Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
3Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Quark, Em física de Partículas, é Um

Quark, Em física de Partículas, é Um

Ratings: (0)|Views: 156 |Likes:
Published by natanourives

More info:

Categories:Types, Resumes & CVs
Published by: natanourives on Mar 12, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/06/2010

pdf

text

original

 
Quark1
Quark
Quark
, em física de partículas, é um dos dois elementos básicos que constituem a matéria (o outro é o lépton) e é aúnica, dentre as partículas, que interage através de todas as quatro forças fundamentais. O quark é um férmionfundamental com carga hadrónica ou cor. Não se observaram ainda quarks em estado livre. Segundo o ModeloPadrão, os quarks ocorrem em seis tipos na natureza: "top", "bottom", "charm", "strange", "up" e "down". Os doisúltimos formam os prótons e nêutrons, enquanto os quatro primeiros são formados em hádrons instáveis emaceleradores de partículas.Os quarks têm uma unidade de carga hadrônica, que aparece em três tipos distintos (cores). O campo hadrônico étambém chamado de força nuclear forte. A teoria que estuda a dinâmica de quarks e das cargas hadrônicas (mediadaspelos glúons) é chamada Cromodinâmica Quântica. Segundo a Cromodinâmica Quântica, os quarks podem formarestados ligados aos pares e às trincas. Os pares de quarks são chamados mésons e as trincas hádrons. O próton é umatrinca de quarks, formado por dois quarks "up" e um quark "down". O nêutron é outro estado ligado de três quarks,dois deles "down" e um "up".Os quarks têm carga elétrica -1/3 ou 2/3, onde a unidade é a carga do elétron. Antipartículas dos quarks têm cargaoposta. Os quarks também interagem com a força nuclear fraca, a qual transmuta tipos distintos de quarks. Porexemplo, o quark tipo "down" pode mudar para um quark tipo "up" pela emissão de um bóson vetorial massivo, quetransporta a força nuclear fraca. Tal mecanismo está por trás da desintegração do nêutron.Apesar de não serem observados em estado livre, a massa dos quarks pode ser inferida dos hádrons e mésonsobservados. Sabe-se que os quarks "up" e "down" tem massa comparável com a do eléctron, enquanto o quark "top"tem uma massa cerca de 200 vezes maior que a do próton.A propriedade mais importante dos quarks é chamada de confinamento. É um fato experimental que os quarksindividuais não são vistos
 —
Eles estão sempre confinados ao interior dos hádrons, partículas subatomicas como osprotons, neutrons, e meson. Esperava-se que esta propriedade fundamental surgisse da moderna teoria das interaçõesforte, chamada de cromodinâmica quântica (QCD). Embora não exista nenhuma derivação matemática deconfinamento na QCD, é fácil mostrar isto usando a teoria grade gauge.
Quarks livres
Nenhuma pesquisa para quarks livres ou carga elétrica fracionária produziu uma evidência convincente. A ausênciade quarks livres foi então sendo incorporada na noção de confinamento, o qual, acredita-se, a teoria de quark devepossuir. Contudo, deve ser possível mudar o volume do confinamento pela criação de matéria quark densa ou quente.Esta nova fase da matéria QCD foi predita teoricamente e buscas experimentais por ela já foram iniciadas.
Confinamento e propriedades do quark
Cada partícula subatômica é descrita por um pequeno conjunto de números quânticos tais como spin
J
, paridade
P
, emassa
m
. Usualmente estas propriedades são diretamente identificadas por experimentos. Contudo, o confinamentotorna impossível medir estas propriedades nos quarks. Ao invés disto, elas devem ser inferidas pela medição daspropriedades das partículas compostas que são feitas de quarks. Tais inferências são mais fáceis de serem feitasadicionando números quânticos chamados de sabor (flavor).As particulas compostas feitas de quarks e anti-quarks são os hádrons. Estes incluem os mesons os quais obtêm osseus números quânticos de um quark e de um anti-quark, e os baryons, os quais obtêm os seus números quânticos detrês quarks. Os quarks (e os anti-quarks) que contam para os números quânticos dos hádrons são chamados
quark dvalência
. Aparte destes, muitos hádrons devem conter um número indefinido de quarks, anti-quarks e gluons virtualos quais contribuem para os seus números quânticos. Cada quark virtual é denominado de
mar de quarks
.
 
