Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
1Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Equilíbrio dos Sistemas de forças - Versão Aluno

Equilíbrio dos Sistemas de forças - Versão Aluno

Ratings: (0)|Views: 20 |Likes:
Published by joscires
Apostila de Equilibrio dos Sistemas de Forças
Apostila de Equilibrio dos Sistemas de Forças

More info:

Published by: joscires on Apr 14, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/12/2014

pdf

text

original

 
Equilíbrio dos Sistemas de forças
(Aplicados ao ponto e aos sólidos)
 
Prof. Msc Joscíres Ângelo joscires@ibest.com.br 
Introdução
Dentre todos os fenômenos físicos, os do movimento, pela sua simplicidade, são os que mais sedestacam. Além de mais simples, os fenômenos do movimento têm importância fundamentalporque servem de explicão a inúmeros outros: o calor, o som e a própria luz oconseqüências de movimentos 'ocultos' à nossa percepção. A parte da Física que estuda omovimento e suas causas chama-se Mecânica. Didaticamente, reserva-se a denominaçãoCinemática, para o estudo dos movimentos e Dinâmica, para o estudo de suas causas.Um caso particular de movimento é o repouso --- movimento nulo. Há repouso quando osagentes causadores do movimento se compensam ou equilibram. Daí se dizer que um corpo emrepouso está em equilíbrio. A parte da Mecânica que estuda as condições em que há equilíbriochama-se
Estática
. Segundo o estado de agregação da matéria (no corpo em estudo), variam ascondões de equibrio, e temos: a estica dos lidos, dos quidos e a dos gases. A Estática, deixando um pouco de lado o rigor acadêmico, pode ser desenvolvida totalmente àparte da Dinâmica. É o que propomos nesse Resumo.
1. Noção elementar de força -
Essa noção está associada ao esforço muscular, no ato deempurrar ou puxar um objeto.
2. Noção física de força -
Na superfície da Terra, os corpos tendem a cair, isto é, a mover-separa níveis cada vez mais baixo. Este fenômeno é devido a uma ação atrativa exercida pelaTerra denominada gravidade. Para especificar quantitativamente esta atração, pode-se medir adistensão de uma mola helicoidal à qual se suspende o corpo. É o que fazem os peixeiros com odinamômetro ou balança de mola.Verifica-se então (pela medida), que a intensidade dessa ação local é proporcional à quantidadede matéria do corpo, isto é, pondo-se sobre o gancho do dinamômetro uma porção duas vezesmaior que a anterior, se obtém um deslocamento duplo do indicador da balança de mola.Força é o agente físico, de características vetoriais, responsável pelas deformações dos corpos(conceito estático) ou pela modificação de seus estados de repouso ou movimento (conceitodinâmico).Em particular, a força exercida pela Terra sobre um corpo, é denominada peso do corpo. Paramaiores detalhes sobre a noção de peso recomendamos a leitura:Uma aventura em pensamento (o peso).
 
3. Classificação das forças quanto à natureza -
Quanto à natureza do agente que a determina,classificamos em:a) força muscular - (pela mão);b) força gravitacional - (força peso);c) força magnética - (pelos ímãs e eletroímãs);d) força eletrostática - (pelas cargas elétricas em repouso);e) força eletromagnética - (pelas correntes elétricas);f) força elástica - (pelas molas e fluidos sob pressão);g) etc.
4. Medida estática de forças -
Faz-se através dos critérios de igualdade e multiplicidade deintensidades de forças;a) critério de igualdade - Duas forças
F
1
 
e
F
2
têm intensidades iguais (e escreve-se F
1
= F
2
),quando aplicadas sucessivamente em uma mola (padrão), produzem deformões iguais.b) critério de multiplicidade - Uma força
F
1
tem intensidade n vezes a intensidade de outra força
F
2
(e escreve-se F
1
= n.F
2
), quando a deformação produzida numa mola, pela primeira, for nvezes superior à deformação produzida pela segunda, na mesma mola.
5. Lei de Hooke -
Para deformações elásticas, enuncia-se: É constante a razão entre aintensidade F da força aplicada numa mola e a deformação x
que ela experimenta; a constantede proporcionalidade k é uma característica da mola e denomina-se constante elástica da mola;simbolicamente:
6. Interação de corpos -
Corpos interagem (e suas interações traduzem-se por forças) emfunção da(s) propriedades que transportam (massa, carga elétrica, massa magnética etc.) ou por seus mútuos contatos; diferenciamos:a) Forças de "ação à distância" (modificação do espaço) - são forças de campo, nascidas emfunção da propriedade que transportam.b) Forças de contato - são as forças nascidas do mútuo contato entre os corpos.
 
7. Princípio da ação e reação -
Quer a interação entre dois corpos se dê "à distância" ou por contato, as forças de interação obedecem ao princípio da ação e reação; essas forças agem'simultaneamente', uma em cada corpo, têm mesma direção, têm mesma intensidade e sentidosopostos; indica-se:
8. Diagrama vetorial associado
- a um ponto material ou a um sólido (sistema rígido de pontos),é a representação pictórica das forças de campo e/ou de contato que nele agem. Numamontagem, deve-se isolar cada um dos componentes e substituir suas interações por forças(suas representações):Identificando os pares ação/reação:(1) - ação à distância da Terra sobre a esfera - seu peso P;(2) - ação à distância da esfera sobre a Terra - a reação -P;(3) - ação por contato da parede sobre a esfera - a ação N;(4) - ação por contato da esfera sobre a parede - a reação -N;(5) - ação por contato do fio sobre a esfera - a ação T;(6) - ação por contato da esfera sobre o fio - a reação -T;(7) - ação por contato da parede sobre o fio - a ação T';(8) - ação por contato do fio sobre a parede - a reação -T'.

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->