Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
4Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Relatório da administração 2009 - CEMAT

Relatório da administração 2009 - CEMAT

Ratings: (0)|Views: 186|Likes:
Published by ValorRI

More info:

Published by: ValorRI on Mar 19, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/03/2010

pdf

text

original

 
www.redenergia.com
 
www.redenegia.com
CNPJ nº 03.467.321/0001-99 - Companhia Aberta
Centrais ElétricasMatogrossenses S.A. - CEMAT
continua
Senhores acionistas,
A Administração das Centrais Elétricas Matogrossenses S.A. - CEMAT, em conformidade com asdisposições legais e estatutárias, submete à apreciação de Vossas Senhorias as DemonstraçõesFinanceiras relativas ao exercício findo em 31 de dezembro de 2009, compostas pelo BalançoPatrimonial, pelas Demonstrações dos Resultados, das Mutações do Patrimônio Líquido, dos Fluxosde Caixa, dos Valores Adicionados e do Balanço Social, acompanhadas do Parecer dos AuditoresIndependentes e Parecer do Conselho Fiscal.
A companhia
A Centrais Elétricas Matogrossenses S.A. (“CEMAT”) é uma concessionária de distribuição de energiaelétrica e uma sociedade por ações de capital aberto, controlada pela REDE ENERGIA S.A. (“REDEENERGIA”), que detém 61,84% das ações ordinárias e 39,92% do total de ações. A concessão daCEMAT abrange todo o Estado do Mato Grosso, beneficiando aproximadamente 3,0 milhões dehabitantes, em um total de 141 municípios, distribuídos em uma área de 903.358 km
2
Desempenho operacional
A CEMAT atende 992.368 unidades consumidoras e a maior parte da energia requerida para atenderesse mercado (98%) é comprada de Empresas Coligadas, Autoprodutores, Produtores Independentese das empresas ofertantes dos Leilões da CCEE e o restante, 2%, é proveniente de Geração Própriaatravés de usinas térmicas movidas a óleo diesel.Mercado onsumidorA CEMAT encerrou o ano de 2009 com um fornecimento de energia elétrica de 5.018 GWh (mercadocativo), representando um crescimento de 4,9% em relação aos 4.782 GWh de 2008. Esse incrementoé decorrente, principalmente, da elevação do consumo nas classes residencial e comercial que, juntas,representaram quase 70% do aumento total ocorrido no ano.
 VENDAS(Em GWh)CAGR: 5,8%5.01820094.00620053.98220064.34720074.7822008
do número total de consumidores (764.823 consumidores), apresentou um crescimento de 7,4%no consumo de energia elétrica e um crescimento de 4,0% no número de consumidores, quandocomparados ao ano anterior. Esse crescimento foi influenciado principalmente pelo aumento donúmero de empregos e renda dos trabalhadores.A classe industrial passou a ser a terceira mais representativa no fornecimento de energia elétrica daempresa, com participação de 21,2% da energia fornecida (1.064 GWh) e 1,6% dos consumidores(15.616 consumidores). O consumo apresentou um aumento de 0,6% e o número de consumidoresregistrou um crescimento de 7,3%. Esse crescimento, abaixo da média histórica, foi influenciadopela migração de um importante cliente do segmento de produtos alimentícios para o mercadolivre. A atividade de produtos alimentícios, mesmo com essa perda, foi a principal responsável pelodesempenho positivo da classe industrial, impulsionado pelos segmentos de abates e frigorificação debovinos; abate e preparação de aves pequenas e animais; e beneficiamento de produtos alimentaresvegetal.A classe comercial, segunda mais representativa no fornecimento de energia elétrica da empresa em2009, com participação de 22,0% do total da energia fornecida (1.104 GWh) e 7,7% do número deconsumidores (76.861 consumidores), apresentou um crescimento de 4,8% no consumo e 2,2% nonúmero de consumidores, quando comparados ao ano anterior. As atividades de comércio varejista,com 5,0% de crescimento, e serviços, com 4,3% de crescimento, foram as responsáveis pelodesempenho da classe.A classe Rural, quarta maior no total do consumo de energia com 11,9% (595 GWh) e a segunda maiorclasse em relação ao número de consumidores (123.181 consumidores), registrou um crescimento de6,7% no fornecimento de energia e de 18,4% no número de consumidores, principalmente devido àimplementação do Programa Luz para Todos.
PARTICIPAÇÃO POR CLASSE DE CONSUMO(Vendas em GWh)32,2%11,9%12,7%22,0%21,2%
ResidencialIndustrialComercialRuralOutros
ConsumidoresEm 2009, a CEMAT registrou um número total de 992.368 unidades consumidoras, representando umcrescimento de 5,6% em relação ao ano anterior o que corresponde a um acréscimo de 52.356 novasunidades atendidas. Esse crescimento se deve principalmente ao aumento das classes residencial erural com incrementos de 29.745 e 19.133 novos clientes, respectivamente, sobretudo em razão do“Programa Luz para Todos”.
PARTICIPAÇÃO POR CLASSE DE CONSUMO
(Número de consumidores)77,1%12,4%1,2%1,6%7,7%
ResidencialIndustrialComercialRuralOutros
PerdasDesde 1998, a concessionária vem realizando investimentos e implementando diversas ações com opropósito de reduzir os índices de perdas técnicas não técnicas.
PERDAS
20,7%
1998
19,8%
1999
17,1%
2000
15,4%
2001
14,9%
2002
13,3%
2003
14,3%
2004
14,1%
2005
15,6%
2006
16,3%
2007
16,2%
2008
16,6%
2009
ndices calculados a partir do mercado faturadoCom ações voltadas ao combate e redução das perdas técnicas e comerciais, a Companhia manteveseu índice estabilizado em 16,6%, no final de 2009.DEC/FECA Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL utiliza alguns índices para verificação da qualidadedos serviços prestados pelas concessionárias de energia elétrica aos seus consumidores. Osprincipais são: DEC - Duração Equivalente de Interrupção por Consumidor (medido em horas) e FEC -Frequência Equivalente de Interrupção por Consumidor (medido em número de vezes). Além desses,a CEMAT acompanha o TMA - Tempo Médio de Atendimento, que mostra o tempo médio em que sãoatendidas as reclamações e solicitações dos clientes (medido em minutos).
009 2008
___________________
DEC ............................................................................................... 29,3 27,9FEC ............................................................................................... 22,8 23,8TMA ............................................................................................... 204,4 144,0Valores em base anualEm 2009, o DEC da CEMAT apresentou aumento de 5,1% influenciado principalmente pelo aumentode 14,7% da rede de distribuição, predominantemente em áreas rurais.O índice FEC apresentou redução de 3,9% em função do melhor desempenho do sistema de suprimento,instalação e automação de equipamentos e subestações de 34,5 kV, e também pela intensificação dasações de manutenção preventiva no período. Deve-se ressaltar que o DEC e FEC da CEMAT estãoabaixo dos limites máximos estipulados pela ANEEL de 33,53 e 28,64, respectivamente.O TMA apresentou elevação em relação ao exercício anterior, principalmente devido ao grandecrescimento do número de Ordens de Serviços (OS´s) durante o período chuvoso, aliado ao aumento daclasse rural (Programa Luz para Todos). O crescimento das redes de distribuição predominantementepelo avanço da eletrificação rural traz como efeito atendimentos cada vez mais distantes e emcondições de tráfego extremamente desfavoráveis pelas péssimas condições das estradas rurais.Atendimento aos clientesNo ano de 2009, a CEMAT aprimorou os canais de atendimento com a disponibilização de novosserviços na Agência WEB, expandindo o uso. Foi criado também o Call Center para os GrandesClientes e o aprimoramento dos processos de atendimento e gestão de reclamação e aumento de seucorpo de atendentes nas agências e Call Center.A Empresa mantém em funcionamento uma Ouvidoria, órgão responsável que atua como canal derelacionamento com o usuário e defesa dos direitos do consumidor, com o apoio do Conselho deConsumidores de Energia Elétrica - CONCEL.
Desempenho econômico-financeiroValores em R$ mil 2005 2006 2007 2008 2009
_______________________ _________ ________ ________ ________ ________
Vendas em GWh ........................... 4.006 3.982 4.347 4.782 5.018Receita operacional bruta 1.808.438 1.655.403 1.830.249 1.997.420 2.192.904Receita operacional líquida ........... 1.138.375 991.170 1.128.979 1.249.633 1.364.346EBITDA (1) .................................... 322.201 250.297 311.655 351.129 380.544Margem EBITDA (%) (2) 28,3% 25,3% 27,6% 28,1% 27,9%Lucro (prejuízo) líquido .................. 186.301 83.779 98.670 84.561 167.022Dívida financeira líquida (3) ........... 417.778 454.780 535.206 994.460 999.676Dívida financeira líquida/EBITDA 1,3 1,8 1,7 2,8 2,6Patrimônio líquido .......................... 802.107 884.887 1.063.475 1.129.436 1.252.440Índice de endividamento (4) .......... 34,2% 33,9% 33,5% 46,8% 44,4%(1) EBITDA: Resultado antes dos juros, impostos, depreciação e amortização.(2) Margem EBITDA: EBITDA/receita operacional líquida.(3) Dívida financeira líquida: empréstimos, financiamentos, debêntures (-) disponibilidades.(4) Índice de endividamento: dívida financeira líquida/(dívida financeira líquida + patrimônio líquido).A receita operacional bruta da CEMAT apresentou um aumento de 9,8%, passando de R$ 1.997,4milhões em 2008 para R$ 2.192,9 milhões em 2009. A receita operacional líquida do exercício de2009 foi de R$ 1.364,3 milhões, representando um aumento de 9,2% em relação à receita verificadaem 2008. Esse incremento foi influenciado pelo crescimento do mercado consumidor em 4,9%, emconsequência do crescimento ocorrido no consumo das classes residencial e comercial e do aumentodo preço médio da venda de energia elétrica em 4,6%.O custo do serviço, composto de energia elétrica comprada para revenda e encargos do uso de sistemade transmissão, totalizou R$ 789,8 milhões em 2009, o que representa um acréscimo de 18,3% emrelação aos R$ 667,9 milhões de 2008, principalmente devido ao aumento dos custos dos encargosde uso do sistema em 119,8%. Em 2009, no valor da Tarifas de Uso do Sistema foi acrescentada umaparcela relativa ao uso do Sistema de Transmissão das Geradoras, ligadas à rede da CEMAT. Essaalteração foi informada pelo Operador Nacional do Sistema - ONS.O Custo de Operação foi de R$ 215,6 milhões em 2009 e R$ 255,5 milhões em 2008, representandouma redução de 15,6%. Essa redução foi principalmente influenciada pelo final do contrato deterceirização dos custos de operação e manutenção das usinas térmicas no Baixo Araguaia, bem comopela redução do custo de matéria-prima e insumos para produção de energia elétrica, ocasionada pelaintegração da região do Araguaia ao Sistema Interligado Nacional - SIN.As despesas operacionais tiveram elevação de 16,1%, passando de R$ 79,7 milhões em 2008 paraR$ 92,6 milhões em 2009, principalmente devido à elevação de 19,0% nas despesas com vendas e16,9% nas despesas gerais e administrativas.O EBITDA da companhia, calculado a partir do resultado do serviço acrescido da amortização edepreciação, aumentou de R$ 351,1 milhões em 2008 para R$ 380,5 milhões em 2009, representandoum incremento de 8,4%. Esse aumento foi principalmente em razão do crescimento de 4,9% nomercado consumidor, com consequente reflexo na receita operacional líquida que cresceu 9,2%,e também da redução de 15,6% no custo das operações.O lucro líquido do exercício passou de R$ 84,6 milhões em 2008 para R$ 167,0 milhões em 2009,influenciado pelo crescimento de 8,0% no resultado do serviço e pela evolução positiva do resultadofinanceiro, que passou de uma despesa de R$ 109,2 milhões em 2008 para uma despesa de R$ 67,6milhões em 2009.
Endividamento financeiro
