Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
71Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
apostila...direito.agrario...teoria.geral.do.direito.agrario...conceito.e.principios...fortium

apostila...direito.agrario...teoria.geral.do.direito.agrario...conceito.e.principios...fortium

Ratings: (0)|Views: 5,851 |Likes:
Published by tacianyf

More info:

Published by: tacianyf on Apr 21, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/27/2013

pdf

text

original

 
FORTIUM – CENTRO DE ESTUDOS JURÍDICOSCurso: Top FederalMatéria: Direito AgrárioProfessora: Marcela MacielConteúdo programático:DIREITO AGRÁRIO - 05
1. Teoria geral do Direito Agrário: conceito e princípios. 2. Reforma Agrária (Lei n.º8.629/93). 3. O Processo de desaproprião para fins de reforma agria (LeisComplementares n.ºs 76/93 e 88/96). 4. Usucapião constitucional rural (art. 191 daConstituição da República e Lei n.º 6.969/81).
APOSTILA 1TEORIA GERAL DO DIREITO AGRÁRIO: CONCEITO E PRINCÍPIOSBibliografia utilizada
:
DÁVILA, Renata Almeida. O princípio da função socioambiental da propriedaderural e a desapropriação por interesse social para fins de reforma agrária. In:
 Direitoambiental e desenvolvimento sustentável 
. Coordenadores: Suzi Huff Theodoro eoutros. Rio de Janeiro: Lúmen Júris, p. 257-267, 2008.
MANIGLIA, Elisabete. Atendimento da função social pelo imóvel rural. In:
Odireito agrário na constituição
. Organizado por Lucas Abreu Barroso. 2ª Ed. Rio deJaneiro: Forense, p. 25-44, 2006.
MARÉS, Carlos Frederico.
 A função social da terra.
Porto Alegre: Sergio AntonioFabris Editor, 2003
MARQUES, Benedito Ferreira.
 Direito agrário brasileiro
. 4ª Ed. Goiânia: ABEditora, 2001.
PEREIRA, José Edgard Penna Amorim. Terras devolutas. In:
O direito agrário naconstituição
. Organizado por Lucas Abreu Barroso. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Forense, p. 45-72, 2006.
1. Breve Histórico do Direito Agrário no Brasil:
- As origens do Direito Agrário remontam aos primórdios da civilização (Cód. deHammurabi e Lei das XII Tábuas).1
 
- Tratado de Tordesilhas (07/06/1494): Portugal adquiriu o domínio sobre as terrasencontradas à direita da linha imaginária do pólo ártico ao pólo antártico, distante 370léguas das Ilhas de Cabo Verde (direito de propriedade decorreu do Tratado).
1.1 Regime Sesmarial
(1531 a 17/07/1822):- Em Portugal o regime sesmarial era utilizado para corrigir distorções detectadas nouso de terras rurais (ociosidade, êxodo rural e falta de alimentos): confisco e redistribuição. No Brasil apenas o domínio útil era transmitido (similitude com a enfiteuse).- 1531: Martim Afonso de Souza – missão: distribuir as terras descobertas para finsde colonização (defesa do território contra invasões estrangeiras). Grandes quantidades deterras entregues a um pequeno número de pessoas.- Obrigações impostas ao sesmeiro (cláusulas resolutivas): colonizar a terra, ter nelasua morada habitual e cultura permanente, demarcar os limites, pagar os tributos. Institutodo comisso: se não cumprisse as obrigações, caía em comisso e as terras voltavam ao patrimônio da Coroa. Era transmissível por herança (
causa mortis
).- Influenciou o processo de formação de latifúndios e minifúndios (trabalhadoresque ocupavam as sobras de sesmarias o aproveitadas ou áreas o concedidas – abastecimento interno - posseiros).
1.2 Período “Extra legal” ou “das posses”
(de 17/07/1822 a 18/09/1850):- Período sem qualquer lei disciplinando a aquisição de terras (nem a Constituiçãode 1824 trouxe regulamentação a respeito – Resolução do Príncipe Regente de 07/07/1822:“conceda-se as terras requeridas e suspenda-se a concessão de novas sesmarias até aassembléia constituinte”).- Situões verificadas: a) proprierios letimos, por tulos de sesmariasconcedidas e confirmadas, com todas as obrigações adimplidas pelos sesmeiros; b) possuidores de terras originárias de sesmarias, mas sem conformação por inadimplência dasobrigações assumidas pelos sesmeiros; c) possuidores sem nenhum título hábil subjacente;e d) terras devolutas: aquelas dadas em sesmarias que foram devolvidas porque ossesmeiros caíram em comisso.- Ocupação desordenada do território (pequenas e grandes áreas). Império da força.
1.3 Período de institucionalização do direito agrário
(de 18/09/1850 em diante):
a)
 
