Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
118Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA-APOSTILA

TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA-APOSTILA

Ratings: (0)|Views: 11,878 |Likes:
Published by zizimarinho_snt

More info:

Published by: zizimarinho_snt on Mar 24, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/31/2013

pdf

text

original

 
TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
INTRODUÇÃO
: A aplicação da radião para fins diagnostica teve origem com adescoberta dos raios-X em 1895 pelo físico Wilhelm Conrad Roentgen, na Alemanha.Por muito tempo os raios-X foram usados como método básico e único na formação deimagens medica.Os raios-X fazem parte do espectro das ondas eletromagnéticas, São produzidos no interior da ampola, que é um envoltório que encerra sob vácuo todos oselementos envolvidos no processo, descrito a seguir sucintamente:Um filamento de elemento metálico (cátodo) é submetido a uma corrente elétrica, sendoaquecido ate a incandescência, o que produz uma nuvem de elétrons ao seu redor (efeito termoiônico).Aposto ao cátodo, separado por vácuo tão-somente, fica posicionado o ânodo (alvo)constituído por material metálico em forma de disco giratório.É estabelecida uma grande diferença de potencial elétrico (corrente elétrica de altavoltagem) entre o ânodo e o cátodo, o que faz com que a nuvem de elétrons formadano filamento seja impulsionada pelo vácuo em direção ao alvo.O choque dos elétrons contra os átomos que constituem o alvo tem como conseqüência odesprendimento de grande quantidade de energia, sendo uma parte na forma de calor ea outra na forma de ondas eletromagnéticas (os raios-X, inclusive).Os raios-X saem da ampola por uma abertura (colimador fixo) direcionada para o paciente.Os raios-X atravessam o paciente, sendo absorvidos ou desviados, dependendo da naturezados tecidos.Os raios-X então, serão captados para produção de imagens, seja diretamente por um filmefotossensível no interior de um chassi fotográfico, no caso da radiografia simples, seja por detectores que quantificam a intensidade radiológica recebida transmitindo-as paraum processador que formará a imagem posteriormente no computador (tomografiacomputadorizada).Seguindo a seqüência histórica, na década de 1950 introduziu-se oescaneamento por isótopos. A ultra-sonografia começou a ser usada como métododiagnostico em 1960. Em seguida desenvolveu-se a tomografia computadorizada (TC)É atribuído ao Dr. Godfrey Newbold Hounsfield (engenheiro britânico) eao Dr Allan Mcleod Cormack (físico africano), o desenvolvimento da TC, durante adécada de 1970 e tendo sido laureados com o premio nobel em 1979 pelo feito. No ano de 1971, foi realizado o primeiro estudo de crânio, em Londres.Em 1972, foi oficialmente introduzido o novo método para formação de imagens a partir de raios-x. Em 1973, foram instalados nos EUA e em alguns paises da Europa os primeiros aparelhos TC para exames de crânio. Em 1974, teve inicio o uso da TC paraexames das demais partes do corpo. O desenvolvimento de TC foi o maior passo dadona radiologia desde o descobrimento dos raios-X por Roentgen, em 1895.No ano de 1974 na Santa Casas de Misericórdia do Rio de Janeiro, chegouo primeiro aparelho de TC do Brasil. Um aparelho chamado de DELTA SCAN, da EMI(fabricantes de discos de vinil), só realizava CT de crânio. Em 1977 no hospital daBeneficência Portuguesa chegou o segundo aparelho de TC que realizava exames do corpointeiro fabricado pela PFIZER. Em 1989, precisamente no mês de outubro, no hospital do
 
