.
Aos servidores titulares de cargos efetivos da União, dos Estados, do DistritoFederal e dos Municípios, incluídas suas autarquias e fundações, é assegurado regime de
1DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito Administrativo. 13. ed. São Paulo: Atlas, 2001. Pp. 430-431.

Activity (77)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Luciene Freitas liked this
Lorrane Julien liked this
Nitrus100 liked this
ariksonelizandra liked this
Luana Félix liked this
Gustavo Moreira liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->