Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
76Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Memorial Descritivo para o lançamento de fibra otica

Memorial Descritivo para o lançamento de fibra otica

Ratings:

4.67

(3)
|Views: 8,249|Likes:
Published by freehand

More info:

Published by: freehand on May 05, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/04/2013

pdf

text

original

 
 
COMPARTILHAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO
NTC 855 901
JUNHO/2004 SED/NORT COMPARTILHAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO Página 1 de 36
COPEL
I - OBJETIVO
Esta norma tem por objetivo estabelecer os procedimentos e condições técnicas, paracompartilhamento da rede de distribuição aérea de energia elétrica, nas tensões nominais até 34,5kV, com redes de telecomunicações, na área de concessão da COPEL DISTRIBUIÇÃO S.A.
II - CONDIÇÕES GERAIS
1 - Conforme o Plano de Ocupação da COPEL, serão disponibilizados 4 (quatro) pontos de fixaçãodentro da faixa de ocupação na infra-estrutura, destinados ao compartilhamento com agentes detelecomunicações, conforme análise da viabilidade técnica.2 - A aplicação desta norma não dispensa a OCUPANTE da responsabilidade quanto aos aspectostécnicos que envolvam a instalação da sua rede de telecomunicações, tais como: projeto,construção, qualidade dos serviços e dos materiais empregados.3 - Na execução dos serviços, a OCUPANTE deve observar as condições estabelecidas na NormaRegulamentadora NR 10 – “Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade" e outrasaplicáveis, que fixam as condições mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados quetrabalham em instalações elétricas e, também, de usuários e terceiros.4 - As adequações das ocupações existentes, decorrentes das determinações desta norma, deverãoter seus cronogramas de execução acordados entre as partes, excetuando-se as de segurança deterceiros e das instalações, assim como as que impeçam a entrada de novas OCUPANTES, quedeverão ser aplicadas de imediato.5 - O esforço mecânico da rede de telecomunicações projetada da OCUPANTE somado com osesforços mecânicos existentes dos demais usuários, não pode exceder a resistência nominal doposte. Se exceder, o mesmo deverá ser substituído pela OCUPANTE de acordo com as modalidadesde execução previstas em contrato.6 - Se houver necessidade de adequação na rede de distribuição aérea de energia elétrica para ocompartilhamento com a rede de telecomunicações, a OCUPANTE deverá contratar uma empreiteiracadastrada e habilitada na COPEL para elaboração e construção do projeto de reforço e/ouadequação da rede, ou procurar qualquer uma das modalidades descritas abaixo, desde queprevistas no contrato:
Através da COPEL.
Projeto e Construção de Redes de Distribuição Aérea por particular, conforme disposto no MIT16.26.01.7 - A OCUPANTE somente poderá iniciar a construção da sua rede de telecomunicações na infra-estrutura da rede de distribuição aérea de energia elétrica, após a sua liberação pela COPEL. Essaliberação se dará através de um carimbo de liberação em todas as pranchas do projeto detelecomunicações, e será obrigatório quando da sua construção na infra-estrutura da COPEL. VideFIGURA M dessa norma.8 - Não executar o lançamento de cabos de telecomunicações e/ou cordoalha nos locais onde existaprojeto de adequação da rede de distribuição aérea de energia elétrica. Para esses locais éobrigatório aguardar a execução da adequação da rede.9 - Na realização de tarefas da OCUPANTE na infra-estrutura da COPEL, os seus funcionários ou desua CONTRATADA devem portar além dos equipamentos de segurança obrigatórios, o crachá daempresa e a identificação no veículo.
 