Sesi em Maceió-AL, chegou o primeiro aparelho de CT no estado, um aparelho de terceirageração chamado EXEL 1800 da Elcint atual Philips.
TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA,
: A tomografia computadorizada é um processo de radiografia em série, que permite obter, a um tempo determinado, cortesseriados de vários planos de um órgão ou região. A base está na detecção de informaçõesgráficas, mediante equipamento próprio, de raios X transmitidos através de uma secção docorpo, deslocando-se a fonte emissora desses raios X em segundo movimento circular, e permanecendo o eixo do feixe de raios X, sempre, no mesmo plano. O instrumental incluium computador acoplado, que reconstrói a imagem topográfica com base nos dadostransmitidos e segundo um programa previamente estabelecido, além de gravá-la namemória e transmiti-la para um sistema de televisão, o gantry, que permite a angulação positiva ou negativa para cada exame. É no gantry, onde está localizado o tubo de raio-x, osdetectores, as placas e outros componentes eletrônicos e a mesa de exame, que em algunsaparelhos tem uma função chamada swivel, que faz movimentos na diagonal permitindouma boa simetria entre as estruturas anatômicas.
TOMOGRAFIA - CONCEITO
: Tomo-GrafiaDo grego tomos, ‘’pedaço, corte, incisão ou cirurgia’’Do francês graphie, ‘’representação gráfica’’TC é um corte gráfico anatômico de uma estrutura do corpo humano vista em computador.
PRINCIPIOS BASICOS DE FISICA EM TCA FORMACAO DE IMAGENS
: O raio-X transfixa o paciente na região a ser estudadalevando informações, que são captadas pelos detectores (placas que detectaminformações através dos raios-X) que transmitem essas informações em impulsoselétricos ao computador, que processa os dados em forma de imagens. Essas imagensfeitas em cortes tomográficos são representadas na tela do monitor por pontos bidimensionais chamados de PIXELS dentro de uma escala de cinza que vai do ponto branco ao preto. Cada pixel por sua vez representa conjunto de PIXELS chamado deVOXEL relativo a toda espessura do corte. O conjunto de voxel representa a matrixdeterminando a resolução da imagem.
 PIXEL
: É a menor unidade gráfica de uma imagem matricial, e que só pode assumir umaúnica cor por vez.
VOXEL
: É o conjunto de pixels que forma a espessura do corte.
MATRIX 
: É o conjunto de pixels e voxel que determina a resolução da imagem.O pixel esta contido no voxel mas o voxel não esta contido no pixel. Quantomenor o pixel maior o numero deles melhor a resolução da imagem.Tamanho Pixel = Campo de Visão = 35cm = 0,7mmTamanho da Matrix 512
ESCALA OU UNIDADE HOUNSFIELD
 A atenuação dos tecidos é medida em unidades ou escala de Hounsfield. Os diversostecidos do corpo humano possuem coeficientes de atenuação, medidos com referencia naescala de Hounsfield, característicos:
 
Tecido Escala de Hounsfield
Ar-1000Pulmão-900 a 400Gordura-110 a 65Água 0Rins 30Sangue 35 a 55Sangue coagulado 80Músculo 40 a 60Fígado 50 a 85Osso 130 a 250Osso denso 1000 a 2000Liquido 0 a 10Liquido espesso 20 a 40Partes moles 25 a 45Metal 1000 a 2000Cérebro 20 a 40Pâncreas 25 a 55Disco intervertebrais 80 a 120Cada pixel tem um coeficiente de atenuação especifico, que na imagem vaiser representado pelo brilho do pixel em questão. Como referencia de calibração é usado ocoeficiente da água, sendo a ele atribuído o valor zero na escala de Hounsfield. O que seobserva na imagem final são tons de cinza traduzindo os valores da escala de Hounsfield.Quando em comparação com uma área vizinha, diz-se que uma estrutura é hipodensa,isodensa ou hiperdensa, a depender de sua representação na imagem (menor ou maior intensidade respectivamente). Exemplos:
Hipodenso: liquor;
Isodenso: parênquima cerebral;
Hiperdenso: sangue fresco ou osso
EFEITO DE VOLUME PARCIAL
Como cada pixel da imagem representa a media das densidade de umvolume (voxel), pode acontecer que duas áreas contíguas de densidades distintas sejamincluídas no mesmo corte com as mesmas coordenadas espaciais. Isso causa um artefatochamado efeito de volume parcial. Um exemplo o áreas de menor atenuão no parênquima cerebral que na realidade denotam a inclusão da extremidade dos ventrículosna espessura do corte, sendo incldos no mesmo voxel. Se essa imagem for malinterpretada pode ser confundida com uma patologia. Se faz necessário a realização de umcorte de menor espessura, de preferência um antes e um depois da área suspeita.
ATENUACAO

Activity (118)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Pedro Antonio liked this
Karina Silva liked this
Patrick Moreira liked this
Edinisia Barbosa liked this
maymartiins liked this
Daniele Lima liked this
Neia Ferreira liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->