Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
10Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
O Que a Bíblia Diz 74 PÁGINAS

O Que a Bíblia Diz 74 PÁGINAS

Ratings: (0)|Views: 235 |Likes:

More info:

Published by: Passageiro de algum trem on Apr 02, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/22/2013

pdf

text

original

 
O Que a Bíblia Diz?
 
2006
 
O que quer dizer ³lepra´ na Bíblia?
 A Bíblia, especialmente no Velho Testamento, fala muitas vezes sobre o problema de lepra. Quando se fala de pessoas leprosas,a palavra significa uma doença da pele, e pode abranger tipos diferentes de doenças. Em outros casos, a mesma palavra fala demanchas em roupas ou paredes, algo que nós poderíamos chamar hoje de fungo ou mofo.Na lei que Deus deu aos israelitas, uma pessoa leprosa foi considerada imunda (Levítico 13:2-3). A doença foi vista como umapraga. Às vezes, a praga foi enviada por Deus para repreender o povo desobediente (Levítico 14:34).As instruções sobre a lepra, obviamente, serviam para conter uma doença maligna, mesmo séculos antes de cientistascompreenderem como doenças se espalham.Mas há um segundo ± e mais importante ± motivo para falar tanto sobre a lepra no Velho Testamento. Há, pelo menos, duaslições espirituais das ordens sobre a lepra:
A importância da obediência
. Entre as últimas orientações dadas por Moisés ao povo de Israel são estas palavras:
³Guarda-te da praga da lepra e tem diligente cuidado de fazer segundo tudo o que te ensinarem os sacerdoteslevitas; como lhes tenho ordenado, terás cuidado de o fazer´ 
(Deuteronômio 24:8).
A necessidade de distinguir entre o limpo e o imundo
. A chave ao entendimento deste significado da lepra aparece emLevítico 14:54-57 ±
³Esta é a lei de toda sorte de praga de lepra, e de tinha, e da lepra das vestes, e das casas, e dainchação, e da pústula, e das manchas lustrosas, para ensinar quando qualquer coisa é limpa ou imunda. Esta é alei da lepra.´ 
 Deus usou coisas físicas ± sejam doenças, questões de higiene ou diferenças entre animais ± para ensinar princípios espirituais.Quando foi descoberta a imundícia da lepra, não mediam esforço para se livrarem dela. Pessoas leprosas foram publicamenteidentificadas e afastadas da congregação para não contaminar outros. Quando as tentativas de purificar as casas não forambem-sucedidas, foi necessário derrubar casas inteiras para não deixar a praga se espalhar (Levítico 14:43-45).As mesmas leis sobre a lepra não se aplicam hoje, mas os princípios que aprendemos delas têm muita importância para nós.Devemos ser obedientes a todas as instruções que o Senhor nos deu. E quando a imundícia do pecado invade a nossa vida,devemos agir com urgência para eliminá-lo, mesmo se forem necessárias medidas radicais.Sejamos santos, para a glória do nosso Senhor perfeito e santo (1 Pedro 1:14-16; 2 Coríntios 6:17-18).±por Dennis Allan
H
avia perdão de pecados antes da morte de Jesus?
O Novo Testamento afirma que Jesus Cristo é o único caminho à salvação. Ele disse:
³Eu sou o caminho, e a verdade, e avida; ninguém vem ao Pai senão por mim´ 
(João 14:6). Pedro acrescentou:
³E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos´ 
(Atos 4:12).Antes de Jesus, houve pecado e condenação. Todos pecaram (Romanos 3:23) e mereceram a morte espiritual (Romanos 6:23).Paulo diz que a lei do Antigo Testamento mostrou o problema (Romanos 3:20; Gálatas 3:22), e que a fé em Jesus Cristo é asolução (Gálatas 3:23-27; Romanos 3:24-26). Nesta última citação, ele comenta sobre a necessidade do sangue de Jesus parafazer propiciação pelos nossos pecados.Como, então, pode se falar de perdão antes da morte de Jesus? Quando Moisés revelou as instruções sobre holocaustos e outrossacrifícios, ele disse que os pecados do povo seriam perdoados por meio dessas ofertas (Levítico 4:20,26,31,35; 5:10,13,16,18;6:7; etc.). João Batista, alguns anos antes do derramamento do sangue de Jesus, pregou
³batismo de arrependimento pararemissão de pecados´ 
(Marcos 1:4).Se já existiam meios para perdoar pecados, por que Jesus se sacrificou na cruz? O livro de
Hebreus
esclarece esta questão. Elenos ensina que: Os sacrifícios anteriores não foram suficientes para perdoar pecados:
³Nesses sacrifícios faz-se recordação de pecadostodos os anos, porque é impossível que o sangue de touros e de bodes remova pecados´ 
(10:3-4).
 