Lei de Terras de 1850 (Lei nº 601 de 18/09/1850)
(tentativa de converter assituações fáticas em jurídicas):- objetivos: a) proibir a investidura de qualquer súdito, ou estrangeiro, nodomínio de terras devolutas, excetuando-se os casos de compra e venda; b) outorgar títulos de domínio aos detentores de sesmarias confirmadas; c) outorgar títulos dedomínio a portadores de quaisquer outros tipos de concessões de terras feitas na2
 
forma da lei então em vigor uma vez comprovado o cumprimento das obrigaçõesassumidas nos respectivos instrumentos; e d) assegurar a aquisição do domínio deterras devolutas através da legitimação de posse, desde que fosse mansa e pacífica,anterior e até a vigência da lei. Foi regulamentada pelo Decreto nº 1.318 em30/01/1854.- Registro Paroquial ou do Vigário (art. 97 do Decreto nº 1.318/1854):
 Art. 97. Os Vigários de cada uma das Freguesias do Império são osencarregados de receber as declarações para o registro das terras, e osincumbidos de proceder a esse registro dentro de suas Freguesias, fazendo-o por si, ou por escreventes, que poderão nomear, o Ter sob suaresponsabilidade
- problemas: insuficiência de pessoal habilitado para o desempenho dos ofícios de juiz comissário e inspetor de medição de terras vagas; barreiras institucionais egeográficas.- destaques: legitimação de posse; proteção aos silvícolas; limitações ao acesso deestrangeiros; proteção às terras situadas na faixa de fronteira.- impediu o acesso à terra aos negros e aos pobres, pois obrigou que a terras públicas, após a data da edição da Lei, somente poderiam ser vendidas.
b) Constituição Republicana de 1891
: transferiu (art. 64) aos Estados as terrasdevolutas, ficando reservadas à União apenas as áreas destinadas à defesa das fronteiras,fortificações, construções militares e estradas de ferro, e terrenos de marinha.
 Art. 64. Pertencem aos Estados as minas e terras devolutas situadas nos seus respectivos territórios, cabendo à União somente a porção doterritório que for indispensável para a defesa das fronteiras, fortificações,construções militares e estradas de ferro federais. Parágrafo único. Os próprios nacionais, que não forem necessários parao serviço da União, passarão ao domínio dos Estados, em cujo territórioestiverem situados. Art. 72. § 17. O direito de propriedade mantém-se em toda a sua plenitude, salva a desapropriação por necessidade ou utilidade pública,mediante indenização prévia. As minas pertencem aos proprietários do solo, salvas as limitações que forem estabelecidas por lei a bem da exploração deste ramo de indústria.
c) Código Civil de 1916:
disciplinou vários institutos (como a posse, por exemplo),mas com uma visão muito individualista. Posse agrária X posse civil.
d) Constituição Federal de 1934
:3

Activity (71)

You've already reviewed this. Edit your review.
Regiane Fredi liked this
1 thousand reads
1 hundred reads
Marcio Conrado liked this
Ivanise Amaral liked this
storm1983 liked this
Ivania Milan liked this
Isaac Duarte liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->