O saldo da conta empréstimos, financiamentos e encargos de dívida permaneceu estabilizado nopatamar de R$ 1.034,8 milhões. Do saldo total, 73,9% (R$ 764,5 milhões) são dívidas em moedanacional e 26,1% (R$ 270,3 milhões) são dívidas em moeda estrangeira. Cabe ressaltar que, do totalda dívida em moeda estrageira, 79,2% estão protegidos por instrumentos de proteção contra variaçãocambial (“swap”).A Eletrobrás liberou R$ 94,4 milhões referentes a 4ª Tranche do Programa “Luz para Todos”, SistemaBaixo Araguaia e Reluz. Esses contratos contam com prazo para liquidação de 12 anos, sendo 2 anosde carência e 10 para amortização do principal. O custo da operação é de 5% a.a. de juros e 1% a.a.de taxa de administração.A Companhia ainda conta com R$ 249,4 milhões em recursos oriundos do efetivo repasse da sub-rogação da CCC, para amortização de parte de seu passivo financeiro, contratado à época daexecução das obras, sendo R$ 152,9 milhões para o Sistema Baixo Araguaia, R$ 56,5 milhões para oSistema Nova Monte Verde e R$ 40,3 milhões para o Sistema Juruena. Trata-se de subsídio oriundoda implantação de projetos elétricos que proporcionam a redução do dispêndio da Conta de Consumode Combustíveis Fósseis (CCC), que contribui para a modicidade das tarifas aos consumidoresfinais, em virtude de obras que promovem a desativação de usinas térmicas e consequente reduçãode óleo diesel. Esses valores estão contabilizados no ativo da Companhia e, de acordo com asregras estabelecidas pela ANEEL, esses benefícios são repassados à Concessionária, após efetivaenergização das obras.
Indicadores
A evolução na produtividade da empresa pode ser avaliada pelo quadro abaixo:
009 2008
_________ __________
Consumidor por empregado .......................................................... 616 588Consumo (MWh) por empregado .................................................. 3.117 2.989Consumo (MWh) por consumidor 5,1 5,1Receita bruta (R$ mil) por empregado.......................................... 1.362 1.248Receita bruta (R$ mil) por consumidor .......................................... 2,2 2,1Número de consumidores: passou de 940.012 em 2008 para 992.368 em 2009;Empregados (próprios): de 1.600 para 1.610 em 2009;Consumo (GWh): de 4.782 para 5.018 em 2009;Receita bruta (milhões): de R$ 1.997,4 para R$ 2.192,9 em 2009.
InvestimentosR$ mil 2009 2008 Var. %__________ __________ __________
Programa Luz para Todos/Universalização ................. 129.747 224.133 -42,1%FNDCT/EPE/PEE/P&D 13.409 11.906 12,6%Sub-rogação CCC ........................................................ 42.491 124.640 -65,9%Manutenção e melhorias do sistema 17.557 237.614 -92,6%
Total
.............................................................................
203.204 598.293 -66,0%
PROGRAMA LUZ PARA TODOS (“LPT”) e PROGRAMA NACIONAL DE UNIVERSALIZAÇÃO:em 2009, a companhia investiu R$ 129,7 milhões no LPT e UNIVERSALIZAÇÃO, cuja principalcaracterística é possibilitar o acesso e uso da energia elétrica, a todos os cidadãos domiciliados nasáreas urbanas e rurais do Estado. Os recursos para atendimento do LPT são provenientes da ReservaGlobal de Reversão (“RGR”), Conta de Desenvolvimento Energético (“CDE”) e Fonte Própria.PESQUISA & DESENVOLVIMENTO: a companhia investiu ainda R$ 13,4 milhões em programas depesquisa & desenvolvimento, relacionados com a produção e operação da concessionária. Essesinvestimentos são composto pelos seguintes programas: Fundo Nacional de DesenvolvimentoCientífico e Tecnológico (FNDCT), Estudo de Eficiência Energética (EPE), Programa de EficiênciaEnergética (PEE), e Programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D).SUB-ROGAÇÃO CCC: em conformidade com a Resolução ANEEL nº 784 de 24 de dezembro de2002, e Resolução Autorizativa ANEEL nº 81 de 9 de março de 2004, a companhia foi enquadrada nasub-rogação do direito de uso da Conta de Consumo de Combustíveis Fósseis CCC, para subsidiar aimplantação de projetos que visam a interligação do sistema e desativação da geração térmica. Comesses recursos foram investidos R$ 42,5 milhões em 2009.MANUTENÇÃO e MELHORIAS NO SISTEMA são investimentos para atendimento do crescimentovegetativo do mercado, feitos com caixa próprios, destinados a manutenção, ampliação e melhorias nosistema elétrico. Esses investimentos totalizaram R$ 17,6 milhões em 2009.
Ambiente regulatrio
A ANEEL, por meio da Resolução Homologatória nº 794, de 7 de abril de 2009, com vigência a partirde 8 de abril de 2009, fixou o Reajuste Tarifário Anual da CEMAT, em média no percentual de 15,99%(quinze vírgula noventa e nove por cento), sendo 11,33% (onze vírgula trinta e três por cento) relativosao reajuste tarifário anual e 4,66% (quatro vírgula sessenta e seis por cento) relativos aos componentesfinanceiros externos adicionais à tarifa. O efeito médio percebido pelos consumidores foi de 13,04%(treze vírgula zero quatro por cento).A ANEEL divulgou, ainda, os resultados definitivos do processo da Segunda Revisão Tarifária Periódicada CEMAT, através da Nota Técnica nº 091/2009 - SRE/ANEEL, de 17 de março de 2009, documentoeste disponibilizado no “site” da ANEEL.
Responsabilidade socioambiental
Baseada na Política de Sustentabilidade da REDE ENERGIA, a CEMAT viabilizou investimentossocioambientais em projetos que visam promover o desenvolvimento regional, a geração de renda,o esporte e a educação:Fundação Aquarela: destaca-se o projeto Rede Atletismo Novos Talentos, que apoia diversosadolescentes por meio de treinamento físico e educacional, dos quais seis adolescentes sãoresidentes em regiões atendidas pela CEMAT;Apoio ao Instituto Ethos e Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ONU);Projeto Luz em Conta: beneficiou seis mil famílias de baixa renda com a troca gratuita de geladeiras,bem como a substituição de lâmpadas de alto consumo por outras novas e mais eficientes;Desativação de 28 usinas térmicas com redução de emissão de gases poluentes;Distribuição de livros infanto-juvenis, inclusive versões em braile; ePalestras para promover o uso consciente da energia elétrica.
Benefícios aos colaboradores
Os benefícios oferecidos pela companhia visam a qualidade de vida, bem-estar e a valorização de seuscolaboradores. A companhia oferece assistência médica e odontológica com ampla rede credenciada;vales-alimentação e refeição; transporte; auxilio-creche; previdência privada; seguro de vida;reconhecimento por tempo de serviço; bolsa de estudo; e programa de participação nos resultados,importante ferramenta de gestão estratégica. A CEMAT respeita os direitos fundamentais de seusprofissionais, propiciando excelente condição de trabalho, dentro de um ambiente saudável, tornando-os altamente capacitados para um mercado cada vez mais competitivo.
Auditores independentes
Os serviços executados pelos auditores externos, ao longo do exercício social, referem-se somente àauditoria das emonstrações Financeiras.
Agradecimentos
Nossos agradecimentos aos Acionistas, Clientes, Governos Federal, Estadual e Municipais,fornecedores e prestadores de serviços e, em especial aos nossos colaboradores pela dedicação emmais este ano de realizações.
Declaração da diretoria
De acordo com o artigo 25 da Instrução CVM nº 480/09, a Diretoria declara que revisou, discutiue concorda com as Demonstrações Financeiras ora apresentadas, bem como com a opinião dosauditores independentes expressa no parecer dessas demonstrações.
A Administração2009 2008
______________________________ ______________________________
R$ R$
__________ __________
1. Base de cálculo
Receita Líquida (RL)................................................................................... 1.364.346 1.249.633Resultado Operacional (RO) ...................................................................... 179.044 132.257Folha de Pagamento Bruta (FPB) .............................................................. 91.847 93.217__________ __________
% sobre % sobre
_________________ _________________
R$ FPB RL R$ FPB RL
_________ _______ _______ _________ _______ _______
2. Indicadores sociais internos
Alimentação................................................................................................. 9.435 10,3 0,7 7.178 7,7 0,6Encargos sociais compulsórios................................................................... 15.016 16,3 1,1 15.643 16,8 1,3Previdência privada..................................................................................... 988 1,1 0,1 383 0,4 -Saúde .......................................................................................................... 4.427 4,8 0,3 3.266 3,5 0,3Segurança e medicina no trabalho .............................................................. 680 0,7 - 1.546 1,7 0,1Educação 328 0,4 - 10 - -Capacitação e desenvolvimento profissional 207 0,2 - 645 0,7 0,1Auxílio-creche .............................................................................................. 166 0,2 - 98 0,1 -Participação dos empregados nos lucros ou resultados ............................. 2.967 3,2 0,2 1.621 1,7 0,1Participação dos administradores no resultado........................................... - - - - - -Incentivo à aposentadoria e demissão voluntária ....................................... 147 0,2 - 3.631 3,9 0,3Vale-transporte - excedente ........................................................................ 255 0,3 - 182 0,2 -Outros benefícios 156 0,2 - 12 - -_________ _______ _______ _________ _______ _______
Total indicadores sociais internos
..........................................................
34.772 37,9 2,4 34.215 36,7 2,8
_________ _______ _______ _________ _______ ________________ _______ _______ _________ _______ _______
% sobre % sobre
_________________ _________________
R$ RO RL R$ RO RL
_________ _______ _______ _________ _______ _______
3. Indicadores sociais externos
Educação..................................................................................................... 162 0,1 - - - -Cultura ......................................................................................................... 336 0,2 - 238 0,2 -Esporte e lazer ............................................................................................ 120 0,1 - - - -Combate à fome e segurança alimentar ..................................................... - - - - - -Doações/contribuições 519 0,3 - 2.337 1,8 0,2_________ _______ _______ _________ _______ _______
Subtotal
......................................................................................................
1.137 0,7 - 2.575 2,0 0,2
_________ _______ _______ _________ _______ _______Programas sociais:Programa Nacional de Universalização - Luz para Todos 129.747 72,5 9,5 224.133 169,5 17,9_________ _______ _______ _________ _______ _______
Total de contribuições para a sociedade
................................................
130.884 73,2 9,5 226.708 171,5 18,1
_________ _______ _______ _________ _______ _______Tributos (excluídos encargos sociais) ......................................................... 755.212 421,8 55,4 692.037 523,3 55,4_________ _______ _______ _________ _______ _______
Total indicadores sociais externos
..........................................................
886.096 495,0 64,9 918.745 694,8 73,5
_________ _______ _______ _________ _______ ________________ _______ _______ _________ _______ _______
% sobre % sobre
_________________ _________________
R$ RO RL R$ RO RL
_________ _______ _______ _________ _______ _______
4. Indicadores ambientais
Estação ecológica - fauna/flora 1.964 1,1 0,1 3.073 2,3 0,2_________ _______ _______ _________ _______ _______
Total de indicadores ambientais
 
