Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
60Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Princípios fundamentais da terapia cognitivo

Princípios fundamentais da terapia cognitivo

Ratings: (0)|Views: 9,473|Likes:
Published by lucianogomesfoz
resumo sobre a terapia cognitiva segundo Paulo Knapp
resumo sobre a terapia cognitiva segundo Paulo Knapp

More info:

Categories:Types, Resumes & CVs
Published by: lucianogomesfoz on Apr 21, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/23/2013

pdf

text

original

 
Princípios fundamentais da terapia cognitivo-comportamental
Os princípios fundamentais da terapia cognitivo- comportamental(tcc) foram ligados a idéia que foram descritas pela primeira vez milhares de anos. A tcc é uma abordagem de senso comum que se baseiaem dois prinpios centrais, nossa cognão tem uma influenciacontroladora sobre nossas emoções e comportamentos e, o modo comoagimos ou nos comportamos pode afetar profundamente nossos padrõesde pensamento e nossas emoções. As primeiras formulações de Beckcentravam se no papel do processamento de informações desadaptativoem depressão e transtorno de ansiedade e foi o primeiro a desenvolver completamente teorias e métodos para aplicar as intervenções cognitivase comportamentais, ele descreveu uma conceitualizacao cognitiva dadepreso na qual os sintomas estavam relacionados a um estilonegativo de pensamento em três domínios, si mesmo, mundo e futuro. Aatenção consciente nos permite monitorar e avaliar as interações com omeio ambiente, ligar meria passada as experiências presente,controlar e planejar ações futuras.A terapia baseia-se na premissa que a inter-relacao entre cognicao,emocao e comportamento esta implicada no funcionamento normal doser humano em especial na psicopalotogia. A TC propoe que pensamentos nas fronteiras da consciência que ocorrem espontânea erapidamente e são uma interpretação imediata de qualquer situação. Sãochamados de
 pensamentos
 
automáticos
e são distintos do fluxo normalde pensamentos observado no raciocínio reflexivo ou na livre associação.São geralmente aceitos como plausíveis, e sua acurácia é aceita comoverdadeira. A maioria das pessoas não está imediatamente consciente dapresença de pensamentos automáticos, a não ser que estejam treinadaspara monito-los e identificá-los.Nas raízes dessas interpretõesautoticas distorcidas eso pensamentos disfuncionais maisprofundos, chamados de
esquemas também denominados crençasnucleares,
 
Os esquemas têm uma variedade de propriedades, como permeabilidade, flexibilidade, amplitude, densidade e também um nível decarga emocional, que pode determinar as dificuldades ou facilidades
 
encontradas no processo de tratamento. Mesmo que latente ou inativoem determinados momentos, os esquemas, por exemplo, “É impossível eu ser amado”, são ativados por certas situações análogas àquelasexperiências precoces que engendraram o desenvolvimento do esquema.Em associão com essas crenças nucleares disfuncionais estão ascrenças condicionais subjacentes que levam a pressupostos como “Seeu não tiver uma mulher que me ame, não sou nada” e regras como “Umhomem não pode viver sem uma mulher”. A ativação desses esquemasinterfere na capacidade da avaliação objetiva de eventos, e o raciocíniotorna-se prejudicado. Distorções cognitivas sistemáticas (por exemplo,catastrofização, raciocínio emocional e abstração seletiva) ocorrem àmedida que esquemas disfuncionais são ativados. Como estratégias deenfrentamento para tentar evitar o contato com suas crenças nucleares esubjacentes, os pacientes podem empregar estratégias compensatórias.Embora essas manobras cognitivas e comportamentais aliviem seusofrimento emocional momentaneamente, em longo prazo as estratégiascompensatórias podem reforçar e piorar crenças disfuncionais.
Há umarelação recíproca entre afeto e cognição, uma vez que o aumento dadistorção cognitiva e emocional pode resultar de um reforçando o outro.Uma hipótese essencial do modelo cognitivo tem sido a noção de quecertas crenças constituem uma vulnerabilidade a distúrbios emocionais(modelo diátese-estresse). Por exemplo, se um indivíduo apresenta umavulnerabilidade cognitiva a temas de perda e fracasso, as conseqüênciasemocionais e comportamentais incluirão tristeza, um senso dedesesperança e isolamento social, conforme encontrado na depressão.Se outros indivíduos apresentam crenças relacionados com perigo, aansiedade prevalece e predise ao estreitamento da atenção àpercepção de ameaça, a realizar interpretações catastróficas de estímulosambíguos ou mesmo neutros8 e se envolver em “comportamentos desegurança” disfuncionais; eles serão impelidos a buscar escapismos ouevitar o risco mal-percebido de rejeição, vergonha ou morte. Os viesesorientados ao perigo que ocorrem automaticamente e o esonecessariamente sob controle consciente – são encontrados em todas asfases do processamento de informações (percepção, interpretação e
 
lembrança) e em todos os transtornos de ansiedade. Em pacientes comvulnerabilidade a temas de humilhação, injustiça ou algo relacionado, araiva será o tom, e uma reação comportamental retaliatória poderia ser  justificada como autodefesa. Cada transtorno de personalidade também écaracterizado por um conjunto espefico pessoal de contdoscognitivos disfuncionais, tais como deficiência, abandono, dependênciaou necessidade de tratamento especial, que constituem a vulnerabilidadecognitiva do indivíduo. Quando ativados por eventos externos, drogas oufatores encrinos, esses esquemas tendem a causar um viés noprocessamento de informações e produzem o conteúdo cognitivo típicode um determinado transtorno, com sua própria constelação cognitiva econjunto idiossincrático de crenças. Um breve resumo de perfiscognitivos em psicopatologia pode ser encontrado na TabelaA maioria das pessoas o tem consciência de que pensamentosautomáticos negativos precedem sentimentos desagradáveis e inibiçõescomportamentais, e que as emoções são consistentes com o conteúdodos pensamentos automáticos. Para aumentar a consciência dessespensamentos, os pacientes podem aprender a rastreá-los e, comtreinamento sistemático, localizar exatamente que tipo de pensamentos

Activity (60)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
cabralizidoro liked this
loloumoraes liked this
Joao Morais liked this
Joao Morais liked this
carolgasparetto liked this
carolgasparetto liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->