Quark2
Sabores
Sabor em partículas físicas
Números quânticos saboresmero leptônico: Lmero bariônico: BCarga Etrica: QHipercarga Fraca: Y
W
Isospin fraco: T
z
Isospin:
I
, I
z
Hipercarga: YEstranheza: SCharme: CInferioridade: B'Superioridade: TY=B+S+C+B'+TQ=I
z
+Y/2Q=T
z
+Y
W
 /2B-L conservado no modelo padrãoTópicos relacionados:Simetria CPTMatriz CKMSimetria CPQuiralidade
A cada quark é atribuído um número bariônico,
B = 1/3
, e um numero leptônico nulo
L = 0
. Eles tem uma cargaelétrica fracionada,
Q
,
Q = +2/3
ou
Q =
1/3
. Os iniciais chamaram
up-type quarks
, e depois,
down-type quarks
.A cada
quark 
é atribuido um isospin fraco:
T
z
= +1/2
para um
quark "up" 
e
T
z
=
1/2
para um
quark "down" 
.Cada vez que se dobra o isopin fraco tem-se uma nova geração de quarks. Existem três gerações, e então 6 saboresde quarks
 —
o
quark up
tem os sabores u, c e t, os
down
os d, s, b.O número de gerações de quarks e léptons são iguais no modelo padrão. O número de gerações de leptons éfortemente restrito, segundo os testes experimentais feitos no LEP e CERN e pela observação da abundância de héliono universo. A precisão da medição da meia-vida do bóson Z no LEP restringe o número de gerações a três.Observações astronômicas da abundância de hélio produzem resultados consistentes com essa restrição. Osresultados, de uma busca direta por uma quarta geração de quarks apontam para a existência de um limite mínimo namassa dos quarks, sendo os de quarta geração os mais leves possíveis. A mais severa limitação veio da análise dosresultados do colisor Tevatron do Fermilab, e mostra que a massa da quarta geração de quark deve ser maior que 190GeV.Cada sabor define um número quântico que será conservado durante a interação forte, mas não na interação fraca. Aalteração da magnitude do sabor na interação fraca é codificada em uma estrutura chamada matriz CKM. Estatambém determina a violação CP que é permitida no modelo padrão. Os números quânticos do sabor são descritosem detalhes no artigo Sabor.
 
Quark3
Spin
Números quânticos correspondem a simetrias não-abelianas tal como a rotação. Elas requerem mais atenção na suaextração, dado que as simetrias não são aditivas. No modelo dos quarks, a construção de um mésons se dá com umquark e um antiquark; por outro lado, bárions são constituídos por três quarks. Desde que os mésons são bósons (têmspin inteiro) e bárions são férmions (têm spin semi-inteiro), o modelo dos quarks implica que os quarks sãoférmions. Além disto, o fato de bárions mais leves terem spin igual a -1/2 implica que cada quark pode ter spin
J =1/2
. Os spins de mésons e bárions excitados são completamente consistente com estes argumentos.
Cores
Como os quarks são férmions, o princípio de exclusão de Pauli implica que os três quarks de valência devam estarem uma combinação assimétrica em um bárion. Contudo, a carga
Q = 2
bárion,
Δ
++
(a qual é uma dos quatroisospin
I
z
= 3/2
bárions) pode somente ser feita de três quarks
u
com spins paralelos. Como esta configuração ésimétrica com respeito ao intercâmbio das cargas dos quarks, isso implica que existem outros números quânticosinternos que poderão então compôr combinações assimétricas. A isto se dá o nome de cor, embora não tenha nada aver com a sensação fisiológica
cor
es. Este número quântico é a carga envolvida na Teoria Gauge chamada deCromodinâmica Quântica (QCD).A outra única partícula colorida é o gluon, o qual é o bóson mediador da QCD. Tal como todas as outras teoriasmediadoras não-Abelianas (e diferentemente da Eletrodinâmica Quântica) os bósons mediadores interagem com osoutros devido à mesma força que afeta os quarks.A Cor é uma simetria gauge SU(3). Os quarks são dispostos na representação fundamental,
3
, desde que eles semostrem em 3 cores. Os gluons são dispostos na representação adjunta,
8
e, por conseguinte aparecem em 8variedades. Para mais informações a este respeito, veja carga colorida.
Massa do quark
Embora se fale da massa do quark da mesma forma que se fala da massa de qualquer outra partícula, a noção damassa do quark é mais complicada pelo fato de ele não poder ser encontrado livre na natureza. Como um resultadodisto, a noção da massa do quark é uma
construção teórica
, a qual só faz sentido quando se especifica oprocedimento usado para defini-la.
 Massa corrente do quark
A aproximada simetria chiral da QCD, por exemplo, permite definir a razão entre as massas dos vários quarks (paracima, para baixo e estranho) através da combinação das massas do octeto de méson escalar no modelo quarkutilizando a teoria da perturbação chiral, dadoO fato de que
m
u
 
0
é importante, dado que estes não estão no problema forte CP se
m
u
forem eliminadas. Osvalores absolutos de massa foram atualmente determinados para leis de soma QCD (também conhecido como
leis dasomatória da função espectral
) e grade QCD. A massa determinada desta maneira é conhecida como
massacorrente do quark
. A conexão entre diferenças de massa corrente do quark necessita de mecanismo pleno derenormalização para estas especificações.

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->