1.964 1,1 0,1 3.073 2,3 0,2
_________ _______ _______ _________ _______ _______
Investimentos relacionados com a produção/operação da empresa
Fundo Nacional de Desenv. Científico e Tecnológico - FNDCT 2.682 1,5 0,2 2.269 1,7 0,2Estudo de Pesquisa Energética - EPE (MME) 1.341 0,7 0,1 1.193 0,9 0,1Programa de Eficiência Energética - PEE ................................................... 6.704 3,7 0,5 6.079 4,6 0,5Programa de Pesquisa e Desenvolvimento - P&D ...................................... 2.682 1,5 0,2 2.365 1,8 0,2_________ _______ _______ _________ _______ _______
Total de investimentos relacionados com a prod./operaçãoda empresa
...........................................................................................
13.409 7,4 1,0 11.906 9,0 1,0
_________ _______ _______ _________ _______ _______
Total de indicadores ambientais e invest. relac. coma prod./op. da empresa
........................................................................
15.373 8,5 1,1 14.979 11,3 1,2
_________ _______ _______ _________ _______ ________________ _______ _______ _________ _______ _______Quanto ao estabelecimento de “metas anuais” para minimizar resíduos, ( x ) não possui ( ) cumpre ( x ) não possui ( ) cumpreo consumo em geral na produção/operação e aumentar a eficácia metas de 51 a 75% metas de 51 a 75%na utilização de recursos naturais, a empresa ( ) cumpre de ( ) cumpre ( ) cumpre de ( ) cumprede 0 a 50% 76 a 100% 0 a 50% de 76 a 100%
5. Indicadores do corpo funcional (*) 2009 2008
____________ ____________
(em unidades) (em unidades)
____________ ____________º de empregados no final do período........................................................................................................................... 1.610 1.600scolaridade dos empregados:Superior e extensão universitária 364 4882º grau 1.125 1.013grau....................................................................................................................................................................... 121 99____________ ____________aixa etária dos empregados:Abaixo de 30 anos 701 623De 30 até 45 anos (inclusive) 721 775Acima de 45 anos 188 202º de admissões durante o período ............................................................................................................................... 160 294º de empregados desligados no período ..................................................................................................................... 150 159º de mulheres que trabalham na empresa ................................................................................................................... 394 401% de cargos gerenciais ocupados por mulheres em relação ao total de mulheres ................................................... 4,34% 4,00%% de cargos gerenciais ocupados por mulheres em relação ao total de gerentes .................................................... 17,9% 15,8%º de negros que trabalham na empresa ....................................................................................................................... 708 666% de cargos gerenciais ocupado por negros em relação ao total de negros 1,74% 1,8%% de cargos gerenciais ocupados por negros em relação ao total de gerentes 12,6% 11,9%º de empregados portadores de deficiência física 79 77º de dependentes ......................................................................................................................................................... 2.593 2.566º de estagiários ............................................................................................................................................................ 59 48º de empregados terceirizados/temporários................................................................................................................ 904 1.138
6. Informações relevantes quanto ao exercício da cidadania empresarial (*)....................................................................2009 Metas 2010________________________________________ __________________________________________
elação entre a maior e a menor remuneraçãona empresa .................................................... 22,54 ND
________________________________________ __________________________________________
úmero total de acidentes de trabalho 53 50
________________________________________ __________________________________________
Os projetos sociais e ambientaisdesenvolvidos pela empresa foram ( ) direção (X) direção e ( ) todos(as) ( ) direção (X) direção e ( ) todos(as)definidos por: gerências empregados(as) gerências empregados(as)Os padrões de segurança e ( ) direção e ( ) todos(as) (X) todos(as) ( ) direção e ( ) todos(as) (X) todos(as)salubridade no ambiente de gerências empregados(as) + Cipa gerências empregados(as) + Cipatrabalho foram definidos por:Quanto à liberdade sindical, ao direitode negociação coletiva eà representação interna dos(as) ( ) não se (X) segue as ( ) incentiva e ( ) não se (X) seguirá as ( ) incentivarátrabalhadores(as), a empresa: envolve normas da OIT segue a OIT envolverá normas da OIT e seguirá a OITA previdência privada contempla: ( ) direção ( ) direção e (X) todos(as) ( ) direção ( ) direção e (X) todos(as)gerências empregados(as) gerências empregados(as)A participação dos lucros ou ( ) direção ( ) direção e (X) todos(as) ( ) direção ( ) direção e (X) todos(as)resultados contempla: gerências empregados(as) gerências empregados(as)a seleção dos fornecedores, os mesmospadrões éticos e de responsabilidade ( ) não são ( ) são (X) são ( ) não serão ( ) serão (X) serãosocial e ambiental adotados pela empresa: considerados sugeridos exigidos considerados sugeridos exigidosQuanto à participação de empregados(as)em programas de trabalho voluntário, ( ) não se (X) apoia ( ) organiza e ( ) não se (X) apoiará ( ) organizaráa empresa: envolve incentiva envolverá e incentivaráúmero total de reclamações e críticas na empresa no Procon na Justiça na empresa no Procon na Justiçade consumidores(as): 2.870 3.025 2.117 2.870 3.025 2.500% de reclamações e críticas atendidas na empresa no Procon na Justiça na empresa no Procon na Justiçaou solucionadas: 100% 98% 35% 100% 98% 45%
Valor adicionado total a distribuir: Em 2009: R$ 1.395.346 Em 2008: R$ 1.223.387___________________________________________________________________________________istribuição do valor adicionado (DVA):
63,9% governo 5,3% colaboradores(as) 66,7% governo 5,8% colaboradores(as)
_________________________________________ __________________________________________
3,2% 18,8% 8,8% 0,4% 20,6% 6,5%acionistas terceiros lucros retidos acionistas terceiros lucros retidos
___________________________________________________________________________________7. Outras informações(a)
Nos dados referentes a reclamações e críticas “Na Empresa”, foram considerados aqueles que entraram via ouvidoria e, no percentual de críticasatendidas ou solucionadas, considerou-se aquelas que foram atendidas e respondidas ao consumidor.
(b)
Visando aprimorar a qualidade das informações apresentadas no Balanço Social, algumas informações adicionais foram incluídas e, quando aplicável, osvalores e dados de 2008 foram reclassificados para melhor comparabilidade, seguindo o padrão do IBASE sugerido pela ANEEL.
(c)
Negros - inclui negros e pardos, homens e mulheres.
(d)
(*) Informações não auditadas.
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - 2009
 
ELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - 2009
ara os exercícios finos em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 (Valores expressos em milhares de reais - R$)
DEMONSTRAÇÕES DOS BALANÇOS SOCIAIS
 
DEMONSTRAÇÕES DOS BALANÇOS SOCIAIS
 
emonsraço ompemenar ao eaóro a mnsraço.
 
Centrais Elétricas Matogrossenses S.A. - CEMAT
www.redenergia.com
continua
ATIVO Nota 2009 2008
______ ____________ ____________
ATIVO CIRCULANTE
Numerário disponível ........................................................................................................................... 30.244 26.526Aplicações no mercado aberto 5 4.901 13.760Consumidores ..................................................................................................................................... 6 378.529 360.148(-) Provisão para créditos de liquidação duvidosa............................................................................... 7 (15.122) (18.633)Rendas a receber 3.719 3.696Impostos e contribuições sociais a compensar ................................................................................... 8 27.089 15.421Impostos e contribuições sociais diferidos.......................................................................................... 15 795 2.610Títulos a receber 12 9.351 9.034Estoque ............................................................................................................................................... 11.902 10.669Serviços em curso ............................................................................................................................... 37.560 20.070Aquisição de combustível por conta da CCC 5.115 16.142Sub-rogação - CCC ............................................................................................................................. 11 34.826 2.586Redução de receita - baixa renda ....................................................................................................... 9 2.770 1.597Ativo regulatório 10 29.309 5.672Outros.................................................................................................................................................. 13 14.555 10.561____________ ____________
Total do ativo circulante
...................................................................................................................
575.543 479.859
____________ ____________
ATIVO NÃO CIRCULANTERealizável a longo prazo
Consumidores ..................................................................................................................................... 6 230.007 218.416Partes relacionadas ............................................................................................................................. 14 92.640 44.666Cauções e depósitos vinculados 16 19.440 23.868Depósitos judiciais ............................................................................................................................... 27 17.342 15.902Impostos e contribuições sociais a compensar ................................................................................... 8 33.855 89.197Impostos e contribuições sociais diferidos 15 114.105 193.854Títulos a receber.................................................................................................................................. 12 70.109 69.982Ativo regulatório................................................................................................................................... 10 73.541 60.433Sub-rogação - CCC 11 214.543 255.850Outros.................................................................................................................................................. 13 11.478 29.411____________ ____________
Total do realizável a longo prazo
.....................................................................................................
877.060 1.001.579
____________ ____________Investimentos ...................................................................................................................................... 17 3.232 2.390Imobilizado - líquido 18 1.835.755 1.728.481Intangível - líquido ............................................................................................................................... 20 26.045 16.543Diferido - líquido .................................................................................................................................. 1.095 1.700____________ ____________
Total do ativo não circulante
............................................................................................................
2.743.187 2.750.693
____________ ____________
ATIVO TOTAL
.....................................................................................................................................
3.318.730 3.230.552
____________ ________________________ ____________
ASSIVO Nota 2009 2008
______ ____________ ____________
ASSIVO CIRCULANTE
ornecedores 21 167.355 209.367olha de pagamento............................................................................................................................ 5.873 4.031mpostos, contribuições sociais e parcelamentos 22 169.874 130.278mpostos e contribuições sociais diferidos .......................................................................................... 15 - 6.022ividendos 30 15.023 5.453Juros sobre capital próprio.................................................................................................................. 30 24.775 71mpréstimos, financiamentos e encargos ........................................................................................... 23 320.767 241.565Taxa de iluminação pública ................................................................................................................. 9.843 7.639Taxas regulamentares......................................................................................................................... 24 36.891 16.475Obrigações do programa de eficiência energética .............................................................................. 25 9.937 14.734Obrigações estimadas ......................................................................................................................... 26 7.528 8.945enefícios pós-emprego...................................................................................................................... 40 6.984 6.393assivo regulatório .............................................................................................................................. 10 800 9.617Outros .................................................................................................................................................. 28 12.960 10.491____________ ____________
Total do passivo circulante
..............................................................................................................
788.610 671.081
____________ ____________
ASSIVO NÃO CIRCULANTE
mpostos, contribuições sociais e parcelamentos ............................................................................... 22 79.596 208.316mpostos e contribuições sociais diferidos .......................................................................................... 15 (569) -mpréstimos, financiamentos e encargos........................................................................................... 23 714.054 793.181artes relacionadas ............................................................................................................................. 14 42.037 39.909Obrigações do programa de eficiência energética .............................................................................. 25 33.852 20.956enefícios pós-emprego 40 18.450 22.728lano de aposentadoria e pensão ....................................................................................................... 40 353 353Subvenção ICMS - CCC - 47.421rovisão para passivos contingentes .................................................................................................. 27 2.955 3.962ncargos tributários s/reserva de reavaliação 15 143.918 157.218assivo regulatório .............................................................................................................................. 10 59.230 29.270Operações de swap 41 163.314 95.063Outros .................................................................................................................................................. 28 20.490 11.658____________ ____________
Total do passivo não circulante
 