 Os pecados cometidos sob o Velho Testamento foram perdoados pela morte de Jesus:
³Por isso mesmo, ele é o Mediador da nova aliança, a fim de que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia sob a primeira aliança,recebam a promessa da eterna herança aqueles que têm sido chamados´ 
(9:15).Para ilustrar o significado destes trechos, podemos usar a prática comum de pagar dívidas com cheques pré-datados. Ossacrifícios do Antigo Testamento e o batismo de João foram como cheques pré-datados assinados com a confiança que o sanguede Jesus seria ³depositado na conta´ na data certa. Foram condicionados no sacrifício futuro de Jesus.Hoje, é diferente. Quando demonstramos a fé pelo arrependimento e o batismo para remissão dos pecados (Atos 2:38),confiamos no depósito que já foi feito no Calvário, e recebemos o perdão dos nossos pecados.±por Dennis Allan
O que significa ³segundo a ordem de Melquisedeque´?
 Davi profetizou, mil anos antes do nascimento de Jesus, que o Messias seria
³sacerdote para sempre segundo a ordem deMelquisedeque´ 
(Salmo 110:4). O autor de
Hebreus
cita esta profecia várias vezes, e explica o seu significado em relação àsuperioridade total de Jesus.A
³ordem de Melquisedeque´ 
não se refere a algum tipo de sociedade secreta ou mística como a Rosa Cruz, os Maçons ou osTemplários. Não é alguma organização preservada desde a antigüidade, nem uma classe de sacerdotes na igreja do Senhor. Aexpressão
³segundo a ordem de Melquisedeque´ 
significa que o sacerdócio de Jesus é do mesmo tipo, ou parecido com, osacerdócio de Melquisedeque.Melquisedeque aparece na história bíblica, e some logo em seguida. Ele era rei de Salém e sacerdote de Deus (Gênesis 14:18).Abençoou Abraão e recebeu o dízimo dele depois da vitória do patriarca contra Quedorlaomer.As Escrituras não relatam nada sobre antepassados nem descendentes de Melquisedeque (o ponto de Hebreus 7:3). Ele serviacomo sacerdote antes do nascimento de Isaque, então não era descendente da tribo de Levi (um dos netos de Isaque). Erasacerdote aprovado por Deus, independente de linhagem.Deus fez algumas coisas no Velho Testamento pensando na vinda de Jesus, e assim ajudando o povo a entender a missão deCristo. Os comentários em Gênesis e Salmos sobre Melquisedeque mostraram a possibilidade de ter um sacerdote que não erasujeito à Lei dada aos israelitas no Monte Sinai. É exatamente isso que o autor de Hebreus nos mostra, usando Melquisedequecomo tipo de Cristo.Jesus não podia ser sacerdote no sistema dado no Monte Sinai (Hebreus 8:4). O fato de Deus ter declarado Jesus sacerdoteeterno serve de prova de mudança de lei:
³Pois, quando se muda o sacerdócio, necessaria-mente há também mudançade lei´ 
(Hebreus 7:14).
³Agora, com efeito, obteve Jesus ministério tanto mais excelente, quanto é ele tambémMediador de superior aliança instituída com base em superiores promessas´ 
(Hebreus 8:6).Salmo 110, como o autor de
Hebreus
bem explica, aponta para o perfeito Rei e eterno Sacerdote, Jesus Cristo. Qualquerensinamento que procura preservar algum sacerdócio humano segundo a ordem de Melquisedeque (como fazem, por exemplo,os mórmons), age por autoridade humana, e não divina (cf. Gálatas 1:10; 2 João 9), e diminui a importância de Jesus Cristocomo o eterno e suficiente Sumo Sacerdote.± por Dennis Allan
U
m solteiro pode ser pastor?
 Algumas igrejas permitem e outras exigem que seus pastores sejam solteiros. O que Deus revelou sobre esta questão?Jesus Cristo, o Supremo Pastor (1 Pedro 5:4) concedeu servos conhecidos como pastores e mestres para ajudar os santos(Efésios 4:11). Os homens que pastoreiam são chamados, também, de presbíteros (anciãos em algumas traduções) e bispos (1Pedro 5:1-2; Atos 20:17,28).O Espírito Santo foi específico e detalhado nas qualificações destes servos. Encontramos listas de características deles em 1Timóteo 3:1-7 e Tito 1:5-9. Para as pessoas que realmente querem agradar ao Senhor, estes trechos resolvem a questão depastores solteiros. Paulo disse a Timóteo:
³É necessário, portanto, que o bispo seja irrepreensível, esposo de uma sómulher´ 
(1 Timóteo 3:2). Na sua carta a Tito, começou a lista de qualificações dos presbíteros com as mesmas palavras:
 ³alguém que seja irrepreensível, marido de uma só mulher, que tenha filhos crentes´ 
(Tito 1:6).
P
astores, então, devem ser casados e pais de filhos crentes.
 Para defender a prática comum de escolher pastores sem estas qualidades, os homens recorrem a vários argumentos. Vamosconsiderar algumas questões:
 
