Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
15Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Apostila Curso de Aipim

Apostila Curso de Aipim

Ratings: (0)|Views: 3,018 |Likes:

More info:

Published by: BENITO IGREJA JUNIOR on Mar 11, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/24/2012

pdf

text

original

 
1º Curso de Aprimoramento na
CULTURA DO AIPIM
,visando a participação de Agricultores Familiares noPrograma Nacional de Alimentação Escolar
Convênio EMATER – RIO x PREFEITURA DE SÃO GONÇALO-RJ 
1.INTRODUÇÃO
O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de mandioca,com aproximadamente dois milhões de hectares plantados. Noentanto, no Estado do Rio de Janeiro essa cultura ainda é poucoexplorada, tanto na indústria como na alimentação animal, quandocomparado com outros Estados do país. Pouca tecnologia é adotadapelos produtores, o que faz com que a produtividade estadual sejade apenas
16 toneladas por hectare
. Sendo assim, cada tecnologiaadotada (
 manivas selecionadas
e de tamanho adequado, uso defertilizantes,
 plantio em espaçamento recomendado
, tratosculturais adequados, entre outras) permitirá imediatos ganhos deprodutividade.
PRINCIPAIS PROBLEMAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA CULTURA:
Dificuldades na conservação das ramas para plantio;
Inexistência de produção de manivas-sementes de qualidade;
Pouco uso de tecnologias para sua exploração econômica;
Uso de terras menos férteis com a cultura;
Uso de sistemas consorciados pouco favoráveis à cultura.
PERSPECTIVAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA CULTURA :
Consórcio com outras culturas, tais como milho e feijão;
Utilização da parte aérea, de raízes não comerciais, raspas eresíduos industriais na alimentação animal;
Melhoria da qualidade do produto estadual;
Utilização de tecnologia disponível;
Utilização de Assistência técinca disponível;
2. VARIEDADES
A cultura do aipim apresenta uma ampla variabilidadegenética, representada pelo grande número de variedadesdisponíveis em todo país.O aipim é plantado em todo o território nacional e utilizadosob as mais diferentes formas. A planta da mandioca é utilizadaintegralmente, tanto na Alimentação Humana como na Animal, sob aforma de farinhas, amidos, raspas ou cozida. Para cada forma deutilização as variedades devem apresentar algumas característicasespecíficas.Para a
INDÚSTRIA DO AMIDO E FARINHA 
, recomenda-se variedades com
Realização: EMATER-RIO Escritório São Gonçalo
Apoio: Prefeitura Municipal de São Gonçalo / Subsecretaria de Agricultura e PescaSindicato de Trabalhadores Rurais de São Gonçalo
Pág.
1
 
1º Curso de Aprimoramento na
CULTURA DO AIPIM
,visando a participação de Agricultores Familiares noPrograma Nacional de Alimentação Escolar
Convênio EMATER – RIO x PREFEITURA DE SÃO GONÇALO-RJ 
altos teores de amido nas raízes, polpa branca, película e córtexclaros, ausência de cintas na raízes, destaque fácil da película,raízes grossas e bem conformadas.Para a
 ALIMENTAÇÃO ANIMAL
, as variedades devem apresentar altorendimento de raízes e parte aérea, com boa retenção foliar e altoteor de proteínas nas folhas. Além disso, não devem conter um teorelevado de ÁCIDO CIANÍDRICO, tanto nas folhas como nas raízes,para evitar intoxicação dos animais.Para a
 ALIMENTAÇÃO HUMANA 
, o principal critério é que as raízesapresentem teores de ácido cianídrico nas raízes abaixo de 50ppmou 50 mg/kg de raízes, boa palatabilidade e ausência de fibras namassa cozida, resistência à deterioração após a colheita, fácildescascamento das raízes, raízes curtas e bem conformadas, sãofundamentais para uma boa aceitação do mercado consumidor.Outro fator importante na hora de se selecionar uma variedadepara o cultivo é o ciclo. As variedades de mandioca apresentamciclos que variam de seis a trinta e seis meses.
Cultivares Mais Utilizadas no Estado do Rio de Janeiro:
-Região Metropolitana: VASSOURINHA, BAHIA, ROSA,CARIOQUINHA-Região das Baixadas Litorâneas: SANTA CRUZ
3. CLIMA E SOLO
TEMPERATURA:
melhores condições de desenvolvimento em climasQuentes e Úmidos, não suportando Temperaturas Baixas. A faixade temperatura adequada encontra-se entre
18° e 35° C
, sendoque em temperaturas abaixo de 15° C a planta entra emrepouso, perdendo as folhas e paralisando o seu crescimento.
 ALTITUDE:
desde ao nível do mar até cerca de 2.300 metros,sendo mais favoveis as reges de a600 metros dealtitude.
PRECIPITAÇÃO:
1.000 a 1.500 mm anuais bem distribuídos.
FOTOPERÍODO:
ideal 12 horas/dia.
Realização: EMATER-RIO Escritório São Gonçalo
Apoio: Prefeitura Municipal de São Gonçalo / Subsecretaria de Agricultura e PescaSindicato de Trabalhadores Rurais de São Gonçalo
Pág.
2
 
1º Curso de Aprimoramento na
CULTURA DO AIPIM
,visando a participação de Agricultores Familiares noPrograma Nacional de Alimentação Escolar
Convênio EMATER – RIO x PREFEITURA DE SÃO GONÇALO-RJ 
SOLOS:
planos ou levemente ondulados, com Bem Drenados,textura areno-argilosa, profundos, com pH entre 5,0 e 6,0 ede boa fertilidade.
Observações:
a-
A cultura não suporta solos argilosos e sujeitos aencharcamento.
 b-
A cultura do Aipim é considerada esgotante da fertilidades dosolo.
c-
O sistema radicular da planta de aipim Não Protegeadequadamente o solo da erosão, carecendo de aplicação de técnicasde conservação de solo e de água.
4.PREPARO DO SOLO
As operações de preparo do solo devem ser as mínimas possíveis,apenas o suficiente para a instalação da cultura e para o bomdesenvolvimento do sistema radicular, e
SEMPRE EXECUTADAS SEGUNDO AS CURVAS DE NÍVEL DO TERRENO
, orientação esta que também deve serseguida para o plantio.
Aração de até 20 cm de profundidade, deixando-se o solo soltoe livre de torrões;
Gradagem deve ser feita 30 dias após a aração e às vésperasdo plantio, o que facilitará o sulcamento, a distribuição dostoletes e o controle inicial de plantas daninhas, favorecendoo estabelecimento da cultura.
Deixar o ximo de reduos vegetais possíveis sobre asuperfície do terreno para evitar degradação da estrutura dosolo pelas chuvas e enxurradas, causando erosão.
 A DECLIVIDADE Máxima para uso de Trator Agrícola é de 5% (5cm em 100cm).
 A DECLIVIDADE Máxima para uso de Tração Animal é de 10% (10cm em 100cm).
Realização: EMATER-RIO Escritório São Gonçalo
Apoio: Prefeitura Municipal de São Gonçalo / Subsecretaria de Agricultura e PescaSindicato de Trabalhadores Rurais de São Gonçalo
Pág.
3

Activity (15)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Angelo Lubian liked this
Juliana Renk liked this
Rádio Tapense liked this
Zuca Bazuca liked this
jbonezzi liked this
elbianco11 liked this
chrysrj6582 liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->