1.277.680 1.430.035
____________ ____________
ATRIMÔNIO LÍQUIDO
Capital social 29 710.197 710.197eserva de reavaliação ....................................................................................................................... 18 292.761 318.580eserva de lucro 29 249.482 100.659____________ ____________
Total do patrimônio líquido
..............................................................................................................
1.252.440 1.129.436
____________ ____________
ASSIVO TOTAL
 
3.318.730 3.230.552
____________ ________________________ ____________s notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.s notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.
ara os exercícios findos em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 (Valores expressos em milhares de reais - R$)
BALANÇOS PATRIMONIAIS
 
 ALANÇOS PATRIMONIAIS
Nota 2009 2008
______ ____________ ____________
RECEITA OPERACIONAL BRUTA
Fornecimento de energia elétrica 31 2.166.504 1.957.452Suprimento de energia elétrica............................................................................................................ 31 11.284 24.326Outras receitas 31 15.116 15.642____________ ____________
.192.904 1.997.420
____________ ____________
DEDUÇÕES DA RECEITA OPERACIONAL
ICMS.................................................................................................................................................... (497.662) (448.529)PIS - Corrente (36.475) (32.801)PIS - Diferido....................................................................................................................................... - (543)COFINS - Corrente (168.009) (151.089)COFINS - Diferido ............................................................................................................................... - (2.038)Quota - Reserva Global de Reversão - RGR (23.914) (23.061)Quota - Conta de Consumo de Combustíveis - CCC .......................................................................... (42.060) (37.582)Quota - Conta de Desenvolvimento Energético - CDE (47.016) (40.198)Pesquisa e Desenvolvimento - P&D.................................................................................................... (2.682) (2.365)Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - FNDCT (2.682) (2.269)Estudo de Pesquisa Energética - EPE ................................................................................................ (1.341) (1.193)Programa de Eficiência Energética - PEE (6.704) (6.079)Outros encargos .................................................................................................................................. (13) (40)________________________
(828.558) (747.787)
____________ ________________________ ____________
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA
.................................................................................................
1.364.346 1.249.633
____________ ____________
CUSTO DO SERVIÇO DE ENERGIA ELÉTRICA
Energia elétrica comprada para revenda............................................................................................ 32 (723.986) (637.924)Encargos de uso do sistema de transmissão e distribuição................................................................ (65.787) (29.931)________________________
(789.773) (667.855)
____________ ____________
CUSTO DE OPERAÇÃO
Pessoal ................................................................................................................................................ (56.464) (55.119)Material................................................................................................................................................ (17.840) (10.198)Matéria-prima e insumos para produção de energia elétrica .............................................................. (15.355) (61.250)Serviços de terceiros........................................................................................................................... (83.989) (84.212)Depreciação e amortização (104.774) (95.662)Subvenção - CCC................................................................................................................................ 63.023 67.104Arrendamento e aluguéis (1.310) (7.758)Outros.................................................................................................................................................. 1.071 (8.359)________________________
(215.638) (255.454)
____________ ________________________ ____________
LUCRO OPERACIONAL BRUTO
......................................................................................................
358.935 326.324
____________ ____________
DESPESAS OPERACIONAIS
Despesas com vendas 33 (21.345) (17.938)Despesas gerais e administrativas ...................................................................................................... 33 (67.008) (57.331)Outras despesas operacionais............................................................................................................ 33 (4.210) (4.450)________________________
(92.563) (79.719)
____________ ________________________ ____________
RESULTADO DO SERVIÇO
 
266.372 246.605
____________ ____________
Nota 2009 2008
______ ____________ ____________
RESULTADO FINANCEIROReceitas financeiras
Renda de aplicações financeiras......................................................................................................... 385 3.247Juros ativos ......................................................................................................................................... 22.186 63.286Acréscimos moratórios - energia vendida ........................................................................................... 22.520 20.813Variação monetária............................................................................................................................. 19 93.874 (1.706)Operações de swap............................................................................................................................. - 36.701Marcação a mercado - ajuste a Lei 11.638/2007 9.822 -Ajuste a valor presente - Lei 11.638/2007 9.616 4.342Redução de encargos financeiros - parcelamento Lei 11.941/2009 ................................................... 59.657 -Outras receitas financeiras .................................................................................................................. 34 8.119 10.492____________ ____________
226.179 137.175
____________ ____________
Despesas financeiras
Encargos de dívidas 19 (84.817) (45.066)Variações monetárias e acréscimos moratórios - energia comprada ................................................. 19 (349) (12.049)Variações monetárias .......................................................................................................................... (1.476) (125.726)Juros sobre o capital próprio ............................................................................................................... 19 (29.000) -Juros e multas ..................................................................................................................................... 19 (67.326) (36.998)Operações de swap............................................................................................................................. 19 (101.156) (1)Encargos financeiros - juros parcelamento Lei 11.941/2009 19 (2.561) -Marcação a mercado - Ajuste a Lei 11.638/2007 19 (1.302) (2.520)Ajuste a valor presente - Lei 11.638/2007 ........................................................................................... 19 (3.176) (12.688)Outras .................................................................................................................................................. 19/34 (2.591) (11.374)________________________
293.754) (246.422)
____________ ________________________ ____________
Resultado financeiro
 
(67.575) (109.247)
____________ ____________
OUTROS RESULTADOS
Receitas 35 1.386 3.567Despesas 35 (21.139) (8.668)____________ ____________
(19.753) (5.101)
____________ ________________________ ____________
RESULTADO OPERACIONAL
...........................................................................................................
179.044 132.257
____________ ____________
IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL
Corrente............................................................................................................................................... (37.344) (41.083)Diferido ................................................................................................................................................ (3.678) (6.613)____________ ____________
(41.022) (47.696)
____________ ____________
LUCRO LÍQUIDO ANTES DA REVERSÃO DOS JUROS SOBRE O CAPITAL PRÓPRIO
.............
138.022 84.561
____________ ____________Reversão dos juros sobre o capital próprio ......................................................................................... 29.000 -____________ ____________
LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO
 
167.022 84.561
____________ ________________________ ____________
LUCRO LÍQUIDO POR AÇÃO - R$
....................................................................................................
1,41 0,71
____________ ________________________ ____________
Reservas de Reservas de Lucros Total doCapital social reavaliação lucros acumulados patrimônio líquido
______________ ________________ ______________ ______________ __________________
Nota
29 18 29___________ ______________ ________________ ______________
SALDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 710.197 343.143 10.135 - 1.063.475
Ajuste pela adoção da Lei 11.638/2007 e adicionais ................................................................................................................................................................................. - - - (13.153) (13.153)Realização reserva reavaliação líquida dos efeitos tributários................................................................................................................................................................... - (24.563) - 24.563 -Lucro líquido do exercício - - - 84.561 84.561Destinação do lucro líquido proposta à AGO:Reserva legal.............................................................................................................................................................................................................................................. - - 1.147 (1.147) -Dividendos propostos - - - (5.447) (5.447)Reserva de investimento ............................................................................................................................................................................................................................ - - 89.377 (89.377) -______________ ________________ ______________ ______________ __________________
SALDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008
...............................................................................................................................................................................................
710.197 318.580 100.659 - 1.129.436
Realização reserva reavaliação líquida dos efeitos tributários - (25.819) - 25.819 -Lucro líquido do exercício........................................................................................................................................................................................................................... - - - 167.022 167.022Destinação do lucro líquido proposta à AGO:Reserva legal - - 8.351 (8.351) -Juros sobre o capital próprio...................................................................................................................................................................................................................... - - - (29.000) (29.000)Dividendos propostos ................................................................................................................................................................................................................................. - - - (15.018) (15.018)Reserva de investimento - - 140.472 (140.472) -______________ ________________ ______________ ______________ __________________
SALDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 710.197 292.761 249.482 - 1.252.440
______________ ________________ ______________ ______________ ________________________________ ________________ ______________ ______________ __________________As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.
Nota 2009 2008
______ ____________ ____________
FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS
Lucro do exercício ............................................................................................................................... 167.021 84.561
Ajustes ao lucro do exercício:
Provisão para créditos de liquidação duvidosa ................................................................................... (3.512) (3.220)Depreciação e amortização 114.172 104.524Encargos de dívidas, juros, variações monetárias e cambiais - líquidas ............................................ 124.646 179.077Baixa de imobilizado............................................................................................................................ 17.571 4.098Tributos sobre a realização da reserva de reavaliação ....................................................................... (13.301) (12.653)Ganhos na alienação de bens do não circulante ................................................................................ (302) (175)Ativo (líquido) regulatório 10 (46.907) (14.654)Créditos tributários diferidos ................................................................................................................ 22.996 19.431Ajustes da Lei 11.638/2007................................................................................................................. (14.960) 9.123Redução de encargos - Parcelamento Lei 11.941/2009..................................................................... (57.096) -Subvenção ICMS - CCC..................................................................................................................... (47.421) -Outras (1.007) (1.782)________________________
Subtotal
..............................................................................................................................................
261.900 368.330(Aumento) redução nos ativos operacionais
Consumidores, concessionários e permissionários ............................................................................ (7.919) (48.832)Estoques 18.087 2.746Despesas antecipadas e ativos regulatórios ....................................................................................... 46.124 29.339Serviços em curso ............................................................................................................................... (17.665) (6.430)Depósitos judiciais ............................................................................................................................... (1.440) (1.912)Créditos compensáveis em recolhimentos futuros .............................................................................. 9.325 (22.446)Desativações em curso 7.604 13.045Outros créditos .................................................................................................................................... (3.909) (28.882)Títulos e valores mobiliários, desativação em curso, e devedores diversos ....................................... 6.797 (18.120)________________________
Subtotal
 