 
COMPARTILHAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO
NTC 855 901
JUNHO/2004 SED/NORT COMPARTILHAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO Página 2 de 36
COPEL
10 - Todos os serviços que necessitarem de desligamento da rede de distribuição aérea de energiaelétrica por motivo de construção da rede de telecomunicações da OCUPANTE, devem seragendados com antecedência na COPEL.11 - Dependendo do cronograma de execução da rede de telecomunicações da OCUPANTE nainfra-estrutura da COPEL, algumas obras poderão ser executadas através da contratação dosserviços de linha viva, por uma empreiteira cadastrada e liberada para tal tarefa. Havendodisponibilidade, a COPEL poderá prestar esse serviço, pelo que será ressarcida dos valores a seremobtidos através do relatório 710 do GMD2 acrescido de 25% ao valor total dos serviços.12 - A OCUPANTE deve fornecer ao Centro de Operações da COPEL da localidade, a relação detodas as suas contratadas, com pessoal devidamente treinado e habilitado em serviços de rede detelecomunicações e riscos em choque elétrico, que irão realizar serviços de construção, manutençãoe atendimento a seus clientes, utilizando-se da infra-estrutura poste. Também deve fornecer àscontratadas uma cópia dessa norma de compartilhamento, para que obedeçam o que nela estácontido, conforme a necessidade do serviço executado.
III - ELABORAÇÃO DO PROJETO DE TELECOMUNICAÇÕES UTILIZANDO-SE DA INFRA-ESTRUTURA DA COPEL
1 - Indicar no projeto os postes da COPEL que serão utilizados pela sua rede, nas escalas 1:1000 ou1:500, conforme a situação e características da posteação, com margem e representação gráficadefinidas na NBR-5984 - Norma Geral de Desenho Técnico.2 - Utilizar a simbologia de postes e equipamentos de energia adotados pela COPEL, conforme aNTC 841005 - Desenho de Redes de Distribuição.3 - Representar no projeto o comprimento dos vãos e os equipamentos existentes da COPEL e dosusuários instalados nos postes, tais como: transformador, chaves de operação, banco decapacitores, fonte de tensão, aterramentos, etc.4 - Não projetar descida lateral para duto subterrâneo ou derivação para usuários utilizando-se decordoalha, nem o término da cordoalha da rede de telecomunicações em poste com transformadorou com chaves de operação da COPEL. Nesses postes a cordoalha deverá passar sempre emtangente evitando-se esforços mecânicos.4.1 Poderão ser tratados como exceção a essa regra, mediante rigorosa análise técnica, os casoscujas condições inviabilizem a utilização de postes adjacentes para a descida (por exemplo, postecom equipamento em fim de rede de distribuição, exclusivo para atender o consumidor/assinante);4.2 - Para as exceções previstas no item 4.1, havendo postes com chaves e postes comtransformadores, dar preferência para instalar a descida lateral nos postes com chaves;4.3 - Caso o poste liberado já possuir descida lateral da OCUPANTE, deverá ser utilizada a descidalateral existente, podendo o duto ser substituído por outro de maior bitola.5 - Indicar todos os esforços resultantes da rede de telecomunicações nos postes em intensidade,direção, sentido e ponto de aplicação, tanto da rede projetada como da existente se houver. Paraefeito de projeto considerar a temperatura de 0º C.6 - Constar em todos os postes que serão submetidos à esforços mecânicos da rede daOCUPANTE, a especificação dos cabos e cordoalhas existentes da COPEL e dos usuários, paraefeito dos cálculos de esforços mecânicos.7 - Não projetar qualquer tipo de estai na rede de telecomunicações da OCUPANTE utilizando-se dainfra-estrutura da rede de distribuição de energia elétrica da COPEL.
 
 
COMPARTILHAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO
NTC 855 901
JUNHO/2004 SED/NORT COMPARTILHAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO Página 3 de 36
COPEL
8 - São de responsabilidade da OCUPANTE a observância às normas quanto aos critérios deprojeto, os cálculos dos esforços resultantes, a flecha máxima admissível, considerações quanto ascondições de temperatura e ação de velocidade do vento críticas da região.9 - Os símbolos dos postes e dos equipamentos existentes deverão ser posicionados no projeto,conforme a sua disposição no local da obra.10 - Os logradouros (ruas e praças) deverão ser devidamente identificados em todas as pranchas,para melhor visualização no momento da análise.11 - Deverão constar no projeto e memorial descritivo, todas as especificações técnicas necessáriasà sua compreensão.12 - No traçado do cabo de telecomunicações, deverá ser especificado o seu tipo e a quantidade depares que possui. Num cruzamento aéreo com a mudança de direção desse cabo, indicar ascordoalhas e os esforços mecânicos nos postes pertencentes ao cruzamento.13 - Os equipamentos de telecomunicações da OCUPANTE, não deverão ser projetados em posteslocalizados na esquina, bem como naqueles que já tenham equipamentos da COPEL, tais como:transformadores, religadores, capacitores, chaves de operação, pára-raios, ou equipamentos deoutra OCUPANTE.14 - O cabo de telecomunicações deve ser projetado sempre espinado em cordoalha, prevendo-sefuturas instalações devido ao único ponto de fixação da OCUPANTE no poste. O diâmetro doconjunto cordoalha/cabos espinados da rede de telecomunicações, por ponto de fixação, não podeser superior a 65 mm, e o peso não deve ser maior que 1680 kg/km. Ver na FIGURA J as tabelas detrações de cabos de telecomunicações.15 - Os aterramentos e proteções contra curto-circuito e sobretensões devem ser projetadosindependentes dos da COPEL, de modo que não transfiram tensões para as instalações de terceiros.16 - Deve ser evitada coincidência de ponto de ancoragem da cordoalha e/ou cabo detelecomunicações da OCUPANTE com o fim de linha da rede de distribuição de energia elétrica e/oude uma outra rede de telecomunicações, bem como a coincidência de emendas de cabos no mesmovão que houver emenda de cabo de outra OCUPANTE.17 - Representar no projeto o vão onde será instalada a caixa de emenda ou a reserva técnica docabo de telecomunicações. Se a caixa de emenda for instalada em caixa subterrânea na calçada,indicar no poste a descida lateral da mesma.18 - O projeto deverá ser dividido em pranchas, no tamanho padrão do cadastro da COPEL, com asarticulações (coordenadas) identificadas sequencialmente ao lado da legenda.19 - Para vãos maiores de 40 metros, será necessário a intercalação de poste, cabendo à COPELestabelecer as condições e características do mesmo, observada a adequada fixação dos cabosexistentes à estrutura intercalada.20 - Os padrões de projeto e construção deverão estar de acordo com os valores e definiçõescontidos nessa Norma de Compartilhamento de Infra-estrutura de Redes de Distribuição e nasdemais Normas Brasileiras Registradas (NBR´s).

Activity (76)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
edilsonbfs liked this
Daniel Mamede liked this
azul098 liked this
Misael Morais liked this
Alessandro Lemes added this note
e muito legal aprendi muito lemes.alessandro@hotmail.com
Geovane Neto liked this
Gilberto Braz liked this

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->