Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
15Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Sistema defensivo 6-0 - Um Modelo (www.paulojorgepereira.blogspot.com)

Sistema defensivo 6-0 - Um Modelo (www.paulojorgepereira.blogspot.com)

Ratings:

4.67

(3)
|Views: 1,756 |Likes:

More info:

Published by: pjmpereira@hotmail.com on May 12, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/09/2014

pdf

text

original

 
Sistema defensivo 6:0
Estrutura e funcionamento
O exemplo que a seguir é apresentado é um conceito de um sistema defensivo6:0, possuindo pontos fortes e debilidades como todos os sistemas. Existem diferentesformas de entender a relação entre os defensores que compõem um determinadodispositivo defensivo, pelo que, não devemos ignorar nunca que a eficácia de umdeterminado sistema defensivo deve considerar as capacidades individuais dos seusconstituintes, no sentido de se encontrarem soluções ajustadas.A definição de regras de funcionamento entre os defensores de um determinadosistema, deve atender a variáveis determinantes que condicionam a atribuição decompetências dentro do dispositivo, tais como: o espaço, o tempo, a relação com oscompanheiros e oponentes e a posição da bola.
Extremo com posse de bola:
Competências do defensor exterior (par):
o
 
Permanecer próximo da linha de 6 metros, dado o espaço a defender
o
 
Marcar o extremo
o
 
Não ser superado para o interior
o
 
Condicionar o remate diminuindo o ângulo de finalização
o
 
Não provocar livre de sete metros, quando o remate ocorre no exterior
o
 
Impedir passes rectilíneos para dentro da área, especialmente ao pivot se está próximoFig. 10 – Bola no extremo esquerdo (defensor par)
 
 JUN 07 Paulo Pereira
1
Extremo com posse de bola:
Competências do defensor contíguo:
o
 
Fechar a linha de passe entre o extremo e o pivot.
o
 
Obstruir a trajectória que permita o pivot desmarcar para o exterior
o
 
Marcar à distância o par (lateral esquerdo)
o
 
Manter no campo visual o portador da bola e o par
o
 
Dar cobertura ao defensor exteriorFig. 11 – Bola no extremo esquerdo (defensor contíguo)
Os restantes defensores, devem dentro do possível (mais difícil para defensoresdistantes) manter no campo visual o seu par e o portador da bola como ilustra a figura11 (defensor central). Todos os defensores devem ter uma orientação aproximada de 45°em relação à tangente à área de seis metros próxima da sua zona de acção com oobjectivo de antecipar uma possível saída (um dos apoios já está adiantado) bem comoajustar o campo visual.Para se definirem competências em função da localização da bola, é necessáriotambém saber de onde ela provém. Seguindo uma circulação típica da bola (EE/LE),como se observa na figura 12, o lateral esquerdo (LE) pode assumir várias trajectóriasde aproximação, com ou sem bola para fixar, ou usar diferentes tipos de fintas ofensivaspara finalizar ou assistir. O defensor lateral deve estimar as trajectórias que possamconstituir perigo para a integridade do sistema ou permitam finalizar a uma distânciaeficaz.Este formato defensivo prevê trocas temporárias de posição no sistema quandonecessário, podendo ocorrer entre defensores centrais ou entre um central e um lateral.
 
 JUN 07 Paulo Pereira
2
Lateral com posse de bola:
Competências do defensor lateral (par):
o
 
Marcar o lateral.
o
 
Procura não superar os 9/10 metros de profundidade.
o
 
Regressar rapidamente à posição inicial quando a bola sai do par.
o
 
Obstruir trajectórias favoráveis.
o
 
Não ser superado para o interior.
o
 
Impedir passes rectilíneos ao pivot.
o
 
Deslizar quando se encontra escalonado com o defensor central, no caso do lateral estar próximopara finalizar ou fintar com perigo.
o
 
Trocar de marcação com o defensor central contíguo, no caso do lateral assumir trajectóriasinteriores distantes.
o
 
Trocar de marcação (contra-bloqueio) com o defensor central contíguo perante bloqueio dopivot.Fig. 12 – Bola no lateral esquerdo (defensor par)
Dada a colocação do pivot, podemos decidir acerca da profundidade a atingir, deacordo com as características do lateral esquerdo a defender tendo em conta pontosfortes e fracos do seu jogo. Estrategicamente, não podemos, nem devemos defender jogadores diferentes, da mesma forma.No caso do lateral esquerdo atacar com bola para o interior, provocando umdeslizamento do defensor lateral, a troca de marcação com o defensor central distantepode ocorrer se o pivot desmarcar para o exterior em simultâneo com o cruzamentoentre o lateral esquerdo e o central. Neste caso, a troca de marcação ocorre entre postosespecíficos não contíguos (figura 13), pelo que o defensor central deve antecipar oalinhamento com o defensor lateral.

Activity (15)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Andre Moura liked this
schagas6629 liked this
Joel Silva liked this
paulonuno liked this
Gijzzel08 liked this
Pedro Azevedo liked this
Samuca Prado liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->