57.004 (81.492)Aumento (redução) nos passivos operacionais
Fornecedores ...................................................................................................................................... (167.046) (41.821)Encargos de empréstimos e financiamentos pagos ........................................................................... 23 (72.573) (59.138)Impostos, contribuições sociais e parcelamentos 5.139 (35.844)Taxas regulamentares ......................................................................................................................... 24.277 6.191Passivos regulatórios 10 (10.893) (40.288)Entidade previdência privada, outros créditos e outras obrigações .................................................... (6.567) 11.137____________ ____________
Subtotal
..............................................................................................................................................
(227.663) (159.763)
________________________
Caixa líquido gerado nas atividades operacionais
........................................................................
91.241 127.075
____________ ____________
FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES INVESTIMENTO
Compra de ativo imobilizado e intangível ............................................................................................ (203.204) (598.293)Acréscimo de obrigações especiais 60.743 111.380Outras.................................................................................................................................................. 849 2.658____________ ____________
Caixa líquido usado nas atividades de investimento
....................................................................
(141.612) (484.255)FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES FINANCIAMENTO
Operações de mútuo com partes relacionadas - líquido (49.532) 46.487Novos empréstimos e financiamentos ................................................................................................ 23 380.642 359.051Pagamentos de empréstimos - principal ........................................................................................... 23 (280.433) (68.403)Pagamentos de juros sobre o capital próprio e dividendos (5.447) (19.745)________________________
Caixa líquido gerado nas atividades de financiamentos
...............................................................
45.230 317.390Redução de caixa e equivalentes de caixa
.....................................................................................
(5.141) (39.790)
____________ ________________________ ____________Caixa e equivalentes de caixa no início do exercício 36 40.286 80.076Caixa e equivalentes de caixa no final do exercício ............................................................................ 36 35.145 40.286
INFORMAÇÕES SUPLEMENTARES:
Imposto de renda pessoa jurídica pago .............................................................................................. 25.128 29.072Contribuição social pessoa jurídica paga 8.708 2.724Imposto de renda retido na fonte pago ................................................................................................ 1.086 2.038Contribuição social retida na fonte paga ............................................................................................. 733 902
ara os exercícios finos em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 (Valores expressos em mhares de reais - R$)
DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA
Para os exercícios findos em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 (Valores expressos em milhares de reais - R$)
 
DEMONSTRAÇÕES DOS VALORES ADICIONADOS - DVA
ara os exercícios findos em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 (Valores expressos em milhares de reais - R$, exceto lucro líquido por ação)
DEMONSTRAÇÕES DOS RESULTADOS
ara os exercícios findos em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 (Valores expressos em milhares de reais - R$)
DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO
2009 2008_______________ _______________Reclassificado1. RECEITAS
Vendas de energia elétrica e serviços ..................................................................................................... 2.188.854 1.991.199Provisão p/créditos de liquidação duvidosa ............................................................................................. 3.512 3.220Resultado na alienação/desativação de bens e direitos .......................................................................... (17.771) (4.073)Outros resultados..................................................................................................................................... 2.069 5.193
_______________ _______________Total
........................................................................................................................................................
2.176.664 1.995.539_______________ _______________2. INSUMOS ADQUIRIDOS DE TERCEIROS (Inclui os valores dos impostos ICMS, IPI,PIS e COFINS)
Energia elétrica comprada para revenda (789.773) (667.855)Serviços de terceiros (128.990) (119.894)Materiais (21.700) (13.464)Matéria-prima e insumo p/prod. de energia elétrica (15.355) (61.250)Subvenções de combustível - CCC 63.023 67.104Outros (6.422) (13.586)
_______________ _______________Total
........................................................................................................................................................
(899.217) (808.945)_______________ ______________________________ _______________3. VALOR ADICIONADO BRUTO (1-2)
 
1.277.447 1.186.594_______________ _______________4. DEPRECIAÇÃO, AMORTIZAÇÃO E EXAUSTÃO
Depreciação e amortização ..................................................................................................................... (108.280) (100.382)
_______________ _______________5. VALOR ADICIONADO LÍQUIDO PRODUZIDO PELA ENTIDADE (3-4)
...............................................
1.169.167 1.086.212_______________ _______________6. VALOR ADICIONADO RECEBIDO EM TRANSFERÊNCIA
Receitas financeiras 226.179 137.175
_______________ _______________Total
........................................................................................................................................................
226.179 137.175_______________ ______________________________ _______________7. VALOR ADICIONADO TOTAL A DISTRIBUIR (5+6) 1.395.346 1.223.387_______________ ______________________________ _______________8. DISTRIBUIÇÃO DO VALOR ADICIONADO
...........................................................................................
1.395.346 1.223.387_____________________________________________ _______________8.1 - Pessoal
...........................................................................................................................................
73.545 70.535_______________ _______________
Remunerações ................................................................................................................................ 59.318 61.245FGTS ............................................................................................................................................... 5.833 5.987Entidades de previdência privada ................................................................................................... 988 383Programa incentivo à aposentadoria e demissão voluntária ........................................................... 146 3.631Programa de Alimentação ao Trabalhador - PAT ........................................................................... 8.422 5.943Convênios assistenciais e outros benefícios ................................................................................... 5.184 3.538Outros.............................................................................................................................................. 99 36Transferências p/ordens em curso (imobilizado)............................................................................. (6.445) (10.228)
_______________ _______________8.2 - Impostos, taxas e contribuições
..................................................................................................
893.380 817.036_______________ _______________
Governo Federal.............................................................................................................................. 395.096 368.052Governo Estadual 497.639 448.319Governo Municipal 645 665
_______________ _______________8.3 - Remuneração de capitais de terceiros
........................................................................................
261.399 251.255_______________ _______________
Encargos de dívidas e variações monetárias .................................................................................. 86.310 176.819Aluguéis e arrendamentos............................................................................................................... 3.969 9.770Outras despesas financeiras ........................................................................................................... 171.120 64.666
_______________ _______________8.4 - Remuneração de capitais próprios
 
167.022 84.561_______________ _______________
Dividendos ....................................................................................................................................... 15.018 5.447Juros sobre o capital próprio ........................................................................................................... 29.000 -Lucros retidos .................................................................................................................................. 123.004 79.114
 
