Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
76Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Pierre Fatumbi Verger - Os Orixas

Pierre Fatumbi Verger - Os Orixas

Ratings:

5.0

(1)
|Views: 1,293|Likes:
Published by afonsoproj

More info:

Published by: afonsoproj on Mar 22, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/12/2013

pdf

text

original

 
 
Deuses Iorubás na África e no Novo Mundo(Tradução de Maria Aparecida da Nóbrega)
 Pierre Fatumbi Verger, a quem se deve este minucioso trabalho, viveu durante dezessete anos emsucessivas viagens, desde 1948, pelas bandas ocidentais da África, em terras iorubás. Tornou-sebabalaô em Kêto, por volta de 1950, e foi por essa época que recebeu de seu mestre Oluwo o nome deFatumbi: "Aquele que nasceu de novo (pela graça) de Ifá".A Editora Corrupio, dando continuidade à publicação no país sobre cultura negra, onde são estudadosos fundamentos históricos e mitológicos, a descrição dos rituais, os laços de profunda afinidadecultural entre a África (região do Golfo de Benin) e Brasil (Salvador e Recife).Os escravos trazidos desta parte da África, durante os últimos cento e cinqüenta anos do tráfico deescravos (1700-1850), eram, quase que exclusivamente, destinados às duas regiões do Brasil acimamencionadas. As razões econômicas que determinaram esta "preferência" e escolha são mencionadasem outra obra do autor: "Fluxo e refluxo do tráfico de escravos entre o Golfo de Benin e a Baía deTodos os Santos".Orixás também se constitui rm valioso documento sobre as religiões em vias de desaparecimento em
 
na Bahia.A tradução feita do original por Maria Aparecida da Nóbrega merece ser destacada, como o trabalhodo editor de fotografia Arnaldo Grebler, que ampliou este conjunto de fotos com uma dedicaçãoperfeccionista à altura do alto valor e importância da obra de Fatumbi Verger.Arlete Soares
ÍNDICECapítulo Título01 Introdução
 
02 Orixás
 
03 Iniciação
 
04 Cerimônias
 
05 Exú
 
06 Ogum
 
07 Oxóssi
 
08 Ossain
 
09 Orunmilá
 
10 Oranian
 
11 Iansã
 
12 Oxum
 
13 Obá
 
14 Iemanjá
 
15 Oxumaré
 
16 Obaluaê
 
17 NãNã
 
18 Xangô
 
19 Orixalá & Oxalá
 
©Copyright MBJ Desenvolvimento
 
 
 
Deuses Iorubás na África e no Novo Mundo(Tradução de Maria Aparecida da Nóbrega)
 
INTRODUÇÃO
 Os textos e ilustrações que se seguem propõem-se a comentar e mostrar certos aspectos do culto aosOrixás, deuses dos iorubas, em seus lugares de origem, na África (Nigéria, ex-Daomé e Togo) e noNovo Mundo (Brasil e Antilhas), para onde foram levados, em séculos passados, pelos escravos.Em obras precedentes, já abordamos este tema, juntamente com o culto dos vodun, deuses dos fon,nessas mesmas regiões. Naquela época, 1953, nossas pesquisas e publicações foram orientadas nosentido América – África, pois durante os nossos primeiros sete anos de pesquisas, tínhamos vividocinco anos no Brasil e nas Antilhas e passado apenas dois anos na África. Como o tempo à situação seinverteu. Durante os Vinte e sete anos que decorreram desde a redação de nossas primeiras obras,passamos quinze anos na África e só oito no Brasil e nas Antilhas em períodos alternados einterrompidos por quatro anos na Europa. Nossas pesquisas orientaram-se, exclusivamente, para oscultos dos nagôs (iorubas), aqueles que melhor se conservaram na Bahia, nosso local de residência noBrasil. Ente novo livro será, pois, orientado no sentido oposto ao seguido anteriormente. Nosso pontode partida estará situada na África, de onde partiremos para as Américas seguindo a diáspora dosiorubas.
Definição do Termo “ioruba”
“O termo”
 yorùbá
“, escreve S. O. Biobaku” aplica-se a um grupo lingüístico de vários milhões deindivíduos.”Ele acrescenta que”, além da linguagem comum, os yorùbá estão unidos por uma mesmacultura e tradições de sua origem comum, na cidade de Ifé, mas não parece que tenham jamaisconstituído uma única entidade política e também é duvidoso que, antes do século XIX, eles sechamassem uns aos outros por um mesmo nome.”A.E.Ellis mencionou-o, judiciosamente, no título doseu livro The yorùbá speaking people (“ Os indivíduos que falam o ioruba “), dando a significaçãode língua a uma expressão que teve a tendência a ser posteriormente aplicada a um povo, a uma naçãoou a território.

Activity (76)

You've already reviewed this. Edit your review.
Dhonny Santos added this note
o timo documentarios principalmente de exu e ogum,
1 thousand reads
1 hundred reads
karlasambugaro liked this
Shirley Karrenn liked this
isaiastzg liked this
marcos liked this
antsantana liked this

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->