P
aulo não foi casado
. Paulo foi fiel no seu trabalho de apóstolo e ministro (servo) de Cristo (Atos 26:16; Colossenses 1:1,23),mas, nas Escrituras, ele nunca é chamado de bispo, presbítero ou pastor. Os outros apóstolos eram casados (1 Coríntios 9:5).Por isso, não nos surpreende descobrir que alguns deles serviam, também como presbíteros (1 Pedro 5:1; 2 João 1; 3 João 1).
Timóteo e Tito não foram casados
. Não há referência a estes evangelistas como casados, mas também não há nenhumapassagem que os chama de pastores! O costume de chamar as cartas a estes evangelistas de ³epístolas pastorais´ cria umacerta confusão, porque foge da linguagem bíblica. Na Bíblia, nem o autor nem os destinatários dessas cartas são chamados depastores!
P
aulo disse que solteiros podem servir melhor
(1 Coríntios 7:1-7). O conselho de Paulo foi dado em relação a
³todos oshomens´ 
(7:7) especifi-camente por causa de uma
³angus-tiosa situação presente´ 
(7:26). Não deve ser interpretado deuma maneira que contradiga outras passagens que incentivam o casamento (1 Timóteo 5:14) e que especificamente exigem quepresbíteros sejam casados (1 Timóteo 3:2; Tito 1:6).Pastores solteiros? Não na igreja do Senhor!± por Dennis Allan
O que quer dizer ³culto racional´ em Romanos 12:1?
 Apresentar os nossos corpos a Deus é o nosso ³culto racional´ (Romanos 12:1). Qual o significado desta expressão? Paraentender o termo usado por Paulo, devemos compreen-der as duas palavras que ele empregou.
Culto
traduz uma palavra grega (
lat 
rei 
a
)
 
que aparece cinco vezes no Novo Testamento. Na
 A
lm
eid 
a
Revis
ta
e A
u
al 
iz 
a
a
Edição
, é traduzida ³culto´ em João 16:2; Romanos 9:4 e 12:1 e ³serviço(s) sagrado(s)´ em Hebreus 9:1 e 6. Significa serviço.Pode ser o serviço de obediência a Deus em geral, ou pode se referir, como nas duas citações em Hebreus 9, aos atosespecíficos de louvor dirigidos a Deus. Assim, a palavra culto, em nosso uso hoje, corretamente descreve o serviço dado aoSenhor quando cristãos o adoram. Mas, a mesma palavra pode abranger qualquer ato de obediência que honra o nome de Deus.
Racional
vem da palavra grega
ogikos
. Nesta palavra, não é difícil ver a idéia da lógica ou raciocínio. Este adjetivo aparece, noNovo Testamento, somente aqui e em 1 Pedro 2:2, onde descreve o leite
espiritual
. A forma do substantivo (
ogos
), porém,aparece mais de 300 vezes no NT, e é traduzida por termos como
 p
ala
vr 
a
,
on
ta
,
ensin
am
en
o
,
m
odo
,
di 
ta
do
,
es
e
m
unho
,
verbo
, etc. A idéia principal tem a ver com discurso e raciocínio.O que é, então, o nosso culto racional? Uma vez que entendemos o que Deus tem feito por nós, faz sentido nos dedicar a ele emobediência e serviço. O uso da palavra ³pois´ em Romanos 12:1 mostra que este serviço razoável se baseia nas coisas ditasanteriores. Paulo acabou de falar sobre a profundidade da riqueza de Deus, que nos criou e nos deu a salvação de graça(Romanos 11:33-36). Por isso, devemos nos dedicar ao Senhor.Nenhuma outra resposta faz sentido. Rejeitar o Deus que nos deu a vida ±
du
a
s vezes!
± seria loucura. Não amar aquele que nosama tanto não seria sensato. Rebelar-se contra o soberano que tem demonstrado sua bondade e severidade (Romanos 11:22)seria totalmente ilógico.Romanos 12:1 frisa um fato importante no estudo da palavra de Deus. Nosso estudo nunca deve se reduzir a um exercícioacadêmico ± aprendendo só para saber. O conhecimento da palavra de Deus exige uma aplicação prática. A maioria das cartasdo NT, como é o caso de Romanos, contém uma série de aplicações práticas no final, depois de estabelecer a base doutrinária.Tiago disse:
³Tornai-vos, pois, praticantes da palavra, e não somente ouvintes´ 
(Tiago 1:22). Este é o nosso cultoracional!± por Dennis Allan
S
inais sempre são confiáveis?
 Muitas pessoas hoje, especialemente no movimento pentecostal e suas ramificações, valorizam sinais acima de tudo.Interpretam acontecimentos na vida como provas da aprovação divina de suas decisões. Recorrem para visões e revelações para justificar suas práticas. Defendem suas doutrinas, citando algum sinal especial como confirmação do Espírito Santo.Sinais sempre são confiáveis como prova da aprovação divina?Em geral, os sinais, prodígios e milagres na Bíblia serviam para confirmar a palavra revelada por Deus aos profetas e apóstolos.No Velho Testamento, Deus capacitou homens como Moisés, Elias e Eliseu a realizarem milagres para confir-mar a suamensagem. No Novo Testa-mento, os apóstolos e vários outros recebiam os dons do Espírito Santo para confirmar a palavrarevelada (Marcos 16:20; Hebreus 2:4; 2 Coríntios 12:12).

Activity (10)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads
groria liked this
robsoncosta liked this
John Paul Rock liked this
luizinhobereta liked this
Cagoular liked this
alvito_09 liked this
rosibr liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->