Centrais Elétricas Matogrossenses S.A. - CEMAT
www.redenergia.com
continua
. CONTEXTO OPERACIONAL
entrais Elétricas Matogrossenses S.A. - CEMAT (Companhia ou CEMAT), é uma sociedade porações de capital aberto, sob o controle acionário das empresas Rede Energia S.A. e Inepar S.A. -ndústria e Construções, atuando na área de distribuição de energia elétrica, além da geração própriaatravés de usinas térmicas para o atendimento a sistemas isolados em sua área de concessão legalque abrange todo o Estado de Mato Grosso com 903.358 (*) km
2
, atendendo 992.368 (*) consumidoresem 141 (*) municípios, tendo suas atividades regulamentadas e fiscalizadas pela Agência Nacional denergia Elétrica - ANEEL, vinculada ao Ministério de Minas e Energia - MME.*) Informações não auditadas.
2. DAS CONCESSÕES
onforme Contrato de Concessão de Distribuição de Energia Elétrica nº 03/1997, assinado em11/12/1997, o prazo de concessão é de 30 anos, com vencimento em 11/12/2027, renovável por igualeríodo.Além do contrato de distribuição acima mencionado, a Companhia possui Contrato de Concessão deeração nº 04/1997 de 6 Usinas Termelétricas, com as respectivas subestações associadas, comvencimento em 11/12/2027. De acordo com tais contratos, as concessões nas atividades de geraçãode energia elétrica da Companhia são as seguintes:
Capacidade Capacidade Data da Data deoncessão de usinas térmicas instalada MW utilizada MW concessão vencimento
_______________________________ ____________ ___________ __________ ___________(*) (*)oncessão de 6 usinas termelétricas,são elas: Comodoro, Cotriguaçú,Guariba, Juruena,Paranorte e Rondolândia..................
5,58 6,17 10/12/1997 10/12/2027
____________ ___________ __________ ___________O Contrato de concessão assinado com a União Federal contém cláusulas específicas que garantemo direito à indenização do valor residual dos bens ao final da concessão. Para tanto, os referidos benssão depreciados de acordo com as taxas determinadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica -ANEEL.A energia distribuída é substancialmente adquirida de Furnas Centrais Elétricas S.A., bem comoa energia proveniente de leilões efetuados pelo MME. Seu parque gerador, composto por usinastermelétricas, contribui com aproximadamente 0,58% (*) da totalidade da energia distribuída.ara a prestação dos serviços, objeto das concessões acima mencionadas, a Companhia possuim quadro próprio de 1.610 (*) funcionários, 904 (*) prestadores de serviços e 59 (*) estagiários,em 31/12/2009.*) Informações não auditadas.
3. ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS
As demonstrações financeiras e as notas explicativas estão apresentadas em milhares de reais, excetose indicado de outra forma, e foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas norasil, as quais abrangem a legislação societária brasileira, os Pronunciamentos, as Orientações e asnterpretações emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC, as normas emitidas pelaomissão de Valores Mobiliários - CVM e normas aplicáveis às concessionárias de serviço público deenergia elétrica, definidas pelo poder concedente, a Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL.Algumas informações adicionais estão sendo apresentadas em notas explicativas e quadrossuplementares em atendimento às instruções contidas no Despacho nº 4.722, da SFEF/ANEEL,de 18/12/2009.a elaboração das demonstrações financeiras de 31/12/2008, a Companhia adotou pela primeira vezas alterações na Legislação Societária introduzidas pela Lei nº 11.638 de 28/12/2007 e pela Medidarovisória nº 449 de 3/12/2008, convertida na Lei nº 11.941 em 27/5/2009.
4. PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS ADOTADASAjustes a valor presente:
os ativos e passivos de longo prazo, bem como, os de curto prazo casoelevante, são ajustados a valor presente. Os principais efeitos apurados estão relacionados comas rubricas “Consumidores”, e “Impostos e Contribuições a Compensar”. Para o desconto a valorresente utilizou-se a taxa do custo médio ponderado de capital (WACC) do setor elétrico, definidaela ANEEL, para remunerar o capital das distribuidoras de energia elétrica.
Aplicações no mercado aberto e títulos e valores mobiliários:
são registrados ao valor decusto, acrescido dos respectivos rendimentos auferidos até a data das demonstrações financeiras.A Companhia procedeu ao cálculo do valor justo em 2008 e 2009 das aplicações financeiras comase nas taxas de mercado nas respectivas datas, apurando o valor de mercado aproximado ao valorcontabilizado.
onsumidores:
incluem o fornecimento de energia elétrica, faturado e a faturar a consumidores finais,so da rede, serviços prestados, acréscimos moratórios e a outras concessionárias pelo suprimentode energia elétrica, conforme montantes disponibilizados pela CCEE e saldos relacionados a ativosegulatórios de diversas naturezas, registrados de acordo com o regime de competência.
rovisão para créditos de liquidação duvidosa:
constituída por montante considerado suficienteela Administração da Companhia para cobrir as possíveis perdas que possam ocorrer na realizaçãodas contas a receber, cuja recuperação é considerada improvável.
stoque (inclusive do ativo imobilizado):
os materiais em estoque classificados no ativo circulantealmoxarifado de manutenção e administrativos) e aqueles destinados a investimento classificados noativo não circulante - imobilizado (depósito de obra) estão registrados ao custo médio de aquisição.
Ativos e passivos regulatrios:
referem-se a valores realizáveis ou exigíveis, em decorrência docontrato de concessão, que tem por objetivo, dentre outros, assegurar o equilíbrio econômico-financeiroda concessão. No circulante encontram-se registrados os valores já homologados e consideradosa tarifa de energia elétrica pela ANEEL em revisões ou reajustes tarifários, que serão amortizadosconforme legislação em vigor, corrigidos pela SELIC/BACEN ou IGP-M. No não circulante encontram-se registrados os valores apurados a serem submetidos para posterior homologação da ANEEL nadata da próxima revisão ou reajuste tarifário. Os valores contabilizados são registrados tendo suacontrapartida no resultado da Companhia.
nvestimentos:
o saldo remanescente refere-se a bens destinados a uso futuro, como terrenos,edificações, obras civis, máquinas e equipamentos não incluídos no processo de desverticalizaçãoda Companhia.
ntangível:
inclui os direitos que tenham por objeto bens incorpóreos destinados à manutenção daentidade ou exercidos com tal finalidade, como softwares e servidões de passagem. Estes ativosntangíveis serão amortizados somente caso sua vida útil possa ser razoavelmente estimada,caso contrário serão considerados como de vida útil indefinida, sendo assim sujeitos ao teste deecuperabilidade econômica no mínimo anualmente.
mobilizado:
inclui os itens que se referem a bens corpóreos destinados à manutenção das atividadesda Companhia, inclusive os decorrentes de operações que transfiram os benefícios, os riscos e ocontrole dos bens. Está registrado ao custo de aquisição ou construção, corrigido monetariamente até31/12/1995 e reavaliado em agosto de 2001, com revisão em maio de 2005, exceto para os gruposde automóveis, caminhões e móveis e utensílios. A depreciação dos bens é calculada pelo métodoinear, às taxas médias anuais de acordo com a Resolução Normativa da ANEEL nº 240 de 5/12/2006.Os ativos imobilizados têm o seu valor testado, no mínimo, anualmente, caso haja indicadores deerda de valor conforme requerido pela Deliberação CVM nº 527/2007. Nos anos de 2008 e de 2009 oativo imobilizado foi submetido a teste de recuperabilidade.
brigações vinculadas à concessão do serviço público de energia elétrica:
representam osvalores da União, dos Estados, dos Municípios e dos consumidores, bem como as doações nãocondicionadas a qualquer retorno a favor do doador e as subvenções destinadas a investimento noserviço público de energia elétrica na atividade de distribuição, cuja quitação ocorrerá ao final daconcessão. Essas obrigações estão registradas em grupo específico no Passivo Não Circulante, eestão sendo apresentadas como dedução do Ativo Imobilizado, dadas suas características de aportefinanceiro com fins específicos de financiamentos para obras.
edução do valor recuperável dos ativos:
os ativos imobilizados da Companhia são avaliadosanualmente com o objetivo de identificar possíveis evidências, eventos ou alterações que indiquema possibilidade de valor não recuperável. Em havendo perdas, as mesmas são reconhecidas peladiferença entre o valor contábil e o recuperável.
Arrendamento mercantil:
os arrendamentos mercantis são segregados entre os operacionais e osfinanceiros. Quando o arrendamento é classificado como financeiro, ou seja, seus riscos e benefíciossão transferidos, este é reconhecido como um ativo da Companhia e mensurado inicialmente peloseu valor justo ou pelo valor presente dos pagamentos mínimos, entre eles o menor, e depreciadosormalmente. O passivo subjacente é amortizado utilizando a taxa efetiva de juros.
eserva de reavaliação:
é realizada em proporção à depreciação e alienação dos ativos imobilizadoseavaliados, sendo transferida para a conta de lucros acumulados, líquida dos efeitos do imposto deenda e da contribuição social. A Companhia optou por manter os saldos existentes das reservas deeavaliação até a sua efetiva realização, conforme permitido no art. 6º da Lei nº 11.638/2007.
ustos indiretos de obras em andamento:
parte dos gastos da administração central é apropriada àsmobilizações em curso. Essa apropriação é feita mensalmente com base em critérios adequadamentefundamentados.
mpréstimos e financiamentos:
estão atualizados pela variação monetária e/ou cambial, jurose encargos financeiros, determinados em cada contrato, incorridos até a data de encerramento doalanço. Os custos de transação estão deduzidos dos empréstimos/financiamentos correspondentes.sses ajustes são apropriados ao resultado pela taxa efetiva de juros do período em despesasfinanceiras, exceto pela parte apropriada ao custo do ativo imobilizado em curso.
rovisão para passivos contingentes:
as provisões para contingências são constituídas medianteavaliações dos riscos em processos cuja probabilidade de perda é provável e são quantificadascom base em fundamentos econômicos, na avaliação da Administração e dos assessores legais emareceres jurídicos sobre os processos existentes e outros fatos contingenciais conhecidos nas datasdos balanços.
mposto de renda e contribuição social:
a provisão para imposto de renda e contribuição social écalculada com base no lucro tributável e na base de cálculo da contribuição social, de acordo com asalíquotas vigentes na data do balanço. Sobre as diferenças temporárias, prejuízo fiscal e base negativade contribuição social são constituídos impostos diferidos, de acordo com as respectivas alíquotasvigentes na data do balanço. Os prejuízos fiscais e bases negativas de contribuição social podem sercompensados anualmente, observando-se o limite de até 30% do lucro tributável para o exercício.e acordo com o art. 15 da Medida Provisória nº 449/2008, convertida na Lei nº 11.941/2009, de27/5/2009, que institui o Regime Tributário de Transição - RTT de apuração do lucro real, a Companhiaconsiderou a opção pelo RTT aplicável ao biênio 2008-2009, assim as demonstrações financeiras doexercício encerrado em 31/12/2009 foram elaboradas considerando os efeitos da opção pelo RTT.
egistro das operações de compra e venda de energia na CCEE - Cmara de Comercializaçãode Energia Elétrica:
as compras (custo de energia comprada) e as vendas (receita de suprimento)são registradas pelo regime de competência de acordo com as informações divulgadas pela CCEE,entidade responsável pela apuração das operações de compra e venda de energia. Nos meses emque essas informações não são disponibilizadas em tempo hábil pela CCEE, os valores são estimadosela Administração da Companhia, utilizando-se de parâmetros disponíveis no mercado.
lano de suplementação de aposentadoria e pensão:
os custos, as contribuições e o passivoatuarial são determinados, na data do balanço, por atuários independentes. A partir de 31/12/2001,esses valores são apurados e registrados de acordo com a Deliberação CVM nº 371/2000.
utros direitos e obrigações:
demais ativos e passivos circulantes e não circulantes que estãosujeitos à variação monetária ou cambial por força de legislação ou cláusulas contratuais, estãoatualizados com base nos índices previstos nos respectivos dispositivos, de forma a refletir os valoresa data das demonstrações financeiras.
erivativos:
a Companhia firma contratos derivativos com o objetivo de administrar os riscosassociados às variações nas taxas cambiais e de juros. Os referidos contratos derivativos sãocontabilizados pelo regime de competência e estão mensurados a valor justo por meio do resultado. Osganhos e perdas auferidos ou incorridos em função desses contratos são reconhecidos como ajustesem receitas ou despesas financeiras. Os contratos derivativos da Companhia são com instituiçõesfinanceiras de grande porte e que apresentam grande experiência com instrumentos financeiros dessaatureza. A Companhia não têm contratos derivativos com fins especulativos.
stimativas:
a preparação de demonstrações financeiras, de acordo com as práticas contábeis adotadaso Brasil, requer que a Administração da Companhia se baseie em julgamento para determinação eegistro de certas estimativas que afetam seus ativos, passivos, receitas e despesas, bem como adivulgação de informações sobre dados das suas demonstrações financeiras. A Companhia revisa asestimativas e as premissas pelo menos anualmente.
esultado:
as receitas de fornecimento de energia elétrica foram mensuradas com base no regimede competência, incluindo a quantificação estimada do fornecimento de energia elétrica da últimaedição até o encerramento das demonstrações financeiras, não estando limitado apenas à conclusãodo processo de faturamento e à consequente emissão física da respectiva conta.
nformações sobre quantidade de ações e resultado por ação:
conforme requerido pelas práticascontábeis adotadas no Brasil, as informações sobre quantidade de ações e resultado por açõesconsideram a quantidade histórica de ações efetivamente em circulação na data do balanço. O lucroprejuízo) por ação corresponde à razão entre o lucro (prejuízo) líquido da Companhia no exercício e aquantidade de ações em circulação no final deste exercício.
Subvenção e assistncia governamental:
a partir de 1/1/2008, as subvenções governamentais,se recebidas, serão reconhecidas como receita ao longo do período, confrontadas com as despesasque pretende compensar em uma base sistemática. Os valores a serem apropriados no resultadoserão destinados à Reserva de Incentivos Fiscais. Atualmente a Companhia não possui subvençõese assistências governamentais.
Novos pronunciamentos, interpretações e orientações emitidas pelo CPC e deliberadas pelaCVM que ainda não estão vigentes e não foram adotados antecipadamente:
A Companhia procedeu a análise das deliberações emitidas pela CVM em 2009 para aplicação aosexercícios encerrados a partir de dezembro de 2010 e às demonstrações financeiras de 2009 para fins decomparação e, concluiu que as principais deliberações que poderão apresentar efeitos relevantes são:
Deliberação CVM nº 577/2009 - CPC 20 - custos de empréstimos (IAS 23):
A capitalização decustos de empréstimos relacionados à aquisição, construção ou produção de ativos qualificáveistornou-se obrigatória. Como pelas práticas atuais da Companhia, apenas os custos de empréstimosdiretamente atribuíveis são capitalizados, o efeito devido a capitalização de custos de outrosempréstimos empregados nesses ativos, proporcionará redução nas despesas financeiras, cujoimpacto nos balanços ainda estão sendo avaliados.
Deliberação CVM nº 593/2009 - CPC 24 - evento subsequente (IAS 10):
Esta deliberação determinaque os dividendos acima do mínimo estabelecido em lei e não aprovados pela Assembleia não devemser provisionados, mas apenas destacados no patrimônio líquido. Caso esta deliberação fosse adotadano exercício de 2009, o passivo circulante estaria apresentado a menor e o patrimônio líquido a maiorpela diferença acima do mínimo.
Deliberação CVM nº 611/2009 - ICPC 01 - contratos de concessão (IFRIC 12):
A deliberaçãoestabelece que não sejam reconhecidos ativos imobilizados referentes a concessões, e sim, o registrode um ativo intangível (o direito de cobrar os consumidores) e/ou um ativo financeiro (indenizaçãoao final da concessão). No estágio atual, a Companhia está acompanhando as discussões sobre oassunto, que estão ocorrendo junto aos órgãos reguladores e entidades de classe, concluindo que nãohá possibilidade de avaliar com segurança razoável os efeitos nas demonstrações financeiras.
5. APLICAÇÕES NO MERCADO ABERTOTipo deAgente financeiro aplicação Vencimento Taxas % 2009 2008
_______________________ ___________ ___________ ________________ ______ ______Banco do Brasil ................... CDB (*) 1,10% a 3,72% Pré 4.152 196Banco do Brasil ................... CDB (*) 100% CDI - 6.300Banco Itaú CDB (*) 98% CDI 21 20Banco Safra ......................... CDB FLUXO (*) 10% CDI 446 -Banco Máxima ..................... CDB (*) 105% CDI 282 -Unibanco ............................. CDB (*) 40% CDI - 7.244______ ______
Total
....................................
4.901 13.760
______ ____________ ______(*) As aplicações financeiras são consideradas equivalentes caixa por terem alta liquidez, que sãoprontamente conversíveis em um montante conhecido de caixa e que estão sujeitas a um insignificanterisco de mudança de valor. Seu valor contábil é próximo ao seu valor justo.
6. CONSUMIDORESConsumidores: 2009 2008
__________ __________Faturados 289.279 268.783Não faturados ....................................................................................... 63.390 70.351__________ __________
Total
.....................................................................................................
352.669 339.134
__________ ______________________________
Saldos vencidos_______________________Classe de Saldos Até Mais de Total
_________________
consumidoresvincendos90 dias 90 dias Total 2009 2008
_______________________________________ _______ _______ _______ _______
Circulante
Residencial ......................... 55.516 45.045 21.579 66.624 122.140 106.074Industrial............................. 36.964 13.019 21.293 34.312 71.276 56.126Comércio, serviços eoutras atividades ............. 39.656 22.157 16.856 39.013 78.669 69.060Rural ................................... 14.284 4.124 4.513 8.637 22.921 19.332Poder público:Federal 1.310 1.609 432 2.041 3.351 1.822Estadual.............................. 2.945 900 99 999 3.944 2.938Municipal ............................ 9.597 4.784 1.572 6.356 15.953 13.060Iluminação pública 4.001 2.208 186 2.394 6.395 5.834Serviço público ................... 7.472 6.552 8.655 15.207 22.679 38.054(-) Ajuste a valor presenteLei 11.638/2007 (d) (92) - - - (92) (96)Redução de tarifa irrigaçãoe aquicultura (b)............... 29 - - - 29 585Fornecimento não faturadoLuz para Todos (c) ........... 4.591 - - - 4.591 26.345Redução de uso do sistemade distribuição ................. 813 - - - 813 -_________________ _______ _______ _______ _______
Subtotal - Consumidores
.
177.086 100.398 75.185 175.583 352.669 339.134
Participação financeirado consumidor................. 2.040 411 186 597 2.637 1.911Comercializaçãona CCEE (a) 648 - - - 648 3.773Programa emergencialde redução do consumo.. - - 290 290 290 296Encargos de capacidadeemergencial ..................... - - 2.457 2.457 2.457 2.484Concessionários/ permissionários 1.971 - - - 1.971 939Encargos de usoda rede elétrica ................ 10.238 - - - 10.238 4.952Outros ................................. 1.825 3.029 2.765 5.794 7.619 6.659_________________ _______ _______ _______ _______
Total
...................................
93.808 103.838 80.883 184.721 378.529 360.148
_________________ _______ _______ _______ ________________________ _______ _______ _______ _______
Não circulante
Consumidores .................... 99.805 - 70.470 70.470 170.275 149.555(-) Ajuste a valor presenteLei 11.638/2007 (d) ......... (1.318) - - - (1.318) (1.876)Participação financeirado consumidor 55.951 - - - 55.951 63.493Comercializaçãona CCEE (a) .................... 3.575 - - - 3.575 3.565Redução de tarifa irrigaçãoe aquicultura (b)............... - - - - - 1.154Redução de uso dosistema de distribuição - - - - - 1.530Outros ................................. 1.524 - - - 1.524 995_________________ _______ _______ _______ _______
Total
...................................
159.537 - 70.470 70.470 230.007 218.416
_________________ _______ _______ _______ ________________________ _______ _______ _______ _______
(a) Comercialização na CCEE
O saldo da conta de consumidores inclui o registro dos valores referentes à comercialização deenergia no circulante e não circulante, no montante de R$ 4.223, com base em cálculos preparadose divulgados pela CCEE até o mês de dezembro de 2009. De acordo com a Resolução ANEEL nº52, de 14/10/2002, os valores das transações de energia de curto prazo não liquidados nas datasprogramadas deverão ser negociados bilateralmente entre os agentes de mercado.As operações de compra e venda de energia elétrica praticadas no período de setembro de 2000a dezembro de 2002, após os ajustes divulgados pela CCEE, tiveram seu processo de liquidaçãoconcluído em julho de 2003, as demais operações de compra e venda de energia elétrica praticadasno exercício de 2009, estão sendo liquidadas mensalmente.Os valores da energia no curto prazo e da energia livre estão sujeitos à modificação dependendode decisão dos processos judiciais em andamento, movidos por determinadas empresas do setor,relativos à interpretação das regras do mercado em vigor.
(b) Subsídio a irrigantes
A Resolução Normativa nº 540, de 1/10/2002, implementou a Lei nº 10.438, de 26/4/2002, queestendeu os descontos especiais nas tarifas de energia elétrica de irrigantes ao consumo verificado nohorário compreendido entre 21h30 e 6h do dia seguinte.Esse dispositivo legal ampliou o horário estabelecido na Portaria DNAEE nº 105, de 3/4/1992, das 23hàs 5h do dia seguinte, em que eram concedidos descontos especiais para consumidores do Grupo A(alta tensão) e do Grupo B (baixa tensão).A Resolução Normativa nº 207, de 9/1/2006, que “estabelece os procedimentos para aplicação dedescontos especiais na tarifa de fornecimento relativa ao consumo de energia elétrica das atividadesde irrigação e na aquicultura”, dispôs no artigo 6º que “o valor financeiro resultante dos descontosestabelecido nesta Resolução configura direito da concessionária ser compensada no primeiro reajusteou revisão tarifária após a correspondente apuração”.
Circulante Não circulante
__________ _____________
Saldo no início do exercício
..........................................................
585 1.154
Apropriado no exercício - 1.327Amortizado no exercício ................................................................... (1.901) (1.129)Atualizado no exercício .................................................................... - (7)Valor transferido do longo prazo 1.345 (1.345)_______________________
Saldo no final do exercício
 
