Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
161Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Culinária Afro-brasileira

Culinária Afro-brasileira

Ratings:

5.0

(1)
|Views: 17,563 |Likes:
Published by quituteira

More info:

Published by: quituteira on Mar 16, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/21/2013

pdf

text

original

 
 
Material organizado para o Seminário de Formação Continuada de Professores:Desafios e Perspectivas da Secretaria Municipal de Educação de Fazenda RioGrande.
Realização ICEET- Instituto de Ciência, Educação e TecnologiaAutora: Maria Sueli
História Afro Brasileira
 
Nós, professores, somos, na verdade, contadores de história. Contamos a história dahumanidade para nossos alunos. Só que a história que nós contamos não é ahistória de um só povo. Temos a missão de contar a história de muitos povos, emtempos diferentes, e que também tiveram modos diferentes de viver.Lopes, 2001CULTURA AFRO-BRASILEIRA E AFRICANA“Respeitar as diferenças é um dos princípios básicos da democracia. Cada povo,cada raça, cada cultura tem identidade própria, peculiaridades que resistem àglobalização da economia e da comunicação. A construção de uma sociedade mais justa e feliz ocorre no cotidiano das pessoas com a prática de atitudes positivas emtodas as relações humanas, sejam elas familiares profissionais ou comunitárias”.Alexandre Miguel de Souza – Web Designer
O professor Carlos Serrano, do Departamento de Antropologia, concedeentrevista e fala sobre a nova lei que insere o estudo da história e da culturaafro-brasileira nos Ensinos Fundamental e Médio. A lei inclui história da África,dos africanos, a luta dos negros no Brasil, a cultura negra e suas contribuiçõesnas áreas social, econômica e política. Angolano, Serrano pertence ao Centrode Estudos Africanos da FFLCH – (Faculdade de Filosofia, Letras, Ciências eHumanas).
Rodolfo Vianna pergunta:Professor, qual a importância da nova lei?
“Isso não é uma novidade, penso eu. Para aqueles que lidam, sobretudo com oensino dos temas ligados à África é uma criação que vem já há muito.
 
 2
Principalmente na Universidade na medida em que houve continuamente umaluta, por parte daqueles que trabalham com coisas ligadas à África ou afro-brasileiras, de fazer prevalecer um espaço onde essas discussões possamacontecer. Não se deve esquecer que também o Movimento Negro como nocaso da Bahia tem uma experiência no campo educativo desde a década de 80.Então, nós dentro do Centro de Estudos Africanos dentro da USP, criado hámais de 30 anos, tínhamos em parte essa finalidade: trazer para aUniversidade um espaço que pudesse ser de reflexão e de dar a conhecerdeterminados aspectos, não só do conhecimento africano, como algumasdimensões da diáspora.
A diáspora a qual o senhor se refere é o movimento originado daescravidão, com a retirada de negros da África pelo tráfico?
Sim, e de criação de uma cultura própria. Não se poderia dizer que há, agora,uma cultura africana, mas durante todo esse tempo construiu-se também umacultura específica dos afro-descendesntes. Coisas que facilmente se encontramno dia a dia, que as pessoas podem não perceber. A forma do linguajar, noléxico empregado no cotidiano, uma infinidade de palavras de origem africanae que se esquece, inclusive como tributo cultural africano que hoje,evidentemente, é brasileiro porque foi criado aqui. Seja lingüístico, seja deordem religiosa, que é importante, culinária, enfim, vários aspectos que até sefolclorizam, mas que não se cristalizaram, ao contrário, vão se transformandoe até foram apropriados pela sociedade. Basta falar de MPB. O que é MPB?Nada mais é do que uma música que tem origem afro-brasileira. O samba,etc.
PROJETO INTERDICIPLINARCOMO TRABALHAR A LEI 10.639/03?
DEVE SER ABORDADO NA ESCOLA DURANTE TODO ANO LETIVO E NÃO SOMENTE EM DATAS ESPECÍFICAS.
1.
 
COMO FAZER VALER A LEI?
- DEVE SER INCLUÍDA NO CURRÍCULO, NO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO, NASREUNIÕES DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES.
2.
 
O QUE NÃO PODEMOS MAIS FAZER?
 
 3
- TRATAR A LEI COMO CURSO, OFICINA, SEMINÁRIO PARA DEPOIS SERESQUECIDA PELAS ESCOLAS.COMO APROVEITAR O ESPAÇO ESCOLAR COMO NO MOMENTO PEDAGÓGICOPARA DISCUTIR A DIVERSIDADE?
A IDENTIDADE ÉTNICA PASSA PELASINDAGAÇÕES:
- QUEM SOU EU?- QUAL A MINHA DESCENDÊNCIA?- OS MEUS ANTEPASSADOS, QUEM FORAM?- DE ONDE VIERAM?- O QUE FIZERAM?QUAL O CAMINHO DA MUDANÇA?- A INTERDISCIPLINARIDADE E MULTIDISCIPLINARIDADE.- A ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR E MULTIDISCIPLINAR DEVERÁ SER FEITAATRAVÉS DE PROJETOS.EXEMPLOS:- EDUCAÇÃO ARTÍSTICA- estudo da arte de origem africana e afro descendentes.- culinária- estudo dos grandes compositores negros no Brasil- estudo e confecção de máscaras pontuando a sua importância na cultura- africana.Pinturas em camisetas

Activity (161)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Micaella Silva added this note
amei a historia da feijoada
Rogerio Ivano liked this
Adriana Craizy liked this
Adriana Craizy liked this
Michele França liked this
Ingrid Saldanha liked this
Mayara Bruna liked this
Nathalya Lorrana liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->