29 -
__________ _______________________ _____________
(c) Fornecimento não faturado - Programa Luz para Todos:
Pela Resolução Homologatória nº 794, de 7/4/2009 que homologa as tarifas de fornecimento de energiaelétrica da Companhia, em 13,04%, e Notas Técnicas nº 118/2009 - SRE/ANEEL, de 31/3/2009 -Processo 48500.007411/2008-87, ficam reconhecidas as despesas realizadas com o programa Luzpara Todos. A Superintendência de Regulação Econômica - SRE analisou os dados informados pelaconcessionária e decidiu considerar neste reajuste o valor de R$ 14.273 correspondente aos custosdos consumidores atendidos pelo Programa e não cobertos pela tarifa.
Saldo no ínicio do exercício
...................................................................................
26.345
Amortizado no exercício ............................................................................................ (21.754)__________
Saldo no final do exercício
 
4.591
____________________
(d) Ajuste a valor presente
Refere-se ao valor de ajuste para os contratos renegociados sem a inclusão de juros. Para o descontoa valor presente utilizou-se uma taxa de 12,81% a.a., que representa o custo médio ponderado decapital do setor (WACC), que a ANEEL considera como a taxa de retorno adequada para os serviçosde distribuição de energia, cuja metodologia está definida na Resolução ANEEL nº 234 de 31/10/2006.Essa taxa é compatível com a natureza, o prazo e os riscos de transações similares em condições demercado. Tendo em vista a natureza, complexidade e volume das renegociações a divulgação do fluxode caixa e sua temporalidade foi omitido, uma vez que o efeito líquido do AVP não é relevante.
7. PROVISÃO PARA CRÉDITOS DE LIQUIDAÇÃO DUVIDOSAComposição: 2009 2008
__________ __________CirculanteResidencial ........................................................................................... 9.983 11.606Industrial ............................................................................................... 259 326Comércio, serviços e outras atividades ................................................ 546 2.910Rural ..................................................................................................... 1.651 711Outras receitas ..................................................................................... 2.367 2.341__________ __________14.806 17.894Diversos créditos 316 739__________ __________
Total
.....................................................................................................
15.122 18.633
__________ ____________________ __________
Movimentação: 2009 2008
__________ __________
Saldo no início do exercício
..............................................................
18.633 21.853
Perdas no exercício .............................................................................. (2.206) (1.229)Recuperação de perdas ....................................................................... 614 1.058Ajuste de provisão ................................................................................ (1.919) (3.049)__________ __________
Saldo no final do exercício
................................................................
15.122 18.633
__________ ____________________ __________A provisão para créditos de liquidação duvidosa foi constituída considerando os critérios a seguirrelacionados:• Consumidores residenciais vencidos há mais de 90 dias.• Consumidores comerciais vencidos há mais de 180 dias.• Consumidores industriais, rurais, poderes públicos, iluminação pública e serviços públicos e outros,vencidos há mais de 360 dias.• Após análise criteriosa, efetuada pela Administração da Companhia, foram excluídas contas vencidasque estão em processo de negociação.A Companhia possui um grupo de profissionais com o propósito de avaliar a qualidade e a possibilidadede recuperação dos créditos em atraso referente ao fornecimento de energia para os diversosseguimentos de clientes.Os créditos em atraso com prefeituras municipais, órgãos públicos integrados às administraçõespúblicas municipais, serviços públicos, órgãos estaduais e federais, cujos saldos são reclassificadospara o realizável a longo prazo. Os administradores, com base em estudos e na posição dos seusconsultores jurídicos, entendem que os procedimentos de cobrança atualmente praticados, osparcelamentos, as diligências de cobranças e os acordos realizados com os diversos órgãosgovernamentais e de serviços públicos somados aos procedimentos judiciais, que compreendem entreoutros a constituição de precatórios judiciais como garantia dos créditos e a aplicação dos termosprevistos na legislação de responsabilidade fiscal vigente, minimizam potencialmente os riscos deincertezas dos recebimentos dos créditos.
8. IMPOSTOS E CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS A COMPENSAR2009 2008
____________________ ____________________
Não NãoComposição: Circulante circulante Circulante circulante
_________ _________ _________ _________I.C.M.S. (b) ....................................................... 29.031 35.414 22.855 69.460(-) Ajuste a valor presente Lei 11.638/2007 . (2.248) (6.743) (7.579) (7.290)_________ _________ _________ _________
ICMS ajustado
.................................................
26.783 28.671 15.276 62.170
I.N.S.S. ............................................................. 14 - 10 21.843Imposto de renda (a) ........................................ - 3.911 - 3.911Contribuição social (a) ...................................... - 1.273 - 1.273Outros ............................................................... 292 - 135 -_________ _________ _________ _________
Total
 
27.089 33.855 15.421 89.197
_________ _________ _________ __________________ _________ _________ _________(a) Os valores do Não Circulante referem-se a saldo negativo de Imposto de Renda e ContribuiçãoSocial apurado na Declaração de Ajuste Anual, de Anos-Calendários anteriores, decorrentesde estimativas parceladas, que será utilizado à medida que forem sendo pagas as prestações doPAEX (vide nota 22), e desde que o montante já pago exceda o valor do imposto ou da contribuiçãodeterminados com base no Resultado apurado em 31 de dezembro dos respectivos anos.(b) O ICMS a compensar apurado na aquisição de bens do ativo imobilizado serão recuperados ematé 48 meses. A Companhia procedeu o cálculo do AVP - Ajustes a Valor Presente utilizando a taxade 12,81% a.a., que representa o custo médio ponderado de capital (WACC) que a ANEEL consideracomo a taxa de retorno adequada para os serviços de distribuição de energia, cuja metodologia estádefinida na Resolução ANEEL nº 234 de 31/10/2006. Essa taxa é compatível com a natureza, o prazo eos riscos de transações similares em condições de mercado. Tendo em vista a natureza, complexidadee volume da recuperação a divulgação do fluxo de caixa e sua temporalidade foi omitido, uma vez queo efeito líquido do AVP não é relevante.
9. REDUÇÃO DE RECEITA - BAIXA RENDA
Subvenção à Baixa Renda - Tarifa Social: O Governo Federal, através da Lei nº 10.438, de 26/4/2002,determinou a aplicação da tarifa social de baixa renda, o que causou uma redução na receita operacionalda Companhia que foi compensada através do Decreto Presidencial nº 4.538, de 23/12/2002, em queforam definidas as fontes para concessão e subvenção econômica com a finalidade de contribuir paraa modicidade da tarifa de fornecimento de energia elétrica aos consumidores finais integrantes dasubclasse residencial baixa renda, com consumo mensal inferior a 80 kWh ou com consumo entre 80e 220 kWh, nesse último caso desde que atendam a alguns critérios conforme estabelecido no artigoº da Lei nº 10.604, de 17/12/2002.Segue abaixo a movimentação no exercício:
Saldo no início do exercício
...................................................................................
1.597
Valor provisionado ..................................................................................................... 900Valor homologado ..................................................................................................... 8.377Valor recebido ........................................................................................................... (8.104)__________
Saldo no final do exercício
.....................................................................................
2.770
____________________
10. ATIVOS E PASSIVOS REGULATÓRIOS10.1. Conta de Compensação de Variação de Custos da “Parcela A” - CVA
Conforme disposições contidas na Medida Provisória nº 14, de 21/12/2001, convertida na Lei nº10.438, de 26/4/2002, Portarias Interministeriais nº 296, de 25/10/2001, nº 25, de 24/1/2002 e nº116 de 4/4/2003, e resoluções complementares da ANEEL, a Companhia registrou como despesasantecipadas a variação dos valores de itens denominados de “Parcela A” (custos não gerenciáveis)que serão recuperados através de aumentos tarifários futuros.
Saldos_______________________Descrição de ativos e passivos regulatórios 2009 2008
_______________________________________________________ __________ __________Contas de compensação variação de custos da Parc. A - CVA:CVA2001 - Período de 1/1/2001 a 25/10/2001 .................................. 7.868 4.917CVA2007 - Período de 8/4/2006 a 7/4/2007 ...................................... - (5.503)CVA2008 - Período de 8/4/2007 a 7/4/2008 ...................................... 4.597 (4.785)CVA2009 - Período de 8/4/2008 a 7/4/2009 ...................................... 16.045 32.589CVA2010 - Período de 8/4/2009 a 7/4/2010...................................... 14.310 -__________ __________
Total
 
42.820 27.218
__________ ____________________ __________Em 8/4/2009, entrou em vigor o novo reajuste tarifário que teve sua aplicação prevista na ResoluçãoANEEL nº 794, de 7/4/2009, que reajustou as tarifas de fornecimento de energia elétrica da CEMAT emmédia 15,99%, sendo 11,33% relativos ao reajuste tarifário anual e 4,66% relativos aos componentesfinanceiros adicionais. Conforme Nota Técnica nº 118/2009 - SRE/ANEEL, de 31/3/2009, as CentraisElétricas Matogrossenses S.A. - CEMAT, iniciou a compensação dos valores reconhecidos na CVA noperíodo entre abril de 2008 a março de 2009, denominada “CVA 2009”.Os valores que estão sendo compensados por meio da “CVA em processamento”, impactam em umaumento de 3,24%, e uma redução de -0,37% “Saldo a Compensar CVA Ano Anterior”.O quadro a seguir demonstra a movimentação dos ativos e passivos regulatórios no exercício de 2009:
Descrição 2008 Adições Baixas Atualiz. Amortiz. Transf. 2009____________________________________________________________ __________ __________ __________ __________ __________ __________ __________Ativo
Conta de Consumo Combustível - CCC 14.257 13.781 (738) 1.152 (6.528) - 21.924Comp. Financ. Utiliz. Recursos Hídricos 1 - (1) - - - -Transporte de Energia Elétrica pela Rede sica 2.720 32.469 (3.796) 508 - - 31.901Encargo de Serviços de Sistemas - ESS 23.067 3.130 - 1.847 (18.271) - 9.773Conta de Desenv. Energético - CDE 992 1.960 (55) 178 (1.188) - 1.887Programa de Incent. Fontes Alt. - PROINFA................................................. 448 2.710 (107) 178 (2.175) - 1.054Custo de Aquisição de Energia ..................................................................... 11.934 31.361 (14.416) 1.714 (12.822) - 17.771Transporte de Energia Elétrica - Itaipú .......................................................... 485 429 (30) 59 (398) - 545Majoração de alíquota PIS/COFINS.............................................................. - 3.057 - - - - 3.057Diferimento Repos.Tarifária Rede Básica (a)................................................ 12.201 7.890 - - (5.153) - 14.938
__________ __________ __________ __________ __________ __________ __________Total do ativo
 
66.105 96.787 (19.143) 5.636 (46.535) - 102.850__________ __________ __________ __________ __________ __________ ____________________ __________ __________ __________ __________ __________ __________Parcelas classif. no circulante
...................................................................
5.672 26.141 - 2.647 (46.535) 41.386 29.309Parcelas classif. no real. longo prazo
.......................................................
60.433 70.646 (19.143) 2.989 - (41.386) 73.541__________ __________ __________ __________ __________ __________ ____________________ __________ __________ __________ __________ __________ __________Passivo
Conta de Consumo Combustível - CCC (1.493) (4.720) 738 (218)792 - (4.901)Comp. Financ. Utiliz. Recursos Hídricos ....................................................... - - 1 - - - 1Transporte de Energia Elétrica pela Rede Básica......................................... (4.820) (155) 3.796 (164) 1.120 - (223)Encargo de Serviços de Sistemas................................................................. (421) (11.484) - (276) 430 - (11.751)Repasse de Potência Itaipú........................................................................... (1) - 1 - - - -Conta de Desenv. Energético - CDE............................................................. - (54) 54 - - - -Programa de Incent. Fontes Alt. - PROINFA ................................................. (1.010) 895 107 8 - - -Custo de Aquisição de Energia ..................................................................... (18.131) (4.661) 14.416 (648) 7.980 - (1.044)Transporte de Energia Elétrica - Itaipú .......................................................... (78) (29.701) 30 (1) 49 - (29.701)Diferimento de Reposição Tarifária Rede Básica (a) .................................... (12.933) - - - 522 - (12.411)
__________ __________ __________ __________ __________ __________ __________Total do passivo
..........................................................................................
(38.887) (49.880) 19.143 (1.299) 10.893 - (60.030)__________ __________ __________ __________ __________ __________ ________________________________________________________________________________Parcelas classif. no circulante
...................................................................
(9.617) - - (160) 10.893 (1.917) (800)Parcelas classif. no exigível longo prazo
..................................................
(29.270) (49.880) 19.143 (1.139) - 1.917 (59.230)__________ __________ __________ __________ __________ __________ ____________________ __________ __________ __________ __________ __________ __________
(a) A Companhia tem o direito de receber de Furnas Centrais Elétricas S.A. (“Furnas”) a Tarifa de Uso do Sistema de Distribuição aplicável às centrais geradoras - TUSDg. O Despacho da ANEEL nº 504/2005determinou à Furnas a assinatura do contrato de uso do sistema de transmissão, do contrato de uso do sistema de distribuição e do contrato de conexão à transmissão, relacionados à UTE-Cuiabá, bem como opagamento das tarifas estipuladas nos referidos contratos, entre elas a TUSDg devida à Companhia. Furnas impetrou mandado de segurança contra a ANEEL para que não fosse obrigada a cumprir o referidoDespacho, que, para Furnas, seria nulo. O mandado de segurança foi recentemente julgado improcedente em primeira instância judicial. Os assessores jurídicos da Companhia consideram remotas as chancesde êxito de Furnas no referido mandado de segurança, bem como consideram boas as chances de a Companhia receber a TUSDg devida por Furnas.Considerando que esse ativo financeiro foi contemplado na Parcela “A” da tarifa cobrada dos consumidores, e portanto, sujeito à devolução aos mesmos, quando do próximo reajuste tarifário ou revisãotarifária.A atualização monetária dos valores registrados nessas contas vem sendo apurada com base na taxa de juros SELIC/BACEN.
ara os exercícios findos em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 (Valores expressos em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma)
NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS
 
NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

Activity (4)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads
alynelaranja liked this
iedamarques1 liked this

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->